O que é sopro no coração?

O sopro no coração é um ruído entre os batimentos cardíacos, causado por alterações nas válvulas do coração. Geralmente é auscultado em um exame físico de rotina e se assemelha a um sopro no ouvido. Nem sempre é patológico, porém pode indicar alguma doença. Muitas vezes, o sopro desaparece sozinho.

Segundo o cardiologista Bruno Colontone, “sopro não é uma doença, e sim um sinal”. Existem sopros inocentes, que não são prejudiciais à saúde e podem surgir e sumir sem motivo aparente, sendo relativamente comuns em crianças. Já os sopros patológicos podem ser sinais de que existe algum problema nas válvulas do indivíduo. Em casos graves, pode ser necessário cirurgia para reparar.

Índice — neste artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. O que é sopro no coração?
  2. Como funciona o coração saudável?
  3. O que acontece no coração com sopro?
  4. Sopro em crianças
  5. Tipos de sopro no coração
  6. Classificação do sopro
  7. Causas e doenças relacionadas
  8. Sintomas
  9. Como é feito o diagnóstico do sopro no coração?
  10. Sopro no coração tem cura? Qual o tratamento?
  11. Sopro no coração pode matar?

Como funciona o coração saudável?

Para entender melhor o coração é dividido em 4 partes: dois átrios e dois ventrículos, separados por um septo. No átrio e ventrículo direito circula o sangue venoso, enquanto no átrio e ventrículo esquerdo transita o sangue arterial.

Entre os átrios e ventrículos, existem válvulas, conhecidas como válvula tricúspide e válvula mitral. São elas que permitem o fluxo normal do sangue no coração.

Na circulação normal, o átrio direito recebe o sangue venoso, e o átrio esquerdo recebe o sangue arterial. Nesse momento, o sangue passa pelas válvulas, movendo-o para os ventrículos.

O ventrículo direito envia o sangue venoso para o pulmão (passando pela válvula pulmonar), para oxigenar o sangue. Ao mesmo tempo, o ventrículo esquerdo envia o sangue arterial (passando pela válvula aórtica) para as artérias.

Ou seja, existem dois momentos importantes no coração e cada um produz um som em sequência que é resultado da abertura e fechamento das válvulas, resultando no som clássico de “tum-tum”.

No primeiro momento, o sangue passa dos átrios para os ventrículos, passando pelas válvulas tricúspide e válvula mitral, fazendo o primeiro “tum”.

E no segundo momento, cada ventrículo envia o sangue, ou para o pulmão (por meio da válvula pulmonar) ou para as artérias (por meio da válvula aórtica), gerando o segundo “tum”.

O que acontece no coração com sopro?

O sopro é um ruído que ouvimos entre o som do “tum-tum”, durante o movimento do sangue por alguma das válvulas. Geralmente, isto é resultado de algum outro problema ou disfunção que dificulta ou altera a passagem normal do sangue entre as válvulas.

Sopro em crianças

Em crianças, o sopro é relativamente comum. Cerca de 30% a 50% de crianças saudáveis podem apresentar o sopro benigno (também conhecido como sopro inocente), que pode ser originado de problemas no nascimento, mas não necessariamente.

Em alguns casos, surge naturalmente, pois a criança está desenvolvendo seu coração e existe uma desproporção dos vasos e as outras estruturas do órgão. O sopro pode, também, surgir sem motivos aparentes. O mais normal para tais casos é que a condição desapareça com a idade.

Tipos de sopro de coração

Um coração com sopro não necessariamente é um coração doente, apenas apresenta uma alteração sanguínea que pode ou não indicar uma doença. Existem dois tipos de sopros:

Sopro fisiológico, benigno, ou inocente

Muito comum em crianças, não tem nenhum motivo aparente e pode desaparecer sozinho depois de algum tempo. Pode ocorrer também em adultos, mas em menor escala.

Sopro patológico

Pode ser congênito ou adquirido com o tempo de vida e está ligado a outros problemas cardíacos.

Classificação do sopro

Cardiologistas costumam classificar a altura do som de I a VI. No geral, os graus I a II costumam ser benignos. Já os sopros de grau III a VI são sempre patológicos, mas não necessariamente graves. Entenda:

  • Grau I: Sopro quase inaudível;
  • Grau II: Intensidade fraca, mas perceptível com alguma atenção;
  • Grau III: Sopro facilmente ouvido;
  • Grau IV: Sopro com frêmito (palpável no tórax e que é alto;
  • Grau V:  Sopro com frêmito e bastante alto que pode ser ouvido com o estetoscópio um pouco afastado;
  • Grau VI: Sopro com frêmito e bem alto, podendo ser possível auscultado até mesmo com o estetoscópio afastado.

É importante lembrar que podemos ter, por exemplo, casos de grau I e II precisando de cirurgia, enquanto há casos nos quais os graus de III a VI não precisariam. Tudo varia de caso para caso, de paciente para paciente e o médico que tem a palavra final sobre isso.

Causas e doenças relacionadas

O sopro benigno, ou normal, geralmente é causado por turbulências no fluxo sanguíneo ou alguma leve anormalidade das válvulas. Isso não gera efeitos negativos sérios. Muitas vezes, pode não ter uma causa específica e tende a sumir sozinho.

Já o sopro patológico é mais comum em adultos que tiveram febre reumática quando crianças ou que apresentam outros problemas cardiovasculares.

Em geral, o sopro está relacionado a problemas como:

Alterações no fluxo sanguíneo

Algumas circunstâncias podem ocasionar alterações no fluxo sanguíneo, podendo causar turbulências. Essas condições são:

  • Taquicardia;
  • Febre;
  • Esforço físico;
  • Anemia;
  • Gravidez;
  • Hipertireoidismo.

Problemas nas válvulas

Algumas condições podem afetar as válvulas e causar o sopro, como por exemplo:

Estenose valvar (estreitamento das valvas)

Ocorre quando alguma das válvulas endurece e não consegue abrir corretamente, resultando em um estreitamento que faz com que o sangue saia com maior pressão. Esse turbilhão causa o sopro.

O estreitamento pode ocorrer devido a problemas congênitos no nascimento da criança, febre reumática ou até mesmo calcificação da válvula devido a idade.

A nomenclatura da estenose indica a válvula afetada. Chamamos de estenose aórtica quando o estreitamento se dá na válvula aórtica e estenose tricúspide quando se da na válvula tricúspide.

Insuficiência valvar (ou regurgitação valvar)

Surge quando a válvula não consegue fechar completamente, permitindo que um pouco de sangue passe para a direção contrária. Isso causa um turbilhão que, por sua vez, causa o sopro.

Alterações no caminho do sangue

Malformações congênitas (presentes desde o nascimento) fazem o sangue seguir por um caminho diferente do que deveriam fazer normalmente. As principais alterações são:

Comunicação interatrial ou interventricular

O septo cardíaco é uma parede muscular que separa o lado esquerdo e direito do coração. Às vezes, um buraco pode se originar, fazendo com que o sangue arterial e o sangue venoso se encontrem, causando assim problema na comunicação entre os átrios e ventrículos.

Tetralogía de Fallot (T4F)

A tetralogía de Fallot é uma má formação congênita, que é composta de 4 problemas:

  • Problema de comunicação interventricular (como citado acima, um buraco no septo, que acaba misturando sangue arterial com sangue venoso);
  • Desalinhamento da aorta para a direita;
  • Dificuldade de passagem de sangue venoso para o pulmão;
  • Excesso de trabalho do ventrículo direito, gerando assim um aumento na musculatura.

Sintomas

O sintoma mais claro é a presença de um som ou ruído a mais do que o clássico “tum-tum” que estamos habituados.

Sopros benignos não costumam ter outros sintomas. Porém, como o sopro patológico pode estar relacionado a outras doenças cardíacas, deve-se prestar atenção para alguns possíveis sintomas. Estes podem indicar problemas cardíacos que, por ventura, causam o sopro. São eles:

  • Dores no peito;
  • Desmaios;
  • Fadiga;
  • Tontura;
  • Transpiração excessiva;
  • Lingua roxa;
  • Veias saltadas;
  • Palpitações;
  • Dificuldades para respirar.

Como é feito o diagnóstico do sopro no coração?

Normalmente, o sopro é detectado em exame de rotina por meio de uma ausculta, por um estetoscópio. Outros exames podem ser requeridos para determinar a causa do sopro.

É importante ressaltar que diagnósticos como eletrocardiograma ou raio-X não detectam a presença do sopro em si, mas ajudam a identificar outros problemas. São eles:

Ecocardiograma

O ecocardiograma é o exame mais completo para detectar a presença de eventuais problemas que possam estar causando o sopro, como vazamento e estreitamento das válvulas cardíacas.

O paciente fica deitado em uma cama, enquanto o equipamento gera imagens semelhantes a um ultra som. Essas imagens demonstram bem o estado interno das estruturas cardíacas e velocidade do fluxo sanguíneo. Por isso, é o exame mais indicado e completo para pacientes que tem sopro.

Eletrocardiograma

Trata-se de um exame não invasivo que verifica a atividade elétrica do coração do paciente. O eletrocardiograma não gera imagem, mas sim um gráfico que permite verificar os estímulos nervosos no coração do paciente, permitindo detectar problemas gerais no coração.

Como o foco deste exame se concentra no sistema neuromuscular do paciente, é ele que irá descobrir se a causa do sopro está relacionada a algum defeito nos nervos ou na musculatura.

Radiografia de torax

Esse exame gera uma imagem em raio X da região torácica (região do peito), que visualiza possíveis fraturas nos ossos, tumores, bem como problemas outras problemas cardíacos que podem estar causando o sopro. Além disso, permite acompanhar o andamento de tais doenças. É ideal para detectar problemas relacionados a falta de ar, dor no peito ou problemas relacionados ao esôfago, entre outros.

Sopro no coração tem cura? Qual o tratamento?

Como o sopro, em si, não é uma doença, não possui cura e nem é o foco do tratamento.

Em muitos casos, o sopro desaparece sozinho com o tempo. No entanto, com o sopro patológico, o desaparecimento só ocorre quando as doenças relacionadas são tratadas.

Cada caso de sopro pode requerer um tratamento específico dependendo da doença associada, que deve ser diagnosticada por um cardiologista.

Em casos simples, o problema pode ser tratado com medicamentos. Porém, em casos mais graves, pode ser necessário intervenção cirúrgica, que geralmente envolve a substituição das válvulas defeituosas por válvulas artificiais. A cirurgia é bem segura e pode ser feita em até mesmo em bebês.

Sopro no coração pode matar? É grave?

O sopro, em si, não mata. Ele não é uma enfermidade que pode matar, mas sim um sinal de que algo pior pode estar afetando o coração, como a estenose valvar ou insuficiência valvar, ou até mesmo problemas mais graves. Já as doenças que causam o sopro podem levar ao óbito dependendo do estágio e da gravidade.


Muitos mitos e informações correm soltos sobre o sopro no coração. Compartilhe o texto e ajude a espalhar esse conhecimento. Para todos os casos, recomendamos procurar um médico especializado.

Qualquer dúvida, nos contate e responderemos suas perguntas.

Referências

https://www.youtube.com/watch?v=KOm8e4rAaC4
https://www.youtube.com/watch?v=cj9aVHlADxw
https://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/sopro-no-coracao/
http://www.mdsaude.com/2010/04/sopro-coracao-sopro-cardiaco.html
http://saude.ccm.net/faq/5740-sopro-no-coracao-causas-e-sintomas
https://www.tuasaude.com/sintomas-de-sopro-no-coracao/
https://www.tuasaude.com/sopro-no-coracao-pode-matar/
http://saude.ccm.net/faq/5740-sopro-no-coracao-causas-e-sintomas
http://sopronocoracao.com/sopro-no-coracao-grau-i-ii-iii-iv-v-e-vi/
http://sopronocoracao.com/o-que-e-sopro-no-coracao/
https://coracaoalerta.com.br/fique-alerta/tratamento-para-sopro-no-coracao-e-simples-e-seguro/
http://telemedicinamorsch.com.br/blog/2016/01/como-e-feito-o-rx-torax-padrao-oit-para-que-serve/

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Faça um comentário:

Por favor, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui