O que é Gengivite, tratamento, remédios, sintomas, tem cura?

3

O que é a Gengivite?

A gengivite é a fase inicial da doença das gengivas, é uma inflamação dos tecidos da gengiva que fica nas bordas os dentes. Quando não tratada adequadamente, ela pode virar uma periodontite, a qual é a principal causa da perda dental em adultos.

A gengivite associa-se à presença de placa bacteriana na região da margem gengival e quando não tratada, pode evoluir para a formação de tártaro e para uma forma mais grave da doença, podendo atingir o osso alveolar, responsável pela sustentação e fixação dos dentes na boca.

Há casos em que a gengivite pode ser indolor, fazendo com que o paciente não a perceba. A gengiva adquire uma coloração avermelhada intensa e sem brilho, além de causar sensibilidade intensa e sangramento na gengiva, pois a placa bacteriana e o tártaro irritam a gengiva, que fica inflamada (vermelha e inchada).

Este sangramento é um fator inicial importante, pois mostra que algo está errado, sempre que houver sangramento gengival, poderá ser sinal de alerta, e se ele permanecer, sua causa deve ser investigada e tratada, o indivíduo deverá procurar um especialista.

A gengivite é um problema gravíssimo e acomete muitos brasileiros.

Índice – neste artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. O que é a Gengivite?
  2. Causas
  3. Fases da Gengivite
  4. Sintomas da Gengivite
  5. Qual profissional devo procurar? E qual o diagnóstico?
  6. Gengivite tem cura?
  7. Tratamento da Gengivite
  8. Grupos e fatores de risco
  9. Complicações
  10. Como conviver com a Gengivite
  11. Como prevenir? É transmissível?

Causas

É causada pela presença de placa bacteriana, ou seja, o acúmulo de microorganismos na superfície dos dentes, língua, gengivas e bochechas. Quando não é feito tratamento adequado na placa bacteriana, as bactérias então se alimentam dos resíduos de alimentos que ficam na boca, liberando ácidos/toxinas que podem infeccionar a gengiva, causar cáries e outros problemas bucais.

Pode ocorrer em qualquer idade, sendo mais comum entre os adultos. Quando não é detectada no estágio inicial, a gengivite pode ser revertida!

A placa bacteriana é uma película pegajosa e incolor que se forma ao redor dos dentes quando não é realizada uma higienização adequada. Essas placas produzem toxinas que irritam a mucosa da gengiva. Outras causas são:

  • Má oclusão dos dentes.
  • Formação de tártaro.
  • Cáries dentárias.
  • Baixa produção de saliva.
  • Tabagismo.
  • Certos medicamentos.
  • Exposição a metais pesados, como o chumbo e o bismuto.
  • Fator genético de predisposição: nesses casos deve-se redobrar os cuidados sobre os dentes e a gengiva.

Pode ser também a manifestação de enfermidades como:

Fases da Gengivite

Gengivite

Este é o primeiro estágio da inflamação gengival, causado pela placa bacteriana formada na gengiva. Quando ocorre a gengivite, é possível notar sangramento durante a escovação e o uso do fio dental, bem como gengivas avermelhadas, irritação e até dores durante a mastigação.

Se o paciente faz um tratamento adequado nesta fase, é possível revertê-lo.

Periodontite

Nesta fase, ocorre a inflamação que provoca um desgaste irreversível no osso, gengivas e fibras de sustentação dos dentes.

É ainda possível notar, ao redor dos dentes, a formação de uma bolsa que avança para dentro da gengiva e armazena resíduos alimentares e a placa bacteriana. Se for feito um acompanhamento médico e juntamente um tratamento rigoroso, é possível evitar danos maiores e prevenir avanços da doença.

Periodontite avançada

Nesta fase, a área ao redor dos dentes (gengivas, fibras e ossos de sustentação) já foram destruídos quase que completamente, provocando a mudança de posicionamento dos dentes, amolecimento ou queda.

Afeta gravemente a mastigação e a mordida firme, se não for tratada pode ocasionar a retirada dos dentes.

Sintomas da Gengivite

A gengivite precisa ser tratada em sua fase inicial, que é quando ainda é totalmente reversível, é preciso ficar de olho nos sintomas da doença periodontal.

Na gengivite, a gengiva as vezes não dói, então uma pessoa pode tê-la e nem saber disso. Veja outros sintomas típicos desta inflamação:

A principal característica da gengivite são as gengivas vermelhas, inchadas e hipersensíveis que podem sangrar espontaneamente ou durante a escovação. Pode ainda ocorrer uma retração da gengiva, deixando os dentes com uma aparência mais alongada.

A gengiva inflamada costuma ter uma cor mais avermelhada que o normal ou até mesmo arroxeada. Fica inchada, sensível e sangra com facilidade durante a escovação e uso do fio dental. Os sinais e sintomas desta doença costumam ser:

  • Gengiva avermelhada, inchada ou flácida.
  • Sangramento nas gengivas durante a escovação ou uso do fio dental.
  • Dores ao comer ou no contato das gengivas com as bochechas.
  • Impressão de que os dentes estão mais longos, por causa da retração da gengiva.
  • Mau hálito persistente ou gosto ruim na boca.
  • Dente amolecido.
  • Próteses parciais que se desajustaram.
  • Dentes excessivamente sensíveis à temperaturas frias ou quentes.
  • Mudança nos posicionamentos dos dentes.
  • Secreção de pus ao redor dos dentes e na bolsa gengival: nos casos mais avançados.

Qual profissional devo procurar? E qual o diagnóstico?

O odontologista é quem cuidará da gengivite e fará o diagnóstico, que ocorre por meio da descrição dos sintomas do paciente e da avaliação bucal.

Nesta avaliação, o profissional examina os dente, as gengivas, a língua e as paredes internas da boca, procurando por acúmulo de placa e depósitos de tártaro no dente e, em seguida, avaliará a situação das gengivas.

Se as causas não estiverem claras, o dentista poderá solicitar exames específicos que ajudem no diagnóstico, dependendo de cada caso.

Gengivite tem cura?

A gengivite não tem cura. Contudo, se houver um tratamento adequado, o paciente pode ter uma boa qualidade de vida. Veja a seguir quais são os tratamentos.

Tratamento da Gengivite

É possível realizar um tratamento que consiste apenas de uma escovação adequada, uso de fio dental e de enxaguantes bucais, de acordo com as indicações do dentista, para as fases iniciais da gengivite.

Isto impedirá a progressão das placas bacterianas e vai curar a inflamação da gengiva. Nas fases intermediárias e avançadas, é imprescindível a intervenção de um dentista, ortodentista ou cirurgião dentista.

O profissional poderá realizar limpezas da placa bacteriana e aplicar produtos que evitem o retorno da doença, indicando medicamentos para combatê-la, além da raspagem dos dentes para remover o tártaro e aplainar as raízes para evitar o endurecimento da placa.

Também pode-se remover dentes amolecidos e corrigir o mau posicionamento dos dentes, que foi causado pela doença periodontal. Nos casos mais sérios, os antibióticos e anti-inflamatórios podem ser recursos terapêuticos importantes.

A cirurgia periodontal é reservada para quando essas outras intervenções terapêuticas não tiverem efeitos. O tratamento de gengivite consiste em eliminar as causas para reverter os sintomas da inflamação e impedir que ela progrida para algum problema mais grave.

O procedimento de limpeza de dentes é conhecido como profilaxia, em que o dentista remove toda a placa acumulada e o tártaro depositado na base do dente. Este tratamento normalmente é eficaz, contudo, é também importante que o paciente continue com boas práticas de higiene bucal em casa para evitar que a inflamação retorne.

Remédios para gengivite:

Atenção!

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas nesse site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Grupos e fatores de risco

A gengivite é bastante comum e qualquer pessoa corre o risco de desenvolvê-la. Porém, alguns fatores e grupos tornam alguns indivíduos mais propensos para o desenvolvimento desta inflamação. São eles:

  • Higiene bucal precária.
  • Tabagismo.
  • Diabetes.
  • Idade avançada.
  • Imunidade baixa.
  • Uso de medicamentos específicos.
  • Infecções virais e fúngicas.
  • Boca seca.
  • Mudanças hormonais, relacionadas à gravidez, ciclo menstrual, puberdade e uso de pílulas anticoncepcionais.
  • Deficiências nutricionais.
  • Uso excessivo de determinadas substâncias.
  • Aparelhos bucais mal encaixados ou mal higienizados.

Complicações

Deve-se lembrar que a gengivite é o estágio inicial da doença da gengiva e se não for tratada poderá causar graves complicações, entre elas estão:

Afetar a estrutura dentária:

Provocando a queda dos dentes da boca.

Periodontite:

O osso e as fibras que mantém os dentes em posição são muito danificados.

Periodontite avançada:

O osso que sustenta o dente está muito reabsorvido. Isso faz com que os dentes migrem ou se tornem móveis, afetando a mordida e pode acarretar na queda dos dentes também.

As doenças periodontais também podem afetar a saúde do corpo como um todo, podendo acometer o paciente a:

  • Infarto.
  • AVC.
  • Doenças pulmonares.
  • Problemas na gravidez: fazendo com que o bebê nasça prematuramente ou abaixo do peso normal.

Como conviver com a Gengivite

Entre as ações que o paciente pode adotar para conviver com a gengivite estão:

  • Utilizar uma escova de dentes macia e trocar a cada três ou quatro meses, em média, ou sempre que as cerdas ficarem deformadas.
  • Optar pelo uso uma escova de dentes elétrica, que poderá ajudar na remoção de placa dentária.
  • Escovar os dentes após cada refeição do dia.
  • Utilizar fio dental pelo menos uma vez ao dia e de maneira eficiente
  • Usar um enxaguante bucal antisséptico.
  • Manter sempre uma boa higiene bucal para que a gengivite não reapareça.

Como prevenir? É transmissível?

A gengivite não é transmissível. Ela se trata de uma inflamação, não de uma infecção, sendo causada pela placa bacteriana e não pelas bactérias. A placa se acumula no decorrer do tempo e se desenvolve em todo mundo se não houver higiene adequada.
Lembre-se de escovar bem os dentes e usar fio dental, além de visitar seu dentista de seis em seis meses para detectar níveis iniciais de doenças e tratá-las antes que evoluam. Isso deve bastar para manter a gengivite longe.

Outros cuidados para a prevenção incluem:

  • Controlar a placa bacteriana por meio de limpezas profissionais no dentista;
  • Alimentar-se corretamente de maneira a não promover o desenvolvimento da placa;
  • Cessar o tabagismo e o fumo completamente;
  • Tomar cuidado com certos remédios que podem causar gengivite.

Viu só como é importante cuidar bem dos seus dentes? A saúde da boca é tão importante quanto a de qualquer outra parte do corpo, desta forma, compartilhe este artigo com os seus amigos, para que eles também fiquem informados sobre os riscos da gengivite e previnam-se!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (9 votos, média: 4,44 de 5)
Loading...

3 Comentários

  1. Geralmente acho que estou com gengivite! O lado direito da minha gengiva sangra de vez em quando! É por causa que eu escovo muito rápido e tem restos de comida grudados no meu dente!

Deixe suas opiniões e comentários, nos preocupamos com ela:

Por favor, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.