Redação Minuto Saudável
14/01/2019 20:00

Sintomas de gravidez podem surgir antes do atraso menstrual

Antes mesmo do atraso do ciclo menstrual, existem alguns sintomas que podem sinalizar uma gravidez. Diversas vezes eles passam despercebidos, pois se assemelham muito com a TPM. Confira:

Seios inchados e doloridos

Os seios incham devido aos hormônios estrogênio e progesterona estarem elevados, fazendo com que a circulação de sangue nos seios se torne maior e os deixe mais sensíveis.

No caso da gestação, a dor vai se potencializando com o passar dos meses. Este processo ocorre como forma de preparação: o corpo já identificou o início da gestação e está se organizando para servir o feto em formação.

Cólicas ou suave dor abdominal

Durante o início da gravidez, o útero passa por constantes transformações. Essas mudanças podem causar contrações uterinas que se assemelham às cólicas menstruais.

Além das cólicas, sensações de inchaço e dor na região pélvica são muito frequentes, pois os órgãos e músculos começam a se reorganizar, criando espaço para a formação do feto.

Sangramento vaginal

Algumas mulheres, dentro das primeiras 12 semanas de gestação, podem sofrer com um corrimento marrom. Ele é, nesses casos, um sangramento semelhante à menstruação. Um dos motivos para que isso aconteça é pela implantação do embrião na parede uterina, processo também conhecido como nidação.

Normalmente, a nidação é caracterizada por um sangramento mais claro que o corrimento marrom, podendo ser mais próximo de um rosado. O fluxo também é bem inferior ao fluxo menstrual e a duração é de poucos dias.

Durante a gestação, a vagina pode ficar mais sensível e por isso ter sangramentos durante relações sexuais ou durante exames ginecológicos. O risco de infecções também é maior nesse período.

Os sangramentos ou corrimentos durante a gravidez, mesmo quando considerados comuns, não devem ser omitidos ou menosprezados. É aconselhado a orientação de um ginecologista, em todos os casos.

No período de puerpério, após o parto, é possível que a mulher sofra com um corrimento chamado lóquio. Ele pode ser similar ao corrimento marrom ou ter outras variações de cor.

Ele acontece por consequência de perda de sangue, tecidos do interior do útero e muco. Diante da presença do lóquio, converse com o médico ginecologista ou obstetra como proceder.

O tempo de duração do lóquio varia de mulher para mulher, mas a média é de 3 a 6 semanas.

Irritabilidade, estresse e dor de cabeça

Dizer que os hormônios estão à flor da pele é a mais pura verdade. Nas primeiras doze semanas, os hormônios trabalham incessantemente, submetendo o organismo feminino a mudanças drásticas. Isso afeta diretamente as emoções, principalmente na irritabilidade e o estresse, que por sua vez podem evoluir para dores de cabeça.

Inchaço

É muito comum se sentir inchada durante a gravidez. Isso ocorre pois o corpo armazena mais fluidos.

Dor constante na lombar

Quando falamos de dor constante é constante mesmo! Uma dor que dura o dia todo e não passa com massagens ou descanso pode ser um dos sintomas mais incômodos e persistentes da gravidez.

Necessidade constante de ir no banheiro

Sintoma presente durante boa parte da gravidez, a necessidade excessiva de ir ao banheiro ocorre devido à mudança hormonal.

Infelizmente para as futuras mamães, ir ao banheiro para urinar se torna cada vez mais constante, conforme a gravidez avança, pois o crescimento do útero diminui o espaço reservado para a bexiga, obrigando à esvaziar-se frequentemente.

Fadiga e sonolência

O aumento de progesterona no organismo é a principal razão pela qual as mulheres  se sentem tão exaustas. A progesterona é um hormônio que chega a aumentar cerca de 500% durante a gestação.

Dentre as responsabilidades da progesterona, encontram-se a manutenção da gravidez e o desenvolvimento do feto. No entanto, ela possui efeitos colaterais que podem deixar a mulher exausta, levando à sonolência excessiva e sensação de fadiga.

Outro motivo pela falta de energia no início da gestação é que o organismo da futura mamãe precisa desenvolver o feto e a placenta que o abrigará e o nutrirá. Ambas as atividades exigem muita energia, então são priorizadas pelo corpo, ao invés das atividades diárias da gestante.

Se você acha muito, então saiba que não acabou: a necessidade de circulação de oxigênio durante a gravidez chega a aumentar cerca de 20%. Com isso, a nossa amiga progesterona precisa intervir e estimular o cérebro a aumentar a base de respiração da gestante, fazendo assim com que o déficit seja sanado. A parte excedente de oxigênio é utilizada para o desenvolvimento do feto e da placenta.

Tonturas

As tonturas podem ser decorrentes da baixa pressão sanguínea, pois a placenta necessita de mais sangue, e é priorizada pelo organismo, deixando o resto do corpo mais fraco.

Outros motivos podem ser a redução dos níveis de açúcar no sangue, anemia, aumento da frequência respiratória e, em períodos mais avançados da gestação, a obstrução da veia cava, o que reduz o volume de sangue que chega ao coração.

Enjoos

Assim como a circulação sanguínea, os sentidos também passam por uma nova fase. Uma das principais queixas são os enjoos frequentes.

Com o olfato mais apurado, a gestante passa a sentir odores que antes passavam despercebidos, ou que não lhe causavam estranhamento. Este redescobrimento olfativo causa enjoos, que diversas vezes levam ao vômito.

Leia mais: Gravidez semana a semana: sintomas, fases e formação do bebê

Posso confiar apenas nos sintomas para diagnosticar uma gravidez?

De forma alguma! Sintomas são apenas indicativos: eles levantam as suspeita, mas não garantem um diagnóstico.

Os sintomas que parecem ser decorrentes da gravidez podem, na verdade, ser da fase de tensão pré-menstrual (TPM), ou de alguma doença como cisto do ovário, infecção ou gravidez psicológica.

Se você não teve relações sexuais desprotegidas e mesmo assim apresenta os sintomas de gravidez, procure seu médico o quanto antes.

Leia mais: Teste de Gravidez (sangue, farmácia): como fazer, preço, resultados

15/01/2019 09:02

Redação Minuto Saudável

Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável. Confira mais na nossa página de quem somos.

Ver comentários

  • Tomei injeção por 4 anos, e ha 1 ano tomo anticoncepcional em comprimido.
    Minha cartela acabou dia 15/03, minha menstruação veio 19/03 e não tomei mais o anticoncepcional.
    Tive relações dias 24/03, 30/03, 02/04 e 12/04....minha menstruação era pra ter vindo dia 15/04, estou 14 dias atrasada e com corrimento branco que parece leite coalhado.
    Posso ter engravidado?

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá Verônica.

      Sim, é possível que você tenha engravidado. Como a sua menstruação já está atrasada, você pode fazer um teste de farmácia para tirar suas dúvidas. Caso o resultado seja positivo, vá ao médico para confirmar.

      Obrigado pelo comentário!

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*