É normal ter alguns hábitos ou manias, desde que elas não comprometam o bem-estar e saúde mental. Quando alguma ação ocorre intensivamente, acarretando danos à rotina, pode se tratar de uma compulsão.

O quadro tem diagnóstico e tratamento, mas deve ser levado a sério, pois tem grandes impactos na vida pessoal e profissional.

Índice — neste artigo você vai encontrar:

  1. O que é compulsão e como identificar um comportamento compulsivo?
  2. Qual a diferença entre compulsão e obsessão?
  3. Quais os tipos de compulsão?
  4. Como se livrar de um comportamento compulsivo?

O que é compulsão e como identificar um comportamento compulsivo?

Compulsão é um comportamento repetitivo e excessivo, geralmente feito com o intuito de aliviar desconfortos como ansiedade e angústia.

Em suma, todo comportamento que o ser humano emite tem uma consequência, seja ela boa ou ruim. Grande parte dos comportamentos que temos visam aliviar algum sentimento desagradável.

Quando estamos com sede, tomamos água para aliviá-la. Depois de tomar alguns goles, já nos sentimos satisfeitos e não precisamos mais tomar água, então cessamos o comportamento.

Já uma pessoa com algum tipo de compulsão pode nunca se sentir satisfeita após realizar a ação compulsiva.

Uma pessoa com compulsão por café, por exemplo, irá tomar diversas xícaras por dia, mesmo que já tenha obtido os efeitos da cafeína no organismo — a pessoa simplesmente não se sente satisfeita.


A compulsão está por trás de uma série de vícios e não necessariamente ocorre apenas com substâncias químicas. É possível ter compulsão por comida em geral, por jogos, por sexo, entre outras.

Identificar um comportamento compulsivo pode não ser tão fácil, pois há uma linha tênue entre repetir uma ação por gostar e repetir por compulsão.

No entanto, a principal maneira de identificar se um comportamento é compulsivo é se atentar para os seguintes sinais:

  • A ação é realizada com um intuito de aliviar uma angústia ou ansiedade;
  • Realizar o comportamento traz um alívio temporário, mas que logo passa, fazendo com que a pessoa precise repetir o comportamento em pouco tempo;
  • Caso a pessoa não consiga realizar o ato compulsivo, a sensação de angústia e ansiedade aumenta significativamente;
  • A realização de atos compulsivos traz prejuízos para a vida pessoal, as finanças, os relacionamentos, a carreira, entre outros.

Qual a diferença entre compulsão e obsessão?

A obsessão é um pensamento intrusivo, ou seja, do qual a pessoa não consegue se livrar. Frequentemente, as obsessões causam angústia significativa, o que pode levar a comportamentos compulsivos.

Em geral, as compulsões estão ligadas a pensamentos obsessivos. Uma pessoa com compulsão por sexo, por exemplo, pode ter uma obsessão de que não é desejada, e para aliviar a angústia causada por essa obsessão, acaba se envolvendo no sexo compulsivo.

Contudo, obsessões podem existir sem que isso leve a compulsões. Uma pessoa pode ter pensamentos obsessivos, mas não utilizar de compulsões para aliviar a tensão causada por esses pensamentos.

Quais os tipos de compulsão?

Alguns dos comportamentos compulsivos mais comuns são:

Por compras

A compulsão por compras ocorre quando a pessoa passa a comprar com frequência, mesmo que não precise e nem tenha dinheiro para pagar.

Frequentemente, a pessoa com esse tipo de compulsão vai comprando até estourar o limite do cartão de crédito e acaba criando dívidas enormes.

Por comida (alimentar)

A compulsão por comida pode ser tão prejudicial que possui até mesmo um diagnóstico próprio: o transtorno de compulsão alimentar.

Pessoas com esse tipo de compulsão são acometidas por episódios compulsivos nos quais comem muito mais do que o normal dentro de um período de 2 horas, podendo até mesmo expurgar a comida quando está de estômago cheio para continuar comendo.

Um dos tipos mais comuns de compulsão é a compulsão alimentar, caracterizada por casos em que o indivíduo come mais do que o normal em um curto período de tempo.

Esse tipo pode trazer prejuízos não apenas para a saúde física, como sobrepeso, colesterol alto, entre outros, mas também para as relações sociais.

Algumas pessoas que sofrem de compulsão alimentar evitam comer fora de casa para não “passar vergonha” por comer demais.

Por organização ou limpeza

A compulsão por limpeza frequentemente vem acompanhada de obsessões relacionadas a germes. A pessoa teme que, se não manter tudo limpo, estará aumentando as chances de entrar em contato com bactérias que podem causar doenças.

Já na organização, frequentemente a pessoa sente uma angústia muito forte ao ver as coisas “fora de lugar”, precisando organizá-las de acordo com seu senso de organização.

Por sexo

Embora o interesse por sexo seja normal e até mesmo saudável, algumas pessoas podem levar esse interesse muito adiante, desenvolvendo uma verdadeira compulsão.

Essa compulsão é caracterizada por pensamentos e atos relacionados a sexo em geral, incluindo a masturbação. Pode ser uma compulsão por comportamentos sexuais normais ou até mesmo comportamentos ilegais ou moralmente condenáveis.

O problema é que isso pode expor a pessoa a certos riscos, como sexo desprotegido, bem como pode atrapalhar as relações interpessoais, a carreira, entre outros.

A compulsão por sexo também é conhecida como ninfomania, no caso das mulheres, ou hipersexualidade, distúrbio hipersexual e até mesmo dependência sexual.

Por jogos

Na compulsão por jogos, é possível falar tanto de jogos de azar quanto de jogos eletrônicos.

Os jogos de azar são caracterizados por apostas, nas quais a pessoa pode perder ou ganhar uma grande quantia de dinheiro.

Frequentemente, pessoas que têm compulsão por esse tipo de jogo acabam arruinando-se financeiramente, o que pode trazer problemas familiares, de relacionamento, entre outros.

Já os jogos eletrônicos também podem causar compulsão, trazendo prejuízos para a vida social, acadêmica, profissional, entre outras, pois a pessoa gasta muito mais tempo do que o adequado jogando.

Como se livrar de um comportamento compulsivo?

Livrar-se de um comportamento compulsivo pode parecer impossível, especialmente sem ajuda especializada.

Em geral, ao constatar uma compulsão, é recomendado procurar a ajuda de um profissional da saúde mental. Desta forma, é possível obter um diagnóstico preciso e indicação do tratamento adequado para o caso.

Frequentemente, a terapia cognitivo-comportamental é bastante indicada para o tratamento de compulsões. Isso porque ela ajuda tanto no componente comportamental (ato compulsivo) quanto no componente cognitivo (obsessão) das compulsões.

Algumas técnicas que podem ser aplicadas pelo terapeuta para lidar com as compulsões são:

Prevenção de rituais

Não raramente, as compulsões são chamadas de rituais, e a técnica de prevenção de rituais nada mais é do que uma tentativa de prevenir os comportamentos compulsivos.

Para isso, o terapeuta irá fazer uma aproximação de situações que podem aumentar os pensamentos obsessivos, e ao mesmo tempo irá ajudar o paciente a não realizar o ato compulsivo.

Aos poucos, o paciente começa a perceber que consegue se livrar da ansiedade de outras formas que não pela compulsão, deixando de realizar os atos compulsivos.

Aumento do repertório comportamental

Às vezes, uma pessoa que lida com uma compulsão o faz porque não conhece outras formas de lidar com a própria angústia.

Tendo isso em mente, aprender outras formas de lidar com esses sentimentos desagradáveis pode ajudá-la a livrar-se da compulsão.

O aumento do repertório comportamental significa ter mais comportamentos disponíveis como recursos para lidar com a angústia, evitando a repetição de um comportamento específico.


É importante entender as diferenças entre comportamentos repetidos por prazer e aqueles que são decorrentes de compulsão. Por isso, no Minuto Saudável você encontra mais informações sobre bem-estar e saúde mental.


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.