O funcionamento da tireoide é de vital importância para que o organismo trabalhe de forma correta. Seus hormônios ajudam órgãos como o cérebro e o coração a realizar suas funções adequadamente. Quando ocorrem distúrbios pode haver o excesso de produção dos hormônios ou a sua redução.

A tireoide é uma glândula localizada na parte inferior do pescoço, apoiada sobre a traquéia. Os hormônios por ela liberados, denominados tiroxina e triiodotironina, são essenciais para o metabolismo do corpo.

Conhecido como um problema que afeta o funcionamento da glândula tireoide, o hipertireoidismo e hipotireoidismo indicam uma alteração nos hormônios T3 (tri-iodotironina) e T4 (tiroxina) produzidos pela glândula. Além desses dois problemas, ainda existe a tireoidite de hashimoto, uma doença autoimune que produz anticorpos contra a própria tireoide.

Hipertireoidismo

Produção em excesso dos hormônios.

Sintomas: dificuldades para dormir (insônia), aceleração dos batimentos cardíacos, olhos saltados (exoftalmia), tremores nas mãos, aumento da produção de suor, nervosismo, unhas quebradiças;

Tratamento: uso de medicamentos para corrigir o excesso de hormônios produzidos; em alguns casos pode ser necessário o uso de iodo radioativo e até mesmo cirurgia;

Causa: fatores hereditários, doenças graves, presença de nódulos no bócio.

Hipotireoidismo

Baixa produção dos hormônios.

Sintomas: depressão, pele ressecada e gelada, sonolência constante, reflexos lentos, alterações no fluxo menstrual, falta de apetite, cabelo quebradiço;

Tratamento: reposição dos hormônios que estão sendo produzidos em baixas quantidades;

Causa: está associado à ingestão de iodo pelo organismo (falta ou excesso).

Tireoidite de Hashimoto

Produção de anticorpos contra as próprias células da tireoide (reduz o seu tamanho).

Sintomas: costumam ser os mesmos sintomas indicados nos casos de hipotireoidismo;

Tratamento: uso de medicamentos que suprem a falta de hormônios produzidos;

Causa: normalmente acontece devido a fatores genéticos.

A consulta ao médico

Consulte seu médico frequentemente para que sejam realizados exames de sangue para analisar as taxas de hormônios. Se não for tratada da forma correta, qualquer uma das disfunções da tireoide pode causar problemas mais graves como aumento do colesterol e infertilidade.

Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Editor Médico

Dr. Paulo Caproni

CRM/PR 27.679

Graduado em Medicina pela PUCPR. Residência Médica em Medicina Preventiva e Social pela USP. MBA em Gestão Hospitalar e de Sistemas de Saúde pela FGV.

Farmacêutica Responsável

Dra. Francielle Mathias

CRF/PR 24612

Farmacêutica generalista, com Mestrado em Ciências Farmacêuticas, ambos pela Unicentro. Doutorado em Farmacologia pela UFPR.

Participe da discussão

7 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. O hipotiroidismo e a tireoidide de Hashinomoto podem ocorrer também em homens? Os sintomas do hipotiroidismo me acompanham desde sempre. Soma-se a isso a dificuldade(impossibilidade) de socialização, raciocínio lento, esquecimento ( ao ponto de me esquecer que sou esquecido, e isso já me fez desistir de consultas; tenho vergonha de falar isso com um médico, já levei escrito mas, não funcionou). Esses sintomas variam de intensidade ao longo do ano mas, nunca me abandonam.
    Caso meu problema não seja de tireóide, o que poderia ser? Sei que vocês não podem dar conselho médico mas eu preciso de orientação, de alguém que me guie,Preciso de um Norte.

    1. Olá!

      Ambas as disfunções podem atingir tanto homens quanto mulheres. O hipotireoidismo costumam ser facilmente diagnosticado por meio de um exame de sangue, que pode ser solicitado até mesmo por um clínico geral. É importante saber que essa é uma doença crônica, que exige acompanhamento regular, pois os níveis de hormônios podem variar constantemente. Os exames devem ser feitos com frequência para verificar se a medicação está adequada ou se há necessidade de modificar a dosagem do medicamento. Quando o tratamento é feito de maneira adequada, o paciente consegue facilmente controlar os sintomas. Da mesma forma, a falta de tratamento pode trazer algumas complicações, inclusive psicológicas.

      Sabendo disso, aconselhamos que você consulte novamente um médico, de preferência um endocrinologista, e verifique a possibilidade de fazer um exame de sangue para avaliar seus níveis de hormônios e a necessidade de mudanças no tratamento (caso ele seja necessário).

      1. Agradeço a atenção, Mayra. Mas, caso eu queira fazer esse exame, por conta própria, antes de ir ao médico, seria possível? Qual seria? Se eu for a um laboratório e disser que preciso fazer um exame de sangue para avaliar os níveis de hormônio, saberão do que se trata?

        1. Olá!

          Para fazer um exame é preciso que haja solicitação de um médico. Você pode pode conseguir esse encaminhamento por meio de uma consulta simples com um clínico geral. Procure uma unidade de saúde, esse é um serviço que é disponibilizado pelo SUS, de maneira gratuita. O nome do exame de sangue que pode diagnosticar disfunções na tireoide é o TSH, normalmente em conjunto com o T3 e T4. Relate seus sintomas para o especialista e fale sobre sua suspeita. Assim, é provável que ele solicite estes testes.

          1. Mayra, isso ajudou bastante. Obrigado. Aliás, o Minuto Saudável é um site muito útil, onde há sempre informações relevantes. Continuem com esse projeto, por favor.

  2. corrijam as descricoes….estao invertidos os sintomas …hipo = baixo, provoca sonolencia, et… e ..hiper=alto, provoca aceleracao de batimentos..etc…

    1. Olá, Pinheiro!
      Obrigada pela observação. Fizemos a correção!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *