Redação Minuto Saudável
30/06/2017 15:45

Câncer na medula óssea é mais comum entre pessoas de idade

O câncer na medula óssea, também conhecido como mieloma múltiplo, é extremamente comum entre pessoas acima dos 65 anos e afeta principalmente os homens.

O problema interfere na produção de plasmócitos, células responsáveis pela formação das imunoglobulinas (proteínas que ajudam a combater casos de infecções a vírus e bactérias).

Os casos da doença são raros em indivíduos mais jovens, acometendo apenas 2% da população abaixo dos 40 anos de idade.

Consequências

Com o enfraquecimento do sistema imunológico o organismo pode sofrer com diversas consequências. As mais comuns são problemas nos ossos, rins e alterações na contagem de hemácias (células vermelhas do sangue).

Tipos de mieloma

Existem variações dos casos da doença de acordo com os tipos de imunoglobulinas que sofreram alterações em sua produção. Os mais comuns são: IgG, IgA e IgM.

Principais fatores de risco

Apesar de ser considerada uma doença sem causa aparente, sabe-se que alguns fatores podem interferir no seu desenvolvimento. Os principais são: ser afro-americano ou homem; possuir histórico familiar da doença; ter mais de 65 anos.

As condições genéticas também podem estar ligadas ao aparecimento do mieloma múltiplo, como: possuir um plasmocitoma solitário ou sofrer de uma gamopatia monoclonal de significado indeterminado (GMSI).

Sintomas

Os sinais da doença costumam aparecer quando o problema já se encontra em estado avançado. Nesses casos o paciente pode apresentar: perda súbita de peso, anemia, problemas renais, aumento dos níveis de cálcio na circulação sanguínea e dores nos ossos.

Diagnóstico e tratamento

A partir da identificação dos sintomas citados é essencial que o indivíduo procure atendimento médico. Os especialistas mais indicados para tratar os casos de mieloma múltiplo são: oncologista e hematologista.

Após o diagnóstico da doença, o médico responsável irá indicar substâncias para uso via injeção intravenosa. E, quando necessário, o paciente deverá realizar o tratamento quimioterápico e radioterápico. Os medicamentos mais utilizados no tratamento são talidomida, lenalidomida e bortezomib.

16/01/2019 17:19

Redação Minuto Saudável

Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável. Confira mais na nossa página de quem somos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*