Anelise Wickert (Minuto Saudável)
03/06/2019 08:00

Quais são os tratamentos para gravidez ectópica?

A gravidez ectópica acontece quando o óvulo fecundado pelo espermatozoide se aloja fora do útero.

O quadro é grave e se a condição passar de 12 semanas sem ser interrompida ou tratada, a saúde da mulher pode ser comprometida.

Leia mais: O que não é normal durante a gravidez?

O tratamento para gravidez ectópica pode ser feito por meio de medicamento ou cirurgia:

Medicamento (Metotrexato)

Se o embrião tiver até 4 centímetros e ainda não manifestar batimentos cardíacos, o tratamento pode ser feito com medicamento, chamado de Metotrexato.

A substância promove a absorção do embrião. O procedimento é rápido, sendo aplicado em uma dose única, por injeção intramuscular.

Atenção: essa injeção só deve ser administrada com recomendação médica.

Cirurgia

Se o embrião tiver mais do que 4 centímetros ou já demonstrar batimentos cardíacos, é necessário fazer cirurgia, pois ele e a placenta já estão grandes demais para serem eliminados pelo próprio organismo.

Quando o zigoto se aloja nas trompas ou em um dos ovários, com o crescimento do embrião, há a chance destas estruturas serem rompidas e causarem complicações.

Se isso, acontecer, o lugar comprometido precisará passar por um processo de reconstrução.

O tipo de cirurgia que será feita depende do local onde o óvulo fecundado está e qual o grau de emergência.

Laparoscópica

A cirurgia laparoscópica é um procedimento considerado pouco invasivo, feito com anestesia e videolaparoscopia (minicâmera que é introduzida no corpo da mulher).

Com essa tecnologia, a laparoscopia causa menos sangramento, reduz a dor e evita cortes profundos. Tudo isso impede que o trauma cirúrgico seja muito grande.

As mulheres que passam pelo procedimento precisam ser internadas, mas recebem alta no dia seguinte, na maioria dos casos.

O tempo de recuperação é considerado baixo e alguns dias depois da cirurgia a paciente já pode realizar tarefas simples do cotidiano (como subir escadas e dirigir).

Mesmo com essa recuperação positiva, as atividades físicas (musculação, por exemplo) deverão ser evitadas por cerca de 1 mês após o procedimento.

Salpingectomia

A salpingectomia é feita quando a mulher apresenta sangramento intenso nas tubas uterinas. Na maioria dos casos, além de interromper a gestação, há a retirada (total ou parcial) dessas estruturas.

O procedimento também é feito com o uso de anestesia. Por meio de pequenos cortes na região abdominal, as tubas uterinas são removidas.

O pós-operatório pode envolver restrições de atividades físicas e sexuais nas semanas seguintes à cirurgia.

Se o médico indicar algum medicamento ou dieta, as recomendações devem ser seguidas à  risca.

Laparotomia

Em casos de emergência, o nome do procedimento para interromper a gravidez ectópica é laparotomia, que é feita por meio de um corte na barriga, na altura do ventre.

Esse tipo é o mais complicado, logo que, às vezes, é realizado depois do rompimento da tuba uterina, condição que pode causar hemorragia interna na mulher.

A laparotomia é considerada invasiva, causa fortes dores e pode deixar cicatrizes. Se não for feita com os cuidados necessários, pode levar a infecções.

Em casos mais graves, a paciente precisará de aparelhos para respirar durante ou depois do procedimento e até sendo necessário permanecer na UTI.

Depois de passar por uma laparotomia, o tempo de alta varia conforme a recuperação apresentada no hospital.

A retirada das suturas (pontos cirúrgicos) também será marcada de acordo com a gravidade de cada caso.

Cuidados médicos

A recuperação depende do tipo de procedimento que foi realizado. O médico que fez o procedimento, pode orientar a paciente quanto a algum cuidado específico, já que terá acesso ao quadro de recuperação e ao histórico do paciente.

De forma geral, a alimentação deve ser com alimentos que sejam líquidos ou pastosos (caldos, sopas, vitaminas, iogurte e gelatina, por exemplo).

Alimentos sólidos devem ser reintroduzidos na dieta de forma gradativa. No início, há preferência para alimentos leves (como frutas e massas integrais).

Quando o tratamento for feito com a injeção intramuscular, é aconselhável ingerir bastante líquidos e alimentos que contêm fibra.

Repouso

Após a cirurgia de gravidez ectópica, o repouso e o sono devem ser priorizados, independente do tipo cirúrgico.

Os procedimentos com vídeo possuem uma recuperação melhor que varia entre 2 a 3 semanas.

Já as cirurgias abertas requerem, em média, 4 semanas de recuperação.

Por isso, exercícios físicos e atividades sexuais devem ser evitadas por esse período.

Nos dois casos (recurso medicamentoso ou cirurgia), o médico deve monitorar o processo de recuperação da paciente para evitar complicações futuras.


A gravidez ectópica é complicada e oferece risco à vida da mulher, por isso deve ser interrompida.

O tratamento requer alguns cuidados específicos e precisa ser feito o quanto antes possível para se evitar complicações futuras.

Acompanhe mais informações sobre gravidez e saúde no Minuto Saudável!!!

03/06/2019 16:38

Anelise Wickert (Minuto Saudável)

Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável. Confira mais na nossa página de quem somos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*