Gravidez

Parto humanizado: como funciona? Dá para fazer pelo SUS?

Publicado em: 31/08/2019Última atualização: 30/09/2020
Publicado em: 31/08/2019Última atualização: 30/09/2020
Foto de capa do artigo
Publicidade
Publicidade

Falar em parto humanizado, às vezes, envolve uma série de informações que são um pouco desencontradas. Isso porque nem todos(as) os profissionais têm a mesma definição do que, de fato, ele é.

Há quem indique que o parto humanizado é aquele que não usa procedimentos cirúrgicos, respeitando sempre o tempo da mãe e do bebê. Assim, se não houver necessidade médica, o parto normal com o mínimo de intervenção clínica é feito.

Mas há também quem defenda que as escolhas da mulher é que prevalecem. Assim, se a escolha for por anestesias ou até a cesária, contanto que seja uma decisão da mãe, pode ser humanizado. 

Nesse caso, a atenção e o acolhimento são igualmente focados no processo materno, sempre visando o bem-estar da mãe e reduzindo ou evitando procedimentos clínicos desnecessários.

Mas uma coisa é consenso entre médicas(os), doulas, cuidadores e defensores do parto humanizado: ele valoriza o momento materno de dar à luz, centra as atenções na mãe, respeita suas decisões, leva informações sobre riscos e reduz, drasticamente, procedimentos desnecessários. Ou seja, ele é, de fato, mais humano.

Continue a leitura para saber mais sobre o tema!

O que é parto humanizado?

O parto humanizado não é um tipo de parto, mas sim um processo de assistência e respeito à mãe e ao bebê. Isso considera que o parto normal é fisiológico e, a maior parte dos nascimentos, pode ocorrer sem intervenções médicas. 

Da mesma forma, defende-se que o corpo da mãe é, geralmente, capaz de conduzir, controlar e permitir que todo o processo ocorra de forma segura.

A equipe médica deve, então, acompanhar e auxiliar a mulher, respeitando suas escolhas e entendendo que aquele momento é único. Toda intervenção deve ser comunicada à mãe e suas vontades devem ser priorizadas.

Para o parto humanizado também é fundamental garantir que a mãe possa ver e pegar o bebê imediatamente após o nascimento, bem como ter contato com ele durante todo o internamento ou estadia no hospital.

Diretrizes da Organização Mundial da Saúde

Diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam protocolos que devem fazer parte do atendimento à mãe e assistência ao parto, visando a redução da medicalização e hospitalização desnecessária para o parto saudável. 

Assim, consta para a OMS que a mãe tem: 

  • Direito à escolha do(a) acompanhante durante o trabalho de parto e o nascimento; 
  • Direito ao cuidado e assistência respeitosos; 
  • Direito à comunicação clara e completa sobre todos os procedimentos que irão ser realizados;
  • Garantia de que seus desejos, manifestados antes e durante o parto, sejam respeitados, salvo sob riscos à vida dela ou da criança;
  • Garantia à privacidade e confidencialidade;
  • Liberdade para o manejo da dor (uso de anestesias), posição para o trabalho de parto e nascimento.
https://minutosaudavel.com.br/e-normal-sentir-colicas-na-gravidez/
Publicidade
Publicidade

Qual a diferença de parto normal e humanizado?

O parto humanizado é aquele que visa tornar o nascimento menos medicalizado e protocolar. Ou seja, o método quer tornar o parto o mais humano e aconchegante, respeitando os desejos e necessidades da mulher, bem como o tempo de nascimento do bebê. Mas não necessariamente não possa ser feito em hospitais.

Já o parto normal é aquele que não é cesárea, ou seja, vaginal. Isso implica que, não necessariamente, ele humanizado, pouco medicalizado ou mais adequado à mãe. 

Isso significa que mesmo o parto normal pode violar os desejos da mãe, aplicando anestesias (ou não aplicando), exigindo que a mulher permaneça em posturas desconfortáveis ou fazendo a episiotomia (corte na região do períneo) sem necessidade.

Apesar de haver profissionais de saúde ou do parto que defendem que o parto humanizado é somente o que ocorre naturalmente, há outros que defendem que mesmo uma cesariana pode ser humanizada. Para isso, basta reduzir ao máximo as intervenções clínicas desnecessárias.

Dessa forma, pode-se considerar que partos humanizados podem ser naturais, feitos em casa ou hospitais, além de cesarianas. Podem usar anestesia se a mulher precisar ou desejar, bem como outros procedimentos quando autorizados e desejados.

https://minutosaudavel.com.br/o-que-levar-para-a-maternidade/
Publicidade
Publicidade

Quanto tempo demora um parto humanizado?

O tempo do parto normal humanizado é diferente para cada gestação. Depois que a mulher atingiu 4cm de dilatação, com contrações frequentes e regulares, o tempo médio até o bebê nascer é de 15 horas. Mas isso é relativo, podendo haver mães que tenham um parto bem mais rápido e outras que ultrapassem as 15 horas. 

No parto humanizado, esse tempo é respeitado levando em consideração a saúde da mãe e do bebê. Ou seja, não são realizados procedimentos para acelerar o nascimento e nem se cogita uma cesariana só para que o nascimento seja mais rápido.

Caso haja riscos à vida da mãe ou do bebê, ou a mulher expresse o desejo de intervenção médica (devido às dores muito intensas, por exemplo), então as opções de parto cesária, aplicação de hormônios ou anestesia são considerados.

O que é parto humanizado domiciliar?

O parto humanizado domiciliar é feito em casa, em um ambiente preparado para o nascimento da criança. Apesar de feito em casa, não significa que não haja acompanhamento de especialistas, pois profissionais de enfermagem e medicina, além de doulas podem acompanhar e auxiliar a mãe. 

Apesar de alguns profissionais terem cautela na hora de considerar o parto em casa, há quem defenda que uma gestação saudável e um bom planejamento podem garantir o parto domiciliar seguro.

Isso porque, em casos de emergência, não haveria suporte clínico ou hospitalar para atender à mãe e à criança. 

No entanto, estudos também indicam que se todos os procedimentos indicados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para a checagem do parto seguro forem seguidos, não há maiores riscos de complicações ou mortes devido ao parto domiciliar.

As mulheres que optam por esse processo, em geral, querem vivenciar o momento de dar à luz em ambientes mais afetivos, familiares e confortáveis. Além disso, com a presença de profissionais envolvidos com o parto humanizado, reduz-se os riscos de procedimentos desnecessários (como aplicação de hormônios para acelerar o nascimento).

https://minutosaudavel.com.br/terceiro-trimestre-de-gravidez/
Publicidade
Publicidade

Parto humanizado hospitalar: tem pelo SUS?

Sim, apesar de — assim como em redes privadas — não ser tão frequente como deveria. O Ministério da Saúde tem campanhas que promovem a circulação de informações sobre a importância do parto humanizado e suas práticas. 

A entidade defende que mães têm direito a ambientes sossegados, privativos, arejados e com boas estruturas para seu acolhimento. Além disso, a mulher tem direito à presença de seu ou sua acompanhante durante todo o processo. 

Essa campanha visa levar informação e conscientização às mães, mas também a profissionais de saúde e hospitais que fazem os partos. 

Seguindo as recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde, a orientação é que toda a rede pública privilegie o parto normal e divulgue os benefícios dele. 

Além disso, mesmo quando o nascimento vaginal não seja possível, os cuidados e respeito à mãe e à criança devem ser práticas presentes. Por isso, sim, há parto humanizado pelo SUS.

Da mesma forma que na rede privada (planos de saúde ou particular), o ideal é conhecer a equipe médica que vai fazer o parto, conversar com o(a) obstetra que acompanha a gestação e deixar clara a vontade de ter um parto pouco medicalizado.

A confiança no(a) profissional e no local escolhido para o nascimento é fundamental para que haja menos riscos de violência obstétrica ou desrespeito aos desejos da mãe.


A gravidez é um momento de intensas mudanças na vida da mulher. Muitas esperam ansiosamente pelo momento de dar à luz, podendo envolver vários sentimentos, como medo, ansiedade e expectativa.

A equipe médica ou outros profissionais e familiares que vão acompanhar a gestante na hora do trabalho de parto devem priorizar a assistência humanizada, respeitosa e segura.

Por isso, cada vez mais as mães e as entidades de saúde apontam a importância de defender o parto humanizado, mesmo que seja feito no hospital.

Veja mais dicas e informações que envolvem maternidade, desde a gestação até os cuidados com as crianças, no Minuto Saudável!

Imagem do profissional Rafaela Sarturi Sitiniki
Este artigo foi escrito por:

Rafaela Sarturi Sitiniki

CRF/PR: 37364Farmacêutica generalista graduada pela Faculdade ParananseLeia mais artigos de Rafaela
Publicidade
Publicidade

Compartilhe

Publicidade
Publicidade
Sobre o Minuto Saudável

Somos uma empresa do grupo Consulta Remédios. No Minuto Saudável você encontra tudo sobre saúde e bem-estar: doenças, sintomas, tratamentos, medicamentos, alimentação, exercícios e muito mais. Tenha acesso a informações claras e confiáveis para uma vida mais saudável e equilibrada.

Somos uma empresa do grupo Consulta Remédios. No Minuto Saudável você encontra tudo sobre saúde e bem-estar: doenças, sintomas, tratamentos, medicamentos, alimentação, exercícios e muito mais. Tenha acesso a informações claras e confiáveis para uma vida mais saudável e equilibrada.
Banner anuncie em nosso site
Banner anuncie em nosso site
Nos acompanhe nas redes sociais:
Atenção: O conteúdo do site Minuto Saudável, como textos, gráficos, imagens e outros materiais são apenas para fins informativos e não substitui o conselho médico profissional, diagnóstico ou tratamento. Se você acha que pode ter uma emergência médica, ligue para o seu médico ou 192 imediatamente. Minuto Saudável não recomenda ou endossa quaisquer testes específicos, médicos (profissionais de saúde), produtos, procedimentos, opiniões, ou outras informações que podem ser mencionados no site. A confiança em qualquer informação contida no site é exclusivamente por sua conta e risco. Se persistirem os sintomas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico. Leia a bula.

Minuto Saudável © 2023 Blog de Saúde, Beleza e Bem-estar
Política de Privacidade
Publicidade
Publicidade