O que é Estresse, causas, sintomas, tratamento, tipos e prevenção

23

O que é estresse?

O estresse é uma resposta do organismo (física ou mental) a um evento de esforço extremo ou importante, geralmente quando se sente ameaçado ou sob pressão. Essa resposta libera uma série de reações químicas no seu organismo, o que provoca reações fisiológicas.

O organismo passa por diversos tipos de alterações durante nosso dia a dia; isso acontece sempre que o cérebro entende alguma atividade como ameaçadora ou que cause pressão, denominada Síndrome Geral de Adaptação ao Estresse. Essas alterações no organismos podem ser muito positivas, como por exemplo: se alguém está passando por períodos de pressão no trabalho, o cérebro percebe e responde com alterações que ajudarão o indivíduo a concluir suas atividades com eficiência. Porém, se a pressão persistir por um longo tempo, as alterações benéficas passam a ser prejudiciais, manifestando-se no organismo de formas patológicas e com sintomas como dores de cabeça e dores de estômago.

PUBLICIDADE

O estresse pode ser de difícil reconhecimento e aparecer através de  sensações como medo, desconforto, preocupação, irritação, frustração, indignação e nervoso. Além disso, também produz alterações físicas, como coração acelerado, músculos contraídos, pressão arterial alta, respiração curta e sentidos mais nítidos.

Qualquer situação, seja ela boa ou ruim, quando causa alterações no organismo, é uma fonte de estresse.

Índice – neste artigo você irá encontrar as seguintes informações:

  1. O que é estresse?
  2. Tipos de estresse
  3. Causas do estresse
  4. Sintomas do estresse
  5. Diagnóstico
  6. Tratamento para estresse
  7. Convivendo
  8. Prevenção do estresse

Tipos de estresse

Os estímulos que causam o estresse são chamados de fatores de estresse ou estressores. Esses estressores podem ser classificados de diversas formas diferentes:

Estressores críticos

São gerados por acontecimentos, bons ou ruins, que exigem reestruturação profunda na vida do indivíduo, causando reações afetivo-emocionais de longa duração. Exemplos desses acontecimentos são casamentos, nascimento de filhos, acidentes, mudança repentina no estilo de vida ou rotina, entre outros.

PUBLICIDADE

Estressores traumáticos

Causados por acontecimentos que ultrapassam a capacidade do indivíduo de adaptação, ocasionando traumas, como choques emocionais e problemas sociais.

Estressores cotidianos

São acontecimentos do dia a dia, como problemas de saúde, problemas de aceitação, nervosismo passageiro, problemas do trabalho em geral, problemas de relacionamento, problemas de sono, entre outros.

Estressores crônicos

São desenvolvidos por acontecimentos que se estendem por um longo período, causando experiências repetidas de estresse como desemprego ou excesso de trabalho, ou situações pontuais com consequências duradouras, como estresse decorrente por problemas do divórcio, doenças psíquicas e doenças crônicas como lúpus, diabetes, hipertensão, colesterol, e certos tipos de cânceres.

Causas do estresse

São vários os itens que podem desencadear um evento estressante, veja:

PUBLICIDADE

Medicamentos

Alguns medicamentos podem desenvolver ou piorar os sintomas de estresse, como:

  • Medicamentos inaladores usados para tratar asma;
  • Medicamentos para tireóide;
  • Algumas pílulas dietéticas;
  • Alguns remédios para resfriado.

Produtos com cafeína, cocaína, álcool e tabaco também podem provocar ou piorar os sintomas. Quando os sintomas ocorrem com frequência, o indivíduo pode sofrer distúrbios de ansiedade.

Doenças

O estresse também pode estar relacionado a algumas doenças como:

Sintomas do estresse

PUBLICIDADE

O estresse, apesar de não ser o causador de problemas graves, desencadeia alguns destes problemas, pois quando a redução do sistema imunológico do organismo afeta um indivíduo mais vulnerável, sintomas podem surgir, como:

  • Sensação de desgaste constante;
  • Alteração de sono (dormir muito ou pouco);
  • Tensão muscular;
  • Formigamento;
  • Mudança de apetite;
  • Alterações de humor;
  • Falta de interesse pelas coisas;
  • Problemas de concentração, atenção e memória;
  • Julgamento fraco;
  • Pensamentos acelerados;
  • Preocupações excessivas e constantes;
  • Dores;
  • Constipação ou diarreia;
  • Náuseas e tonturas;
  • Dor no peito;
  • Perda de libido;
  • Procrastinação;
  • Consumir álcool, cigarros ou drogas para relaxar;
  • Hábitos nervosos, como roer as unhas.

O estresse também pode desencadear algumas doenças, como:

Quando o indivíduo que sofre de estresse não está emocionalmente saudável, um ciclo vicioso de desequilíbrio se mantém, ou seja, o indivíduo não consegue voltar ao seu estado normal, permanecendo estressado. Nesses casos, o indivíduo pode passar por sintomas como:

  • Insatisfação com a vida;
  • Isolamento social;
  • Cansaço;
  • Ganho ou perda de peso;
  • Dores de cabeça;
  • Agitação;
  • Febre;
  • Tristeza;
  • Mau humor;
  • Insônia;
  • Falhas de concentração;
  • Angústia;
  • Baixa produtividade;
  • Irritação;
  • Medo;
  • Dificuldade de tomar decisões;
  • Esquecimento;
  • Sensação de perda de controle.

Diagnóstico

Se você estiver com algum dos sintomas citados acima, procure a ajuda de um médico para um diagnóstico completo, pois esses sintomas também podem ser causados por outros problemas médicos e psicológicos.

Especialistas como clínico geral, otorrinolaringologista, psiquiatra e psicólogo podem ajudar no seu diagnóstico.

Chegar a uma consulta com as informações certas, pode facilitar o diagnóstico, como:

  • Todos os sintomas sofridos e há quanto tempo eles apareceram;
  • Histórico médico com outras condições que o paciente tenha e medicamentos que ele toma regularmente.

Se possível, leve um acompanhante à consulta.

Tratamento para estresse

O tratamento para o estresse se concentra em três abordagens:

Administrar os estressores

Essa abordagem requer identificar os estressores que mais pesam sobre o paciente, para que, então, seja possível eliminar, administrar ou deixar para depois, respeitando os limites de cada indivíduo.

Para que a abordagem seja eficaz, é necessário aprender a dizer não, negociar e priorizar a saúde, pois se não descansarmos direito nossas capacidades serão afetadas.

Aumentar a resistência aos estressores

Nesse caso, é necessário manter nosso organismo saudável e em maiores condições de enfrentar os desafios. Para isso é necessário:

  • Dormir bem;
  • Cuidar da saúde;
  • Alimentar-se de forma saudável;
  • Fazer atividades físicas;
  • Permitir-se ter momentos de prazer e relaxamento;
  • Evitar estimulantes e substâncias tóxicas.

Mudar a forma como enfrenta o estressor

Isso ocorre quando não se pode mudar o estressor ou eliminá-lo. Assim, é necessário que o paciente se adapte a eles. Por exemplo, em caso de estressores externos, se o problema for o trânsito, tente rotas alternativas, saia mais cedo ou tente relaxar com uma música.

Já quando os estressores são internos, é necessário mais trabalho e a melhor forma para lidar com eles é através da psicoterapia. Um psicólogo pode ser o especialista melhor indicado para lhe ajudar.

Não existem remédios para tratar o estresse, mas há alguns tipos de tratamento eficazes. Os mais comuns são:

  • Psicoterapia;
  • Práticas de relaxamento;
  • Exercícios físicos;
  • Reestruturação de aspectos emocionais;
  • Boa alimentação;
  • Terapias alternativas;
  • Tratamentos médicos.

Convivendo

Estresse é algo normal e pelo qual todo mundo passa. Ele pode até ser benéfico, pois é o que nos faz ir atrás do que queremos e precisamos com algum grau de satisfação. Porém, quando ele permanece por um longo período, ou se torna excessivo, torna-se prejudicial.

Portanto, podemos compreender que conviver com o estresse só se torna um problema a partir do momento em que ele é excessivo e, com os tratamentos certos, a convivência em sociedade pode voltar a ser normal.

Para aliviar o estresse, o paciente pode tentar algumas dessas dicas:

  • Exercite-se! Tente começar com uma caminhada, é a melhor forma de aliviar o estresse;
  • Escrever o que lhe incomoda pode ajudar a se sentir mais aliviado;
  • Expressar os sentimentos, mantê-los para si quase nunca é benéfico;
  • Encontrar um hobby, fazer algo que gosta pode te ajudar a relaxar;
  • Aprender como relaxar o corpo, pode incluir exercícios de respiração, massagem, yoga, entre outros métodos;
  • Focar-se no agora, isto pode ocorrer com meditação, hipnose, ouvir músicas calmas e até mesmo rir.

Prevenção do estresse

As prevenções para o estresse estão inteiramente relacionadas com os tratamentos. Mudar pequenos hábitos, como a respiração e mudanças no dia a dia, podem ajudar a evitar o estresse excessivo.

Alguns fatores que podem ajudar a evitar o estresse são:

  • Alimentar-se de forma balanceada;
  • Praticar atividades físicas;
  • Mudar a maneira que nos posicionamos no dia a dia (uma postura melhor);
  • Procurar rir mais;
  • Fazer sexo;
  • Dormir melhor;
  • Respirar direito;
  • Auto incentivar-se;
  • Usar menos o celular;
  • Aprender novas maneiras de aproveitar seu tempo;
  • Cuidar de si mesmo;
  • Mudar algumas formas de pensar;
  • Falar sobre suas necessidades e preocupações;
  • Pedir ajuda.

O estresse é muito comum e todo mundo passará por ele. Compartilhe esse texto com os seus amigos para que eles também possam conhecer os sintomas e descobrir como lidar com o estresse do dia a dia.

Referências

https://www.einstein.br/noticias/noticia/tudo-sobre-estresse
http://autoajudaemfoco.com.br/estresse-ansiedade/entendendo-o-estresse-sintomas-causas-e-efeitos
http://www.sbie.com.br/blog/quais-os-sintomas-e-como-acabar-com-stress-emocional/
https://www.tuasaude.com/sintomas-de-estresse/
http://opsicologoonline.com.br/o-que-e-o-estresse-causas-sintomas-e-tratamentos/
http://www.clinicamaxwell.com.br/tipos-tratamento/estresse
https://www.criasaude.com.br/N2013/doencas/estresse.html
http://www.cerebromente.org.br/n11/doencas/estresse.htm
https://pt.wikipedia.org/wiki/Estresse

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (16 votos, média: 4,25 de 5)
Loading...

23 Comentários

Atenção: os comentários abaixo são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. Nossa muito bom a matéria, realmente muitas vezes não reconhecemos esses fatores que acontecem com a gente.estresse do dia a dia nos deixa incapazes de observar essas coisas simples da vida.isso também me ajudou muito. Obrigada !

  2. Muito bom…obg. estou tendo problemas na pele como irritação e coceira…vou tentar seguir as dicas, agora a falta de sexo essa é preocupante por q não é fácil conhecer alguém que vale a pena…
    Mas parabéns pelas informações.

  3. Já fui vitima de um enfarte há 5 anos com com uma violenta dor no peito , depois de fazer a angioplastia coronária, fiquei muito melhor do que estava anteriormente, há seis meses, voltei a sentir a dor no peito e cansaço, tensão descontrolada acima de 20 , fiquei preocupado e fiz vários exames incluindo uma cintigrafia de perfusão miocárdica, felizmente o resultado foi animador não se prevendo uma crise cardiaca para breve , isto foi o resultado de uma carga violenta de stress , fui medicado , alterei o modo de vida e parece que o assunto ficou resolvido … mas tem levado tempo.
    Que o stress mata, não tenho duvidas.

  4. Excelente texto! E pelo seu conteúdo já identifiquei o por que dos sintomas que apareceram em mim. Já estou com estresse em excesso. Vou até falar com a psicologa, pois sinto a necessidade de colocar pra fora todo o estresse acumulado

  5. Excelente texto! E pelo seu conteúdo já identifiquei o por que dos sintomas que apareceram em mim. Já estou com estresse em excesso. Vou até falar com a psicologa, pois sinto a necessidade de colocar pra fora todo o estresse acumulado

  6. Fantastica explicação Deus abençoe quem escreveu esse texto vou procurar seguir pois tudo oque aprendi com certeza me fará bem porque estou muito mal com stress altíssimo.

  7. Descobri recentemente que além da depressão e ansiedade, com o passar de muito tempo tenho também estresse emocional devido a uma família fria, insensível, desequilibrada… vou procurar novamente um psiquiatra e preciso saber pedir ajuda e saber o que ele pode fazer pra me ajudar. Posso pedir um exame pra verificar as taxas de cortisol? Obrigado

    • Olá Lidiane!

      Apenas um profissional de saúde é capaz de determinar a necessidade de realização de exames e identificar qual a melhor opção, baseado em suas condições de saúde. É importante que você converse com seu psiquiatra sobre seus sintomas e todo o seu histórico para poder esclarecer suas dúvidas e obter um diagnóstico preciso.

Deixe o seu comentário, nos preocupamos com sua opinião:

Por gentileza, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.