Breno H. M. (Minuto Saudável)
23/05/2018 08:00

O que é Fimose, em adultos e bebês, causas, sintomas, cirurgia

O que é fimose?

A fimose é uma condição caracterizada pela incapacidade de retrair o prepúcio (a pele que fica em torno da cabeça do pênis) e expor a glande, ou seja, a cabeça do pênis.

Normalmente meninos nascem com a fimose, o que é natural. O prepúcio, a pele que cobre a glande, fica grudado nela no início da vida, mas com o passar do tempo ela descola e a cabeça do pênis pode ser exposta.

Apenas 10% dos meninos chegam aos 3 anos de idade com fimose e esse número diminui ainda mais até os 5 anos. Entretanto, após os 5 anos de idade, a presença da fimose pode ser prejudicial para a saúde do pênis.

O principal problema causado pela fimose é a dificuldade de higienização.

A fimose em idades mais avançadas pode ser tratada com pomadas ou com cirurgia. Forçar o prepúcio para que a glande seja exposta pode causar ferimentos nele, fazendo com que o processo de cicatrização a deixe ainda mais apertada.

Na Classificação Internacional de Doenças número 10 (CID-10), a fimose pode ser encontrada através do código N47.

Índice – neste artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. O que é fimose?
  2. Tipos de fimose
  3. Graus de fimose
  4. Causas da fimose
  5. Fatores de risco
  6. Sintomas da fimose
  7. Como é feito o diagnóstico da fimose?
  8. Fimose tem cura?
  9. Qual o tratamento da fimose?
  10. Medicamentos para fimose
  11. Convivendo com fimose
  12. Prognóstico
  13. Complicações da fimose
  14. Como prevenir a fimose?
  15. Perguntas frequentes

Tipos de fimose

Existem 4 tipos diferentes de fimose. São eles:

Fimose fisiológica

Fimose fisiológica é o nome do tipo de fimose com a qual todo menino nasce. O prepúcio não permite que a glande seja exposta no início da vida da criança. Entretanto, é comum que no decorrer dos anos seguintes a fimose desapareça.

Fimose secundária

A fimose secundária acontece quando a fisiológica já passou, mas algo faz com que o prepúcio volte a impedir que a glande seja exposta. Normalmente isso acontece após traumas, ferimentos ou infecções.

Parafimose

Normalmente a fimose é dividida em graus que vão do 1 ao 5. Quanto menos glande puder ser exposta, mais alto é o grau. A parafimose é uma condição especial e acontece quando existe a fimose de grau 1. Apesar de, no geral, os graus mais altos serem mais perigosos, a parafimose é mais prejudicial do que a de grau dois, por exemplo.

Isso acontece porque neste caso existe a possibilidade de ela bloquear a corrente sanguínea para a cabeça do pênis.

A parafimose acontece quando a glande consegue ficar completamente exposta, mas fazer com que ela entre novamente no prepúcio pode ser difícil por ele ser muito apertado. Este aperto pode constringir a corrente sanguínea.

Fimose feminina

Existe a chamada fimose feminina. Mais rara do que a masculina, ela acontece quando os pequenos lábios da vagina ficam fechados, bloqueando o orifício vaginal.

Graus de fimose

A fimose possui 5 graus. São eles:

Grau 5

Neste grau a glande fica completamente encoberta e não é possível expô-la. A pele do prepúcio possui apenas uma pequena abertura por onde a urina pode sair e é frequente que haja acúmulo de urina dentro da pele antes que ela consiga passar, formando uma pequena bexiga. Isso facilita infecções e dificulta a higiene.

Grau 4

No grau quatro, a abertura do prepúcio é mais fácil e pode ser possível ver um pequeno pedaço da glande lá dentro, mas ela ainda fica completamente encoberta pela pele. Os problemas causados por isso são os mesmos que resultam do grau 5.

Grau 3

Neste grau de fimose o prepúcio permite que pequena parte da glande fique exposta. Isso reduz um pouco as chances de infecção já que a urina não se acumula dentro do prepúcio antes de sair, mas ainda dificulta ou impossibilita a higiene da região.

Grau 2

No grau 2 a glande pode ficar majoritariamente exposta, mas ainda não por completo. O anel prepucial — que é a parte da pele que não se expande, mantendo o prepúcio fechado. Parece um anel de borracha em torno do pênis — não permite que a pele vá até o fim da glande e a higiene aqui também pode ser prejudicada.

Grau 1

Frequentemente também se manifesta como parafimose. No grau 1 o anel prepucial é capaz de passar pela coroa da glande (a parte de trás dela, mais larga do que o resto), mas possui dificuldades em retornar para a frente devido ao aperto.

A higienização deste tipo de fimose é mais fácil do que dos outros, entretanto existe um risco diferente aqui. O aperto do prepúcio pode constringir os vasos sanguíneos. Se for forte o bastante, esse aperto é capaz de bloquear o fluxo de sangue e levar a necrose.

Causas da fimose

A fimose fisiológica é natural. O prepúcio serve para cobrir o proteger o pênis do atrito, do sol, de impactos e da desidratação, além de facilitar a vida sexual.

Quando o bebê nasce, costuma haver uma aderência do prepúcio à glande. Essa aderência é necessária para a proteção prepucial nos primeiros anos de vida, o que é especialmente importante já que a região peniana é muito sensível. Entretanto, conforme o tempo passa, ela precisa permitir que a glande seja exposta.

Umidade é importante para a cabeça do pênis, mas se não houver higienização, o risco de infecções é elevado. Da mesma forma, a movimentação do prepúcio facilita a penetração durante o sexo.

Quando há assaduras e cicatrizes na região do prepúcio, a fimose pode apertar ou ficar impedida de se desfazer. Isso acontece porque quando a pele cicatriza ela se contrai e perde elasticidade. Se isso acontece com o anel prepucial, que é a parte mais estreita do prepúcio, a pele pode ficar impossibilitada de se esticar o bastante para expor a glande.

Em bebês

Não se sabe com certeza o que causa a fimose em bebês ou o que faz com que ela não se desfaça sozinha nos primeiros anos. Entretanto, médicos acreditam que isso acontece por uma série de fatores, podendo ser congênito (é assim desde o nascimento) ou devido a assaduras causadas por uma higienização peniana mal feita.

Infecções, assim como em adultos, também podem ser causa para a fimose em bebês.

Em adultos

A fimose não tratada na infância costuma seguir a pessoa através da adolescência e da vida adulta. Entretanto, é possível que ela apareça durante a vida adulta mesmo que tenha se desfeito no decorrer dos primeiros anos de vida. Isso costuma ser causado por infecções na glande ou no prepúcio, ou por causa de cicatrizações de ferimentos que podem ocorrer das mais variadas formas.

Fatores de risco

Os fatores de risco para fimose em crianças não são conhecidos. Enquanto apenas 10% dos meninos passam dos 3 anos com a fimose, apenas uma parte deles chega a precisar de tratamento para isso e não é possível saber de antemão quais deles serão. Não existe uma relação hereditária, então não é porque o pai teve fimose que o filho também terá.

Entretanto alguns fatores aumentam o risco do desenvolvimento da fimose secundária, tanto em crianças quanto em adultos. São eles:

Infecções

Infecções, que podem ou não ser causadas por doenças sexualmente transmissíveis, são capazes de ferir a pele do prepúcio, que cicatriza com tecido menos flexível e contraído. Isso faz com que o espaço que existe para a passagem da glande seja reduzido. Quando a redução é grande o bastante, a glande pode ficar impossibilitada de se expor parcial ou totalmente.

Outras infecções que podem causar a fimose estão infecções do trato urinário e do prepúcio.

Diabetes

Pessoas com diabetes possuem maiores chances de desenvolver infecções devido aos problemas circulatórios e de cicatrização que existem em decorrer da doença.

Falta de higiene

A falta de higiene facilita a proliferação de bactérias na glande, causando cicatrização e fimose da mesma forma que as infecções. Apesar de causar a condição através de infecções, a falta de higiene entra como um fator de risco próprio pois é uma das principais causas de infecções penianas.

Ferimentos

Feridas na região do pênis, que podem ser causadas por traumas ou atrito, trazem tecido cicatricial para a região. Se este tecido afetar o prepúcio ele pode impedir a glande de se expôr.

Estas feridas também poder surgir depois de manuseio exagerado ou agressivo do prepúcio. Massagens e exercícios que podem ser recomendados na internet, se feitos de maneira incorreta, podem causar ferimentos e só devem ser feitos quando recomendados por médicos.

Balanopostites

A balanopostite é uma inflamação da glande ou do prepúcio, não necessariamente causada por uma infecção, mas elas também podem levar a isso. Esta inflamação pode ser causada por doenças de pele, uso de sabonetes agressivos, falta de higiene, infecções ou até diabetes não controlada.

É importante ir ao médico urologista para lidar com estas inflamações, já que o inchaço pode dificultar o transporte de sangue para o órgão.

Sintomas da fimose

A fimose pode trazer diversos sintomas desconfortáveis e até perigosos para o paciente. Entre eles:

Dor ao urinar

Dependendo de quão apertado o anel prepucial está, ele pode constringir a uretra e dificultar a passagem da urina, causando dor.

Ardência

A fimose pode causar sensibilidade na glande por diversos motivos: Falta de exposição e costume ao contato, traumas devido a tensão do prepúcio que não se descolou da glande, infecções e inflamações.

Inchaço

Quando há inflamação da glande ou da pele do prepúcio, pode haver inchaço.

Infecções

Devido a dificuldade de higienização, infecções podem ocorrer com maior facilidade na glande e no prepúcio em pessoas com fimose.

Dores durante o sexo

A tensão exercida na pele do prepúcio pode causar dor durante o sexo, especialmente se a lubrificação não for adequada. Como a glande produz uma lubrificação própria que fica abaixo do prepúcio, é mais fácil haver falta de lubrificação peniana durante o sexo, o que leva a dor.

Acúmulo de secreções

A glande produz secreções que ajudam a mantê-la úmida e protegida, além de lubrificar-se para o sexo. Devido aos problemas para higienizá-la, estas secreções podem se acumular e causar diversos problemas como mau cheiro e infecções.

Corte do fluxo sanguíneo

Quando o anel prepucial é muito apertado, especialmente nos casos de parafimose, pode haver constrição dos vasos sanguíneos que levam sangue até a glande, reduzindo ou até cortando a circulação. Isso pode levar à necrose e existem casos de pacientes que tiveram de amputar parte do pênis por causa disso.

Como é feito o diagnóstico da fimose?

O diagnóstico pode ser feito pelo médico clínico geral ou urologista. O exame físico é o bastante para o diagnóstico. O médico irá analisar a pele, tentar expor a glande e se ela não puder ser completamente exposta, dará o diagnóstico de fimose, além de seu grau e do tipo da doença.

A diferenciação entre os graus da fimose não é tão relevante quanto a idade do paciente. Se ele tem menos de 5 anos, é feita observação. A partir dessa idade, o tratamento com pomadas pode ser feito e a cirurgia pode ser cogitada caso não haja melhora com a aplicação da pomada.

Fimose tem cura?

Sim, a fimose tem cura. Na maioria dos casos de fimose fisiológica, ela se resolve sozinha. Nos casos da fimose secundária, a causa pode ser tratada e pomadas podem ser usadas para que a pele permita a passagem da glande. Caso necessário, pode-se usar a circuncisão, uma cirurgia que remove o prepúcio, resolvendo a fimose.

Qual o tratamento da fimose?

Existem dois tipos de tratamento que podem ser usados para curar a fimose. São os seguintes:

Pomadas

Existem pomadas específicas para o tratamento da fimose. Elas são usadas para tornar a pele mais maleável, facilitando a passagem da glande pelo prepúcio. Exercícios podem ser usados em conjunto com a pomada para aumentar as chances de o tratamento funcionar.

Após aplicar a pomada (que não deve ser usada na glande, mas sim no freio e no anel prepucial, dependendo do que precisa de tratamento) a pele deve ser puxada levemente, sem causar dor. A cada aplicação da pomada os exercícios devem ser feitos.

É importante seguir as recomendações médicas para o exercício, já que se forem feitos de maneira errada, podem piorar a situação por conta de micro-feridas que, ao cicatrizar, deixam o prepúcio ainda mais fechado.

Este tratamento pode levar alguns dias, semanas ou até um ano inteiro, dependendo de em que grau a fimose está. Além disso, as pomadas nem sempre funcionam. Nesses casos, a cirurgia pode ser recomendada.

Postectomia (Circuncisão)

A postectomia é a cirurgia de remoção do prepúcio. Ela é realizada no hospital pelo cirurgião pediatra quando em crianças e pelo urologista em adultos.

É uma cirurgia simples. O paciente costuma receber alta no mesmo dia. Ela é recomendada para crianças com fimose entre os 7 e 10 anos, já que nessa idade a recuperação é fácil e a criança ainda não entrou na adolescência, o que pode dificultar a cicatrização.

Com anestesia geral ou local, um corte é feito no prepúcio para abrí-lo e descolá-lo da glande. Em seguida, outro corte é realizado para a remoção do excesso de pele. São colocados pontos para acelerar a cicatrização, que se conclui em alguns dias.Apesar de ser mais comum em crianças, pode ser feita em um adultos sem problemas.

Vantagens da circuncisão

Entre as vantagens da circuncisão está a facilidade da higienização, além do menor risco de contração de infecções da região, além de HPV e HIV.

Importante lembrar que, apesar de reduzir os riscos de contração destas doenças sexualmente transmissíveis, esta redução é extremamente pequena e negligível, já que se deve apenas ao fato de não haver onde os vírus ficarem caso não consigam entrar na uretra em um primeiro momento. O melhor método de prevenção contra DSTs é a camisinha.

Riscos da circuncisão

A realização hospitalar desta cirurgia raramente causa problemas, mas como qualquer processo cirúrgico, existem riscos relacionados à anestesia, além de infecções e sangramentos.

Desvantagens da circuncisão

Entre as desvantagens da circuncisão está a possibilidade da redução de sensibilidade. Nos primeiros dias após a remoção do prepúcio, a glande pode ficar mais sensível do que o normal devido ao atrito com as roupas. Entretanto este mesmo atrito, com o tempo, faz com que a pele da cabeça do pênis engrosse, tornando-a menos sensível.

Circuncisão em bebês

A circuncisão é um costume judeu e é realizada como ritual religioso, feito no oitavo dia de vida da criança, simbolizando a aliança de Deus e o povo de Israel.

O procedimento também é costumeiro nos Estados Unidos. Aproximadamente um terço dos meninos nascidos nos EUA passa pela cirurgia pouco tempo depois do nascimento. Ela é defendida como prática cultural e de saúde. Entretanto, existe literatura médica que afirma que a experiência é dolorosa e traumática quando realizada sem anestesia, que é a situação da maioria desses casos.

Cerca de 87% dos bebês mostram mudanças de comportamento depois da cirurgia e alguns não choram por entrar em choque. Existem movimentos que visam reduzir e acabar com a circuncisão desnecessária.

Medicamentos para fimose

O único tipo de medicamento para fimose é a pomada, que serve para deixar a pele mais flexível, permitindo a passagem da glande.

Atenção!

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas neste site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Convivendo com fimose

Conviver com a fimose é uma opção, em alguns casos. Especialmente no grau 2, onde existem menos complicações e há mais glande é exposta, a cirurgia é opcional. Pode haver riscos maiores de infecção e inflamações devido a dificuldades higiênicas, mas manter o pênis limpo nesses casos não é impossível, só um pouquinho menos prático.

As fimoses de graus 1, 3, 4 e 5, entretanto, podem causar sérios problemas se ignoradas e o tratamento que visa curá-la é recomendado pelos médicos.

Se houver a necessidade da cirurgia, a fimose deixa de ser um problema. É necessário se acostumar com a diferença de sensibilidade e o uso de lubrificantes pode ser recomendado durante o sexo e inclusive durante a masturbação, já que a pele que ajuda nesse quesito é removida durante a circuncisão.

Caso você tenha fimose, lembre-se de fazer a higienização peniana com cuidado. É preciso garantir que o pênis está o mais limpo possível para evitar complicações.

Fora isso, não há outras consequências ou dificuldades.

Prognóstico

Pode-se esperar a cura completa. Enquanto na maioria dos casos a fimose se resolve sozinho, as pomadas podem fazer com que o prepúcio recue.

Se necessário, o tratamento cirúrgico é recomendado para evitar complicações da fimose. Após a cirurgia, o paciente pode seguir a vida normalmente.

Complicações da fimose

Caso ignorada, a fimose pode trazer algumas complicações sérias. São elas:

Infecções graves

É possível que bactérias se multipliquem no espaço entre a glande e o prepúcio, que não pode ser bem limpo por causa da fimose. Estas infecções podem ser tornar muito sérias.

Necrose

A necrose é o processo de morte do tecido. Quando uma infecção fica muito grave ou no caso de bloqueio dos vasos sanguíneos da glande (o que pode acontecer no caso da fimose grau 1), existe o risco de o tecido da glande morrer.

Isso é extremamente grave, pois leva ao apodrecimento do órgão ainda no corpo, o que pode causar outras infecções e levar à morte. Nesses casos, a glande precisa ser amputada.

Como prevenir a fimose?

Enquanto a fimose fisiológica não pode ser prevenida, a secundária pode. A prevenção se dá da seguinte forma:

Higiene

Não tem segredo. Para evitar a fimose adulta, a higiene é o fundamental. Limpar o pênis, especialmente dentro do prepúcio, evita infecções. Isso faz com que a pele mantenha-se flexível, não permitindo a formação de fimose.

Use preservativo

Algumas doenças sexualmente transmissíveis podem causar infecções penianas. O melhor meio de evitá-las é o uso da camisinha durante as atividades sexuais.

Perguntas frequentes

Vou perder a fimose quando perder a virgindade?

Não, o sexo não tira a fimose. Inclusive existe a chance de piorá-la, já que pode puxar o prepúcio caso a lubrificação não seja suficiente. Isso pode levar a dor e micro-feridas, que cicatrizam e podem piorar a condição.

Entretanto isso não é comum. O mais frequente é que não haja qualquer consequência para o sexo com fimose.

Fimose afeta o crescimento do pênis?

Não. O principal fator que define o tamanho do pênis é a genética. A fimose não altera o tamanho do pênis de maneira alguma.

O pênis cresce depois da cirurgia?

Também não. A cirurgia remove o prepúcio, mas ele não influencia o tamanho do pênis e sua falta também não influenciará.

Qual a idade certa pra fazer a cirurgia?

A idade recomendada por médicos para a realização da cirurgia é entre os 7 e 10 anos de idade. Nessa idade a criança já entende que o procedimento está sendo feito para ajudá-la, ao mesmo tempo em que ainda não entrou na adolescência, que trará diversas mudanças ao corpo e ao órgão sexual dela.

Se eu tenho só um pouco de pele a mais, preciso fazer a cirurgia?

Não é necessário. Se a pele extra não atrapalha a limpeza da região e nem o sexo, é provável que não haja necessidade cirúrgica. Entretanto, só seu médico pode falar sobre seu caso específico.

Massagens ajudam a reduzir a fimose?

Massagens não ajudam com a fimose e podem até piorar a situação. O esforço pode causar pequenas feridas na pele do prepúcio que, ao cicatrizar, perde elasticidade e prejudica a exposição da glande. As massagens devem ser evitadas.

Existe uma aderência natural do prepúcio na glande, e é ela que desaparece nos primeiros anos de vida. Esta aderência pode ser removida com massagens, mas ela seria eliminada de qualquer forma. Se sair com massagem, não é fimose, e se for fimose a massagem não ajuda e pode ser prejudicial.

Quem não tinha fimose pode desenvolver?

Sim. Infecções, assaduras, ferimentos e traumas podem causar fimose mesmo em adultos. A falta de higienização facilita tudo isso e pode levar à fimose em qualquer um, por isso, manter o pênis limpo é essencial para a saúde dele.


Você aprendeu que a fimose é algo natural em bebês, mas que deve sumir sozinha nos primeiros anos de vida. Quando isso não acontece, existem maiores riscos de infecções penianas. Compartilhe este texto com seus amigos para que eles também aprendam sobre a fimose!

18/04/2019 17:54

Breno H. M. (Minuto Saudável)

Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável. Confira mais na nossa página de quem somos.

Ver comentários

  • Tenho uma pergunta, e se a fimose não sumir ou se curar sozinha depois dos primeiros anos de vida? Porque tenho 17 anos... E ainda tenho isso.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá Guilherme!

      É possível que em fimoses secundárias o problema não se resolva de forma espontânea. É importante que você consulte um médico para avaliar os riscos à sua saúde, pois em alguns casos existem chances de complicações.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Tenho fimose mas ela só me atrapalha na hora do ato sexual . Estou querendo realizar a operação mas estou com medo porque existe vasos sanguíneos bem significante no entorno do prepupre onde será retirado

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá, Lima!

      Muito obrigada pela leitura de nosso artigo. No entanto, no seu caso, o ideal é conversar com um médico urologista. Ele saberá esclarecer todas as suas dúvidas em relação a cirurgia, riscos, benefícios e se é realmente um procedimento necessário.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*