São muitas as medicações de uso controlado, ou seja, aquelas que carecem de receita médica para sua compra — de forma que não podem ser administradas sem a orientação profissional.

Essa regulamentação pode ser feita por diferentes motivos, mas o foco é não causar dano à saúde do paciente, o que poderia ocorrer caso o remédio fosse utilizado por conta própria. 

Como exemplo, pode-se destacar os medicamentos que tratam distúrbios psíquicos. É o caso do remédio Diazepam, indicado principalmente nos cuidados do transtorno de ansiedade

Na sequência, você pode encontrar mais informações sobre essa medicação e seu uso:

Índice — neste artigo você vai encontrar:

  1. O que é Diazepam?
  2. Para que é indicado Diazepam?
  3. Precisa de receita médica para comprar?
  4. Como usar o medicamento?
  5. Posologia
  6. Quais as contraindicações do  Diazepam?
  7. Quais os efeitos colaterais do Diazepam?
  8. Preço e onde comprar

O que é Diazepam? 

O Diazepam é uma substância medicamentosa que é o princípio ativo de alguns remédios utilizados, principalmente, no tratamento sintomático do distúrbio de ansiedade. Porém, além dessa indicação, também pode ser prescrito para tratar outras condições.

Nesse sentido, está incluso o cuidado em casos de espasmos musculares ou espasticidade (alteração no tônus muscular). Ainda, a versão injetável dessa medicação pode ser usada com finalidades sedativas antes da realização de procedimentos diagnósticos (invasivos), terapêuticos ou intervenções — como endoscopia, pequenas cirurgias, biópsias etc.

É importante destacar que não se trata de um anestésico. O remédio pode ser usado em tais condições para “sedar” o(a) paciente e aliviar tensões como a ansiedade e o estresse.


Portanto, a versão injetável deve ser administrada em ambiente hospitalar e com a ajuda de um(a) profissional. Já a outra apresentação do remédio, a versão comprimido, pode ser usada em casa — mas é necessária a receita médica, pois o Diazepam é de uso controlado.

Vale lembrar que essa substância medicamentosa conta com contraindicações, como para menores de 12 anos e pessoas com apneia (distúrbio que para a respiração). E pode, ainda, causar efeitos colaterais (como a sonolência, por exemplo).

Para que é indicado Diazepam?

De acordo com as informações da bula, a substância medicamentosa Diazepam tem como indicação principal o uso para o alívio sintomático da ansiedade, tensão e outras queixas somáticas (físicas) ou psicológicas associadas com esse transtorno.

Ainda, indica-se que pode ser prescrito como coadjuvante (complementar) no tratamento da ansiedade ou agitação quando associadas a desordens psiquiátricas.

Também, a bula informa que essa medicação é útil no alívio de espasmos musculares, quando esses forem reflexo de traumas locais (lesão, inflamação). 

O Diazepam pode ser prescrito, além dos usos anteriores, para tratamento da espasticidade (alteração no tônus muscular que causa rigidez no músculo) devido à lesão dos interneurônios espinhais e supraespinhais. Como, por exemplo, em casos de paralisia cerebral e paraplegia. 

Reforça-se, portanto, a informação presente na bula de que os benzodiazepínicos, classe de remédios como o Diazepam, são usados para casos de desordens intensas, desabilitantes ou quando há dores extremas.

Precisa de receita médica para comprar?

Sim. Os medicamentos que têm o Diazepam como princípio ativo precisam de receita médica para sua compra, uma vez que se trata de uma substância medicamentosa de uso controlado.

A receita médica, nesse caso, é a azul. O que se aplica para os remédios classificados como B (B1 e B2), àqueles que contam com substâncias psicotrópicas (agem principalmente no sistema nervoso central) em sua composição.

O que difere a classificação B1 e B2 é o tempo de validade e a posologia que pode ser prescrita na medicação. Sendo que, no caso do Diazepam, trata-se de uma medicação B1.

Na prática, isso significa que a receita médica tem validade de 30 dias e as quantidades indicadas na posologia devem ser compatíveis a, no máximo, 60 dias de tratamento.

Como usar o medicamento?

Os medicamentos que têm como base o Diazepam podem ser encontrados em duas apresentações. Sendo elas a versão comprimido ou injetável.

A forma de uso dos comprimidos se dá a partir de via oral e eles podem ser partidos para facilitar a administração. Quanto a ingerir com água ou antes/depois das refeições, a bula da substância medicamentosa não apresenta informações — portanto, siga a orientação médica.

No caso dos remédios injetáveis, que têm o Diazepam como PA (princípio ativo), o uso se restringe ao ambiente hospitalar. Então, pode ser feito através de via intramuscular (IM) ou endovenosa (EV).

Quando feita a administração intramuscular, a medicação é inserida no tecido muscular, por isso é comum a aplicação em partes como as nádegas, coxas e braços.

Já no caso do uso endovenoso, o remédio é diluído e gotejado na veia do(a) paciente. A bula recomenda, nesse sentido, uma administração lenta (aproximadamente 0,5 a 1 mL/minuto), a fim de evitar complicações como a apneia (redução do fluxo respiratório).

Posologia

A posologia do Diazepam pode variar conforme a condição que está sendo tratada e sua gravidade, bem como devido a fatores como peso e idade do(a) paciente. Também é importante considerar as duas apresentações da medicação: comprimido e injetável.

Os comprimidos, como mencionado, são de uso oral e a bula orienta como fazer a administração em casa — sob prescrição médica. Já a versão injetável, carece de um(a) profissional da saúde em ambos os sentidos (posologia e uso).

Na sequência, entenda melhor as informações sobre as doses para as duas apresentações: 

Injetável

A administração do Diazepam deve ser feita sempre em ambiente hospitalar, o que significa que o(a) paciente não pode fazer uso sozinho em casa e sem acompanhamento de profissionais capacitados(as).

Quanto à posologia, a bula traz como dose comumente indicada para adultos e adolescentes a quantia de 2mg a 20mg diários — a serem administrados por via intramuscular (dentro do músculo) ou endovenosa (medicação na veia).

Cabe destacar que, uma vez que a medicação injetável pode ser usada com finalidades sedativas antes de procedimentos terapêuticos, diagnósticos ou outras intervenções, a fim de acalmar e sedar o(a) paciente, nesses casos a dose pode chegar a 30mg (via endovenosa).

De forma geral, portanto, as variações de dose ocorrem em virtude dos efeitos desejados, do peso corporal, da gravidade dos sintomas e da condição que está sendo tratada.

Comprimidos

Com relação à posologia da versão comprimidos, a bula indica primeiramente que a dose inicial deve ser a menor possível (de acordo com o caso) e que o tratamento também não deve ser muito extenso — de forma que carece de reavaliação periódica.

Nesse sentido, indica-se como posologia usualmente prescrita: 5mg a 10mg por dia. Podendo chegar a 20mg diários em casos mais graves, mas sem ultrapassar 10mg em cada dose.

Quais as contraindicações do Diazepam?

A substância medicamentosa Diazepam não deve ser administrada em pessoas com sensibilidade a esse princípio ativo, outros componentes da fórmula ou a benzodiazepínicos (classe de medicamentos em que está inclusa).

Também não deve ser feito o uso por menores de 12 anos, exceto sob prescrição médica.

Há, na bula, informações quanto a contraindicação desse medicamento para pessoas dependentes de outras drogas, inclusive álcool — exceto, neste caso, quando utilizado para tratar os sintomas da abstinência, que podem incluir a ansiedade.

O Diazepam também é contraindicado para pessoas que sofram com condições como:

  • Glaucoma de ângulo agudo (alta pressão ocular); 
  • Insuficiência respiratória grave;
  • Insuficiência hepática grave (rins);
  • Síndrome da apneia do sono;
  • Miastenia gravis (doença muscular inflamatória).

Por fim, cabe ressaltar que pacientes idosos precisam de ainda mais cautela quando precisarem usar essa medicação, considerando seus fortes efeitos no organismo. Ainda, em todos os casos, deve-se sempre seguir as orientações médicas a fim de evitar complicações.

Quais os efeitos colaterais do Diazepam? 

Os efeitos colaterais podem surgir em decorrência da administração de qualquer substância medicamentosa, porém, algumas pessoas podem não apresentar nenhuma alteração. No caso do Diazepam, a bula cita como reações mais comuns:

  • Cansaço;
  • Sonolência;
  • Relaxamento muscular.

Entretanto, destaca que esses efeitos costumam surgir no início da terapia — então, com o uso prolongado, tendem a desaparecer. Além desses, também são apresentadas outras reações adversas que podem acometer quem faz uso (contínuo ou não) dessa medicação:

  • Distúrbios do sistema nervoso — podem ocorrer desequilíbrios, fala enrolada (ou dificuldade para falar), dor de cabeça, tremores, tontura, diminuição do estado de alerta, efeitos amnésicos (perda de memória recente ou geral);
  • Distúrbios psiquiátricos — indica-se a possibilidade de agitação, irritabilidade, desorientação, agressividade, maior ansiedade, delírios, raiva, pesadelos, alucinações, psicoses, comportamento inapropriado, depressão, alterações na libido etc;
  • Distúrbios de outros órgãos e sistemas — a pessoa pode sentir náuseas, boca seca ou excesso de saliva, distúrbios gastrintestinais (como a constipação), visão turva, pressão baixa, incontinência ou retenção urinária, reações cutâneas, entre outros.

A bula também reforça a necessidade de cuidados após tomar a medicação a fim de evitar quedas, uma vez que efeitos colaterais como a vertigem (tontura) podem favorecer incidentes.

Caso o paciente apresente um, ou mais, efeitos adversos após a administração do Diazepam, deve procurar auxílio médico — a fim de diagnosticar se o problema está (ou não) relacionado com o medicamento e tomar as providências necessárias.

Dá sono?

Sim. O uso do Diazepam comumente causa sonolência, cansaço e sensação de relaxamento intenso, o que está associado principalmente ao início do tratamento, de forma que tende a diminuir com o uso contínuo.

Caso você sinta alterações excessivas, como a ponto de impedir ou dificultar intensamente a realização de afazeres cotidianos, busque o(a) médico(a) responsável. O que se aplica, também, para quando os efeitos não passam mesmo após um período de tratamento contínuo.

Por fim, cabe destacar que embora essa seja uma reação adversa comum, não há garantia de que irá ocorrer — pode ser que o remédio não cause nenhuma alteração nesse aspecto.

Preço e onde comprar

Considerando que o Diazepam é uma substância de uso controlado, só é possível comprar em lojas físicas (farmácias), pois é necessária a apresentação e retenção da receita médica. 

Porém, para comparar o preço dos medicamentos e encontrar o melhor valor, você pode utilizar a plataforma Consulta Remédios, que possibilita ver o preço de um mesmo produto ou medicamento em diferentes estabelecimentos de sua região.

Veja alguns dos remédios que tem o Diazepam como princípio ativo e a faixa de preço*:

*Preços consultados em setembro de 2020. Os valores podem sofrer alteração.


Se você gosta de ter acesso a conteúdos como esse, que trazem todas as informações sobre um medicamento e possibilitam saber sobre efeitos colaterais, formas de uso e posologia, continue acompanhando o Minuto Saudável.

Aqui você encontra tudo sobre saúde, remédios, alimentação saudável e bem-estar!


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.