Comemorado no primeiro dia do mês de Outubro, o Dia Internacional das Pessoas Idosas foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) no ano de 1991 e tem como objetivo sensibilizar a sociedade para as questões do envelhecimento da mesma, ação natural da vida de qualquer ser humano.

Há, atualmente, a necessidade de proteger e cuidar da população idosa, aquela que já fez tanto para nós, seja criando uma base sólida nos valores da sua família, seja nas conquistas feitas através do seu trabalho realizado durante todos os últimos anos.  Por isso, nessa data, ao redor de todo o globo, são realizadas diversas atividades para a população idosa, como palestras, sessões de atividades físicas, aulas de artes manuais e muitas outras.

PUBLICIDADE: CONTINUE LENDO O CONTEÚDO :)

E, hoje, neste artigo, nós iremos trazer a vocês a realidade dessa população aqui no Brasil, bem como discorrer sobre a importância da socialização da terceira idade com o mundo.

O idoso hoje na sociedade

Já é visível, há alguns anos, que a longevidade das pessoas está tendo um aumento gradativo. De acordo com o censo do IBGE de 2010, a população de idosos no Brasil subiu de 3,9% para 5,1% e constatou-se que a média de idade das mulheres brasileiras passou de 63,9 para 77 anos, enquanto a dos homens passou de 66,3 para 69,4 anos. Com o aumento dessa expectativa de vida, várias gerações irão viver simultaneamente: pais com filhos, avós com netos, bisavós com bisnetos. Serão diversos conhecimentos sendo repassados de geração para geração em um mesmo momento, o que é bastante enriquecedor, culturalmente falando.

De acordo com a ciência, senescência é o processo natural de envelhecimento ao nível celular. O envelhecimento do corpo como um todo se deve ao fato das células irem morrendo e não serem substituídas por novas e, por conta disso, as alterações físicas ficam mais nítidas – como a perda do brilho e o ressecamento da pele, o que a deixa mais quebradiça e enrugada. Com a diminuição dessa multiplicação de células no organismo, os sistemas do corpo vão tendo um declínio em seu funcionamento. A isso se dá o nome de senilidade.

Com o envelhecimento da população, estima-se que o número de pessoas acima de 60 anos nas cidades será de 900 milhões em 2050. E, conforme mais velhas vão ficando, mais problemas no organismo vão aparecendo. Além dos cuidados com a saúde física, é necessária uma atenção especial com a saúde neurológica das pessoas da terceira idade. Segundo o professor Anderson Amaral, secretário geral da Associação Brasileira de Alzheimer (ABRAz), o nosso cérebro adora uma rotina. Porém essa rotina está associada a diversas complicações, inclusive as doenças degenerativas, como o Alzheimer e o Parkinson. Além disso, outras doenças podem ser acarretadas por conta do isolamento que sofrem, como a Depressão.

E é diante desse quadro que se afirma que as atividades sociais dessas pessoas são extremamente importantes e precisam ser mantidas – o que, infelizmente, muitas vezes não acontece.

Aceitando e compreendendo a terceira idade

O envelhecimento é um fator muito complexo e vai bem mais além da quantidade de anos que a pessoa tem. Segundo pesquisadores da área, a idade de qualquer ser humano é dividida em 4 tipos. Veja abaixo quais são elas:

PUBLICIDADE: CONTINUE LENDO O CONTEÚDO :)
  • Idade cronológica: É a mensuração de dias, meses e anos a partir da data de nascimento da pessoa.
  • Idade biológica: É definida pelas transformações do corpo e da mente conforme a passagem do tempo.
  • Idade social: É a avaliação de grau de adequação de alguém através do seu desempenho de ações e comportamentos desejados para a sua idade.
  • Idade psicológica: É o conjunto das habilidades adaptativas das pessoas, de acordo com as exigências do meio em que vivem, quando se utilizam de aspectos psicológicos, como controle emocional, inteligência, memória, etc.

Independente da ótica em que a idade de um indivíduo seja analisada, é certo afirmar que muitas pessoas ainda consideram a pessoa idosa como alguém inapto a fazer qualquer coisa. De tanto coisas desse tipo serem ditas, as pessoas idosas acabam, às vezes involuntariamente, se afastando de tudo aquilo que faziam até então. É importante salientar que a velhice não é uma fase que deve ser renegada, mas sim compreendida – não só pelo idoso, mas também por seus familiares.

A colaboração do idoso nessa fase da vida é essencial, pois a primeira pessoa que deve entender que suas capacidades cognitivas não são mais as mesmas é ela mesma. Assim, com a aceitação, a postura será modificada e também o diferencial para ter uma qualidade de vida melhor dali pra frente. Envelhecer não quer dizer que a pessoa deve se excluir da sociedade; muito pelo contrário, envelhecer significa que é tempo de se atualizar e de aprender coisas novas que irão estimular a concentração e o equilíbrio.

De acordo com o Estatuto do Idoso, Lei nº 10.741, datada de 01 de outubro de 2003, o artigo 10 afirma que “é obrigação do Estado e da sociedade assegurar à pessoa idosa a liberdade, o respeito e a dignidade, como pessoa humana e sujeito de direitos civis, políticos, individuais e sociais, garantidos na Constituição e nas leis”. Ou seja, cada pessoa idosa de nosso país merece e deve possuir os seus direitos prescritos por lei. E, para que isso aconteça, ela própria deve ir atrás, se fazer ouvir e protagonizar a sua própria história.

A protagonização do idoso perante a sociedade

Para que a visão sobre o idoso e a velhice possa ser diferenciada, é preciso que uma educação seja feita a eles como uma oportunidade de ação. Como já dito, para que várias coisas possam ser melhoradas, os próprios idosos precisam correr atrás dessas melhorias. Esse processo de mudança é dado através de um longo caminho, mas, para que isso seja concretizado, o primeiro passo precisa ser dado – que, no caso, é o da educação. Essa educação para o idoso serve para duas coisas:

  1. Para a sociedade conhecer e aprender a respeitar o idoso;
  2. Para o idoso ter novas condições de se abrir ao mundo que o cerca, conhecendo os seus direitos e vivenciando novas experiências.

Não é de hoje que os idosos são vistos como pessoas que tem muito a ensinar aos mais novos, mas, com essa educação que está se tornando cada vez mais comum, eles também tem muito a aprender. A educação para a terceira idade não é mais voltada a um meio de assistencialismo, mas sim para fazer com que essas pessoas entendam que, além de precisarem de atividades recreativas que ocupem o seu tempo, elas também precisam de espaço para crescerem cada vez mais.

PUBLICIDADE: CONTINUE LENDO O CONTEÚDO :)

Os idosos possuem grande capacidade de aprender a partir do momento que são incentivados, independente de sua idade. Estudiosos afirmam que para que eles possuam uma aprendizagem efetiva, é necessário que uma motivação adequada seja feita, além de ceder o tempo necessário a eles para que a assimilação seja feita. A educação é capaz de transformar a relação do idoso, não apenas com a sua família, mas também com os amigos e com a sociedade, além de transformá-lo semelhante àqueles que constituem o seu universo.

Após essa transformação, isto é, após o idoso ser considerado como um sujeito capaz de desenvolver e praticar determinadas atividades, a visão sobre a velhice é alterada e, nela, o idoso passa a ser um novo agente social em seu grupo de convívio. E é justamente esse novo agente social que está aprendendo a lutar pelos seus direitos e descobrindo a força da união, já que é a partir do convívio social e da troca de ideias e informações que novas motivações são criadas.

Atualmente, uma série de grupos que se voltam à convivência de pessoas de terceira idade está sendo criada, e esses grupos podem ser formados espontaneamente por moradores do bairro, sindicatos ou por iniciativa do governo. Esses grupos tem como objetivo a satisfação do idoso através de atividades como dança, teatro, viagens ou até mesmo a aprendizagem de uma nova profissão ou de um novo idioma. Isso faz com que ele se sinta em crescimento, mesmo que, num primeiro momento, pareça ser sem sentido e aplicabilidade.

Outra maneira encontrada pelas pessoas de terceira idade para se sociabilizarem foi fazer uso da tecnologia – seja ela através de computadores, celulares, tablets, etc. Ao contrário do que muitas pessoas dizem, aparelhos eletrônicos não se limitam apenas ao contato pessoa-máquina ou máquina-máquina, mas também pessoa-pessoa. O diálogo entre dois ou mais indivíduos é essencial para a vida de qualquer um e isso é suprido através de formas que facilitem e concretizem essa ação. Os adultos idosos possuem a opção de usar ou não uma ferramenta tecnológica, porém, diante da realidade de não mais morar próximo a todos que gostaria, acabam utilizando-a para se comunicarem e se sentirem parte da vida de quem está distante.

A socialização da terceira idade na prática

Os trabalhos de socialização para a terceira idade vem crescendo gradativamente aqui no Brasil. Um grande exemplo disso é o programa criado pelo Serviço Social do Comércio (Sesc) que, desde os anos 60, desenvolve um trabalho que visa o objetivo de possibilitar oportunidades de convívio social aos idosos. A instituição possui 3 tipos de programas em sua grade:

  • Centros de convivência: possuem atividades de lazer sócio-recreativas;
  • Escolas abertas: possuem cursos e programas voltados ao esporte e à saúde;
  • Serviço de preparação: feito para as pessoas que estão se aposentando.

Além do Sesc, outros grupos são vistos constantemente: clubes de terceira idade organizados por drogarias, clubes esportivos que organizam bailes dançantes às pessoas idosas, empresas que ofertam vagas de estágios para a terceira idade e por aí vai.

PUBLICIDADE: CONTINUE LENDO O CONTEÚDO :)

Ilustrando essa nova realidade que a sociedade está vivenciando, o filme “Um Senhor Estagiário” (2015), da diretora Nancy Meyers, veio em boa hora. A trama conta a história de um idoso de 70 anos, Ben Withaker (Robert De Niro), que decide sair da mesmice a qual se submeteu após ficar viúvo. Através de um anúncio que viu, resolveu se candidatar como estagiário em uma startup, criada por Jules Ostin (Anne Hathaway), a fim de levar toda a sua expertise que possui após 40 anos trabalhando em uma empresa que produzia listas telefônicas. Como de praxe, Ben foi tratado com desdém pela proprietária da empresa, pelo fato dela não achar que ele fosse capaz de cumprir com todos os deveres a serem incumbidos a ele. Porém, com o decorrer do filme, toda a empresa, inclusive a sua proprietária, é cativada por aquele senhor que, antes de qualquer outra coisa, só quer ajudar. Assista ao trailer de “Um Senhor Estagiário”:

Na mesma linha desse filme, a DMV Comunicação (localizada em São Paulo), agência de publicidade especializada em shoppings centers, lançou, em fevereiro deste ano, uma vaga de Estágio Sênior para quem tivesse disponibilidade de compartilhar a sua experiência de vida com a empresa. Você pode conferir a chamada feita para o posto a seguir:

Diante desses 2 exemplos, espera-se que a realidade da terceira idade brasileira tenda apenas a melhorar. Com os idosos ativos, doenças degenerativas são retardadas ao longo de suas vidas, fazendo com que vivam cada vez mais felizes e sentindo-se parte de algo.

Compartilhe com os amigos esse texto e faça com que uma grande parte de pessoas tenham conhecimento dessas informações. Acredite: isso pode mudar a vida de alguém. 😉

Referências

PUBLICIDADE: CONTINUE LENDO O CONTEÚDO :)

http://www.unric.org/pt/actualidade/32004–dia-internacional-das-pessoas-idosas-1-de-outubro-de-2015
http://www.unirio.br/news/especialistas-ressaltam-importancia-da-socializacao-no-bem-estar-dos-idosos
http://www.portaleducacao.com.br/enfermagem/artigos/56407/os-beneficios-da-adesao-precoce-nos-programas-de-socializacao-da-terceira-idade
http://www2.uol.com.br/vyaestelar/saude_geracoes.htm
https://pt.wikipedia.org/wiki/Senesc%C3%AAncia
https://psicologado.com/psicologia-geral/desenvolvimento-humano/os-beneficios-do-viver-coletivo-para-o-idoso-reflexao-sobre-a-importancia-da-integracao-psicossocial
http://meuartigo.brasilescola.uol.com.br/sociologia/%20a-importancia-da-atividade-sociocultural-para-idoso.htm
https://www.sescsp.org.br/online/artigo/6403_O+IDOSO+COMO+PROTAGONISTA+SOCIAL#/tagcloud=lista
http://www.ucs.br/etc/conferencias/index.php/anpedsul/9anpedsul/paper/viewFile/1886/73
http://books.scielo.org/id/886qz/pdf/zanella-9788599662878-31.pdf
http://www.ucs.br/etc/conferencias/index.php/anpedsul/9anpedsul/paper/viewFile/2325/916
http://cinema.uol.com.br/noticias/redacao/2015/09/25/filme-um-senhor-estagiario-mostra-como-um-idoso-pode-ajudar-uma-startup.htm 
http://www.hypeness.com.br/2016/02/agencia-lanca-vaga-de-estagio-para-idosos-e-pede-experiencia-de-vida/

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Avalie o conteúdo!)
Loading...

Faça um comentário:

Por favor, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui