Muitas plantas com propriedades medicinais são estudadas e utilizadas a milhares de anos, podendo inclusive servir como base para medicamentos. Existem muitas delas, indicadas para diferentes finalidades e podendo contar com diversos benefícios à saúde.

Na sequência você pode encontrar algumas informações importantes sobre uma planta considerada como medicinal: o Aranto. Confira:

Índice — neste artigo você vai encontrar:

  1. O que é Aranto?
  2. Para que serve e quais os benefícios do Aranto?
  3. Aranto cura câncer?
  4. É venenoso?
  5. Como usar Aranto?
  6. Aranto para trombose: funciona?
  7. Contraindicações: quem não pode usar Aranto?

O que é Aranto?

O Aranto, planta cujo nome científico é Kalanchoe daigremontiana, é da família das suculentas. Essas, apresentam raiz, talo e/ou folhas mais grossos a fim de permitir o armazenamento de água em quantidades muito maiores que outras espécies.

Também conhecido como “mãe-de-milhares”, o Aranto é nativo da África e também apresenta boa adaptação ao clima e solo brasileiro, uma vez que sobrevive bem em regiões tropicais e subtropicais.

Essa planta é popularmente usada no combate de infecções e inflamações (como no tratamento de febre, reumatismo, etc). Porém, há poucos estudos que realmente atestem suas propriedades farmacológicas ou indiquem se existe uma forma segura de uso.

Além disso, o Aranto também ficou muito conhecido por algumas suposições e notícias indicando que ele poderia ser útil no tratamento contra o câncer — o que não é comprovado pela ciência.

Por fim, cabe destacar que seu uso normalmente consiste na ingestão de chás, sucos ou aplicação tópica das folhas da planta em ferimentos cutâneos.


Para que serve e quais os benefícios do Aranto?

O Aranto é uma planta que conta com algumas propriedades medicinais, das quais se pode destacar a ação anti-inflamatória, antioxidante, anti-histamínica (efeito vasodilatador predominantemente sobre os vasos sanguíneos finos), cicatrizante e até sedativa.

Nesse sentido, a planta é popularmente usada para o cuidado de problemas como:

  • Doenças inflamatórias (como distúrbios reumáticos);
  • Febre (complicação comum de casos inflamatórios ou infecciosos);
  • Tosse;
  • Ferimentos;
  • Resfriados;
  • Auxílio em quadros de esquizofrenia e ataques de pânico (devido sua ação sedativa).

Apesar de ser usado nas situações mencionadas, cabe destacar que não há estudos que realmente comprovem que o Aranto pode ser útil nesses casos. 

Também é preciso ter em mente que terapias como essa são apenas complementares e não substituem tratamentos convencionais e auxílio médico especializado.

Aranto cura câncer?

Não. Primeiro, é importante destacar que nenhuma planta medicinal tem a capacidade de curar o câncer. Felizmente, hoje muitas pessoas conseguem superar essa doença com o uso de tratamentos combinados (drogas quimioterápicas, radioterapia etc.), graças às contribuições da medicina.

Por isso, atente-se a possíveis notícias falsas, principalmente as que envolvem a saúde. É prudente desconfiar de matérias sensacionalistas ou que façam grandes promessas a respeito de curas não divulgadas oficialmente pela ciência ou classe médica.

Segundo o Instituto Oncoguia, tais suposições de que o Aranto poderia curar o câncer têm como base alguns estudos preliminares, realizados in vitro (em laboratório). Esses, apontam que a planta  tem em sua composição um tipo de corticoide, podendo sugerir algum tipo de ação no tratamento contra leucemias.

Porém, são apenas pesquisas laboratoriais, nunca testadas em humanos ou animais. Inclusive, podem nunca chegar a essa fase de testes. Sendo assim, não se deve ver o Aranto como possível tratamento. 

Seu uso pode até mesmo trazer mais malefícios do que benefícios. Entenda o porquê:

É venenoso?  

O Aranto contém em sua composição glicosídeos cardiotóxicos, ou seja, substâncias químicas tóxicas capazes de causar efeitos colaterais, como:

  • Náuseas;
  • Vômito;
  • Dor abdominal;
  • Comprometimento do sistema nervoso — podendo causar reações como confusão mental, delírio e alucinações;
  • Alterações no batimento cardíaco — aumentando os riscos de parada cardíaca.

Não há estudos que indiquem qual a dose realmente segura de consumo do Aranto. Mas sabe-se que seu uso prolongado e/ou contínuo pode favorecer as complicações listadas, o que ocorre devido à intoxicação pelo uso.

Sendo assim, apesar de não ser considerada como uma planta realmente venenosa, os especialista indicam que o ideal é não consumi-la. Especialmente se o uso tiver como objetivo curar doenças como o câncer — o que, como vimos, trata-se de uma notícia falsa.

Como usar Aranto?

Como mencionado, não há pesquisas que indiquem de forma precisa qual a quantidade realmente segura do uso do Aranto. De forma geral, o que se recomenda é que, ao fazer uso da planta, não seja ultrapassado o consumo de 30g diárias.

Seu uso é feito a partir de suas folhas e, considerando que o Aranto é uma suculenta, pode ser facilmente confundido com espécies similares. Por isso, caso deseje fazer o uso dessa (ou outra planta medicinal), certifique-se de que é a correta.

O uso popular inclui a aplicação do Aranto seco na pele (para tratamento de feridas) e a ingestão dele em forma de chá ou suco. Veja mais:

Chá

A forma mais tradicional de consumir o Aranto é através do seu chá. Porém, como mencionado, é preciso ter cuidado para não confundir a planta e também administrar a dose correta (não ultrapassando 30g).

Também cabe destacar que a quantidade de compostos benéficos e a intensidade das propriedades medicinais da planta pode variar conforme o clima e o solo onde ela cresce. 

Por fim, para fazer o chá, basta usar a folha da planta e misturar com água — levando ao fogo para ferver. Depois, é ideal coar e beber após ter esfriado um pouco.

Suco

Outra forma de ingerir o Aranto é através de seu suco. Os cuidados são os mesmos referentes ao chá: não ultrapassar a quantidade máxima da planta (30g) e certificar-se de que é a correta.

Quanto às propriedades, também se segue a mesma orientação. Ou seja, podem sofrer variações de acordo com o solo e o clima aos quais a planta foi submetida durante o plantio.

Para fazer o suco de Aranto (aproximadamente 200mL, 1 copo), você pode seguir os passos:

  • Separe um pedaço da folha da planta (do tamanho aproximado de 3 dedos);
  • Misture com 200mL de água;
  • Leve tudo ao liquidificador (ou processador/mixer).

Não acrescente açúcar ou misture outras plantas medicinais. Se desejar, pode passar o suco por uma peneira ou coador para que fique mais ralo.

Aranto para trombose: funciona?

Não há evidências de que o Aranto pode ser benéfico para o tratamento de trombose. Essa condição é causada pela formação de um coágulo sanguíneo — em uma ou mais veias das pernas e das coxas. 

Quando isso ocorre, esse coágulo bloqueia o fluxo de sangue, causando inchaço e dor. Porém, o maior problema está no fato de que, algumas vezes, ele pode se “desprender” da região em questão e ser carregado pela corrente sanguínea — caracterizando o processo chamado de embolia, onde uma (ou mais) artéria é bloqueada pelo coágulo.

Considerando tais fatores, fica evidente que a trombose é uma condição séria e de risco, podendo causar muitas complicações e até fatalidades. Por exemplo, a morte por embolia pulmonar é bastante comum e esse problema é, muitas vezes, originado por uma trombose.

Por isso, é necessário um tratamento médico especializado, normalmente feito com anticoagulantes e remédios que ajudem a reduzir os incômodos.

Sendo assim, apesar do Aranto poder auxiliar na dilatação dos vasos sanguíneos finos (ação anti-histamínica), não existem evidências de que pode ajudar em casos de coágulos sanguíneos. Assim, não deve ser usado como uma opção no tratamento da trombose.

Contraindicações: quem não pode usar Aranto?

O uso ou consumo do Aranto não é indicado para pessoas que já apresentaram sensibilidade a essa planta ou outras da mesma família, considerando que pode desencadear reações alérgicas e/ou outras complicações.

Além disso, também é contraindicada para gestantes, uma vez que pode aumentar as contrações uterinas e devido ao fato de que há poucos estudos conclusivos quanto a como fazer um uso seguro do Aranto.

Dessa forma, tanto a mãe quanto ao bebê podem ser expostos ao risco. Por isso, deve-se evitar.

Vale destacar que por conta da pequena quantidade de estudos sobre seu uso seguro, não é indicado que o Aranto seja consumido por crianças (ou utilizado de forma tópica). 

Pessoas com doenças ou complicações pré-existentes (como hipoglicemia ou pressão baixa) carecem de orientação médica prévia para fazer uso dessa planta. Essa orientação também se aplica a outras pessoas, a fim de garantir que todos façam um uso seguro. Porém, em casos de outras comorbidades, reforça-se a necessidade.


É verdade que muitas plantas medicinais causam efeitos muito positivos e são estudadas cada vez mais pela ciência. Porém, algumas como o Aranto ainda não contam com tantas pesquisas, de forma que seu uso pode trazer riscos à saúde.

Por isso, certifique-se de apenas ingerir plantas medicinais (seja o Aranto ou qualquer outra) com orientação de profissionais capacitados. Assim, evitando complicações.

Gostou desse conteúdo?! Aproveite e veja mais sobre Remédios Naturais e suas indicações!

Fontes consultadas


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.