Redação Minuto Saudável
30/06/2017 14:59

Absorvente íntimo: qual é o melhor tipo para cada mulher?

Utilizado desde a puberdade até a menopausa, o absorvente íntimo acompanha a mulher por praticamente toda a vida. Podem ser ultrafinos, secos ou suaves, internos ou externos. São variados os tipos e a escolha fica a critério da mulher e das suas necessidades, a qual precisa saber qual é o melhor para o seu uso.

Publicidade

Assim como diversos produtos, os absorventes íntimos atendem cada vez mais as necessidades femininas. Porém, com tantas variedades, muitas vezes é difícil escolher o tipo certo.

Independente disso, a troca do absorvente deve ser feita, no mínimo, a cada 4 horas, além da higienização da região íntima que deve ser realizada constantemente. Ler as orientações que o produto traz também é importante para que não ocorram reações indesejadas.

Absorventes com cobertura seca

Os absorventes desse tipo tendem a ressecar e esquentar a região íntima. O seu contato com a pele também pode causar bolhas e assaduras.

O plástico que recobre o produto pode ocasionar a falsa sensação de limpeza, devido ao sangramento passar pelos furos e se concentrar no fundo. Por causa desse efeito, muitas mulheres acabam demorando mais para fazer a troca por um novo, ocasionando as reações citadas.

Absorventes com cobertura suave

Se há irritação da pele durante o uso do absorvente, opte por aqueles com coberturas suaves. Feitos de algodão ou de celulose, eles são mais naturais e agridem menos a pele.

Porém, tipos suaves não são indicados para mulheres com fluxo intenso, pois sua absorção não é tão eficaz quanto o de textura seca.

Básico ou noturno

A diferença entre eles é o tamanho e a absorção. Enquanto o básico é menor, o noturno possui um tamanho maior que ocasiona também maior absorção.

Embora denominado noturno, estes absorventes, utilizados principalmente à noite muitas vezes também se tornam uma boa opção para o dia, em mulheres com grande fluxo.

Com abas ou sem abas

Com abas, sem abas, internos ou externos. Os absorventes com abas proporcionam maior segurança. As abas presentes neles grudam no tecido da calcinha, porém podem causar irritação e reações alérgicas na virilha.

Publicidade

Já aqueles sem o item são indicados para mulheres que sentem desconforto ao utilizarem tipos com abas, porém sua fixação não é total igual ao absorvente que contém os adesivos laterais.

Absorvente ultrafino e interno

Os absorventes ultrafinos normalmente são utilizados no começo ou no fim do ciclo menstrual, quando o fluxo é menor. Também são utilizados no dia a dia, porém essa prática não é recomendada, pois pode ressecar a área vaginal e ocasionar acúmulo de fungos e bactérias.

Enquanto os absorventes externos recebem o fluxo menstrual apenas quando este sai do corpo, os de uso interno são introduzidos na vagina e de lá recebem a menstruação. O seu tamanho deve ser medido pela quantidade de fluxo menstrual.

Ambos são muitos utilizados para não marcar a roupa e o absorvente interno para frequentar locais como piscinas e praias.

Higiene íntima

No período do ciclo menstrual a higiene na região íntima deve ser mais constante do que nos demais dias. Devido ao absorvente e o constante fluxo, a região vaginal deve ser lavada mais de uma vez ao dia, em toda a troca de absorvente. Se não houver uma boa limpeza, bactérias e fungos podem se instalar no local e provocar doenças.

Com o absorvente certo e a higiene em dia, problemas de saúde e incômodos podem ser evitados. Realizar uma visita periódica ao ginecologista é outra das recomendações às mulheres, para tirar dúvidas sobre o uso deste produto.

16/01/2019 11:04

Redação Minuto Saudável

Somos um time de jornalistas e especialistas em comunicação digital dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável. Confira mais na nossa página de quem somos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*