A quimioterapia consiste no uso de medicamentos capazes de destruir as células doentes que formam o tumor. Existem várias formas de administrar esses medicamentos, como via tópica, via oral (comprimidos) ou por injeções ou aplicação (intravenosa, intramuscular, subcutânea, intracraneal).

Como a substância é levada pela corrente sanguínea, ela age em todo o corpo (tratamento sistêmico). Em geral, sua afinidade é maior com células cancerígenas ou doentes, mas pode afetar também as células sadias.

Por isso, é comum que os efeitos adversos da quimioterapia sejam relatados com grande frequência e mais severos em comparação com outros tratamentos medicamentosos.

Entre as opções usadas para o tratamento de alguns tipos de câncer está o Xeloda. Saiba mais sobre ele e quais as indicações de uso:

O que é Xeloda? 

Xeloda é um medicamento comercializado em comprimidos, que tem a substância ativa Capecitabina. Ela é usada no tratamento de pacientes com câncer de mama, de cólon e reto e gástrico em condições específicas. 

A ação medicamentosa impede o crescimento de células tumorais ou cancerígenas, podendo ser uma opção inclusive quando tratamentos anteriores não surtiram efeito.

Assim, o Xeloda faz parte dos medicamentos quimioterápicos, por sua ação antineoplásica. O tempo, horários e uso — único ou combinado com outras substâncias — necessitam de avaliação médica, levando em consideração o estado clínico do(a) paciente e também o tipo de câncer.

Para que serve o Xeloda?

De acordo com o Oncoguia, a capecitabina é um antimetabólito. Isso significa que age interferindo ou bloqueando quimicamente a síntese de DNA e RNA. O medicamento pode ser usado no tratamento de câncer de mama, de cólon e reto, além do gástrico.


Saiba mais sobre essas condições:

Câncer de mama 

O câncer de mama afeta sobretudo mulheres. O Xeloda, junto com docetaxel, pode ser indicado para pacientes com câncer de mama localmente avançado ou metastático (que começou a espalhar-se para outras partes do corpo), nos casos em que a pessoa já foi submetida à quimioterapia com antraciclina (outro tipo de medicação quimioterápica).

Em alguns casos, o Xeloda pode ser usado de forma isolada, quando há alguma contraindicação do uso conjunto com outros medicamentos contra câncer.

Câncer gástrico (estômago) 

Nos casos de câncer gástrico avançado, o Xeloda pode ser combinado com outras substâncias, como a cisplatina ou oxaliplatina, sendo a primeira linha de tratamento da doença.

Câncer de cólon (intestino grosso) 

O Xeloda pode ser usado isoladamente ou em conjunto com outras substâncias em pessoas submetidas à cirurgia para tratar câncer do cólon.

Câncer colorretal 

Em pacientes com câncer colorretal metastático (ou seja, que se espalhou para outras partes do corpo), o Xeloda pode ser usado isolado (monoterapia) ou em conjunto com outros medicamentos, como oxaliplatina ou combinado com oxilaplatina e bevacizumabe.

Xeloda cura o câncer?

O Xeloda é considerado um medicamento citotóxico, o que significa que ele inibe o crescimento celular (divisão), impedindo a disseminação do câncer e destruindo as células doentes. Assim, dependendo do tipo da doença, do estágio e da resposta do organismo à terapia, é possível que a doença seja curada.

Qual o princípio ativo?

A substância ativa do Xeloda é a Capecitabina, um derivado do carbamato de fluoropirimidina. A droga é feita para ser administrada via oral. Após a ingestão, ela é metabolizada no fígado, agindo com mais especificidade nos tecidos afetados pelo câncer.

Ela age interferindo na síntese e função do DNA e também na do RNA, ainda que em menor grau.

O ideal é que a administração seja feita sempre após as refeições.

Os efeitos adversos da Capecitabina são, na maioria das vezes, leves ou moderados, e costumam ser bem tolerados. No entanto, ainda se aponta que a capecitabina pode ter efeitos cumulativos no organismo. 

Ou seja, conforme o tratamento é realizado, os sintomas adversos podem ficar mais fortes, agravando o mal-estar de pacientes. Em alguns casos, pausas entre o uso podem fazer esses sintomas regredirem ou cessarem, desde que haja recomendação médica.

Xeloda tem genérico? 

Sim. A capecitabina, substância ativa do Xeloda, tem a versão genérica, que é a Capecitabina Sun Pharma 500mg, comercializada em caixas com 120 comprimidos revestidos.

Além do genérico, há também os medicamentos similares, como o Capecare, Coama, Capeliv, Corretal.

Tanto as versões similares quanto a genérica são analisadas e têm efeitos comprovados, porém, é sempre importante conversar com a equipe médica e analisar as possibilidades de uso de medicamentos não referência.

Quais os efeitos colaterais do Xeloda?

Assim como o uso de qualquer outro medicamento, o tratamento com Xeloda pode desencadear sintomas adversos. Vale lembrar que nem sempre eles ocorrem e, quando acontecem, podem ter intensidade e duração diferentes, normalmente sendo mais intensos nos primeiros 3 dias de uso. Mas, no geral, os mais comuns são:

  • Perda de apetite;
  • Diarreia; 
  • Vômito; 
  • Estomatite; 
  • Dor abdominal; 
  • Inchaço; 
  • Vermelhidão na pele; 
  • Cansaço e sonolência. 

Menos comuns, mas ainda possíveis de ocorrer são: febre, fraqueza, redução de força muscular, alterações intestinais, erupções na pele, vertigem e cefaleia.

Engorda? 

Não há nenhuma indicação na bula de que o Xeloda possa provocar alterações no peso de quem faz uso da medicação. No entanto, vale lembrar que cada organismo responde de maneiras diferentes às substâncias, podendo haver implicações na massa corporal.

É possível haver inchaços ou, ao contrário, pode ocorrer perda de peso por fatores secundários. Este último caso, geralmente, é decorrente das náuseas e vômitos que estão entre os efeitos adversos, dificultando a correta alimentação do(a) paciente.

Xeloda é aprovado pela Anvisa?

Sim. O medicamento Xeloda é aprovado pela Anvisa, sendo classificado na categoria de Medicamentos antineoplásicos.

Preço e onde comprar?

O Xeloda pode ser encontrado em farmácias físicas, bem como consultado em redes online e buscadores de preço.

Os preços médios variam de acordo com a dosagem, podendo ser*:

* Preços consultados em novembro de 2019. Os valores podem sofrer variação.

Xeloda serve para câncer no fígado?

A quimioterapia para pacientes com câncer no fígado é bastante complexa, logo que, na maioria dos casos, a doença resiste ao tratamento.

De acordo um uma publicação de Recomendações de Prática Clínica da ESMO (Europe Society for Medical Oncology), alguns quadros tratados com Xeloda podem apresentar redução do crescimento e disseminação da doença, melhorando a qualidade de vida dos(as) pacientes, mas ainda assim proporcionando poucas respostas efetivas. 

Porém, estudos recentes têm apontado que alguns regimes terapêuticos demonstram melhores efeitos e ações em pacientes, como a combinação de capecitabina e oxaliplatina (XELOX). 

Além disso, Xeloda não tem indicação oficial, na bula ou aprovada pela ANVISA, para o uso em tratamentos para câncer no fígado.

A radioterapia também pode ser associada, visando otimizar os efeitos do tratamento. No entanto, a dificuldade em controlar ou tratar a doença no fígado ainda é grande.


Xeloda é uma droga usada no controle e tratamento de alguns tipos de câncer. Sua ação tem demonstrado boa efetividade para a melhora do bem-estar em pacientes acometidos(as) pela doença.

O Consulta Remédios oferece um serviço de orçamentos judiciais, para facilitar o processo de obtenção de medicamentos de alto custo. Quer saber como funciona?

Basta acessar o link e preencher seus dados. Em pouco tempo, você vai receber o orçamento, além disso, ainda conta com um atendimento personalizado. Simples e rápido!


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *