As doenças febre amarela e zika vírus, transmitidas por mosquitos que podem ser o aedes aegypti, são duas das causas que vem preocupando todo o território nacional e até mesmo as autoridades mundiais.

Essas duas infecções já levaram algumas cidades brasileiras a decretarem situação de emergência por causa do grande número de casos, como em Minas Gerais devidos aos casos de Febre Amarela, recentemente.

Aliás, em 2016 a Organização Mundial da Saúde (OMS), também declarou estado de emergência em vários países, incluindo o Brasil, por conta de surtos de Zika, ligados à microcefalia.

Essas duas doenças podem até ser semelhantes em alguns aspectos, mas a febre amarela já tem uma vacina que atende a todo o país, e no caso da zika, os pesquisadores ainda estão em busca do imunizador.

Vacina da febre amarela pode ser a solução

A resposta contra o Zika pode estar exatamente na vacina da outra doença, febre amarela. E é isso que sugere uma pesquisa feita na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e da Fundação Oswaldo Cruz.

Os resultados indicam que a vacina da febre amarela também foi capaz de proteger camundongos com vírus da Zika, em testes de laboratório.

O imunizante também teve potencial para reduzir a carga viral no cérebro, impedindo a ocorrência de casos de deficiência neurológica.

Porém, segundo os autores do estudo, é preciso esperar por mais análises dos resultados, por meio da avaliação dos pares.


Basicamente, é um método em que se contribui para a validação do estudo, aumentando a possibilidade de fazer contatos nas comunidades de pesquisa comunidade científica internacional.

Leia mais: Surtos de febre amarela no Brasil foram causados por dois mosquitos

Doenças parecidas e baixa imunização

Os pesquisadores só utilizaram como parte do estudo a vacina da febre amarela depois de comparar dois cenários no Brasil.

Eles viram que a região do Brasil, onde teve maior número de casos de Zika, era o nordeste do país e, na sequência, observaram que essa região era a que tinha a menor cobertura de vacinação contra a febre amarela.

Então, partindo dessa hipótese eles começaram a utilizar a vacina para os estudos.

Além disso, o que contribuiu para esses resultados serem considerados promissores é que as estruturas biológicas dos vírus são semelhantes, o que pode ser levado em consideração para avaliar os efeitos da vacina.

O próximo passo agora é que os testes sejam realizados em primatas, para que possa ser observado melhor os mecanismos de proteção contra o vírus da zika.

Se for confirmado eficaz em humanos, o resultado poderá ser um grande avanço na área das vacinas.


A vacinação é a melhor maneira de prevenir contra diversas doenças e deve ser realizada adequadamente para reduzir surtos e taxas de infecções.

Fonte: BBC


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *