Uma pesquisa do Instituto Oswaldo Cruz revelou que os mosquitos das espécies Haemagogus leucocelaenus e Haemagogus janthinomys são os responsáveis pelos recentes surtos de febre amarela no Brasil.

As duas espécies foram encontradas em grande quantidade em cidades do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo. Elas estão associadas aos casos de febre amarela silvestre, diferentemente do tipo urbano, geralmente associado ao aedes aegypti (mosquito da dengue).

A identificação permite estudar as regiões que têm a presença destas espécies e assim prever possíveis surtos no futuro.

O estudo analisou quase 18 mil insetos entre 2015 e 2018 e foi publicado na revista científica Emerging Microbes & Infections.

Entre 2016 e 2018, aproximadamente 2 mil casos de febre amarela foram registrados no Brasil e 700 pessoas morreram. O surto foi mais forte na região da mata atlântica que não registrava a doença desde os anos 40.

Entenda a febre amarela

A febre amarela é uma doença viral transmitida pela picada de mosquitos infectados em humanos.

Os principais sintomas são febre alta e icterícia (ou amarelão, por isso o nome). Além desses, dor de cabeça, náusea, fraqueza e dores no corpo também podem ser um indicativo da doença.

Os sintomas podem demorar até 6 dias para se manifestarem após o contato com o vírus.


Ao sentir qualquer sinal suspeito, é importante buscar ajuda médica para o diagnóstico correto.

Urbana ou silvestre?

A febre amarela é dividida em dois tipos, segundo a região de transmissão:

  • Febre Amarela Urbana (FAB): é transmitida em área urbana. No Brasil, não existe registro de transmissão de febre amarela em grandes cidades desde 1943, segundo o Ministério da Saúde.
  • Febre Amarela Silvestre (FAS): é transmitida nas áreas rurais, principalmente em lugares próximos à rios e matas. A FAS pode ser transmitida para macacos e outros primatas além dos seres humanos.

Vacina é ofertada pelo SUS

A febre amarela é uma doença que tem vacina.

A primeira dose da vacina pode ser tomada a partir dos 9 meses de idade. Bebês entre 9 e 6 meses podem receber a imunização com prescrição médica. Contudo, crianças com menos de 6 meses não podem se vacinar.

A vacinação contra a febre amarela é distribuída gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), podendo ser tomada em unidades básicas de saúde no país inteiro.

A vacina leva em torno de 10 dias para fazer efeito. Uma única dose é suficiente para a imunização total contra a doença.


A febre amarela é uma doença que, em casos mais graves, pode matar. Caso você more em regiões rurais ou vá viajar para áreas de risco, tome a vacina.

Apresentando os sintomas e, em caso de dúvidas, consulte um médico.

Fonte: Fiocruz


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *