O câncer de mama é o tipo de doença bastante comum entre mulheres, apesar de também poder afetar os homens. Agora, pacientes contam com uma nova expectativa de terapia.

Segundo uma recente pesquisa, publicada no New England Journal of Medicine, um novo remédio tem se mostrado promissor para tratamento de câncer de mama triplo-negativo.

Trata-se do sacituzumab govitecan, um medicamento à base de anticorpos e drogas usadas na quimioterapia, que podem ser uma opção para pacientes neste estágio da doença.

Esse tipo de câncer tende a ser mais perigoso porque tem como característica acelerar o crescimento das células cancerígenas, fazendo que os tratamentos sejam ineficazes para intervir no aumento do tumor.

Com isso, a expectativa de vida é bastante reduzida, sendo que, ao longo de 20 anos, pacientes viveram por cerca de apenas 1 ano após o diagnóstico.

O remédio, que está sendo desenvolvido em estudos, tem potencial para  fazer com que os riscos para as células saudáveis seja menor.

Ainda está em fases de testes 2, o que significa que os efeitos ainda estão em análise, o remédio já é visto com uma opção para prolongar a vida de pacientes com câncer de mama do tipo triplo-negativo, considerado um dos mais agressivos no organismo.

Leia mais: 11 dicas para prevenir o câncer e combater os fatores de risco

O estudo

Em um total de 108 mulheres com esse subtipo da doença, todos receberam o medicamento por via intravenosa, um método que consiste em injetar o medicamento nas veias através de agulha ou cateter.

A partir daí, os resultados já se mostraram positivos quando comparados com outros tratamentos utilizados para o tratamento de câncer de mama, sendo capaz de prolongar a vida das pacientes.

O resultado final mostrou cerca de 50% tiveram efeito positivo, incluindo um retardo na progressão do câncer por até 5 meses em comparação à média de 2,5 meses dos outros tratamentos.

O outro lado do tratamento

O medicamento ainda não está disponível e causou efeitos colaterais, como náuseas e queda nos níveis de glóbulos brancos, mas, segundo os autores do estudo, esses sintomas podem ser controlados.

Ainda é preciso aguardar os resultados que estão em andamentos e que vão servir para comparar a droga com outros tratamentos do câncer de mama triplo-negativo.

Mas já é um aspecto positivo para considerar, já que os tratamentos para esse tipo de doença são muito limitados.


Novas drogas e opções terapêuticas têm trazido expectativas aos pacientes que lidam com a doença.

Fonte: Health Day

Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *