O período de descoberta de uma doença, em geral, não é fácil. Quando se trata de uma enfermidade rara, o processo pode ser ainda mais difícil.

É o caso da Acromegalia, doença que atinge pessoas adultas e provoca o crescimento excessivo de partes do corpo como as mãos e pés.

Para o tratamento do problema e alívio dos sintomas, existem medicamentos como o Sandostatin.

Continue lendo e saiba mais sobre a medicação!

Índice — neste artigo você vai encontrar:

  1. O que é o medicamento Sandostatin?
  2. Qual a diferença entre Sandostatin e Sandostatin LAR?
  3. Para que serve o medicamento Sandostatin?
  4. Como atua o princípio ativo Octreotida?
  5. Sandostatin é endovenoso ou subcutâneo (SC)?
  6. Sandostatin (Octreotida) é quimioterapia?
  7. Como aplicar Sandostatin e Sandostatin LAR? 
  8. Quais os efeitos colaterais de Sandostatin?
  9. Valor: qual o preço de Sandostatin e onde comprar mais barato?
  10. Sandostatin tem no SUS?
  11. É aprovado pela ANVISA?
  12. Como orçar Sandostatin?

O que é o medicamento Sandostatin?

Sandostatin é um dos nomes comerciais do princípio ativo acetato de octreotida, medicamento empregue no tratamento da acromegalia e alívio de sintomas em casos de tumores endócrinos que afetam o pâncreas e sistema gástrico.

É fabricado pela Novartis — grupo farmacêutico — e sua administração pode ser via intravenosa, intramuscular ou subcutânea.

Ele atua na regulação dos hormônios de crescimento e seu uso é adulto.


Qual a diferença entre o Sandostatin e o Sandostatin LAR? 

Além do Sandostatin convencional, há também a versão Sandostatin LAR. 

Embora tenham nomenclatura semelhante e sejam produzidos pelo mesmo laboratório, eles apresentam algumas diferenças entre si. 

A primeira é em sua forma de administração. Enquanto o Sandostatin tem uso subcutâneo ou intravenoso, o Sandostatin LAR é aplicado via intramuscular.

Outra diferença é em relação à indicação de uso. Ambos têm as mesmas designações de tratamento, contudo, Sandostatin LAR tem uma indicação a mais: tratamento de tumores neuroendócrinos no intestino — quando células neuroendócrinas tornam-se tumores. Ou seja, além de aliviar os sintomas, ele combate a doença.

Além disso, a frequência de administração de Sandostatin LAR é, em geral, menor do que a do Sandostatin. Isso, pois sua posologia é maior.

Para que serve o medicamento Sandostatin?

O medicamento Sandostatin é utilizado para o tratamento da acromegalia, doença em que um tumor benigno faz com que a hipófise — glândula endócrina — produza, em pessoas já adultas, o hormônio do crescimento em excesso. O problema provoca o alargamento anormal de extremidades do corpo como o rosto, pés e mãos. 

Além disso, o fármaco auxilia no alívio de sintomas relacionados a tumores endócrinos gastroenteropancreáticos (que afetam o pâncreas ou o trato gastrointestinal). Entre eles, estão: VIPomas, Glucagonomas, Gastrinomas, Insulinomas e GHRHomas.

Neste caso, ele não tem efeito curativo da doença, apenas alívio de desconfortos.

Já o Sandostatin LAR, além de tratar as mesmas doenças, atua no combate dos tumores gastroenteropancreáticos objetificando sua eliminação, e não apenas o alívio dos sintomas, como o Sandostatin convencional. 

Como atua o princípio ativo Octreotida?

O acetato de Octreotida é uma substância sintética derivada da somatostatina, um hormônio natural produzido pelo pâncreas. Ele tem ação semelhante a esse hormônio, porém, com ação prolongada. 

O fármaco atua inibindo a secreção aumentada de alguns hormônios produzidos pelo corpo humano, como o de crescimento (GH), peptídeos e serotonina. 

Ao inibir o excesso desses hormônios, o medicamento ajuda a controlar o crescimento excessivo da acromegalia.

Sandostatin é endovenoso ou subcutâneo (SC)?

O medicamento Sandostatin pode ser administrado tanto via endovenosa — na veia —, quanto via subcutânea — sob a pele. Já o Sandostatin LAR tem administração via intramuscular.

A forma de aplicação varia de acordo com o(a) quadro clínico do(a) paciente e indicação do(a) médico(a) responsável. 

Sandostatin (Octreotida) é quimioterapia?

Não. O Sandostatin não é um medicamento quimioterápico.

Um tratamento é classificado como quimioterapia quando o medicamento atua na destruição das células doentes que formam um tumor.

O Sandostatin não tem ação terapêutica antitumoral, ou seja, não atua na destruição de tumores. Ele auxilia no alívio dos sintomas e ajuda a retardar o crescimento do tumor. 

Como aplicar Sandostatin e Sandostatin LAR?

A administração dos medicamentos Sandostatin e Sandostatin LAR tem algumas diferenças entre si. Pode ser aplicados via subcutânea ou intravenosa, no caso do primeiro, e intramuscular, no segundo. 

Saiba sobre cada uma:

Sandostatin

A aplicação de Sandostatin pode ser feita por injeção subcutânea — abaixo da pele — ou infusão intravenosa — na veia —, dependendo do quadro clínico e orientação médica.

Caso a administração seja feita via subcutânea, para evitar irritações na pele, deve-se escolher um local diferenciado para cada aplicação. Eles podem ser: coxas, braços ou abdômen. 

Siga as orientações do médico(a) responsável para autoaplicação.

Já a aplicação via infusão intravenosa deve ser realizada por um(a) profissional da saúde em ambiente adequado. 

O conteúdo da ampola deverá ser diluído e aplicado no(a) paciente por pessoas devidamente capacitadas.

Sandostatin LAR

O Sandostatin LAR é de aplicação intramuscular e só pode ser feita por um(a) profissional capacitado(a).

O medicamento deve ser injetado no músculo das nádegas, alternando entre direita e esquerda a cada sessão. 

Os passos para administração são: preparo da dose e aplicação.

De acordo com a bula, para o preparo da dose, os passos são:

  1. Retire o kit de injeção da refrigeração e deixe atingir a temperatura ambiente por, no mínimo, 30 minutos;
  2. Após esse tempo, remova a tampa plástica do frasco;
  3. Retire o filme do suporte contendo o adaptador de frasco;
  4. Segurando no suporte, posicione o adaptador no topo do frasco e encaixe até ouvir um “clique”;
  5. Após isso, retire o adaptador;
  6. Retire a tampa da seringa contendo o diluente e acople ao adaptador do frasco;
  7. Empurre o êmbolo até o fim para transferir todo o diluente para o frasco;
  8. Deixe o frasco descansar por 5 minutos.

Para a aplicação no(a) paciente, as recomendações são:

  1. Mantendo o êmbolo pressionado, agite o frasco de forma moderada por 30 segundos;
  2. Limpe o local da aplicação com um algodão embebido em álcool;
  3. Segure a seringa e o frasco em posição vertical e puxe o êmbolo, transmitindo todo o conteúdo para a seringa;
  4. Retire a seringa do adaptador do frasco;
  5. Encaixe a agulha na seringa e retire sua tampa de proteção;
  6. Bata suavemente na seringa para remover possíveis bolhas;
  7. Insira a agulha profundamente na nádega do(a) paciente, em um ângulo de 90º da pele;
  8. Aplique pressão no êmbolo até que a seringa seja esvaziada;
  9. Retire a agulha e ative a proteção de segurança.

O frasco e a seringa devem ser descartados em local apropriado.

Quais os efeitos colaterais de Sandostatin?

Assim como outros medicamentos, o Sandostatin pode provocar efeitos colaterais em algumas pessoas. 

Entre os efeitos colaterais Muito comuns estão:

  • Cálculos biliares (pedra na vesícula biliar);
  • Aumento dos níveis de açúcar no sangue.

Já as reações comuns são:

  • Hipotireoidismo;
  • Batimento cardíaco lento;
  • Inchaço na parte frontal do pescoço;
  • Redução dos níveis de açúcar no sangue;
  • Alteração na tolerância à glicose;
  • Inflamação da vesícula biliar.

As reações incomuns, mas que podem acontecer:

  • Sede;
  • Baixa produção de urina;
  • Pele seca;
  • Alteração na coloração da pele;
  • Alteração na coloração da urina;
  • Batimento cardíaco acelerado. 

Outros efeitos mais graves que podem ocorrer, são:

  • Alergias;
  • Erupção cutânea;
  • Inflamação do pâncreas (pancreatite);
  • Inflamação do fígado (hepatite);
  • Batimento cardíaco irregular;
  • Baixo nível de plaquetas no sangue.

Caso haja alguma dessas reações, consulte um(a) médico(a).

Além disso, existem alguns sintomas podem ocorrer, mas, em geral, desaparecem no decorrer do tratamento. Eles são:

Muito comuns:

  • Diarreia;
  • Dor abdominal;
  • Náuseas;
  • Prisão de ventre;
  • Gases;
  • Dor de cabeça;
  • Dor no local da injeção.

Comuns:

  • Dispepsia (indigestão);
  • Vômito;
  • Sensação de saciedade;
  • Fezes gordurosas;
  • Alteração na coloração das fezes;
  • Tonturas;
  • Perda do apetite;
  • Perda de cabelo;
  • Falta de ar;
  • Fraqueza.

Vale lembrar que cada organismo reage de uma forma ao medicamento, dessa maneira, não necessariamente todos(as) os(as) pacientes sofrerão com todos os efeitos colaterais. 

Caso os sintomas sejam persistentes, consulte o(a) médico(a) responsável. 

Valor: qual o preço de Sandostatin e onde comprar mais barato?

O preço do Sandostatin pode variar de acordo com a região geográfica e estabelecimento de compra. 

Ele pode ser encontrado em farmácias físicas e online.

Em geral, seu valor é de aproximadamente: 

Já o preço do Sandostatin LAR é, em geral:

Caso o(a) paciente queria fazer uma comparação de preços, é possível utilizar o site do Consulta Remédios, que indica os valores em diversas farmácias de cada região.

Há também a possibilidade de realizar a compra diretamente a plataforma, escolhendo, dessa forma, a opção mais econômica. 

Tem genérico?

Não. O princípio ativo Octreotida ainda não tem opções genéricas disponíveis. 

Medicamentos genéricos são aqueles que não têm nome comercial e são vendidos com a nomenclatura de seu princípio ativo. 

Sandostatin tem no SUS?

Sim. O princípio ativo Octreotida faz parte da Relação Nacional de Medicamentos Essenciais, ou seja, da lista de fármacos fornecidos diretamente pelo SUS.

Porém, caso o SUS não possa, por algum motivo, fornecer o medicamento, há a possibilidade de entrar na justiça, solicitando a cobertura pelo Estado. 

Para isso, é necessário abrir uma ação judicial e apresentar alguns documentos como o laudo médico e orçamento do medicamento em 3 farmácias diferentes.

É aprovado pela ANVISA?

Sim. O Sandostatin foi registrado na Agência Nacional da Vigilância Sanitária (ANVISA) no ano de 1995. 

Seu registro possui validade até agosto de 2025.

Como orçar Sandostatin?

Para casos em que o SUS não forneça a medicação, existe a possibilidade de solicitar  a cobertura do tratamento pelo Estado, por meio de uma ação judicial.

Nesse caso, é necessário apresentar alguns documentos. Entre eles:

  • Laudo Médico;
  • Exames;
  • Requerimento padrão;
  • Orçamento em 3 farmácias diferentes.

Para a realização do orçamento, é possível obter auxílio na Assessoria de cotação de medicamentos de alto custo, que faz uma cotação personalizada de forma simples e rápida. Basta acessar o link e preencher os dados necessários.


A acromegalia é uma condição muito rara. No Brasil, ocorrem menos de 15 mil casos por ano. 

Para o tratamento e atenuação de sintomas desse tipo de doença, existem medicamentos como o Sandostatin.

Quer saber mais sobre remédios e seus efeitos? O Minuto Saudável tem outros conteúdos completos para você! Continue lendo!


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.