Redação Minuto Saudável
29/06/2017 15:12

O que é Cisticercose: causa, sintomas, tratamento, prevenção e mais

O que é Cisticercose

A cisticercose é uma doença causada pelos ovos do verme platelminto Taenia solium e ocorre quando a pessoa ingere alimentos ou água contaminados por eles. Três dias após a ingestão dos ovos, eles se transformam em larvas que caem na corrente sanguínea podendo se alojar em várias partes do corpo como músculos, cérebro, pulmões, olhos e coração.

Muitas pessoas confundem a cisticercose com a teníase, já que são causadas pelo mesmo verme. Mas as duas doenças são distintas, uma vez que a cisticercose se dá por conta da ingestão dos ovos da Taenia solium e, a teníase, se dá pela presença da forma adulta da Taenia solium ou da Taenia saginata no intestino delgado de seu hospedeiro.

Índice — neste artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. O que causa a Cisticercose?
  2. O ciclo de vida da Cisticercose
  3. Quais os lugares do corpo em que a Cisticercose ocorre?
  4. A Cisticercose pode ser transmitida de pessoa para pessoa?
  5. Como me prevenir da ingestão dos ovos da Taenia Solium?
  6. Quais os sintomas da Cisticercose?
  7. Como é o diagnóstico da Cisticercose?
  8. E o tratamento? Como acontece?

O que causa a Cisticercose?

A doença é causada pela presença dos ovos da Taenia solium em nosso estômago, ingeridos através de alimentos mal lavados, água contaminada ou carne de porco que não foi preparada adequadamente.

Depois de ingeridos, em três dias esses ovos se transformam em larvas (popularmente chamadas de canjiquinha) e, por atravessarem a mucosa gástrica do estômago, caem na corrente sanguínea e se distribuem pelo corpo, podendo se alojar em várias partes dele.

O ciclo de vida da Cisticercose

As áreas com mais casos de cisticercose são a América Latina, Ásia e África e é mais recorrente em locais que possuem animais soltos e que tenham contato direto com as fezes humana. Isso tudo porque esses animais, normalmente porcos, fazem parte do ciclo de vida da doença.

O ciclo dessa verminose acontece, basicamente em 8 etapas:

  1. Ovos da Taenia solium no ambiente, contaminando solo e água.
  2. O porco, hospedeiro intermediário da doença, ingere os ovos através daquilo que está contaminado.
  3. Os ovos, já instalados no estômago, se rompem e suas larvas caem na corrente sanguínea do animal.
  4. Algumas larvas se instalam na carne do porco.
  5. O homem, hospedeiro definitivo, ingere essas larvas através do consumo da carne contaminada.
  6. Uma vez no intestino do homem, as larvas se tornam tênias adultas, que liberam uma grande quantidade de ovos no organismo de seu hospedeiro.
  7. Esses ovos se autofecundam e alguns são eliminados na hora da evacuação.
  8. Como os ovos foram eliminados, acabam caindo no ambiente novamente, recomeçando o ciclo.

Quais os lugares do corpo em que a Cisticercose ocorre?

Como as larvas se distribuem pelo corpo através do sangue, elas podem se alojar onde bem entenderem. Mas as regiões mais afetadas são:

  • Músculos;
  • Coração;
  • Olhos;
  • Pele;
  • Cérebro.

Quando os cisticercos se alojam no cérebro humano, a doença é chamada de neurocisticercose, uma das mais graves fases da cisticercose.

A Cisticercose pode ser transmitida de pessoa para pessoa?

A doença em si não é transmitida de uma pessoa para outra, porém o que pode ser transmitido são os ovos da tênia, que acabam ocasionando a cisticercose futuramente.

Os portadores de teníase, que podem ser tanto o porco ou o homem, eliminam ovos através de suas fezes e, acidentalmente, os humanos podem acabar os ingerindo através de um alimento plantado em solo contaminado, por exemplo.

Outra forma de contágio se dá entre pessoas que  moram na mesma casa de alguém infectado, pois se essa pessoa não higienizar bem as mãos após a evacuação e, logo em seguida, for fazer a refeição da família, por exemplo, os ovos podem ser transmitidos através desse procedimento.

A transmissão dos cisticercos podem acontecer através desses três mecanismos abaixo:

Autoinfecção externa

A contaminação é dada através da ingestão dos ovos do próprio portador da tênia, através do ato de levar sua mão à boca sem ter a higienizado corretamente, ou através de coprofagia por parte de crianças e pessoas com doenças mentais.

Autoinfecção interna

Esse tipo de autoinfecção pode ocorrer durante vômitos ou movimentos retroperistálticos semelhantes, levando proglotes grávidas (os “anéis” da tênia) ou os ovos do verme para o estômago. Depois de toda a ação, esses cisticercos retornam ao intestino delgado, iniciando, assim, o processo autoinfectante do hospedeiro.

Heteroinfecção

Através desse tipo de infecção, outro indivíduo pode contaminar a água ou alimentos com os ovos da tênia e, posteriormente, o homem pode ingerir esses itens e contaminar-se.

Como me prevenir da ingestão dos ovos da Taenia solium?

A primeira medida a ser tomada é ter bons hábitos de higiene, tanto pessoal quanto no preparo das refeições. Para isso, separamos algumas dicas para você, que, ao segui-las, a chance de contaminação é bem pequena:

  • Não ingira carne de porco crua ou mal cozida, pois ela pode estar contaminada com os ovos do verme;
  • Consuma água apenas filtrada ou fervida;
  • Lave bem as mãos, principalmente após ir ao banheiro e antes das refeições;
  • Lave bem os alimentos que irá consumir, sempre com água limpa;
  • Não adube hortas com fezes humanas.

Quais os sintomas da Cisticercose?

O período de incubação dos cisticercos variam de 15 dias até anos, por isso, muitas vezes, a doença  pode ser assintomática. Porém, quando há a presença de sintomas, que normalmente ocorrem quando os cisticercos estão morrendo, os iniciais são: dores de cabeça, convulsões e vômitos.

Além desses, há também os sintomas característicos que ocorrem de acordo com o local em que a larva se alojou, conforme descritos a seguir.

Músculos

  • Dor local;
  • Inchaço;
  • Inflamação;
  • Cãibras ou dificuldade nos movimentos.

Coração

  • Palpitações;
  • Dificuldade em respirar ou respiração ruidosa.

Olhos

  • Dependendo da localização, a cisticercose pode causar dificuldades visuais, acúmulo de líquido anormal na retina e até mesmo seu deslocamento, e hemorragia.
  • Quando o ovo se instala na região anterior do olho, ele pode causar inflamações e quando na região conjuntiva, pode causar conjuntivite.
  • Há a possibilidade do nervo óptico ser atingido pelo cisticerco, causando seu atrofiamento e, posteriormente, levando a pessoa à cegueira.

Pele

  • Papo, que geralmente é confundido com um cisto por não causar dor.

Cérebro

Como é o diagnóstico da Cisticercose?

Em casos de doenças causadas por vermes, como é o caso da cisticercose, o especialista a quem se deve ir é o infectologista, que fará o devido diagnóstico em você, dividido em duas partes.

Diagnóstico clínico

Primeiramente, o médico te fará algumas perguntas, para identificar os prováveis sintomas que já comprometem a sua saúde, já que as manifestações clínicas dos cisticercos dependem muito do local onde estejam alojados, o número de larvas que te infectaram, a fase de desenvolvimento em que se encontram, etc.

Diagnóstico laboratorial

Após o diagnóstico clínico, alguns exames laboratoriais podem ser solicitados, como raio-x, análise de material anal coletado e estudos sorológicos específicos no soro e líquido cefalorraquiano (líquido que circula no espaço intracraniano da pessoa), que confirma de vez se você está com cisticercose ou não.

E o tratamento? Como acontece?

Depois do diagnóstico, é chegada a hora do tratamento, que conta com os seguintes medicamentos prescritos pelo médico:

Em alguns casos de neurocisticercose, o tratamento pode causar encefalite, edema inflamatório no cérebro. Mas repetimos: em apenas alguns casos somente.

Atenção!

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas nesse site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.


O tratamento da cisticercose é necessário e, mais do que isso, a prevenção contra a doença é obrigatória nas regiões que mais são afetadas por ela. Se você mora, ou conhece alguém que more, em regiões rurais, tenha cuidado em dobro. A doença só será extinta quando houver cooperação de todos.

17/04/2019 17:19

Redação Minuto Saudável

Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável. Confira mais na nossa página de quem somos.

Ver comentários

  • O micróbio isolado no cérebro durante anos esta morto ou vivo ? Obrigado

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá Alexandre,

      O período de incubação do micróbio pode ser de até 5 anos, então ele pode estar vivo mesmo depois de anos. Além disso, mesmo que ele esteja morto, os sintomas podem aparecer, por conta da formação de um cisto calcificado no cérebro.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Boa Tarde, em primeiro lugar quero elogiar tudo eque está descrito acima.

    Fui diagnosticado com neurocisticercose, detectou-se três germes, após 1,5 anos um dos três está calcificado e os outros dois diminuindo de tamanho. Pergunto: após os três germes calcificarem poderei voltar a tomar minhas cervejas nos fins de semanas?

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá Paulo,

      Muito obrigada pelo comentário! Qualquer aconselhamento deve ser feito pelo seu médico, pois somente ele poderá determinar quais são suas reais condições de saúde e identificar, se necessário, algumas restrições. Recomendamos que você busque auxílio médico para esclarecer suas dúvidas.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Pra mim achei muito importante pois, meu marido tem esse problema há 29 anos e, até hj, toma medicamentos. Mesmo assim tem crises e muita dor de cabeça. Foi feito vários exames pra ser diagnosticado e foi visto vários pontos de ovos no cérebro, hj todos calcificados, mesmo assim tenho medo e estou preocupada com estas reações devido o problema.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Olá boa noite eu já contrai o cisticercose na cabeça, ele foi calcificado. Ele pode voltar ????

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá Emerson!

      Lamentamos a impossibilidade de fornecer conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais, pois somos impossibilitados pela ANVISA de prestar tal atendimento. Mas nós esperamos que você encontre respostas dentro de nosso site, através de informações como bulas ou até mesmo conteúdos e artigos. Se você acha que pode ter uma emergência médica, ligue para o seu médico ou 190 imediatamente.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Tenho cisticercose há 15 anos desde que descobri o problema estou em tratamento continuo até hoje. Depois de o problema se manifestar de várias formas o que está ocorrendo é que estou ficando muito esquecido,. Devo procurar um especialista ou devo me conformar com as tais sequelas. Depois da epilepsia o médico descobriu hidrocefalia implantou um cateter depois disso causando a diplopia

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá Carlos!

      Ao sinal de qualquer sintoma, é sempre importante buscar ajuda médica para obter um diagnóstico preciso e iniciar o tratamento, caso necessário.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Imediatamente após consumo de carne de porco mal preparada tem algum medicamento que é recomendado tomar?

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá!

      Se você suspeita de contaminação, é importante que procure ajuda médica para obter o diagnóstico. Lembre-se que a automedicação pode ser prejudicial à sua saúde.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • No começo deste artigo você comenta que a CISTICERCOSE pode ser causada pela ingestão de carne de porco mal preparada, me explique como pode o ovo de uma Taenia solium estar presente na carne, sendo que este só é eliminado pelo parasita quando alojado no intestino? Estão dizendo que a carne de porco estaria contaminada com ovos?

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá, João Eduardo, tudo bem?

      Sua dúvida com relação à cisticercose é bastante comum! Respondendo sua pergunta: sim! A carne de porco pode estar contaminada com ovos. Se o animal teve contato com as próprias fezes e, depois do abate, não foi higienizado corretamente, é possível que a carne fique contaminada com os ovos de tênia.

      Além disso, existe também a possibilidade de se adquirir a cisticercose depois da ingestão do cisticerco presente na carne suína! É simples, o paciente come o cisticerco e desenvolve a teníase. O parasita, então, libera ovos dentro do intestino. Existem casos em que esses ovos não são expelidos através da evacuação e acabam sendo reabsorvidos pelo corpo, entrando na corrente sanguínea e causando, também, a cisticercose.

      Obrigado pelo comentário!

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Amei o artigo, é muito útil estou cursando Técnico em Enfermagem e estou amando descobrir muitas coisas isso desperta minha curiosidade, muito obrigada
    Cuidado redobrado com a higiene agora rsrs 👏👏💪😘

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Obg me ajudou mt!!!

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • ola fui diagnosticado com a neurocisticercose estou com uma lesão cística delimitada no lobo frontal direito medindo 2 cm x 2,2 cm na sua extremidade nos maiores eixos axiais associado a uma calcificação na sua borda direita e não tem efeito significativo de massa tive uma convulsão e estou em tratamento

    minha pergunta é a neurocisticercose pode ter cura em alguns casos ou quem tem a doença tem que tomar remédio o resto da vida???????

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá Aluizio!

      A escolha do tratamento nestes casos pode depender de vários fatores, que devem ser analisados pelo médico. Isso inclui os sintomas, além da localização, número, tamanho e estágio dos cisticercos. Em alguns casos a doença pode ser irreversível e por isso é possível que o tratamento com medicação continue por toda a vida. Converse com o médico responsável pelo seu caso ;)

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Boa noite, adorei esse artigo porem não vi qual o tipo de exame que se faz ou pede ao médiço para deteçtar tais vermes ?

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá!

      As informações referentes aos exames estão contidas no tópico "Como é o diagnóstico da Cisticercose?" deste texto :)

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Bom dia,
    Entendo a preocupação da ANVISA com falsos médicos ou qualquer tipo de informações infundadas sobre qualquer tipo de doença. acredito que se fossem tomadas medidas de fiscalização mais rígida seriamos melhor informados e orientado, não sei se vocês sabem como funciona uma consulta no interior do estado, mesmo com plano de saúde está previsto para seis meses e não da muito tempo de fazer perguntas pela quantidade de paciente que estão na fila o coitado o médico não pode nem lhe dar a atenção devida. daí temos esta excelente oportunidade de fazer perguntas e tirar dúvidas e a profissional fica limitada a nos responder.

    entendo perfeitamente mas acho lamentável.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Olá, tive convulsões ,pressão alta e muita dor de cabeça pós parto, os médicos disseram que foi eclampisia.Realizei exames de tomografia e lá constou que eu tenho este verme do porco porém esta calsificado,o neuro falou que nao tem nenhum problema que eles estão mortos nunca tomei remédio pra isso gracas a deus .Mas sinto dores de cabeça fortes , e coisas estranhas na cabeca quero saber se é normal.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá, Paula.
      Todo sintoma deve ser investigado. É provável que as dores não tenham relação com a cisticercose calcificada. Como houve um diagnóstico de eclampsia, é importante investigar e prosseguir o acompanhamento médico, pois dores de cabeça podem estar relacionadas à continuação do quadro de pressão alta.
      Todos os casos, você pode buscar a opinião de outros médicos e médicas infectologistas e neurologistas, levando os exames já realizados.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*