Cisto Sebáceo: o que é, inflamado, nas costas e tratamento caseiro

15

O que é cisto sebáceo?

O cisto sebáceo, também conhecido como cisto epidérmico, é um nódulo indolor que surge sob a pele, podendo aparecer em qualquer região do corpo. Possui um formato arredondado e, quando pressionado, se movimenta por baixo da pele. Não causa dor e não costuma alterar de tamanho.

Apesar de assustar, trata-se de uma condição benigna (não cancerosa) que não traz muitas complicações. O cisto, em si, é composto por uma mistura de queratina, células mortas e sebum, substâncias abundantes na pele que acabam se acumulando e formando uma cápsula, impedindo que seu conteúdo seja reabsorvido pelo organismo.

Na maioria das vezes, o cisto causa apenas um desconforto estético e não necessita tratamento. Contudo, é preciso manter-se atento para ver se o nódulo não cresce demasiadamente ou se apresenta sintomas como dor, vermelhidão, liberação de secreção, entre outros, que podem indicar um processo infeccioso.

Pode aparecer nas mais diversas áreas do corpo, mas é mais comum na face, pescoço ou tronco, e as protuberâncias raramente chegam a medir mais que 6 centímetros. Ainda assim, quando muito grandes, podem causar sintomas como dores, desconfortos e coceiras.

Vale lembrar que o um cisto sebáceo é considerado um sinal de perigo — ou, até mesmo, um câncer — quando seu diâmetro é maior que 6 cm, sua recorrência se dá rapidamente após a remoção ou quando há sinais de infecção, como vermelhidão, dor e pus.

Os principais locais nos quais os cistos aparecem são o rosto, costas, virilha e pescoço.

Índice — neste artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. O que é cisto sebáceo?
  2. Causas
  3. Locais frequentes
  4. Fatores de risco
  5. Sintomas
  6. Posso estourar um cisto sebáceo?
  7. Como é feito o diagnóstico do cisto sebáceo?
  8. Quando procurar um médico?
  9. O que fazer com um cisto inflamado?
  10. Cisto sebáceo tem cura?
  11. Qual o tratamento?
  12. Tratamento caseiro
  13. Medicamentos para cisto sebáceo
  14. Complicações
  15. Como prevenir os cistos sebáceos?

Causas

Sabe-se que o cisto sebáceo se dá por conta de um acúmulo de algumas substâncias naturalmente presentes na pele, como a queratina e o sebum. O nosso próprio corpo reabsorve essas substâncias espontaneamente quando estão em alta quantidade.

Já na camada mais superficial da pele, existem células protetoras que, com o tempo, ficam velhas, morrem e “caem”, por assim dizer.

PUBLICIDADE

O problema é que, no caso do cisto, ao invés dessas células se desprenderem da superfície da pele, elas acabam migrando para camadas mais profundas, e isso cria um bloqueio para a reabsorção de substâncias como sebum e queratina.

Assim, o organismo tenta isolar esse acúmulo, criando uma espécie de cápsula protetora. Com isso, o corpo não consegue reabsorver essas substâncias, dando origem a uma protuberância benigna por baixo da pele.

Em geral, tudo isso pode acontecer por conta de:

Danos ao folículo piloso

O folículo piloso é uma estrutura que dá origem aos pelos do corpo. Todo pelo possui seu próprio folículo. Quando alguma coisa — como, por exemplo, uma lesão — danifica um desses folículos, as substâncias da pele podem se acumular ali e formar uma cápsula, dando origem a um cisto.

Ruptura de uma glândula sebácea

As glândulas que produzem o sebo (ou seja, o suor) são chamadas de glândulas sebáceas e, muitas vezes, podem estar envolvidas no aparecimento de um cisto epidérmico.

Quando há alguma lesão ou ruptura em alguma dessas glândulas, pode haver um acúmulo de sebo (ou sebum) e outras substâncias, levando ao desenvolvimento de um cisto.

Vale lembrar que a acne é um grande fator de risco para a ruptura de uma glândula sebácea. Por isso, quem sofre com essa condição deve ficar atento ao aparecimento de nódulos indolores e maiores que espinhas.

Defeitos no desenvolvimento

Os cistos podem, também, ser congênitos, ou seja, ter ligação com o desenvolvimento do bebê quando ele ainda estava na útero.

Isso quer dizer que em algum momento durante o desenvolvimento, pode ter havido um acúmulo de sebum e queratina que foi isolado do resto do organismo, levando à formação de um cisto epidérmico.

Doenças inflamatórias

Existem diversas doenças inflamatórias da pele que podem levar ao aparecimento de cistos por conta dos danos que elas provocam nos folículos pilosos e nas glândulas sebáceas.

Um exemplo dessas doenças é a hidrosadenite supurativa, que causa cistos e abscessos nas partes do corpo onde se encontram as glândulas sebáceas apócrinas (que produzem mau cheiro), como axilas e virilhas.

Locais frequentes

Existem algumas partes do corpo nos quais o cisto é mais frequente. São elas:

No rosto

Talvez o maior problema do cisto no rosto é o imenso desconforto estético que ele causa. Entretanto, não deve ser removido pelo próprio paciente. Caso haja interesse em remover o cisto, é indicado procurar um dermatologista.

Nas costas

O cisto nas costas é, provavelmente, um dos cistos mais incômodos que pode surgir. Isso porque, caso inflamado, pode ser muito desagradável na hora de dormir, sentar-se recostado na cadeira, entre outras situações nas quais as costas entram em contato com outra superfície. São frequentemente confundidos com espinhas.

É também nessa área do corpo que os cistos costumam ser maiores e necessitar cirurgia.

Na cabeça

Em geral, o cisto na cabeça não causa muito incômodo fora o conforto estético. No entanto, pode ser desagradável a sensação ao lavar e pentear os cabelos.

Às vezes, o cisto no couro cabeludo não é exatamente um cisto sebáceo e seu revestimento (cápsula) é mais grosso, mas o tratamento é muito semelhante.

Fatores de risco

Existem alguns fatores de risco que podem levar ao desenvolvimento de um cisto. São eles:

Depois da puberdade

Muito embora os cistos possam aparecer em qualquer idade, eles não são muito comuns em crianças. Suas manifestações ocorrem, em sua maioria, depois da puberdade.

Ser homem

Não se sabe exatamente o porquê, mas homens são mais propensos ao aparecimento de cistos.

Exposição solar

A exposição solar prolongada causa danos à pele, principalmente quando há queimaduras e, em consequência disso, cistos podem surgir.

Lesões cutâneas

Qualquer tipo de lesão na pele, seja uma ferida aberta ou um esmagamento, pode danificar a pele e contribuir para o aparecimento de cistos.

Sintomas

Em geral, os cistos não apresentam outros sintomas se não o nódulo sob a pele. Contudo, eles podem se tornar inflamados, apresentando sintomas como dor, vermelhidão, aumento da temperatura local, coceira, entre outros.

Em um primeiro momento, isso não é muito preocupante, mas o paciente deve manter-se atento aos sinais para se certificar de que não se trata de uma infecção.

Características do cisto sebáceo

Algumas características básicas dos cistos sebáceos são:

  • Os nódulos são pequenos, redondos e podem ser movidos com os dedos;
  • Possuem coloração branca ou amarelada, mas pessoas com pele escura podem apresentar cistos pigmentados;
  • Podem variar entre poucos milímetros até 6 centímetros de diâmetro;
  • Algumas vezes, podem apresentar uma abertura central, ligada a um pequeno cravo.

Posso estourar um cisto sebáceo?

Definitivamente não! O cisto não é uma espinha comum que pode ser facilmente removida apenas pressionando a pele em volta. Pelo contrário. O nódulo se encontra mais profundamente na pele e é coberto por uma cápsula que não estoura facilmente.

Sendo assim, uma tentativa de estourar um cisto sebáceo só traria frustração: além de ele não romper a pele para passar, poderia provocar uma inflamação e aumentar as chances de infeccionar o local.

Como é feito o diagnóstico do cisto sebáceo?

Geralmente, o diagnóstico do cisto sebáceo não requer exames complexos. De fato, um dermatologista será capaz de diagnosticar a condição apenas ao olhar para o nódulo, em um simples exame físico.

Caso o médico tenha dúvidas a respeito da natureza do cisto, ele pode pedir os seguintes exames:

Tomografia computadorizada

Nesse tipo de exame, um aparelho utiliza radiação para criar imagens dos tecidos moles do interior do corpo. Com ele, o médico poderá ter uma ideia melhor do conteúdo do cisto.

Ultrassonografia

A ultrassonografia, por sua vez, é um exame que utiliza as ondas sonoras para visualizar o interior do cisto. Pode ser útil para revelar com mais precisão o conteúdo do cisto.

Biópsia

Em último caso, quando o médico ainda não tem certeza sobre a natureza do nódulo, ele pode pedir uma biópsia. Neste exame, uma pequena amostra do tecido é coletada e enviada para um laboratório. Isso é feito para se certificar que não se trata de um tumor maligno (câncer).

Quando procurar um médico?

Por mais que a aparição de um nódulo seja assustadora em um primeiro momento, nem sempre é preciso procurar um médico para tratar o cisto sebáceo. De fato, a visita ao profissional de saúde só é necessária se:

  • Você sente desconforto estético e deseja remover o nódulo;
  • O nódulo surgiu em algum lugar que sofreu um trauma recentemente;
  • O cisto apresenta sintomas de inflamação como vermelhidão, dor e coceira;
  • O crescimento do cisto é acelerado;
  • Há um rompimento do cisto por conta do crescimento rápido;
  • Há sintomas de infecção, como secreções purulentas.

O que fazer com um cisto inflamado?

Quando inflamado, o cisto provoca dores e até mesmo coceira. São diversos sintomas desagradáveis que podem atrapalhar a rotina do paciente. Recomenda-se procurar um médico — preferencialmente um dermatologista — quando o cisto apresenta esses sintomas, pois só ele saberá te indicar o que fazer.

É possível que ele indique medicamentos anti-inflamatórios e proponha uma remoção cirúrgica. Caso ele perceba algo fora do comum ou fique em dúvida, ele deverá pedir os exames citados anteriormente para poder prosseguir com o tratamento.

Cisto sebáceo tem cura?

Sim, o cisto sebáceo pode ser curado. Existem diversas técnicas para auxiliar a reabsorção do cisto pelo organismo, assim como há a possibilidade de remoção, no caso dos cistos maiores.

Contudo, vale lembrar que os cistos podem voltar, especialmente caso a cápsula que o abriga no organismo não seja inteiramente removida.

Se você está lidando com um cisto neste momento e tem dúvidas sobre a sua condição, consulte seu dermatologista, pois somente ele saberá dizer o que pode ser feito no seu caso.

Qual o tratamento?

Muito embora o cisto raramente necessite de um tratamento, há quem prefira livrar-se dele mesmo quando ele não incomoda. Nesses casos, o tratamento se resume na retirada do cisto, o que é feito, muitas vezes, por via cirúrgica. Entenda:

Injeção de corticosteroides

A fim de diminuir a inflamação do cisto, o médico pode aplicar uma injeção de corticosteroides local. Essas substâncias atuam de maneira semelhante aos hormônios anti-inflamatórios do nosso próprio corpo, reduzindo o inchaço, dor e vermelhidão.

Incisão e drenagem

Trata-se de um procedimento simples e rápido, mas não muito eficaz. O médico realiza uma incisão (corte) no cisto e drena o seu conteúdo. Embora a pessoa fique livre do cisto por algum tempo, ele tende a voltar, uma vez que a cápsula do cisto não é inteiramente removida e pode ser facilmente preenchida novamente.

Incisão à laser

Uma variação da incisão com drenagem é a incisão feita à laser. Nesse procedimento, um laser é usado para abrir um pequeno buraco na pele do paciente, por onde o cisto será drenado. Cerca de um mês depois, o paciente deve retornar para a remoção total da cápsula, a fim de evitar recorrências.

Excisão total

Nesta técnica, o risco de recorrência é muito menor, pois o cisto é inteiramente removido, incluindo sua cápsula. Contudo, ela não costuma ser realizada quando há uma inflamação.

Sendo assim, dependendo do estado do cisto, o médico pode receitar corticosteroides para reduzir os sintomas de inflamação e, depois de cerca de 5 semanas, ele irá realizar a excisão total, removendo todo o cisto.

Vale lembrar que a excisão total requer pontos (suturas) e, por isso, será necessário que o paciente volte após 1 a 2 semanas para a retirada dos pontos.

Excisão com cicatriz mínima

A excisão com cicatriz mínima é uma mistura dos métodos da excisão total e da drenagem. Em um primeiro momento, o médico realiza uma pequena incisão e drena o conteúdo do cisto. Depois, ele utiliza um instrumento para “puxar” a cápsula através do pequeno corte, deixando uma cicatriz pequena.

Essa técnica também necessita de pontos.

Tratamento caseiro

Pra cistos menores que 1cm, não há necessidade de cirurgia. De fato, alguns tratamento caseiros podem ajudar nesses casos. São eles:

Compressa quente

Uma compressa quente diária pode ajudar a derreter o material gorduroso dentro do cisto, facilitando sua reabsorção pelo organismo. Para isso, basta:

  • Aquecer uma pequena quantidade de água até que ela chegue numa temperatura um pouco mais quente que a água do banho (jamais faça compressas com água fervendo, pois isso pode provocar queimaduras);
  • Colocar a água aquecida dentro de uma bolsa de água quente;
  • Aplicar a bolsa sobre a pele, por cima do cisto, por 15 a 30 minutos;
  • Faça esse processo 2 vezes por dia, durante 10 dias.

Com essas compressas, o cisto deve diminuir gradativamente até desaparecer. Caso isso não aconteça, contate seu dermatologista.

Outros remédios caseiros

Algumas pessoas gostam de aplicar, além da compressa quente, óleos essenciais de plantas e outros remédios caseiros para aliviar a inflamação e prevenir infecções.

Vale lembrar que a eficácia de nenhuma dessas substâncias foi comprovada cientificamente, e não há garantia de segurança ao utilizar esses métodos.

Alguns remédios caseiros que podem ser aplicados no cisto são:

  • Óleo essencial de lavanda;
  • Óleo essencial de alecrim;
  • Gel de babosa;
  • Extrato de hamamélis;
  • Vinagre de maçã;
  • Chá de camomila;
  • ½ colher de chá de bardana seca + 1 colher de mel;
  • ⅛ de colher de chá de sanguinária + 2 colheres de sopa de óleo de rícino.

Atenção!

Nem todos esses remédios caseiros são inteiramente seguros para serem usados de qualquer forma. Só porque algo é natural, isso não quer dizer que não traz riscos. A sanguinária, por exemplo, é uma planta que pode ser muito tóxica em quantidades não adequadas. Todo cuidado é pouco!

Medicamentos para cisto sebáceo

Não existem medicamentos específicos para o tratamento de cisto sebáceo, mas é comum que alguns médicos indiquem corticosteroides para aliviar a inflamação, como:

  • Prednisona;
  • Prednisolona;
  • Dipropionato de Betametasona.

Atenção!

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas neste site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Complicações

Por mais que o cisto sebáceo seja um nódulo benigno, existem algumas complicações que, raramente, podem ocorrer. São elas:

Inflamação

A inflamação é uma reação natural do corpo em relação a qualquer coisa que o organismo acredite estar fora do normal. Ela provoca sintomas como dores, vermelhidão, coceira, inchaço e calor local, além de prejudicarem a remoção cirúrgica do cisto.

Ruptura, infecção e abscessos

Caso o cisto continue crescendo ou aumente de tamanho de forma acelerada, ele pode acabar se rompendo. Com isso, abre-se uma brecha para que microrganismos consigam entrar e infeccionar o local, o que leva à formação de um abscesso.

Cicatrizes

Quando o cisto é removido, dependendo da técnica utilizada, pode ficar uma cicatriz no local onde ele costumava ficar.

Para tentar diminuir a possibilidade de cicatrizes, você pode aplicar compressas quentes ou frias, que ajudam a melhorar a inflamação. Evitar espremer o local também é uma boa recomendação.

Evolução maligna

Embora seja extremamente raro, alguns cistos podem evoluir para um carcinoma, um tipo de tumor maligno que se desenvolve nos tecidos epiteliais — que revestem maior parte dos nossos órgão, incluindo a pele.

Autoestima prejudicada

Para muitas pessoas, o cisto sebáceo não é uma visão agradável. Dependendo de onde ele surge, o nódulo pode prejudicar muito a maneira que uma pessoa vê a si mesma, levando a problemas de autoestima por conta do desconforto estético.

Como prevenir os cistos sebáceos?

Não existe uma maneira específica de prevenir o aparecimento de cistos sebáceos, visto que são nódulos causados pelo acúmulo de substâncias naturais do próprio corpo. Contudo, é possível evitar lesões e diminuir as chances de aparecimento desses cistos. Algumas dicas são:

  • Use protetor solar sempre que for se expor ao sol;
  • Caso a exposição solar seja prolongada, lembre-se sempre de reaplicar o protetor solar a cada 2 horas ou de acordo com as recomendações do fabricante;
  • Utilize equipamentos de proteção — capacetes, joelheiras etc. — sempre que for andar de bicicleta, skate, patins ou praticar qualquer outro esporte que necessite proteção.

Embora os cistos sebáceos sejam inofensivos em sua maioria, muitas pessoas não gostam da ideia de ter um nódulo em alguma parte do corpo. Por isso, consultar um dermatologista é imprescindível!

Não se esqueça de avaliar este artigo positivamente e compartilhar o texto com seus amigos e familiares para que mais pessoas tenham acesso a essas informações!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (33 votos, média: 4,85 de 5)
Loading...

15 Comentários

Atenção: os comentários abaixo são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. Olá! Minha mãe fez a retirada de um cisto sebáceo há dois anos… O cisto nas costas, era pequeno, não a incomodava, e ela não sentia nenhum desconforto. Porém a dermatologista sugeriu a retirada. Foi feita uma excisão total, e o médico que fez o procedimento era residente e ainda inexperiente, e acabou fazendo uma incisão muito profunda e cortou um nervo. Depois desse procedimento minha mãe sempre está sentindo muitas dores no local. Já passou por vários médicos e tomou todo tipo de medicamento para dor e já fez 3 infiltrações no local. Apesar de tudo isso a dor e o incômodo estão sempre presentes. Gostaria de saber se há um tratamento ou algum procedimento que possa curar definitivamente. Caso alguém tenha alguma indicação do que fazer e puder me orientar, eu agradeço muito! Minha mãe tem 70 anos e vem sofrendo muito depois da retirada desse cisto. Obrigada!

  2. Muito boa essa matéria. Gostei…
    Estou com um cisto sebáceo nas costas e estava muito preoculpada.
    Não esta inflamado, mas como é a segunda vez que aparece resolvi marcar um cirurgião para retirar.

  3. Parabéns pelo artigo, tenho varios cisto sebáceo e com essa leitura conseguir entender mais do que uma consulta em um dermatologista! Parabéns!

  4. Muito obrigada por este artigo. Muito esclarecedor. Tenho vários abcessos nos braços e pernas. Sempre vou ao dermatologista e ele me tranquiliza dizendo que são benignos. Tive um cancer renal e precisei extrair um rim. Depois disso fico muito atenta para os abcessos. Gostei muito do artigo esclarecendo cada passo do processo. Realmente é tudo o que os especialistas dizem. Também gostei das dicas caseiras que podem ajudar.

  5. Obrigada por este artigo sobre cisto e abscesso.
    Nas minhas nadegas do lado direito, tenho um.cisto que sempre me incomodou, há 30 anos, sofro dores constantes.
    Sempre procurei ajuda médica e não obtive resultados.

    Há 30 dias, sinto fortes dores em torno do cisto, nas nádegas, na coxa e na perna, em todo o lado direito.
    Abscesso.
    Entendi ao ler este artigo.

  6. Por 15 anos um cisto sebaceo esteve alojado nas minhas costas. Achei q não havia necessitade de removê lo. No início desde mês ele começou a apresentar sinais de inflação e me incomodando. Demorei a procurar ajuda médica e virou um abscesso.
    Agora estou na fase de curativos até a cicatrização fazendo antibiótico .

  7. Artigo muito bom. Estou com um cisto cebaceo nas costas e estava muito preocuado. Vc tirou minhas dúvidas sobre ser algum tumor maligno. Obrigado.
    Vou extrai-lo

  8. Muito bom ler e saber um pouco mais sobre isso. O meu apareceu próximo aos seios, bem no meio, não é nada agradável, alem do mais já sendo uma “mocinha” com baixa auto estima. A consulta já tá marcada também.

  9. Excelente informação! Minha mãe está com um cisto sebáceo nas costas, graças a Deus não apresenta sinais de inflamação apenas um incômodo estético mas a avaliação com o profissional da saúde é sempre bem vinda. A consulta com o dermatologista já está agendada.

Deixe o seu comentário, nos preocupamos com sua opinião:

Por gentileza, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.