Cisto Pilonidal: o que é, tratamento, cirurgia e sintomas

13

 O que é o Cisto Pilonidal?

Cisto é a formação de uma bolsa a partir de qualquer tecido do corpo que pode compreender em seu interior ar, líquido, pus ou outro fluido. O cisto pilonidal é uma doença crônica muito comum, variante do cisto dermoide, e aparece habitualmente na região terminal da coluna vertebral (região sacrococcigiana ou sacrococcígea), conhecida popularmente como cóccix, alguns centímetros acima do ânus.

Recebeu o nome pilonidal, que significa “ninho de pêlos”, pois é muito frequente que se encontre cabelos dentro do cisto, além de fragmentos de pele, glândulas sebáceas e glândulas sudoríparas. Quando o acúmulo desse material resulta em uma inflamação, dando sinais de infecção e pus, o cisto é também chamado de abscesso pilonidal.

Apesar de ser conhecido por ocorrer na região do cóccix, o cisto pilonidal também pode surgir nos olhos, nariz, axilas, couro cabeludo e ao redor do umbigo.

O CID (Classificação Internacional das Doenças) do cisto pilonidal é L05. Para cisto pilonidal sem abscesso, o CID é L05.9, e para cisto pilonidal com abscesso, o CID é L05.0.

Índice — neste artigo você irá encontrar as seguintes informações:

  1. O que é o Cisto Pilonidal?
  2. Causas e fatores de risco
  3. Sintomas do Cisto Pilonidal
  4. Como é feito o diagnóstico do Cisto Pilonidal
  5. Cisto Pilonidal tem cura? Qual é o tratamento?
  6. Tratamentos caseiros para o Cisto Pilonidal
  7. Convivendo
  8. Como prevenir o Cisto Pilonidal?

Causas e fatores de risco

As causas da doença são motivo de controvérsias até hoje. Inicialmente, acreditava-se que era causada por uma má formação que ocasionava um acúmulo de tecidos embrionários na região subcutânea (abaixo da pele), pois é o que ocorre com outras variantes de cistos dermoides. Ou seja, tratava-se de uma doença congênita (presente desde o nascimento).

Entretanto, nos Estados Unidos, durante a Segunda Guerra Mundial, houve um aumento significativo da incidência em soldados, fator que levou muitos pesquisadores e médicos a acreditarem que poderia ser uma doença adquirida.

Atualmente, portanto, acredita-se que existem fatores que causam o aparecimento do cisto. São eles:

Pêlos encravados

Os fios se curvam e penetram novamente o folículo piloso, onde continuam crescendo, sendo tratados pelo organismo como corpos estranhos, o que resulta em um processo inflamatório. Frequentemente forma-se um pequeno canal subcutâneo antes de dar origem ao cisto (seio pilonidal), e por essa abertura pode sair o material de dentro da bolsa.

A ausência do folículo piloso (estrutura responsável pela geração de pêlos) nas bolsas indica que o cabelo não nasceu naquele local, e sim foi empurrado até lá.

Atrito e pressão na área sacrococcígea

Serve tanto através do uso de calças muito apertadas quanto em casos de pessoas que passam muito tempo sentados durante o dia, tanto em casa, no trabalho ou realizando algum esporte como ciclismo ou equitação.

Calor e transpiração

O suor acumulado no interior da pele pode resultar em um processo inflamatório. Dessa forma, obesidade, sedentarismo e falta de higiene são fatores que estimulam a ocorrência do cisto.

Traumas

Não há comprovações de que traumas na região sacrococigiana possam ser a causa de um cisto, mas é certo que eles podem levar à inflamação de um cisto pré-existente.

Foliculite

Trata-se da inflamação do folículo capilar e pode se romper no tecido subcutâneo, formando-se assim um abscesso pilonidal.

Quando o cisto infecciona e se torna um abscesso, normalmente a bactéria responsável é a Staphylococcus aureus, germe que normalmente habita a pele humana.

A doença acomete predominantemente (cerca de 80%) os homens, que em geral apresentam mais pêlos no corpo que as mulheres. Portanto, homens mais peludos ou com pêlos encaracolados têm ainda mais predisposição a apresentar cistos, bem como os que apresentam uma prega mais profunda nas nádegas.

É mais comum em jovens entre 15 e 30 anos, pois esses apresentam folículos pilosos mais amplos, o que facilita a penetração dos pêlos para o interior da pele, além de alterações hormonais nas glândulas sebáceas, como aumento da queratina. É muito rara em homens com mais de 40 anos.

Sintomas do Cisto Pilonidal

Como os sintomas só aparecem quando o há um processo inflamatório, algumas pessoas podem conviver com a doença por muitos anos sem conhecimento.

Quando o cisto torna-se um abscesso, os sintomas podem ser:

  • Edema;
  • Desconforto ou dor na região interglútea;
  • Aumento de volume com a formação de um nódulo;
  • Calor local;
  • Vermelhidão;
  • Dificuldade para sentar;
  • Febre;
  • Cansaço extremo;
  • Drenagem espontânea: mesmo em casos que ainda não há inflamação, pode ser observado na região do cisto um pequeno orifício que facilita a eliminação do líquido turvo, malcheiroso, amarelado a branco e passível de provocar dor e prurido;
  • Em casos extremos, novos orifícios aparecem e dependendo do seu tamanho, é possível enxergar os pêlos em seu interior e retirá-los. Eles podem ser confundidos com uma fístula perianal.

O cisto pode também evoluir para um carcinoma de células escamosas, um tumor maligno desenvolvido a partir de células epiteliais, ou a outros tipos de câncer, como carcinoma basocelular, sarcoma e melanoma. O que o torna maligno é o desencadeamento de um processo inflamatório crônico.

Como é feito o diagnóstico do Cisto Pilonidal?

Inicialmente, o cisto pilonidal se parece com qualquer outro cisto dermoide ou com um teratoma sacrococcígeo.

O diagnóstico é clínico e pode ser realizado por um proctologista, dermatologista, clínico geral ou médico de emergência. Quem realiza a cirurgia é o cirurgião geral ou coloproctologista.

Ainda não existe um exame que confirme especificamente a ocorrência do cisto. O que pode ser solicitado é um hemograma, exame que realiza a contagem dos elementos do sangue. Quando o hemograma informa que há aumento na taxa de leucócitos, há então a suspeita da presença de alguma doença infecciosa no corpo, que pode ou não se tratar de um cisto pilonidal.

Cisto Pilonidal tem cura? Qual é o Tratamento?

O cisto pilonidal não tem cura, pois mesmo após intervenção cirúrgica ele pode reincidir. O tratamento não costuma provocar maiores complicações, mas nos estágios mais avançados ou em casos de reincidência, pode ser bastante desconfortável.

Primeira incidência do cisto

Quando o paciente está nunca teve caso de cisto pilonidal antes e o cisto ele não apresenta sinais de infecção, é realizada uma drenagem do conteúdo da bolsa através de uma pequena incisão na pele sob anestesia local, normalmente no próprio consultório. Em alguns casos, o médico pode prescrever algum antibiótico. Esse tratamento normalmente não é definitivo, mas, em alguns casos, após a drenagem, o cisto não surge novamente.

Reincidência do cisto

Em casos de reaparecimento ou quando o cisto já está em um estágio inflamatório muito avançado, será necessária uma cirurgia depois da drenagem, quando o processo inflamatório e infeccioso já tiver diminuído.

A operação consiste na aplicação de raquianestesia ou peridural com sedação, abertura, raspagem da parede interna, remoção dos pêlos e cauterização da ferida. A duração é de aproximadamente 20 minutos. O cisto é retirado em bloco e pode incluir alguns centímetros do tecido gorduroso e de pele sadia no entorno. Isso evita que o cisto se manifeste novamente. Nesse caso, o tempo de recuperação pode chegar a 3 meses.

Após o procedimento, é comum que a ferida cirúrgica seja deixada aberta, sem suturar, para que ocorra a cicatrização natural, a qual dura cerca de 8 semanas. Essa técnica, conhecida como cicatrização por 2ª intenção, exige mais cuidado e um tempo maior de cicatrização. Entretanto, o risco de infecção é muito menor que o risco da cirurgia fechada com pontos.

Após a cirurgia, deve ser realizado um curativo diário para acelerar o processo de cicatrização. Diariamente, lava-se a ferida com gaze ou algodão e soro fisiológico e finalmente, coloca-se uma gaze limpa para proteger, sempre cuidando para que não caiam pêlos na ferida novamente. Assim, a cicatrização é uniforme. É imprescindível que as mãos de quem for realizar o curativo estejam sempre limpas.

Tratamentos caseiros para o cisto pilonidal

Os procedimentos caseiros pode ajudar a aliviar a dor e o incômodo do cisto pilonidal. Por não serem testados cientificamente, não existem provas de sua eficácia.

Água quente

Alivia rapidamente as dores fortes e contribui com a drenagem. Pode ser aplicada na área com um banho quente ou através de compressas:

  • Molhe um pano em água quente e tirar o excesso de água;
  • Deixe o pano sobre a área do cisto durante alguns minutos;
  • Repita a prática de 3 a 4 vezes por dia.

Cúrcuma

Especiaria natural com propriedades anti-inflamatórias e antissépticas que podem conseguir reduzir a dor na hora, reduzir a inflamação e favorecer a cura da ferida.

Também conhecida como açafrão-da-terra, pode ser ingerida na forma de cápsula, encontrada em lojas de produtos naturais, ou por meio de uma pasta caseira:

  • Misture ½ xícara de açafrão em pó e 1 xícara de água em uma panela até ficar homogêneo;
  • Leve ao fogo até ferver e continue mexendo;
  • Reduza o fogo e deixe fervendo até engrossar;
  • Coloque em um recipiente na geladeira;
  • Aplique sobre a zona do cisto;
  • Deixe secar sozinho;
  • Repita a ação 2 ou 3 vezes por dia.

Aloe Vera

Muito indicada para tratar problemas cutâneos, é um poderoso aliado contra bactérias, vírus e micróbios. Além disso, também cura feridas e reduz o inchaço.

Aplique o gel de Aloe Vera, que pode ser encontrado em lojas de produtos naturais ou feito em casa através do gel que sai da planta quando ela é cortada. Esquente esse gel até ficar morno e aplique na região afetada, deixando agir por 20 a 30 minutos. Repita esse remédio de 3 a 4 vezes por dia.

Óleo da árvore do chá

O óleo da árvore do chá é antibacteriano, antifúngico e anti-inflamatório, além de acelerar o processo de cicatrização.

  • Dilua o óleo em água, colocando uma parte de óleo para dez de água;
  • Aplique na zona do cisto e deixe atuar por 10 minutos;
  • Lave com água morna.

Vinagre de maçã orgânico

Possui propriedades anti-inflamatórias, antissépticas e antibacterianas que também reduzem a dor.

  • Misture 2 ou 3 colheres de chá de vinagre de maçã orgânico em ½ copo de água morna;
  • Molhe uma bola de algodão na solução e coloque na área durante aproximadamente 1 minuto;
  • Repita a ação 3 ou 4 vezes por dia.

Outra alternativa é misturar 1 colher do vinagre em um copo de água morna e beber 2 vezes por dia.

Chá preto

Sua propriedade ácida impede que os cistos se agravem e, por ser anti-inflamatório, promove um alívio rápido da dor e do inchaço.

  • Mergulhe um saco de chá preto em água morna por 5 minutos;
  • Retire da água e elimine o excesso de água;
  • Mantenha o saquinho de chá sobre a área afetada de 5 a 10 minutos;
  • Repita a ação várias vezes por dia.

Óleo de rícino

Antisséptico, antibacteriano e anti-inflamatório.

  • Para obter o efeito desejado, coloque em uma gaze ou bola de algodão e aplique com cuidado sob a região dolorida;
  • Deixe agir por 30 minutos e enxágue com água morna;
  • Reaplique de 2 a 3 vezes por dia.

Alho

É um grande antibiótico e antifúngico e, quando ingerido, impulsiona o sistema imunológico, combatendo infecções.

  • Esmague um dente de alho e aplique na área do cisto;
  • Cubra com gaze e deixe atuar por no máximo 10 minutos;
  • Lave bem e repita a ação 2 a 3 vezes por dia;
  • Não é indicado para peles sensíveis.

Outra dica é comer um dente de alho seguido de um copo de água 2 vezes por dia.

Sal de Epsom

O sulfato de magnésio, conhecido como Sal de Epsom, pode aliviar as dores a acelerar a expulsão da pus. Possui propriedades antibacterianas e anti-inflamatórias que também reduzem o inchaço.

  • Misture 1 colher (sopa) com 1 xícara de água morna até que os grânulos do sal se dissolvam completamente;
  • Molhe um pedaço de algodão com a solução e aplique na área durante 20 a 30 minutos;
  • Faça esse remédio uma vez ao dia.

Folhas de Azadirachta indica

A árvore, conhecida como Neem, fornece folhas com qualidades antissépticas e antibacterianas, afastando a infecção.

  • Moa um punhado de folhas de Neem lavadas até fazer uma pasta;
  • Aplique na área afetada;
  • Deixe agir por 20 minutos e enxágue com água morna;
  • Repita de 3 a 4 vezes por dia.

Além dos tratamentos acima citados, você também pode utilizar outros óleos como Óleo de Jojoba, Óleo de Hortelã e Óleo de Sálvia.

Procure não utilizar cremes ou outros cosméticos na área afetada.

Convivendo

O cisto pilonidal é uma doença comum que não é fatal. Sua gravidade depende de quanto tempo leva para que se realizasse o diagnóstico. Por ser uma doença que pode reaparecer, é muito importante que o paciente esteja sempre atento a essa possibilidade e adote medidas de modo a prevenir que isso aconteça.

Como prevenir o Cisto Pilonidal?

Um fator que pode aumentar consideravelmente a probabilidade de surgimento do cisto pilonidal é a transpiração do local. Para evitá-la, mantenha a área sacrococcigiana sempre limpa, tomando mais de um banho por dia, se necessário.

Como é a presença de pêlos no interior da pele a principal causa da formação do cisto, uma dica para homens que já apresentaram a doença ou que estão predispostos a apresentar é fazer depilação da área. A mais indicada é a depilação a laser, em que o calor interrompe a ação dos folículos pilosos, impedindo que os pêlos cresçam por um bom tempo. Entretanto, existem também outra alternativas, como depilação com cera, com lâmina ou com creme depilatório.

Também é recomendável não ficar sentado por muito tempo ou praticar exercícios que forcem o local, bem como não utilizar roupas que mantenham a área muito sufocada, além de procurar sempre manter o peso ideal.


Apesar de não ser muito conhecido, o cisto pilonidal é uma doença bastante comum principalmente entre homens de 15 a 30 anos. Por isso, é preciso que eles tenham muito mais cuidado, tomem atitudes preventivas para evitar o cisto e procurem ajuda médica assim que surgir a suspeita.

Portanto, compartilhe este texto com seus amigos e familiares, para que o conhecimento da doença chegue em mais pessoas!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (16 votos, média: 4,88 de 5)
Loading...

13 Comentários

Atenção: os comentários abaixo são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. Caraio mano to com sapoha tem uns 4 anos kkkkkkkkkk, slk, esse dias inchou muito ficou parecendo uma bola de futebol kk , nem andava, ai apareceu uma bolinha encima dela ai saiu umas paradas entranha de dentro k. ai fui no medico ele falou q aera essa parada ai , informou q poderia passar por uma cirurgia, ai passei. mais antes tive que tomar amoxilina e uma para para desinchar.

    mais e isso ai

    • Olá!

      Em alguns casos, é possível que os sintomas se confundam com uma herpes genital, infecção pelo vírus HPV que se caracteriza por feridas semelhantes a pequenas espinhas ou bolhas na pele, e que algumas vezes contêm líquido dentro. É importante dizer que as lesões podem aparecer não só na região genital, como também na boca e nádegas. Consulte um médico para que ele possa fazer a avaliação e diagnóstico!

  2. Cisto pilonidal ou jeep’s desease (doença do jeep, literalmente – da época dos soldados da Guerra Mundial) é uma doença muito forte, dolorosa, intensa, que machuca e afeta profundamente a pessoa que sofre da mesma. Já tive 3 vezes e uma quase recidiva recente. A questão do tratamento com colo-proctologista, com oncologista e com cirurgião-geral é muito séria e necessária, por se tratar de um tipo de câncer humano. Fazer a assepsia, isto é, a limpeza no mínimo 3 vezes ao dia com ducha, banho ou limpeza local é de suma importância, com a devida atenção para perceber se não há indícios de retorno ou reaparecimento. Geralmente, é preciso usar almofadas de espuma, tecido algodão ou almofadas d´água para quem está em processo de recuperação, pois a região fica muito sensível. Tem gente má intencionada e maldosa que chama esse problema de ter c* de galo ou de galinha, porque afeta as glândulas sebáceas e sudoríparas da pessoa, no que são muito cruéis e ruins para com o próximo, não imaginam a dor que é sentir isso (deveriam sentir, antes de abrir a boca para falar à toa). Como terapia, a questão de fazer leves caminhadas, ginástica laboral, yoga, hidroginástica e até natação moderada auxilia bastante na recuperação após o período de cicatrização, por experiência própria observada. E sempre periodicamente, de 6 em 6 meses no mínimo, ir ver o seu médico de confiança, para ver se não há recidiva ou outros indícios de problemas locais. Ter uma alimentação não muito gordurosa, não muito exagerada em açúcar, não consumir álcool, cigarro, nem qualquer outra substância ou droga, não tomar beberagens nem usar “remédios caseiros” sem comprovação científica e clínica-médica, manter o peso dentro do tolerável pelo Índice de Massa Corporal – IMC, não fazer esportes de contato em hipótese alguma, nem trabalhos pesados ou que acometam levantar muito peso ou fazer muita força e afetar na região. Na dúvida, procure um profissional de saúde especializado em coloproctologia e vá fazer os exames preventivos. E nunca zombem da doença dos outros, o próximo pode ser você, pensem bem nisso. Espero ter dado uma opinião construtiva aos leitores.

  3. Isto me acompanha há pelo menos 5 anos, tenho 29 anos e acredito ser crônico em meu caso, nenhum médico aqui da minha cidade teve a capacidade de conseguir me dá um diagnóstico decente neste período foram algumas consultas sem sucesso, só consegui ontem porque fui a uma consulta de um cirurgião e o questionei sobre esses caroços internos que inflamam periodicamente, ele me indicou que poeria ser este tipo de cisto .., já tive situações de ter dois inflamados, três até, é muito desanimador lidar com isto porquê impede coisas rotineiras que te dão autonomia e segurança no dia-a-dia, O artigo está bem esclarecido e agradeço por ter encontrado aqui diagnóstico tratamento.
    Algo que auxiliou e diminuiu as ocorrências “na minha situação” foi comprar esfoliante em grãos e misturar num sabonete ou óleo corporal desses que você enxágua depois e esfoliar por 5 minutos (cronometrar), finalizar com um excelente hidratante, a pele fica outra desde a primeira aplicação, fazia 1 vez na semana e os sintomas incrivelmente foram sendo amenizados, evitava ficar sem o hidratante pois não hidratar a pele contribui para formação de suor e aumento de bactérias.

  4. Meu cisto inflamou duas vezes, faço judô to 2 meses sem treinar dês da última vez que inflamou, esperando a cirurgia… consigo fazer tudo normalmente no dia a dia, o medico até me disse que eu poderia voltar a treinar, fui tentar fazer isso
    Cai, senti dor… séria mais aconselhável eu só voltar a praticar depois da recuperação?

  5. Me ajudou muito,tive cisto pilonidal e sofri muito pra tirar o pus e drenar… Mais tenho medo pqe ainda fkou um caroço pequeno no cocxs…morro de medo de ter de novo. Karina

Deixe o seu comentário, nos preocupamos com sua opinião:

Por gentileza, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.