A raiva canina (também chamada de rábia) é uma doença infecciosa, causada por um vírus que afeta o sistema nervoso central do cão.

Ela se manifesta no animal, mas pode ser transmitida aos humanos, portanto, é caracterizada como uma zoonose.

A forma mais comum de transmissão da raiva é através da mordida de um animal contagiado. Arranhões e lambidas em feridas abertas ou mucosas (como boca e olhos), também podem transmitir a doença.

O vírus presente na saliva do animal penetra no organismo e vai para o interior dos músculos e tecidos. Em seguida, ele se multiplica atingindo o tecido nervoso mais próximo.

O contato com sangue, urina ou fezes do animal não apresenta riscos, contanto que não haja feridas na pele do animal ou pessoa sadia.

De acordo com o Ministério da Saúde, a raiva é uma doença letal em aproximadamente 100% dos casos e é considerada um grave problema de Saúde Pública.

Fases da raiva canina

A raiva apresenta algumas fases, desde a infecção pelo vírus até o seu desenvolvimento no organismo do animal. Confira essas fases a seguir:

  • Incubação: período desde a mordida até o aparecimento dos sintomas. Nessa fase, o animal parece estar bem e não apresenta qualquer sintoma, pois a doença pode demorar de 15 dias a 2 meses para manifestar-se;
  • Prodrômica: já é possível observar mudanças no  comportamento do cachorro. Ele pode ficar mais nervoso, assustado, ansioso, cansado e até isolar-se. Essa fase pode ter duração de 2 a 10 dias;
  • Furioso e de excitação: essa é a fase que caracteriza a doença. O animal fica mais agressivo e irritável, e pode salivar em excesso, podendo até mesmo morder e atacar os próprios responsáveis;
  • Paralítica: fase final da raiva, na qual o cão se encontra paralisado, pode apresentar espasmos e até estar em estado de coma, podendo até terminar em óbito.

Sintomas: como saber se o cachorro está com raiva?

Quando os sintomas da raiva canina são manifestados é preciso ficar atento, pois o cachorro pode se tornar agressivo e acabar ferindo a si mesmo e ao próprio dono. Por isso, na presença de qualquer sintoma, é imprescindível consultar um(a) veterinário(a), que irá verificar se o animal está mesmo infectado pela raiva.


Em caso positivo é recomendado que o animal seja isolado do contato com os donos, pois a raiva é transmissível aos humanos.

Confira a seguir os principais sintomas da raiva canina:

  • Febre;
  • Mudanças de comportamento, como agressividade, irritabilidade e apatia;
  • Vômitos;
  • Excesso de salivação;
  • Aversão à luz (fotofobia) e à água (hidrofobia);
  • Dificuldade em engolir;
  • Espasmos musculares involuntários e/ou convulsões;
  • Paralisia em geral.

Tem cura?

A raiva canina infelizmente não tem cura. Quando os sintomas aparecem, costuma ser tarde demais. 

Estima-se que um cachorro contagiado, que já esteja apresentando sintomas, pode chegar ao óbito entre 7 a 10 dias.

A doença evolui rapidamente e esse tempo pode variar de animal para animal, porém, não costuma ultrapassar a estimativa.

Por isso, o melhor tratamento para raiva canina é a prevenção. Em caso de suspeita que o seu cachorro possa ter sido atacado por um animal contaminado, é aconselhado levá-lo o mais rápido possível ao atendimento veterinário.

Apesar de não ter cura, é possível prevenir a raiva canina através da vacina antirrábica, que é a única forma de prevenção contra a doença.

Vacina para raiva canina: qual o preço?

Segundo o Ministério da Saúde, a vacina contra a raiva é de aplicação anual em cães e gatos. Ela faz com que o animal crie uma resposta imunológica contra o vírus. 

Se for corretamente administrada, a eficácia da vacina é de 100% e o animal estará protegido 14 dias após a sua aplicação.

O preço da aplicação da vacina antirrábica, em clínicas de pequeno e médio porte, pode variar entre R$ 50 e R$ 80 reais. A recomendação é que ela seja aplicada por profissionais habilitados(as).

Os governos de grandes cidades e capitais, com o intuito de erradicar a raiva canina no Brasil, promovem campanhas esporádicas de vacinação gratuita contra a raiva.

Mas atenção, o animal não deve ser vacinado antes dos 3 meses de idade ou, se forem fêmeas, em fase de gestação.


É muito importante cuidar da saúde do seu pet, pois a raiva é uma doença letal, que pode também ser transmitida aos humanos. 

Mantenha a carteirinha de vacinação do seu pet atualizada com as principais vacinas e em qualquer suspeita de problemas de saúde, leve-o a um(a) veterinário(a).

Continue acompanhando o Minuto Saudável para saber mais sobre assuntos relacionados a animais de estimação.

Fontes Consultadas


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *