Redação Minuto Saudável
30/06/2017 16:12

O que fazer ao se engasgar?

Incidentes são comuns no dia a dia. Se engasgar ao comer algo não é raro, mas quando a situação se agrava atitudes devem ser tomadas para que o pior não ocorra. Algumas medidas simples tomadas no momento podem salvar a vida da vítima.

O problema acontece quando ao invés de descer pelo tubo digestivo o alimento ou líquido parece entalar na garganta. Face avermelhada, tosse excessiva e falta de ar são os sinais característicos de que algo entrou pelo canal errado e o organismo está tentando eliminar o problema.

Geralmente a situação é contornada por essa reação do organismo, porém quando isso não ocorre, é necessário intervir e auxiliar a pessoa engasgada. Nesse momento nenhum alimento ou líquido deve ser dado a ela, pois além de não ajudar, eles ainda podem piorar o quadro.

Por que isso acontece?

Embora o engasgamento seja mais comum em idosos e crianças, nenhuma pessoa está livre do perigo. Esse problema ocorre quando o mecanismo da epiglote falha.

Localizada na garganta essa estrutura é uma espécie de tampa. Com movimentos involuntários ela encaminha o ar e os alimentos que passam pela faringe para canais distintos. O engasgamento acontece quando essa ação ocorre de maneira errada.

Os primeiros socorros

Em adultos

Nos adultos alguns dos causadores mais frequentes de sufocamento são ossos de galinhas, caroços de frutas, alimentos mal mastigados, próteses dentárias mal colocadas e espinhas de peixes.

O que fazer?

  • A vítima deve ficar em pé e a pessoa que irá socorrê-la se posicionar atrás.
  • O abdômen deve ser pressionado com as duas mãos.

O mesmo procedimento pode ser feito em casos de sufocamento por crianças maiores.

Em crianças

As crianças requerem uma atenção especial quando se trata de engasgamento. Balas, amendoim e pipoca são alguns dos alimentos mais comuns que causam sufocamento nelas, portanto devem ser evitados.

Já bolas de gude, baterias, botões, parafusos, peças de brinquedos, moedas e pilhas são os objetos mais engolidos por elas e que levam ao problema. Para que isso não ocorra é importante mantê-los fora do alcance dos pequenos.

Bebês

Quando se trata de bebês uma análise prévia necessita ser feita: caso haja tosse e ânsia de vômito a intervenção pode não ser necessária. O simples ato realizado pelo organismo solucionará o problema.

Entretanto, se o bebê não consegue chorar ou tossir é por que as vias aéreas estão obstruídas, situação a qual precisará de ajuda para que a respiração volte ao normal. É importante salientar que não é recomendado colocar a mão diretamente na boca da criança.

– O bebê deve ser colocado de barriga para baixo, apoiado pelo antebraço. A palma da mão deve amparar o pescoço e a cabeça, a qual deve estar a um nível mais baixo que o restante do corpo;

– A outra mão deve dar tapas constantes, mas não muito fortes, sobre as costas da criança;

É importante estar atento a respiração e ao choro, sinais de que ela desengasgou e o procedimento pode ser interrompido.

Emergência

Se os primeiros socorros não resolverem é importante que se busque ajuda o quanto antes. A vítima deve ser levada imediatamente ao pronto socorro. Caso não existam unidades próximas, os serviços de emergência Samu (192) ou Bombeiros (193) devem ser acionados.

30/01/2019 15:53

Redação Minuto Saudável

Somos um time de jornalistas e especialistas em comunicação digital dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável. Confira mais na nossa página de quem somos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*