A idade chega para todos e, com ela, alguns problemas também. Por mais que tenhamos os melhores cuidados com nosso corpo e mente, às vezes eles sofrem desgastes mesmo assim – e isso é normal e da natureza do ser humano.

Um desses desgastes é quando uma parte de nossa coluna falha em sua função, sobrecarrega outra e, assim, acaba afetando toda a estrutura. À essas falhas na estrutura da coluna damos o nome de Espondilose, e você conhecerá um pouco mais sobre a doença a seguir.

Índice – neste artigo você irá encontrar as seguintes informações:

  1. O que é Espondilose e quais são os seus tipos
  2. Quais as causas da doença?
  3. Os sintomas da Espondilose
  4. Como é feito o diagnóstico
  5. Tratamento da Espondilose
  6. Posso me prevenir da Espondilose?

O que é Espondilose e quais são os seus tipos

Espondilose é um problema na coluna vertebral causado pelo desgaste dos seus discos, o que gera a diminuição do espaço entre cada vértebra, ocasionando o famoso “bico de papagaio” e a sua dor característica. É uma doença degenerativa de caráter crônico e progressivo, ou seja, se não tratada pode comprometer os movimentos de alguns membros do corpo, como braços e ombros.

Por mais que a coluna humana possua 3 regiões principais, a doença é mais comum nas que são móveis, ou seja, a região cervical e lombar.

Espondilose Cervical

As vértebras cervicais fazem parte da região do pescoço e as que mais são afetadas pela doença são as 3 inferiores em nível C4-C6.

Espondilose Lombar

Esse tipo da doença se manifesta na parte inferior das costas, que carrega todo o peso do corpo, e as vértebras mais atingidas são em nível L5-S1. Entre as mulheres, as mais comuns de serem atingidas são as que estão entre L4-5.

Espondilose Dorsal ou Torácica

A região torácica da coluna, localizada bem ao meio das costas, é a menos atingida pela espondilose. Quando ocorre, normalmente não apresenta sintomas, por conta de sua menor amplitude de movimento articular. Mas, se apresentar, fique atento a dores locais e irradiações esporádicas para as costelas.


Quais as causas da doença?

As alterações na coluna características da espondilose podem ter várias causas, como o avanço da idade, sobrepeso ou por conta de trabalhos repetitivos. Abaixo, explicamos sobre alguns fatores que podem causar a doença:

Excesso de crescimento dos ossos

Com o enfraquecimento da coluna, alguns ossos podem sobrecrescer para tentar compensar a coluna, tornando-a mais forte. Porém, esse sobrecrescimento pode ocorrer em zonas delicadas da coluna, como a medula espinhal e os nervos, causando dor no indivíduo.

Desidratação dos discos

Os discos que compõem a coluna vertebral possuem um tipo de gel em seu interior e tem a função de absorver  choques de elevação, torção e outras atividades. Quando esse gel seca, o movimento das vértebras pode ser mais doloroso.

Hérnia de disco

O gel interno dos discos vertebrais pode vazar através de fissuras e, quando isso ocorre, pode haver pressão sobre a medula espinhal e nervos, resultando em sintomas como dormência no braço e no nervo ciático.

Lesões na coluna

Se você já sofreu algum tipo de acidente na coluna, muito provavelmente as sequelas irão acelerar o processo de envelhecimento da estrutura.

Rigidez nos ligamentos

Os ligamentos entre um disco e outro podem se tornar mais rígidos conforme o tempo, o que acaba afetando nos movimentos do pescoço.

Uso excessivo da coluna

Movimentos ou exercícios repetitivos, bem como trabalhos pesados, podem comprometer a função da coluna, pelo fato de exercerem pressão extra sobre ela, resultando em desgastes prematuros.

Os sintomas da Espondilose

O principal sintoma manifestante dessa doença é a dor intensa na região da coluna. Além desse, há outros sintomas que também se sobressaem:

  • Dor de ambos os lados da lombar, podendo irradiar para as nádegas e parte posterior da coxa;
  • Dor em volta do ombro;
  • Fraqueza dos músculos;
  • Dores de cabeça mais frequentes na parte de trás da cabeça;
  • Torcicolo;
  • Formigamento ou dormência de alguns membros, principalmente em ombros, braços e pernas.

Como é feito o diagnóstico

Se você possui os sintomas acima há mais de três meses, está na hora de visitar um médico especialista da coluna, que pode ser ortopedista ou neurocirurgião. Durante a consulta, ele irá te perguntar sobre os sintomas e realizar alguns testes clínicos, como teste de reflexo e a checagem  de deficiências nos músculos.

Além deles, outros testes podem ser solicitados pelo médico, como radiografia, tomografia e ressonância magnética da coluna.

Tratamento da Espondilose

Primeiramente, é preciso aliviar a dor. Sendo assim, o médico poderá receitar a você medicamentos como analgésicos e anti-inflamatórios, além de sugerir repouso intenso. Dentre os medicamentos mais utilizados no tratamento para a espondilose, estão:

  • Relaxantes musculares, como o ciclobenzaprina, para o tratamento de espasmos dos músculos;
  • Narcóticos, como o hidrocodona, para alívio da dor;
  • Antiepiléticos, como gabapentina, para alívio da dor causada pela lesão do nervo;
  • Injeções de esteroides, como prednisona, para diminuir a inflamação do tecido e, consequentemente, a dor.

Após essa etapa, pode ser recomendada, também, sessões de fisioterapia ao paciente, para que a musculatura seja reforçada e diminua, assim, a instabilidade da coluna. Porém, se mesmo assim a dor continuar extrema e não ceder com o tratamento, a solução será se submeter a uma cirurgia.

Dentre as opções do tratamento cirúrgico, encontram-se:

  • Laminectomia (retirada das lâminas vertebrais);
  • Foraminotomia (abertura dos forames, abertura para a passagem de vasos e nervos entre os ossos);
  • Flavectomia (retirada do ligamento amarelo, localizado na face posterior da coluna);
  • Osteotomia (retirada dos “bicos de papagaio”).

Atenção! 

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas nesse site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Posso me prevenir da Espondilose?

Não há uma maneira eficaz de se prevenir da doença, porém algumas medidas podem ser tomadas para que a coluna possa se manter saudável o maior tempo possível. Uma maneira de prevenção é evitar traumatismos sobre a coluna, como os provocados por exercícios e movimentos repetitivos.

Além disso, a propagação das informações sobre a doença para o maior número de pessoas possível também é válido.


Compartilhe esse artigo com seus conhecidos. Quanto mais gente conhecer o que é a espondilose, melhor!


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Participe da discussão

42 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. Muito interessante mesmo! Continue com o bom trabalho!

    Adorei vou recomendar pra todos que conheço um artigo igual
    a esse vale ouro. 🙂

  2. Caraca, legal o artigo bem explicado, gostei.
    Muito legal mesmo, bem explicado tirou minhas duvidas.
    Obrigaduuuuu

  3. Artigo exelente, gostei muito do artigo e do site.
    obrigado vou compartilhar com as amigas. até mais.

  4. Obrigado pelo artigo gostei bastante, tirou varias duvidas que tinha.

    Muito interessante mesmo! Continue com o bom trabalho!

  5. Obrigado pelo artigo gostei bastante.
    Muito interessante mesmo! Continue com o bom trabalho!

  6. Nossa gostei muito, esse site aqui manda muito bem.

    a equipe esta de parabens, recomendo.
    vou compartilhar no facebook.

  7. Adorei, tirei as minhas dúvidas, parabéns a toda equipe.

  8. Fiquei informada s0obre o assunto para me prevenir melhor, foi dez as informaçoes.

  9. Muito bom , estou ja em tratamento inclusive fiz infiltracao domingo 04/02/17 . estou ja em recuperacao .ja me sinto muito melhor . ja edtsva no estagio de irradiacao pelas coxas e ombros cervical e lombar .
    Gracas a Deus estou melhor .

    1. Olá Michael!

      Certos exercícios podem ser prejudiciais em casos de espondilose, por isso é importante você discutir as opções com seu médico, além de fazer um acompanhamento com um educador físico.

  10. Estou sofrendo com espondiloartrose começou a pouco tempo nas partidas de futebol aos poucos foram aumentando fui ao medico e ele me receitou fortalecimento e fisioterapia e perder peso afinal estou 10 quilos acima do meu peso e isso pode estar influenciando nas dores
    Ótimo artigo me ajudou muito
    Obrigado

  11. Bom dia! Muito boa esta explicação! Tem uma parte que fala, que as vezes forçados alguns movimentos para tentar compensar outros órgãos e os orgaos que estao sendo forcados ficam com sobrecargas. Esta informação é possivel? Estou perguntando porque à 5 anos quebrei o Rádium do punho direito, e como sinto dores possivelmente sacrifico outros órgãos quando estou fazendo determinadas atividades. Fiz uma ressonância magnética e deu: Espondilose cervical, Dicopatia degenerativa. Profissional de qual área devo procurar para saber se este diagnóstico é consequência da fratura do rafium que sofri a 5 anos? Grata Rose SP

    1. Olá Rose!

      É possível sim. O especialista mais indicado nessa situação é o ortopedista.

  12. boa tarde, minha filha é atleta de alto rendimento de ginastica rítmica e foi diagnosticada com este problema, porem não receitado analgésico que não resolveu.
    Vou leva-la em um reumatologista para tentar algum medicamento DMARD´S.
    Vcs acham que estou no caminho certo ?

    Abraços

    1. Olá Sandra!

      Procurar um especialista é sempre o melhor caminho. Sobre o tratamento ideal, este profissional saberá indicar a melhor opção de acordo com as necessidades de sua filha.

  13. Fui diagnosticada agora com espondilose torácica e espondiloartrose lombar. As suas informações foram uteis. Agradecida! E parabéns pelo artigo. Abraços!

  14. Bom dia!
    Tenho 62 anos e no meu último raio x veio a informação:
    Sinais de espondilose dorsal.
    Não tenho sintomas contundentes,apenas uma leve sensação no músculo da perna esquerda,não é dor ele treme as vezes levemente. Sou surfista desde 72 e tenista desde 66 o que posso fazer para minimizar esse problema embora não tenha nenhum reflexo nos esportes que pratico.
    Grato
    Edvaldo Carvalho

    1. Olá Edvaldo!

      As medidas de tratamento só podem ser discutidas com um médico. Da mesma forma, a interpretação de resultados de exames deve ser feita pelo especialista. Recomendo que você consulte um ortopedista para avaliar suas condições de saúde e esclarecer as melhores opções de acordo com suas necessidades.

    1. Olá!

      Condições que impedem ou limitam o exercício de algumas atividades podem garantir a aposentadoria. Porém, as condições para garantir esse e outros benefícios devem ser esclarecidas junto ao INSS e ao seu médico.

    2. Eu tenho um desvio da coluna vertebral l5 e a dor passa tudo para minha perna e pé, não consigo ficar muito tempo em pé, e consegui me afastar. .

  15. Sofro dores horríveis. Fui diagnosticada com Espondilose. Medicamentos não fazem efeito. O artigo está excelente e esclarecedor. Na minha região há poucos especialistas.

  16. Eu fui diagnosticada através de um RX de Tórax, que estou com “Espondilartrose Dorsal” e venho sentindo fortes dores como foi mencionado no Artigo em todas as regiões,dorsal,lombar , pelas nádegas e coxa parte posterior como se fossem choques que sobem até o”Cocxi”.
    Trabalho com pacientes Idosas desde 2005.

  17. A 4 anos comecei a ter dores horríveis na perna direita, por conta da mesma fui afastada do trabalho.
    No tratamento fiz a primeira ressonância e se descobriu a hérnia de disco, fiz cirurgia fiquei 2 meses só sem dor
    Começou a doer tdo de novo
    Fiz outra ressonância e nada ,normal
    As dores aumentaram, os médicos diziam q eu estava com a memória da dor, nem sabia q isso existia
    Me encaminharam pro psiquiátrica
    Por conta das dores fortes ,acabei entrando em depressão, sinto mtas dores
    O neurologista pediu um bloqueio q foi só pra perder tempo, sai do hospital gritando de dor .
    Agora pediram outra ressonância
    E o resultado foi Espondiloartrose lombar com degeneração discal.
    Qndo começou o problema estava com 35 anos Agora vou fazer 40 ,e o médico disse q ñ é normal nessa idade.

  18. tenho 15 anos e fui diagnosticado com espondilose essa semana. Muito triste pq os medicos me proibiram de jogar futebol e qualquer tipo de exercicio. Muitas dores agudas

  19. meu nome é Maria sou de ortigueira e tenho espondilose lombar a uns 6 meses aporaceu muitas dores no meus ombros e pescoço ñ aguento mais tantas dores então resolvi pesquisar sobre essa doença gostei do li e agora vou procurar um especialista muito obrigada

  20. boa tarde gostaria de saber pois fui indicado com o seguinte sitomas atitude escoliotica dorsal e osteofitos marginais em alguns corpos vertebrais e ausência de fratura atuais nas incidências obtidas do pe esquerdo queria saber se dao atestado pois fiz a radiografia e saiu isso no laudo e o pé doe muito e já faz dias pois trabalho em pé em um condomínio obrigado e aguardo

    1. Olá, Cassio.
      É preciso que o médico avalie seus exames, pois há diversos graus de comprometimento da coluna, podendo afetar pouco ou muito as suas atividades.
      Por isso, é importante conversar e esclarecer todas as dúvidas sempre com o profissionais que te acompanha.

  21. há alguma possibilidade de uma pessoa q fica muitas horas sentada ter este tipo de problema li o artigo e ñ achei nada a respeito pois tenho Espondilose Lombar começou qdo eu tinha 39 anos hj tenho 43 ,depois q o médico me examinou passou os remédios acabou as dores mais tenho uma dormência na parte inferior da perna esquerda dependendo do jeito q dobro a mesma me dá uma câimbra insurportável impossibilitando até mesmo andar e dura uma média de 3 minutos q parecem uma eternidade .Amei o seu artigo muito esclarecedor

    1. Olá Cristal!

      Não há evidências nesse sentido com relação a espondilose. Porém, sabe-se que a má postura pode provocar ao longo do tempo outros problemas na coluna, como desvios e lombalgia (dor nas costas).

  22. Muito bom
    Tenho espondiloartrose a 3 anos e sofro de mais com as terríveis dores
    Mas ja estou fazendo tratamento espero que melhore

  23. Boa noite eu descobri agora que tenho espondilose lombar sinto dores nas nádegas e dores de cabeça tenho medo do que possa vir acontecer comigo eu trabalho como cuidadora de idosos já não aguento mais o que fazer nesta situação

    1. Olá, Edna!

      É importante que você busque ajuda profissional. Um médico ortopedista pode ajudá-la a encontrar as melhores alternativas de tratamento de acordo com sua condição.

  24. Trabalho de AJUDANTE de motorista. Vou poder fazer meu trabalho após cirurgia de hérnia. Faço muito esforço físico?

    1. Olá, Valtencir.
      O médico responsável por sua cirurgia de hérnia é o profissional mais indicado para responder todas as suas dúvidas sobre o processo de recuperação pós operatório. Lembrando que todas as recomendações médicas devem ser seguidas para evitar consequências depois da cirurgia.

  25. Olá, bom dia!
    Em 2017 tive uma crise de dores que me fez paralisar os movimentos da perna esquerda. Fui encaminhada para um médico ortopedista e fiz vários exames, entre eles a ressonância magnética. O médico me disse que o melhor para já é fazer um procedimento cirúrgico com injecção de substancia ncop no canal medular. Vou ficar internada 1 dia. Mas não sei quanto tempo ficarei sem poder trabalhar. Será que é apenas uns dias, ou mais?

    1. Olá, Daniele.
      É importante que você converse com o médico que está te acompanhando. Com base em seu estado clínico e nos procedimentos padrão de cada hospital ou clínica, ele poderá indicar o tempo necessário de internamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *