O câncer é uma patologia que acomete milhares de pessoas no mundo todo. Ele ocorre quando há o crescimento desordenado, anormal ou acelerado das células de um tecido ou região do corpo.

Existem diversos medicamentos para o tratamento da doença, variando conforme o tipo de câncer, estágio da doença e particularidades do(a) paciente. Entre eles, há o Lynparza. Saiba mais sobre o tratamento:

O que é e para que serve o Lynparza?

O Lynparza é um dos nomes comerciais do medicamento cujo princípio ativo é o Olaparibe, um agente inibidor da PARP (poli [adenosina difosfato-ribose] polimerase). 

Isso significa que ele pode destruir células cancerosas quando as duas cópias dos genes BRCA estão deficientes (sofreram mutação). A sigla BRCA indica gene suscetível ao câncer de mama.

A bula indica o medicamento como monoterapia (quando é utilizado apenas um medicamento por vez) para o tratamento de manutenção de pacientes com carcinoma de ovário seroso recorrente, de alto grau (2 ou maior). 

Isso inclui trompa de Falópio ou peritoneal primário, em pacientes que tenham respondido a  tratamentos anteriores realizados com quimioterapia baseada em platina, com mutação no gene BRCA.

Vale destacar que a indicação “seroso” está associada ao tipo de neoplasia (tumor). O tipo mais comum é de origem epitelial, então, as neoplasias são classificadas conforme o tipo celular: seroso, mucinoso, endometrioide, etc.

Além disso, o medicamento também é indicado para o tratamento de câncer de mama. 


É fundamental o acompanhamento médico, visto que a bula apresenta algumas especificações para uso (como o exemplo mencionado acima, quanto às condições de câncer de ovário).

Esse medicamento está atualmente disponível em duas versões: cápsulas e comprimidos. É importante saber que apesar de ambos terem a mesma função, não podem ser utilizados como uma troca equivalente. Isso pois diferem drasticamente na dosagem de sua fórmula.

A versão em comprimidos é mais recente, aprovada em outubro de 2018. Sua maior vantagem é permitir que a dose terapêutica diária seja administrada em menos unidades. O total recomendado são 4 comprimidos por dia, substituindo as 16 cápsulas por dia do Lynparza Cápsulas.

Como age o Olaparibe?

O Olaparibe é o princípio ativo do medicamento Lynparza. Trata-se de um inibidor das enzimas poli (ADP-ribose) polimerase (PARP-1, PARP-2 e PARP-3) humanas.

Os estudos do medicamento demonstram que ele foi eficaz ao inibir o crescimento de células tumorais selecionadas in vitro (fora do organismo, em tubos de ensaio) e também o crescimento tumoral in vivo (no organismo vivo).

Esses resultados são referentes a administração do remédio como monoterapia e, também, quando associado à quimioterapia.

De forma geral, o Olaparibe atua explorando as deficiências das vias que reparam os danos do DNA, com o objetivo de inibir  as células cancerosas.

Como a bula indica usar?

O medicamento Lynparza está disponível em duas versões: cápsulas e comprimidos. A bula indica que o remédio (em ambas as fórmulas) deve ser administrado via oral e não deve ser partido, aberto ou mastigado.

Além disso, o medicamento em cápsula conta com restrições quanto à rotina prévia. Deve ser ingerido com o estômago vazio ou 1 hora após a refeição. Ainda, há também a indicação de que, após tomar o remédio, é preciso evitar a alimentação por 2 horas.

Quais as posologias disponíveis?

A principal diferença entre o Lynparza em cápsulas e comprimidos é a posologia. 

Vale destacar que em ambas as fórmulas o medicamento não é recomendado para uso pediátrico. Ou seja, deve ser utilizado apenas para uso adulto. Informações sobre pacientes acima de 75 anos também são limitadas.

Sendo assim, é importante estar atento(a) e seguir fielmente a indicação da bula e da equipe médica responsável. Confira:

Cápsulas

A dose para adultos, indicada pela bula, é de 400mg (8 cápsulas de 50mg) com administração duas vezes ao dia. Isso equivale a 800mg diários (16 cápsulas de 50mg).

Em caso de esquecer de tomar o medicamento em algum dos horários, deve-se tomar a dose seguinte de maneira normal — não dobrá-la para compensar.

Em alguns casos (por exemplo, quando as reações adversas são intensas), podem ser necessários ajustes de dose. Assim, médicos(as) podem orientar à redução de 200mg duas vezes ao dia (totalizando 400mg diários do medicamento). Isso deve ser feito sempre com a orientação médica.

Comprimidos

O medicamento Lynparza em comprimidos está disponível em 100mg e 150mg. A recomendação da bula é a administração de 300mg (dois comprimidos de 150mg), duas vezes ao dia. Totalizando 600mg diários.

Sendo assim, os comprimidos de 100mg estão disponíveis se for necessário fazer a redução de dose. Isso ocorre devido a fatores adversos e deve ser feita com orientação médica. Nesse caso, a bula indica diminuir de 300mg para 250mg a cada dose, somando um total de 500mg diárias.

Além disso, assim como no caso das cápsulas, se uma dose for esquecida, deve-se administrar a dose seguinte da forma habitual — não duplicar.

Qualquer alteração no uso do medicamento deve ser sempre realizada de acordo com prescrições médicas.

Para quais condições a Anvisa aprovou o Lynparza?

O Lynparza é um medicamento novo e teve sua aprovação pela Anvisa em 2017, para a fórmula em cápsulas. Então, em outubro de 2018 obteve também seu registro aprovado para o medicamento em comprimidos.

Ambas as versões foram aprovadas para tratamento de carcinoma de ovário seroso de alto grau (2 ou maior), em pacientes reincidentes e que apresentaram respostas a tratamentos anteriores à base de platina.

Ainda, as duas fórmulas são indicadas e aprovadas para o tratamento de câncer de mama.

Por fim, em fevereiro de 2019, a Anvisa aprovou uma ampliação do uso do medicamento. Ele continuou a ser indicado para as mesmas patologias, mas agora possibilitando o uso para pacientes com insuficiência hepática (perda da função do fígado) leve ou moderada.

Quais os efeitos colaterais?

Como todo medicamento, Lynparza (cápsulas ou comprimidos) pode ter efeitos colaterais. Entretanto, são relativos, visto que nem todas as pessoas apresentam ou podem relatar até mais de uma.

As reações adversas mais comuns (ocorrem em 10% ou mais dos pacientes) das duas fórmulas são:

Para alguns efeitos adversos, podem ser prescritos medicamentos para amenizá-los.

Além disso, para o Lynparza em comprimidos, também são reações muito comuns: tosse, falta de ar (dispneia) e dor na região do estômago abaixo da costela (dor abdominal superior).

Para saber sobre reações incomuns ou raras, o ideal é consultar a bula ou perguntar ao(à) médico(a).

Qual o preço? Tem genérico?

O Lynparza não possui genéricos ou similares. Ele é um medicamento de referência, do laboratório Astrazeneca. 

Trata-se de um medicamento de alto custo, sua faixa de preço* é:

*Preços consultados em janeiro de 2020. O valor pode sofrer alterações.

Vale destacar que o medicamento só pode ser adquirido com prescrição e orientação médica prévia.

O SUS fornece Olaparibe?

Não. O medicamento Lynparza (cujo princípio ativo é o Olaparibe) não consta na Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (RENAME) ou de dispensa excepcional. Sendo assim, não é fornecido pelo SUS.

No entanto, pessoas com orientação médica para o tratamento com essa substância, e sem recursos para arcar com o custeio dele, podem recorrer às vias judiciais. O processo será avaliado e, caso a pessoa solicitante vença, ela pode receber gratuitamente a medicação.

Como fazer um orçamento do Lynparza?

Mesmo em casos que o medicamento não é fornecido pelo Governo Federal, pacientes com laudo médico podem fazer requerimento judicial para tentar receber o remédio custeado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) ou Plano de Saúde – se for o caso.

Para isso, deve-se abrir um processo seguindo as requisições estipuladas. Entre elas está a entrega de documentos que incluem: 

  • Laudo médico;
  • Exames;
  • Requerimento padrão;
  • Orçamento de 3 farmácias.

Para facilitar o procedimento, é possível contar com o auxílio da Assessoria de cotação de medicamentos de alto custo, que fornece um orçamento personalizado de forma facilitada. 

Ao acessar o link, você precisa apenas realizar o cadastro, informando alguns dados pessoais e o medicamento em questão. Ao final, basta clicar em “solicitar cotações” e aguardar o retorno.


O carcinoma de ovário seroso é considerado uma doença rara. Entretanto, o câncer de mama acomete milhares de mulheres todos os anos. Por isso, medicamentos como o Lynparza são de grande importância, auxiliando no tratamento de mulheres que sofrem com essas patologias.

O Minuto Saudável traz diariamente conteúdo sobre doenças, medicamentos, bem-estar e saúde em geral. Continue nos acompanhando!

Fontes consultadas


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.