Redação Minuto Saudável
26/04/2018 08:01

Guia do Protetor Solar: o que é FPS, como e quando usar, dicas

Todo mundo já está cansado de saber da importância de manter sua pele protegida do sol, não é mesmo?

Isso porque os raios emitidos pelo sol são nocivos para a nossa pele, podendo acelerar o envelhecimento precoce, ou até mesmo causar câncer de pele.

Ao contrário do que muita gente pensa, o câncer de pele é uma realidade no Brasil, sendo em disparada o tipo de câncer que mais está presente no país.

Por isso que a utilização do protetor solar é indispensável toda vez que houver exposição ao “ar livre”, ou seja, mesmo em dias nublados, ou até mesmo em dias chuvosos, é importante se manter protegido.

Índice – neste artigo você vai encontrar as seguintes informações:

  1. O que é o protetor solar?
  2. O que são os raios UVA e UVB?
  3. O que é FPS?
  4. Qual o significado dos números ao lado do FPS?
  5. A grande questão: FPS30 x FPS60
  6. Como e quando passar o protetor solar?
  7. Onde e qual a quantidade de protetor solar que devo passar?
  8. FPS e tonalidade de pele
  9. Além do FPS
  10. Outras formas de proteção
  11. Dicas de como usar o protetor solar todos os dias

O que é o protetor solar?

O protetor solar é a substância capaz de proteger a sua pele contra os danos causados pelos raios ultravioletas do sol. Esse danos podem ser visíveis, como o envelhecimento precoce da pele, ou ainda, não-visíveis, como o próprio câncer de pele.

Eles são divididos em 2 grupos:

Protetores químicos

Basicamente, os filtro solares químicos te protegem absorvendo os raios ultravioletas. Isso ocorre porque, em sua composição, há moléculas capazes de absorver a radiação ultravioleta, que é altamente energética, e transformá-la em uma radiação de baixa energia.

Com isso, assim que os raios UV entram em contato com a sua pele, o protetor químico reage, criando uma proteção na sua cútis. Dessa forma, a penetração da radiação é impedida.

Protetores físicos

Já o protetor solar físico ou inorgânico possui em sua composição dióxido de titânio e óxido de zinco, minerais que ficam sobre a pele, mas não são absorvidos por ela. No momento em que que os raios solares entram em contato com ela, eles são refletidos pela camada que o filtro físico fez.

Dessa forma, esse tipo de filtro é indicado para crianças, grávidas ou pessoas que possuem alergias, uma vez que o protetor não se mistura com a pele.

Qual protetor devo escolher

Os dois tipos de protetores solares irão te proteger contra os raios solares com a mesma eficácia. No entanto, se você não possui nenhuma restrição alérgica, não é criança ou gestante, é recomendado que opte pelo uso do protetor químico.

Contudo, o ideal é sempre consultar um dermatologista, porque só ele poderá avaliar as peculiaridades da sua pele e recomendar o mais indicado.

O que são os raios UVA e UVB?

Os tipos de raios UV, embora representem apenas 5% dos raios solares que atingem a Terra, são capazes de atravessarem a camada de ozônio, chegando até o solo.

Todavia, o raios UV, que se dividem em UVA e UVB, não causam os mesmos efeitos na pele. Confira os diferentes impactos:

UVA

Os raios UVA são capazes de atravessar as nuvens, o vidro e até a epiderme. Ao penetrarem na pele, atingem as células da derme, pois possuem alto poder de penetração.

Com isso, a longo prazo, os raios UVA pode causar:

  • Desordens pigmentares (cloasma, manchas pigmentadas);
  • Desenvolvimentos de tumores cutâneos.

Fotoenvelhecimento

A radiação é capaz de modificar a orientação da fibras de colágeno, assim ocorre o relaxamento e a perda de firmeza da pele, além do aparecimento de rugas.

Intolerâncias solares

Os raios UVA podem promover alguns sintomas de alergias solares, os mais comuns são: vermelhidão, prurido e lucite estival.

UVB

Representando apenas 5% dos raios UV, o raio UVB pode ser retido pelas nuvens e vidros, mas ainda assim chega na epiderme.

Ao contrário, do raio UVA, os UVB podem ser doloridos e são os responsáveis tanto pelo bronzeado, quanto pelas queimaduras, golpes de sol e os escaldões. Além disso, ele também pode causar reações alérgicas e tumores cutâneos.

O que é FPS?

A famosa sigla que sempre aparece em protetor solar significa o “fator de proteção solar”. Portanto, o número que sempre aparece na sequência dessa sigla diz respeito ao quanto o produto está te protegendo contra os raios solares.

Qual o significado dos números ao lado do FPS?

Você com certeza já foi comprar um protetor solar e ficou se questionando o que significa aqueles números: FPS15, FPS30, FPS50, FPS60 e por aí vai.

Esses números indicam por quanto tempo sua pele vai se manter protegida contra os raios solares.

O cálculo para entender esse tempo, é simples: basta multiplicar o número do FPS por 10. O resultado apontará por quantos minutos sua pele estará protegida.

Por exemplo: multiplicando FPS15 por 10, a proteção seria de 2 horas e meia (150 minutos).

Porém, vale ressaltar que a proteção oferecida por pelo FPS tende a diminuir conforme o tempo vai passando e, também, ao entrar em contato com água e areia. Então, a reaplicação do protetor deve acontecer com frequência.

A grande questão: FPS30 x FPS60

Com cálculo ensinado acima, é possível ter noção de que o FPS30 protege muito mais que o FPS15. Por isso que dermatologistas afirmam que, independente do seu tipo de pele, o FPS30 deve ser utilizado por todos, inclusive por aquelas pessoas que possuem peles negras.

No entanto, ao que parece os fatores de proteção acima do FPS30 já não são assim tão eficientes. Como assim? Calma, vamos explicar.

Com o FPS30, pelo cálculo utilizado, a sua pele ficará protegida por, aproximadamente, 5 horas. Porém, também é recomendação de especialistas que a aplicação de protetores solares ocorra a cada 2 horas.

Então, utilizar FPS60 não faria tanta diferença, pois com muito menos da metade do tempo de proteção, seria necessária a sua reaplicação.

Contudo, estudos apontam que as pessoas usam o protetor solar, independente do FPS, de maneira equivocada. Isso porque a quantidade que deve ser aplicada no rosto, por exemplo, é  o equivalente a 1 colher de café. Porém, as pessoas tendem a utilizar apenas ⅓ dessa quantidade.

Apesar disso, é claro que, para as pessoas que são muito esquecidas, tem preguiça, ou não terão acesso para reaplicar ao longo do dia, o mais indicado são os fatores de proteção mais elevados, realmente.

No entanto, ainda há diferenças significativas entre eles. Protetores com filtro de proteção solar maior tendem a possuir uma concentração maior de compostos, responsáveis por garantirem uma melhor fixação na pele. Assim, mesmo após o banho de mar ou suar, a sua pele ainda se mantém protegida.

Além disso, pesquisas apontam que quanto maior o FPS mais ele irá absorver os raios emitidos pelo sol e, consequentemente, protegerão ainda mais a sua pele. Confira:

Fator de Proteção Solar (FPS)Porcentagem de absorção dos raios solares
250%
1593%
3097%
6099%

Apesar da diferença ser pouca, a porcentagem de absorção que cada um deles proporciona pode ser crucial para pessoas de pele clara que precisam de algo ainda mais eficiente.

Como e quando passar o protetor solar?

Apesar de parecer um questionamento bobo e uma atividade simples, muita pessoas utilizam o protetor solar de forma equivocada e, por consequência, não ficam devidamente protegidas.

O protetor solar demora entre 20 e 30 minutos para ser absorvido pela pele e então começar a fazer efeito. Sendo assim, você precisa passá-lo antes de entrar em contato com o sol, caso contrário, por mais que o produto já esteja na sua pele, ele não estará a protegendo contra todos os danos que os raios solares podem causar.

Outro erro muito comum, principalmente quando as pessoas vão à praia ou piscina, é colocar a roupa de banho e só depois começar a passar o produto. A maneira correta é passar o protetor solar e só então colocar a roupa. Essa prática evita que você esqueça de passar o produto em alguma região do seu corpo

É preciso passar protetor quando se fica embaixo do guarda-sol?

Mais um erro, bastante recorrente, acontece quando as pessoas acreditam que não precisam se proteger dos raios ultravioletas, quando você está abrigado embaixo do guarda-sol.

No entanto, apesar de o guarda-sol trazer uma sensação de maior conforto, pois o sol não entra em contato direto com o corpo, ele não é capaz de bloquear todos os raios solares e inclusive oferece, no máximo, um FPS8.

Além disso, a areia é capaz de refletir os raios solares, ou seja, mesmo que você esteja abrigado embaixo do guarda-sol, você continuará recebendo radiação direta e indiretamente com a reflexão.

Onde e qual a quantidade de protetor solar que devo passar?

Outro questionamento bastante recorrente é sobre em qual região o protetor deve ser aplicado, bem como a quantidade de produto que deve ser passada.

O ideal é que todo o corpo esteja protegido, pois os raios solares entram em contato com a pele das diferentes regiões do corpo, da mesma forma. Porém, como o rosto é com certeza a parte do nosso corpo que mais fica exposto diretamente, a atenção nessa área deve ser ainda maior.

Veja como devem ser o cuidado na hora de aplicar o produto:

No Rosto

A quantidade ideal de produto que deve ser passada no rosto e no pescoço, é o equivalente à uma colher de chá cheia, que deve ser aplicada uniformemente. Mas, algumas regiões merecem uma atenção ainda maior, pois possuem uma tendência maior a desenvolverem manchas ou até mesmo, câncer. São elas:

  • Raiz do cabelo;
  • Orelhas;
  • Pescoço;
  • Nuca;
  • Ossos da bochecha;
  • Ao redor dos lábios;
  • Ponta do nariz.

Nas Mãos

Assim como o rosto, as mãos também passam muito tempo expostas, por isso, merecem os mesmos cuidados do rosto. Deve ser aplicado uma colher de chá em cada uma das mãos. E é sempre bom relembrar que, cada vez que as mãos forem lavadas, é importante fazer a reaplicação do protetor solar.

No Corpo

No restante do corpo, a quantidade que deve ser aplicada corresponde a uma colher de café cheia, no tronco e costas, em cada um deles. Os braços e pernas vão precisar de 2 colheres de café, uma para cada braço e 4 colheres de café, sendo que cada perna precisará de 2 colheres, uma para a parte da frente e outra para a parte de trás.

FPS e tonalidade de pele

O assunto é bastante controverso, pois quando a questão é as diferentes tonalidades de pele, o fator de proteção volta a ter muita importância.

Como já dito acima, independente do tom da sua pele, o fator mínimo de ser utilizado é o FPS30, porém esse número vai aumentando conforme mais clara for a sua pele.

FPS15

Nenhuma pele deve utilizar somente o FPS15. Muita maquiagens vem com esse fator de proteção, mas utilizar somente ele não é sinônimo de uma pele protegida, muito pelo contrário.

Produtos utilizados no dia a dia com FPS15 podem ser:

FPS30

Pessoas com a pele negra devem se proteger com esse fator de proteção.

A presença da melanina, apesar de proteger contra a radiação solar, gera uma maior facilidade em manchar a pele. Portanto, a proteção diária também é indispensável!

As exposições que ocorrem no dia a dia, que são mais curtas e menos intensas, podem ser protegidas também com o FPS30, inclusive por peles mais pardas e claras.

Exemplos de produtos com esse fator de proteção são:

FPS50 ou +

As peles mais claras devem usar fatores de proteção mais elevados, por isso que, para elas, o mais indicado é um FPS50 ou até mais alto.

Sempre lembrando de não ultrapassar o período de reaplicação, que deve ser feito a cada 2 horas.

Alguns protetores solares com FPS50 ou mais são:

Além do FPS

Ao contrário do que muita gente acredita, apenas a presença da sigla FPS30 não é suficiente para garantir que o protetor solar irá te proteger.

No momento da compra do protetor, você também deve procurar pelos componentes: dióxido de titânio ou óxido de zinco. Esses dois componentes são refletores de luz, inclusive da radiação UVA e UVB, que são os raios emitidos pelo sol.

Além disso, os dois elementos são a melhor opção, pois não contém outros componentes químicos e podem ser encontrados em protetores solares com FPS a partir de 30.

PPD

Outra sigla tão importante quanto o FPS é o PPD, uma sigla em inglês (Persistent Pigment Darkening) que deve ser traduzido como algo equivalente à Escurecimento Persistente do Pigmento.

O PPD é responsável por proteger sua pele da incidência dos raios UVA, que por sua vez é a radiação ultravioleta caracterizada por promover o escurecimento e o fotoenvelhecimento da pele. Isso ocorre porque ela é capaz de penetrar tão profundamente na pele a ponto de danificar as fibras de colágeno.

Dessa forma, ao escolher o protetor solar, também fique atenta ao valor de PPD que deve ser pelo menos ⅓ do valor indicado do FPS. Entenda melhor com um exemplo:

Se um protetor ter indicação de FPS30, para que o “Escurecimento Persistente do Pigmento” seja eficaz, ele deve ser de, no mínimo, PPD10.

Outras formas de proteção

Muito se engana quem acredita que o protetor solar é o único cuidado que devemos implantar para manter nossa pele saudável. O uso de acessórios que bloqeiam o sol é muito importante! Não sabe quais são eles? Calma que você conhece todos eles:

  • Óculos escuros (com filtro solar);
  • Abas;
  • Boné;
  • Viseira.

Além disso, evitar se expor ao sol entre as 10 e 16 horas também é uma forma de proteger a sua pele, da mesma forma que se abrigar em barracas de tecido, pois elas refletem os raios solares e minimizam a exposição.

Dicas de como usar o protetor solar todos os dias

Agora que você já sabe tudo sobre protetor solar e já está mais que conscientizado da importância dele, a gente finaliza te dando algumas dicas para você não fraquejar e usá-lo continuamente.

Isso porque a gente sabe que na correria do dia a dia, tudo vira uma desculpa para que você simplesmente não passe o protetor, não é mesmo?

Então, confira as dicas aqui para que você possa se proteger da maneira correta todos os dias:

Oleosidade no cabelo

Muita pessoas reclamam ou deixam de passar o protetor perto na raiz do cabelo, perto da testa, porque afirmam que o cabelo fica oleoso. E, de fato, com o protetor solar em loção, isso pode acontecer. Mas uma ótima alternativa para essa região é utilizar protetores solares em pó.

Além de estar se protegendo, você já aproveitar e matifica a pele! Afinal, ninguém quer ficar com marcas de envelhecimento na testa, não é mesmo?

Maquiagem x Protetor solar

Outra queixa muito comum e que resulta em muitas mulheres não usarem protetor, é o fato de não querem ou não terem tempo de refazer a maquiagem cada vez que forem reaplicar o protetor solar. Mas quem disse que essa é a única alternativa possível?

Existem protetores que são específicos para serem utilizados por cima da maquiagem e por isso são super finos e incolores. Assim, você pode aplicar a loção comum antes de fazer a maquiagem, e manter a proteção com esse mais fininho. Maravilhoso, né?

Ardência dos olhos

Apesar de ser uma questão bem relevante, afinal os olhos são muito sensíveis, você não precisa deixar de se proteger com medo de que seus olhos ardam, não é mesmo?

Essa ardência ocorre, porque ao aplicar o protetor solar em formato de loção, depois de algum tempo ele pode começar a escorrer da testa ou até no entorno e migrar para os olhos. Por isso, que a solução é bem simples.

Procure utilizar protetores em formato de bastão ou até mesmo pó no rosto, assim ele não irá escorrer e trazer desconforto para os olhos. Porém, ainda assim, é necessário tomar alguns cuidados como não esfregar, pois a região é bem sensível.

Oleosidade na pele

Uma das reclamações mais clássicas é que os protetores solares deixam a pele oleosa ainda mais oleosa e a seca também fica oleosa. Esse efeito é intensificado em dia quentes, quando a transpiração fica ainda maior e o protetor parece realmente derreter na pele.

Para evitar esse desconforto, o ideal é sempre optar por protetores mais leves, que tenham textura fina e toque aveludado, além de uma efeito mate que ajuda a absorver a oleosidade.

Pele sensível

Algumas pessoas que possuem a pele muito sensível sofrem ao aplicar o protetor solar e por isso acabam deixando de utilizá-lo, o que é um erro, porque as peles sensíveis podem sofrer ainda mais com os danos solares.

Alguns protetores contém ingredientes mais amenos em sua composição: é o caso dos protetores solares minerais que possuem menos tintura e à base de zinco. Assim, eles evitam que a pele fique vermelha ou com sensação de ardência.

Atividade física, suor e protetor

A prática de exercícios propicia a transpiração e, se você está com um protetor muito levinho, ele vai começar a derreter assim que você comece a suar.

Por isso, é importante usar protetores à prova d’água quando for se exercitar em locais abertos, pois eles duram mais tempo na pele e não irão derreter com tanta facilidade.


Mesmo conseguindo distinguir a sua tonalidade de pele e então, teoricamente, sendo capaz de escolher qual o nível de fator de proteção que você deve utilizar, a consulta ao dermatologista é indispensável. Só esse profissional será realmente capaz de indicar qual o melhor FPS para as características da sua pele.

12/12/2018 16:34

Redação Minuto Saudável

Somos um time de jornalistas e especialistas em comunicação digital dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável. Confira mais na nossa página de quem somos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*