Redação Minuto Saudável
29/06/2017 14:40

Erisipela (bolhosa): o que é, tratamento, é contagiosa? Tem cura?

O que é erisipela?

A erisipela é uma doença infecciosa causada pela bactéria Streptococcus pyogenes. É caracterizada por feridas avermelhadas, inflamadas e dolorosas na pele, especialmente nos membros inferiores, como pernas e pés.

O nome pode até não ser muito comum, mas a erisipela é mais uma integrante do grupo das dermatoses infecciosas existentes e também pode ser atendida, popularmente, por zipra, esipra, zipla, maldapraia, entre outros nomes.

A doença não possui uma frequência exata para aparecer no organismo, podendo surgir apenas uma ou várias vezes durante o ano todo ou, ainda, perdurar por toda a vida.

Se não tratada corretamente, a erisipela pode avançar, tornando-se uma erisipela bolhosa, causando bolhas que possuem cerca de 10cm de comprimento e que contêm um líquido que pode ser transparente, amarelo ou marrom.

Na imensa maioria dos casos, a erisipela não é contagiosa. Contudo, é possível que uma pessoa passe a doença para outra nos casos em que ela desenvolveu a erisipela bolhosa.

Apesar de baixa, essa possibilidade existe, porque, na sua forma bolhosa, a erisipela pode fazer com que o paciente apresente secreções. Caso a bactéria causadora da erisipela esteja presente nessas secreções, existe a possibilidade de a transmissão ocorrer.

Além disso, pessoas que convivem com pacientes que desenvolveram a erisipela devem tomar vários cuidados cuidados especiais, como explica a Dra. Clívia Carneiro, médica dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

“Pessoas que convivem com pacientes portadores de erisipela devem ter extremo cuidado com a higiene, sobretudo os imunodeprimidos, evitando manipular o local afetado, lavando sempre as mãos e não devem compartilhar itens utilizados pelo paciente como roupas, toalhas, sabonete etc.”

Isso não somente por conta da erisipela em si, mas porque a bactéria Streptococcus pyogenes também é responsável por inúmeras outras doenças, como a faringite e a fasciite necrosante.

A progressão da doença pode se mostrar preocupante, especialmente quando ocorrem surtos repetidos da doença. Quando isso acontece, a erisipela pode evoluir para elefantíase nostra.

Pelos seus sintomas serem muito parecidos com os de outra infecção de pele chamada celulite (que não é aquela irregularidade na pele que incomoda tanto as mulheres), muitas pessoas confundem uma doença com a outra.

Contudo, é válido saber que elas não são a mesma coisa, uma vez que a erisipela atinge as camadas mais externas da derme e a celulite atinge as camadas mais profundas, inclusive o tecido gorduroso, localizado na hipoderme.

A doença pode ser encontrada no Código Internacional de Doenças (CID-10) através do código A46.

Índice — Neste artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. O que é erisipela?
  2. Mas o que causa a Erisipela?
  3. Erisipela ou celulite?
  4. A erisipela é contagiosa?
  5. Quais são os grupos de maior risco para contrair a doença?
  6. Sintomas
  7. Diagnóstico
  8. Erisipela tem cura?
  9. Tratamento
  10. Medicamentos
  11. Convivendo
  12. Prognóstico
  13. Caso o tratamento não seja feito, há alguma complicação?
  14. Como posso me prevenir da Erisipela?

Mas, o que causa a erisipela?

Na maioria das vezes, a doença é causada pela bactéria Streptococcus pyogenes, do grupo A, mas também pode ter como causa a bactéria Haemophilus influenzae tipo B.

Essas bactérias penetram em nossa pele através de pequenos ferimentos que eventualmente tenhamos, como frieiras, pelos ou unhas encravadas, e se dissemina através de nossos vasos linfáticos.

É praticamente impossível se prevenir dessas bactérias, pois elas podem estar presentes em qualquer lugar, inclusive em nossa pele. Outras causas que podem dar início a uma erisipela são:

  • Úlceras na pele;
  • Incisões cirúrgicas;
  • Picadas de insetos;
  • Algumas doenças de pele, como a psoríase;
  • Aplicação de drogas ilegais, como a heroína;
  • Pernas inchadas devido a algum problema de saúde, como a diabetes.

A doença se desenvolve, na maioria dos casos, nos membros inferiores, como pernas e pés (75% das vezes), mas há casos também de desenvolvimento no rosto, que está ligado diretamente com a dermatite seborreica.

Erisipela ou celulite?

Ambas, a erisipela e a celulite, são causadas por bactérias que infeccionam a pele. O que vai diferenciar um caso do outro é a profundidade da infecção. Para entender isso, porém, é necessário lembrar antes de como é a anatomia da pele.

Nossa pele é dividida em camadas. Superiormente, temos a epiderme, que podemos ver e tocar diretamente. Abaixo dela, temos a derme, a camada mais profunda da pele, de onde nascem os pelos e os folículos pilosos. Em seguida, há uma camada de gordura que separa a pele dos músculos.

A erisipela acontece quando a infecção causada pela bactéria atinge a derme. Quando a infecção chega a atingir a gordura que fica abaixo da derme, temos a celulite.

Contudo, é importante ressaltar que a celulite da qual estamos falando aqui não se trata da pele com aspecto ondulado, que recebe o nome técnico de lipodistrofia ginoide, mas sim de uma infecção do tecido celular subcutâneo, ou seja, da camada de gordura abaixo da pele.

A erisipela é contagiosa?

A forma bolhosa da erisipela tem risco de ser contagiosa” explica o Dr. Carlos Augusto Zanardini Pereira, médico dermatologista e professor da PUC-PR. “Para isso, é necessário que o paciente apresente secreções. Quando há secreção, pode haver a presença da bactéria, o que aumenta chances de uma possível transmissão.”

Para que transmissão da erisipela ocorra, entretanto, é necessário que a pessoa saudável possua alguma abertura na pele, como um arranhão ou uma picada de mosquito mal cicatrizada, ou seja, a pessoa saudável tem que ter feridas no corpo e entrar em contato com secreções do paciente com erisipela bolhosa.

As chances de algo assim acontecer são consideravelmente baixas, entretanto, elas existem. Especialmente pacientes imunossuprimidos devem levar essa informação em consideração, pois a mesma bactéria que causa a erisipela também é causadora de outras doenças, como:

Por essa razão, é de extrema importância que as pessoas que vivem com um portador de erisipela tomem os todos os cuidados necessários para não entrar em contato com a bactéria. Ou seja, lavar as mãos e não dividir objetos pessoais é o mínimo que se pode fazer.

Quais são os grupos de maior risco para contrair a doença?

As pessoas mais propensas a contraírem a erisipela são:

  • Crianças com idade entre 2 e 6 anos;
  • Adultos com mais de 60 anos;
  • Pessoas com excesso de peso;
  • Portadores de diabetes não compensado;
  • Pessoas que apresentam diminuição no número de linfáticos, como portadores de linfedema ou recém saídos de mastectomia;
  • Pessoas com insuficiência venosa nos membros inferiores;
  • Pessoas cardiopatas e nefropatas com inchaço nas pernas;
  • Pessoas imunossuprimidas ou com doenças crônicas debilitantes.

Se alguém que você conhece está nesse grupo de risco e apresenta os sintomas da doença, sugira que ela vá a um médico. Ah, e também não se preocupe com você, caso fique em contato direto com essa pessoa, pois a doença não é contagiosa.

Sintomas

Além das feridas avermelhadas que citamos no começo do texto, outros principais sintomas da doença são:

  • Pequenas bolhas na pele;
  • Febre;
  • Náuseas e vômito;
  • Calafrios.

Erisipela bolhosa

No caso da erisipela bolhosa, as bolhas possuem cerca de 10cm de comprimento e contém um líquido que pode ser transparente, amarelo ou marrom. Além disso, caso o ferimento seja nas pernas ou nos pés, ínguas (caroço que fica sob a pele e dói quando é apalpado) na virilha podem aparecer e a temperatura local pode aumentar.

Diagnóstico

O diagnóstico da doença é sempre feito por um clínico geral ou por um dermatologista, que assim como para as outras dermatoses, saberá te indicar corretamente qual o tipo de tratamento para o seu caso.

Normalmente, por não ter necessidade, o especialista não pede nenhum exame além do clínico que ele mesmo faz. Porém, há alguns que solicitam um exame de sangue, ou até mesmo uma biópsia da pele, para confirmar qual é o tipo de bactéria causadora da doença.

Erisipela tem cura?

Quando diagnosticada rapidamente, a erisipela tem cura. Ela se dá através do tratamento medicamentoso com antibióticos e medidas para prevenção do seu reaparecimento.

Tratamento

A principal forma de tratamento da erisipela se dá através do uso de antibióticos da família das penicilinas, entretanto, pacientes alérgicos a essa substância também tem opção medicamentosa.

Ele dura por volta de 10 a 14 dias e é feito por via oral, nos casos mais simples. Quando o paciente apresenta um quadro mais grave, pode ser necessário o uso de antibióticos intravenosos.

No fundo, o tratamento vai variar de caso a caso. Através da cultura das bactérias coletadas, é possível saber qual delas está causando a doença e escolher um antibiótico que surte maior efeito.

Além do tratamento medicamentoso, o paciente também pode ser instruído a tomar alguns cuidados em casa. Confira quais são abaixo.

Tratamento caseiro

Ao constatar a doença, você deve:

  • Repousar na maior parte do dia com o local da infecção em uma posição mais elevada do que o seu corpo;
  • Revezar com o repouso algumas caminhadas pela casa;
  • Beber bastante líquido;
  • Fazer compressas com água gelada sobre as feridas.

Contudo, é importante ressaltar que o tratamento caseiro por si só não resolve o problema. A erisipela é uma infecção do tecido subcutâneo que, se não tratada, pode levar à infecção generalizada caso não haja pronto atendimento médico.

Cirurgia

Cirurgias para o tratamento da erisipela só são necessárias em casos extremos da doença, ou seja, quando ela se desenvolve no organismo de uma forma muito rápida e mata vários tecidos saudáveis do corpo, causando necrose, gangrena ou abcessos. O procedimento da cirurgia, nesses casos, buscam retirar o tecido afetado.

Medicamentos

Os medicamentos prescritos pelo seu dermatologista normalmente são para uma semana, mais ou menos. Entre eles estão:

Para quem tem alergia a penicilina, os medicamentos geralmente usados são:

No caso da erisipela bolhosa, caso mais grave da doença, os medicamentos podem ser aplicados através das veias, em um hospital, ou através de cremes antimicrobianos, como o ácido fusídico a 2% e a sulfadiazina argêntica a 1%.

Atenção!

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas neste site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Convivendo

Pacientes que têm casos recorrentes de erisipela são pessoas que normalmente vão ter que conviver com a doença. Por isso, eles devem tomar algumas medidas para aumentar a qualidade de vida, como:

  • Usar meias de compressão;
  • Hidratar a pele;
  • Fazer exercícios físicos;
  • Elevar o membro afetado ao dormir;
  • Adotar uma dieta saudável;
  • Praticar abstinência de álcool;
  • Controlar o peso;
  • Se receitado pelo médico, fazer uso de antibioticoterapia profilático.

Prognóstico

Na maior parte dos casos, o prognóstico da erisipela é positivo, ou seja, se o paciente seguir o tratamento corretamente, muito provavelmente não desenvolverá o quadro novamente e não terá grandes complicações.

Entretanto, enquanto alguns pacientes podem apresentar quadros recorrentes da doença, outros, com o sistema imune comprometido, podem ter grandes complicações, desenvolvendo quadros que variam de abcessos à infecção generalizada.

Caso o tratamento não seja feito, há alguma complicação?

Em alguns pacientes, a infecção da erisipela pode se repetir várias vezes, o que tem como consequência alterações na circulação e um aumento da predisposição de inchaço crônico no local afetado.

Pacientes debilitados têm mais chances de desenvolver quadros mais graves, em que a infecção pode se tornar generalizada e levar ao óbito.

É preciso ressaltar que complicações podem acontecer e que, nesses casos, apenas o tratamento rápido poderá evitar maiores danos. Uma infecção mais grave normalmente apresenta como sintomas:

  • Dores fortes;
  • Febre;
  • Suor frio;
  • Palidez da pele;
  • Náuseas;
  • Aumento da frequência respiratória;
  • Sonolência, confusão e problemas com a consciência.

Caso você note esses sintomas, ligue imediatamente para o serviço de emergências.

Além disso, se não tratada, a doença pode causar complicações como:

  • Abscessos;
  • Surgimento de coágulos de sangue;
  • Gangrena (morte do tecido);
  • Envenenamento sanguíneo, que acontece quando a infecção ultrapassa a corrente sanguínea;
  • Infecção de válvulas sanguíneas;
  • Infecções de articulações e ossos;
  • Se a infecção estiver presente próximo aos olhos, é provável que ela atinja o cérebro.

Como posso me prevenir da Erisipela?

Por mais que a doença não possa ser sempre prevenida, você pode seguir algumas dicas para evitá-la:

  • Como em toda infecção, lave as mãos constantemente para evitar a proliferação da bactéria;
  • Mantenha sempre as feridas limpas;
  • Não ande descalço e troque de meias todos os dias, dando preferência às de algodão;
  • Se você tiver pé-de-atleta, trate-o;
  • Use hidratantes para evitar que sua pele fique seca;
  • Tente não coçar a sua pele com muita frequência;
  • Caso você tenha outra doença de pele, como psoríase e eczema, mantenha o tratamento em dia.

Por mais que a erisipela não seja de conhecimento comum perante as pessoas, ela pode causar diversas complicações se não tratada o quanto antes, como qualquer doença. Por isso, essas informações sobre a doença, incluindo causas, sintomas e tratamentos, são tão importantes ao serem repassadas.

Faça a sua parte e, qualquer dúvida que você ainda possua sobre a erisipela, pergunte aqui nos comentários que a gente responde!

20/07/2018 17:13

Redação Minuto Saudável

Somos um time de jornalistas e especialistas em comunicação digital dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável. Confira mais na nossa página de quem somos.

Ver comentários

  • Muito esclarecedor, me ajudou muito para tirar todas as dúvidas sobre a erisipela.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Olá!
    Na semana do carnaval nasceu uma mancha vermelha em minha perna, alguns dias depois se formou uma bolha que cresceu bastante e eu fiquei de cama, tive febre, ânsia de vomito, fraqueza, e calar frio, tomei cefalexina e fiz compressa com água morna, alguns dias depois estourou, e ficou tipo um buraco. Isso pode ser erisipela?

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá Joana!

      Lamentamos a impossibilidade de fornecer conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais, pois somos impossibilitados pela ANVISA de prestar tal atendimento. Mas nós esperamos que você encontre respostas dentro de nosso site, através de informações como bulas ou até mesmo conteúdos e artigos.

      Ter a ferida examinada por um médico é o melhor jeito de descobrir o que é.

      Outra coisa: A cefalexina é um antibiótico. Tomar antibióticos sem acompanhamento médico é perigoso, pois se você não sabe qual bactéria está causando o problema, usar o antibiótico errado pode fazer com que outras bactérias adquiram resistência ao medicamento. A mesma coisa acontece se a dose for errada ou o tempo de tratamento impreciso. Não tome antibióticos sem acompanhamento médico. Existe o risco de piorar a infecção, que fica mais difícil de tratar e pode causar sérios problemas.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Explicações de A a Z,parabéns pela matéria!

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Oi me chamo Aline Drieli tenho 27 anos estou acima do meu peso e estou com erisipela na perna direita começou a cicatrizar e fiquei internada tomando medicamento na veia por sete dias e agora o meu médico passou levofloxacino pra mim tomar por sete dias pra mim melhorar e o correto

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Excelente informação

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • E quanto a alimentaçao? minha amiga esta com muita ansia de vomito e muita das vezes chega a vomitar e tem muita dor de cabeça ela ja tem a doença

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá Elaine.

      O tratamento médico precisa ser feito e isso é o que irá curar a doença. Entretanto, uma alimentação equilibrada ajuda o sistema imunológico, o que facilita a eliminação das bactérias causadoras da doença.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Olá, boa noite. Me chamo Denilton, eu tenho erisipela desde 94. Minha perna permanece e inchada até hoje. Sempre fui a alguns Dermatologistas e eles disseram que não tem cura. Nunca me pediram um exame. Simplesmente diz que não tem cura. Tomei por vários anos benzetacil de 1200 e uso meias elásticas. Por favor me dêem uma resposta, preciso ser curado.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá, Denilton.

      A erisipela tem cura sim, basta erradicar a infecção. Contudo, é comum que hajam reincidivas, especialmente quando o tratamento não é seguido corretamente. Infelizmente, não podemos te fornecer conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais, pois somos impossibilitados pela ANVISA de prestar tal atendimento. O que podemos fazer é te aconselhar a buscar outros médicos e para se certificar do diagnóstico e buscar o melhor tipo de tratamento.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

      • Oi amigo!Minha mae tambem tem essa doença...ela faz tratamento com um Angiologista.Procure um especialista dessa area,e que Deus lhe de a cura atraves d tratamento e de sua fe!!!Abraços.

        Cancelar resposta

        Deixe uma resposta

        Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Olá... gostaria de saber se uma pessoa que é portadora de psoríase e
    Diabetes, corre algum risco de contagio ao conviver com outra que tenha Erisipela?

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá, Marcos!

      A erisipela pode ser transmitida de pessoa para pessoa pelo contato ou pelo compartilhamento de objetos contaminados, como talheres e toalhas. Os riscos de transmissão aumentam ainda mais quando o paciente apresenta feridas abertas e não está realizando o tratamento corretamente.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

      • A ERISIPELA É TRANSMISSÍVEL?

        Cancelar resposta

        Deixe uma resposta

        Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

        • "A erisipela pode ser transmitida de pessoa para pessoa pelo ar, pelo contato ou pelo compartilhamento de objetos contaminados, como talheres e toalhas. " Victor

          "A erisipela não é transmissível nem hereditária." Victor

          Acabei de visitar meu sobrinho no hospital, internado com erisipela. Afinal, é transmissível ou não é??? Essa dualidade contamina o site e gera dúvidas em todas as situações, inclusive no caso de outras enfermidades!!!

          Cancelar resposta

          Deixe uma resposta

          Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

          • Olá, Sinesio!

            Primeiramente, peço perdão pela confusão que acabei causando nas respostas que dei anteriormente. Você tem razão em reclamar da minha contradição. Gostaria de informar que estamos revisando o texto de forma a deixar essa dúvida mais clara já no início da página. Por isso, agradecemos também o comentário.

            Agora, sanando as dúvidas de forma definitiva: a erisipela pode ser contagiosa quando está na sua forma bolhosa, pois é possível que o paciente apresente secreções nas bolhas. Se uma pessoa saudável entrar em contato com essas secreções e possuir alguma ferida na pele, como uma arranhão, ela corre o risco de ser contaminada. Quando não está em sua forma bolhosa, não há chances da erisipela ser transmitida de pessoa para pessoa.

            Cancelar resposta

            Deixe uma resposta

            Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Olá boa noite, o clinico deu o diagnóstico do meu avô como erisipela, ela está tomando antibiótico e internado no hospital há 8 dias e continua tendo febre todos os dias, ele é diabéticos. Será que o antibiótico que ele está tomando tá tendo algum resultado, a febre já não era pra ter cessado? Por favor me responda.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá, Vanessa. Nesse caso, é essencial que o médico responsável pelo tratamento do seu avô seja imediatamente informado sobre essa condição. Somente ele, ou outro profissional especializado de plantão, poderá averiguar a situação e orientar a medida adequada a ser tomada.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Olá boa noite..meu filho já teve a erisipela..ele foi tratado com antibióticos enfim...só que depois de dois meses voltou novamente e ele tem uma cirurgia de orelha de abano daqui uns seis dias ele começou a tomar os antibióticos hoje...será que ele vai poder fazer essa cirurgia?? Isso vai interferir?

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá Josiely!

      É importante que você relate o histórico de seu filho para o médico para que ele avalie as possíveis restrições a cirurgia.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Minha primeira crise foi 6 dias internada, os dedos dos pés necrosou. A segunda foram 33 dias,nessa tive a bolhousa. 15 foram em estado grave,não respondia ao tratamento. A terceira foram 15 dias internada. A quarta não aguentei mais o hospital e fiquei em casa,mais 15 em cima da cama. A quinta estou agora,a uma semana,não aguento mais. Qualidade de vida é 0😥😥😥 e junto a tudo isso tive 3 trombose na safena da perna direita. Desde a segunda crise eu já perde 35 kilos,estava com 105. Estou com uma anemia bem acentuada,já tomei sangue. Não sei mais o que fazer.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Bom dia...eu estou com a erisipela já faz uns 16 dias tratando dela,e a minha deu bolhas, a minha perna desinchou bastante mas eu ainda sinto um pouco de dificuldade pra andar normalmente, a minha panturrilha ainda fica com um pouco de incomodo,eu ainda estou tomando medição, isso é devido a falta de andar mais, porque eu quase não andava, e hoje não consigo ficar sentado sem a minha panturrilha começar a formigar,por mais quanto tempo a ainda vai ficar assim...

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • qual foi o remédio que você tomo que desinchou

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Boa noite...minha tia faleceu dia 23 de maio e foi por complicaçoes da erizipela porem foi negligência médica.Ela sofreu muito tratando da perna e chegou a fechar depois ela bateu a perna e no machucado acabou voltando e em forma bolhosa vazava muito líquido.Ela tomava benzetacio a cada 20 dias , minha mãe fazia os curativos em casa passava a pomada mas do nada ela foi perdendo as forças e começou a cair...Ela nao conseguia mais andar caia , levando ao medico só faziam exame de urina e sangue e mandava pra casa pra tomar amoxilina...os remedios deram diarreia e nao adianta levar ao P.S nunca internavam ela...ela foi só piorando gradativamente por cerca de um mês e nada de internarem até que uma semana antes de falecer no pronto socorro o medico disse que a infecçao ja estava na corrente sanguinea mesmo assim se recusaram a interna_ la ...convênio santa helena...mandou pra casa e depois de 4 dias ele nao acordou mais chamamos o samu...ai internaram com um quadro de desidratação potassio la embaixo e a infecçao se espalhou...um dia depois ela ja foi pra uti entubada e no outro faleceu...causa da morte no atestado de obito foi choque séptico e erizipela nos membros inferiores ...ai me pergunto foi total negligência medica meu tio implorava pra internarem ela pra cuidar dela no hospital e melhorar aquela perna...e se recusaram apenas internando quando o samu levou desacordada ja por conta da infecçao ...eu to muito triste desculpa sei que nao é desabago aqui mas indignada por terem permitido e nada terem feito qdo a infecçao chegou na corrente sanguinea.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • aconteceu exatamente assim com una funcionaria - morreu em 47 dias - nunca a internaram - sentia dores nas pernas super inchadas - medicavam e mandavam para casa - total descasso.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá, Nina. Nesse caso, o mais indicado é procurar um advogado especializado em causas médicas. Esse profissional poderá avaliar a situação, identificar se realmente se trata de negligência e orientar quais as medidas cabíveis. Agradecemos o seu comentário.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Meu nome é Wagner e meu pai está com erisipela já faz mais de uma semana e constatou que ele está com diabete e agora está com bolhas com sangue isso é preocupante minha mãe falou que pode até amputar .

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Parabéns!
    Foi muito bom saber mais sobre esta doença que deu mais esclarecimento.
    Gratidão
    Leandro Carvalho

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Minha filha também foi vítima dessa maldita doença, mas minha bebê já nasceu com um problema de pele, chamada de herpiceratose herpiceratose do grupo da ictiose congênita .eu nao como indentificar que ela tava com eripela bolhosa , dia 2/7/18 levei ela pra UPA pq ela nao parava de chorar , quando cheguei a médica nao mediu a temperatura,nao fizeram um exame nela ,só deram a ela hixisine e uma injeção ,a bactéria causadora da eripela bolhosa entrou nas veias sanguínea dela levando ela em óbito em menos de 36 horas no dia 2/7/18 mandaram eu vim pra casa com ela dia 4/7/18 20:40 minha bebê se foi até me pergunto porque eles nao fizeram pelo menos um exame nela ou um raio-x ,eu mas indignada e pq tinha uma dermatologista lá , minha bebê morreu , negligência médica

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Meu avô está internado há 5 dias com erisipela, tem dia que ele esta sem dor, tem dia que esta com dor, está sendo tratado com antibióticos, porem 1 semana antes da internação, o mesmo já tomava antibióticos em casa, cujo não resolveu o problema... Agora constatou no hemograma que ele esta com um pouco de insuficiência renal, não é caso de hemodiálise... Mas queria saber se esse excesso de antibiótico pode causar essa alteração na urina

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá Laura,

      Alguns antibióticos podem ser prejudiciais aos rins, mas isso varia conforme o antibiótico e a dose utilizada. Porém uma série de fatores relacionados ao quadro do paciente pode interferir na função renal. É importante relatar ao médico todos os medicamentos utilizados antes da chegada ao hospital, bem como todas as informações relacionadas a doenças anteriores. Com todas essas informações em mãos, o médico pode adaptar o tratamento se necessário, para que o paciente apresente melhora com o mínimo possível de efeitos colaterais. Esperamos ter ajudado!

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Só conheço uma clinica que resolve! Esta localizada na Cidade de Raul Soares Minas Gerais!!! Tem até carreatas para esta clinica!

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Gostaria de saber se após ter a erisipela é normal td vez se toma sol dar bolhas de água?

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá, Paula.
      A exposição ao sol pode desencadear o surgimento de bolhas, mas esses quadros devem ser avaliados e tratados com um especialista.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Olá Boa noite! Estou passando pelo tratamento de uma erisipela bolhosa q contaminou da altura do meu joelho até o meu pé, fiquei 12 dias no hospital recebendo antibióticos intravenosos e agora estou em casa fazendo uso de clavulim e nimesulida, eu gostaria de saber em média quantos dias se da a total cicatrização de uma ferida desta proporção?

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Olá, Ana Paula!

      O tempo de recuperação pode variar bastante, pois depende de inúmeros fatores, especialmente quando falamos em cicatrização. Certas pessoas têm uma tempo de cicatrização maior se comparado a outras. É importante que você siga corretamente as recomendações médicas e não interrompa o tratamento.

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*