Saúde

Dor na lombar: o que causa? Quais os tratamentos?

Por Redação Minuto SaudávelPublicado em: 19/08/2022Última atualização: 19/08/2022
Por Redação Minuto Saudável
Publicado em: 19/08/2022Última atualização: 19/08/2022
Foto de capa do artigo

Uma das queixas mais populares é a dor na lombar, que pode ser resultado de diferentes fatores que acabam desgastando a região. Dessa forma, é importante prestar atenção na frequência do sintoma e buscar um pronto-socorro, dependendo da intensidade.  

Se você deseja saber o porquê ocorre a dor na lombar  e quais são as formas de tratá-la, confira no texto abaixo. 

Índice — neste artigo você vai encontrar:

  1. O que causa dor na lombar?
  2. Quais os tipos?
  3. Como tratar?
  4. Como prevenir?

O que causa dor na lombar?

Médico examinando a lombar de um homem.
A lombalgia se dá por diferentes fatores, porém não costuma ser difícil de tratar.

A dor na lombar, ou lombalgia, é um desconforto que acomete a região final da coluna e que, em geral, não costuma ser preocupante do ponto de vista médico, pois não surge em função de alguma doença grave, mas sim de práticas inadequadas da postura durante a rotina.  

No entanto, em alguns casos pode sinalizar alterações em estruturas e órgãos internos, sendo necessário iniciar o tratamento para reverter o quadro e, assim, fazer com que a dor na lombar pare de ser frequente.    

Os exemplos mais comuns da causa de dor na lombar são:

  • Má postura:  manter a postura serve para estabilizar a estrutura corporal, sendo  a coluna vertebral, o principal elemento para ter um boa postura. Quando sentada ou em pé se a pessoa não se posiciona corretamente, a lombar acaba ficando dolorida;
  • Esforço repetitivo: quem pratica exercícios frequentemente deve se atentar para os movimentos executados e, no caso de ser musculação, deve haver cuidado nos equipamentos utilizados, pois pode sobrecarregar a coluna vertebral e provocar dor na lombar;
  • Excesso de peso: pessoas que apresentam obesidade estão mais propensas a sentirem dor na lombar, visto que a coluna vertebral não consegue se adequar ao sobrepeso;
  • Pequenos traumas: quedas ou batidas que afetam a região da coluna podem provocar traumas na lobar motivando o surgimento da dor no local;
  • Inflamações: o nervo ciático, que está presente no início do fim da coluna, pode inflamar em virtude de uma pressão nessa área. Por consequência, a pessoa pode sentir uma dor intensa e ter dificuldade para se abaixar e levantar. 
  • Doenças: a hérnia de disco (deslocamento de um disco vertebral) e o cálculo renal (minerais sólidos que surgem dentro dos rins) são doenças que apresentam como sintoma a dor na lombar. 

Segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia, entre 65% e 80% da população mundial desenvolve dor na coluna em alguma etapa de suas vidas, mas na maioria dos casos há resolução espontânea. 

Como é feito o diagnóstico?

Normalmente, o diagnóstico primário é feito pela própria pessoa que está sentindo a dor na lombar (ou lombalgia), no entanto, para averiguar a causa principal desse desconforto é necessário ir ao médico.

No consultório, o paciente terá que responder algumas perguntas  a respeito da frequência em que a dor surge, o ponto específico que ela atinge, atividades executadas durante o dia, entre outras questões. 

O diagnóstico feito pelo médico costuma ser clínico, ou seja, não é preciso nenhum exame, somente em casos que, juntamente da dor na lombar, há outros sinais associados como febre, perda de peso, déficit neurológico e idade acima dos 50 anos.

Quais os tipos?

A dor na lombar ou lombalgia pode ser classificada em dois tipos, que diferem de acordo com a intensidade e duração. São eles:

  • Dor lombar aguda: aparece de forma repentina com muita intensidade e desaparece rapidamente (quando o motivo é algum exercício físico ou má postura que provocou desgaste na região) ou entre 4 a 6 semanas depois, quando surge em virtude de um mau jeito na coluna ou espasmos musculares, que acabam deixando os músculos entre a última costela e as nádegas mais rígidos. 
  • Dor lombar crônica: caracterizada por ser menos intensa, porém mais duradoura (cerca de 3 meses ou a vida toda). Acomete com mais frequência pessoas acima dos 50 anos. Nesse caso, tratam-se de alterações mais graves que podem provocar o travamento da coluna e limitar a execução de atividades e o deslocamento (principalmente pela manhã).

Dessa forma, é importante estar atento como a dor na lombar se manifesta para assegurar que é em razão de algum problema grave. Entretanto, é sempre bom consultar o médico para que não haja dúvidas. 

Como tratar?

Massagista fazendo movimentos de pressão na lombar.
A massagem na região da lombar é uma ótima alternativa para amenizar a dor.

O tratamento recomendado para a dor na lombar vai depender dos fatores que a estão provocando. Em casos mais leves, que são a maioria, fazer repouso, massagens e movimentos de fisioterapia ajudam a aliviar a dor.  

Também pode ser prescrito, por especialistas, medicamentos como analgésicos, anti-inflamatórios, corticoides e relaxantes musculares, se a lombalgia for mais intensa.

Como prevenir?

Homem sentado com as mãos na lombar sentindo dor.
Tentar ter uma boa postura e não permanecer sentado ou em pé por muito tempo ajuda na prevenção da lombalgia.

A prevenção de dor na lombar (aguda nesse caso) pode ser feita por meio de atitudes como:

  • Não carregar peso excessivo; 
  • Manter sempre a postura correta e evitar estar sempre na mesma posição por muito tempo;
  • Evitar realizar atividades que causem pressão nas articulações da coluna e das vértebras;
  • Ter uma alimentação saudável e praticar exercícios físicos frequentemente (os que são feitos em aulas de pilates são tidos como benéficos para a coluna).

Sentir dor em qualquer região do corpo costuma ser muito incômodo e, em casos mais graves, pode atrapalhar as atividades do dia a dia. Por isso, é importante adotar cuidados para manter o corpo sempre saudável e funcionando corretamente. 

Gostou deste conteúdo? Continue acompanhando o Minuto Saudável e fique por dentro de tudo sobre saúde.

Fontes consultadas

Compartilhe

Sobre o Minuto Saudável

Somos uma empresa do grupo Consulta Remédios. No Minuto Saudável você encontra tudo sobre saúde e bem-estar: doenças, sintomas, tratamentos, medicamentos, alimentação, exercícios e muito mais. Tenha acesso a informações claras e confiáveis para uma vida mais saudável e equilibrada.

Somos uma empresa do grupo Consulta Remédios. No Minuto Saudável você encontra tudo sobre saúde e bem-estar: doenças, sintomas, tratamentos, medicamentos, alimentação, exercícios e muito mais. Tenha acesso a informações claras e confiáveis para uma vida mais saudável e equilibrada.
Banner anuncie em nosso site
Banner anuncie em nosso site
Nos acompanhe nas redes sociais:
Atenção: O conteúdo do site Minuto Saudável, como textos, gráficos, imagens e outros materiais são apenas para fins informativos e não substitui o conselho médico profissional, diagnóstico ou tratamento. Se você acha que pode ter uma emergência médica, ligue para o seu médico ou 192 imediatamente. Minuto Saudável não recomenda ou endossa quaisquer testes específicos, médicos (profissionais de saúde), produtos, procedimentos, opiniões, ou outras informações que podem ser mencionados no site. A confiança em qualquer informação contida no site é exclusivamente por sua conta e risco. Se persistirem os sintomas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico. Leia a bula.

Minuto Saudável © 2022 Blog de Saúde, Beleza e Bem-estar
Política de Privacidade