Desde a década de 1960, vários métodos contraceptivos foram desenvolvidos para mulheres, como: camisinha feminina,  DIU (dispositivo intrauterino), contracepção hormonal injetável, anel vaginal, entre outros. 

Dados mostram que a pílula anticoncepcional é o mais usado pelas mulheres brasileiras, seja pela eficácia, praticidade ou custo/benefício.

Diversos tipos  podem ser encontradas de acordo com seus componentes e ações no organismo. Conheça um pouco mais sobre o Ciclo 21. 

Índice — neste artigo você vai encontrar: 

  1. O que é Ciclo 21?
  2. Composição
  3. Posologia: como usar o Ciclo 21?
  4. Quando o Ciclo 21 começa a fazer efeito?
  5. Efeitos colaterais
  6. Contraindicações
  7. Valor: qual o preço e onde comprar?

O que é Ciclo 21? 

O Ciclo 21 é um contraceptivo oral bastante popular e acessível, que concilia os componentes etinilestradiol e levonorgestrel e é indicado para prevenir a gravidez e para regular o ciclo menstrual. 

A cartelinha conta com 21 comprimidos. Ou seja, 21 dias tomando uma pílula por dia, e quando finalizada a cartela, é dada uma pausa de 7 dias e assim recomeçar um novo ciclo.

A cada comprimido tomado, hormônios sintéticos são depositado na corrente sanguínea, fazendo com que o ovário compreenda que já não deve produzir mais hormônios e nem eclodir os óvulos. É isso que de fato evita a gravidez. 

Essa mudança na regulação hormonal natural faz com que outras alterações também ocorram no corpo, como no muco cervical e no endométrio.


O muco cervical é uma secreção natural líquida produzida de forma constante no colo do útero para proteger de possíveis infecções. Ocorre que, quando a mulher está em seu período fertil, a aparência do muco cervical se altera, deixando de ser grossa para ficar mais fina, o que facilita a passagem do espermatozoide. 

O uso do Ciclo 21 impede que essa alteração aconteça, fazendo com que o muco cervical permaneça sempre espessa, tornando-se um obstáculo para a entrada do espermatozoide.

Algo similar também ocorre no endométrio — tecido que reveste o interior do útero. Durante a primeira fase do ciclo menstrual há aumento de estrogênio e de progesterona na segunda fase. Isso faz com que o endométrio fique mais espesso para receber um óvulo fecundado. Com o uso do Ciclo 21 essas fases hormonais são bloqueadas, e o endométrio vai se manter sempre no mesmo estado.

É seguro?

Segundo a bula do Ciclo 21, são comprovados os seguintes efeitos na saúde:

 Efeitos sobre a menstruação:

  • Melhora da regularidade do ciclo menstrual; 
  • Diminuição da perda de sangue e da incidência de anemia ferropriva;
  • Diminuição da incidência de dismenorreia (dor uterina por volta do período menstrual). 

Efeitos relacionados à inibição da ovulação:

  • Diminuição da incidência de cistos ovarianos funcionais; 
  • Diminuição da incidência de gravidez ectópica (gestação que se inicia fora do útero).

Outros benefícios não-contraceptivos: 

  • Diminuição da incidência de fibroadenomas e de doença fibrocística da mama; 
  • Diminuição da incidência de doença inflamatória pélvica aguda; 
  • Diminuição da incidência de câncer endometrial; 
  • Diminuição da incidência de câncer de ovário; 
  • Diminuição da gravidade de acne. 

Quando corretamente e constantemente ingeridos, a taxa provável de falha dos contraceptivos orais combinados é de 0,1% por ano, entretanto, a taxa de falha durante uso típico é de 5% por ano para todos os tipos de contraceptivos orais. 

Ou seja, a eficácia da maioria dos métodos de contracepção depende da precisão com que eles são usados. A falha do método é mais comum se os contraceptivos orais combinados são esquecidos.

Composição

Segundo a bula, cada comprimido contém 0,15mg de levonorgestrel e 0,03mg de etinilestradiol junto aos excipientes: lactose, povidona, celulose microcristalina, laurilsulfato de sódio, croscarmelose sódica e macrogol. 

Excipiente é uma substâncias substância farmacologicamente inativa usada como veículo para o princípio ativo, ajudando na sua preparação ou estabilidade. 

Pode acontecer a redução do efeito do medicamento caso se utilize:

  • Qualquer substância que reduza o tempo do trânsito gastrintestinal e, portanto, a absorção do etinilestradiol;
  • Substâncias indutoras das enzimas microssomais hepáticas, como rifampicina, rifabutina, barbitúricos, primidona, fenilbutazona, fenitoína, dexametasona, griseofulvina, topiramato, alguns inibidores de protease, modafinil;
  • Hypericum perforatum, também conhecido como erva de São João, e ritonavir (possivelmente por estimulação das enzimas do fígado);
  • Alguns antibióticos (por exemplo, ampicilina e outras penicilinas, tetraciclinas), por diminuição da circulação intestino-fígado de estrogênios.

Já em caso de superdosagem, podem ocorrer náuseas e hemorragias por supressão. Se necessário, a superdosagem é tratada sintomaticamente. Se sentir sintomas graves procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento se possível.

Posologia: como usar o Ciclo 21?

Basta tomar um comprimido diariamente por 21 dias consecutivos no mesmo horário e na ordem indicada na cartela. Quando o último comprimido for tomado você deve dar uma pausa de 7 dias, pois esse será o período menstrual. No 8º dia, mesmo que a menstruação não tenha cessado, é preciso começar uma nova cartela.

Como tomar Ciclo 21 pela primeira vez?

Para tomar o anticoncepcional Ciclo 21 pela primeira vez, deve-se ingerir o 1º comprimido da cartela no 1º dia da menstruação e continuar a tomar 1 pílula por dia no mesmo horário até o fim da cartela, seguindo as instruções da bula.

Ao terminar deve-se fazer uma pausa de 7 dias no final de cada cartela e iniciar a próxima apenas no 8º dia, mesmo que a menstruação tenha terminado mais cedo ou que ainda não tenha acabado.

É importante que a pílula seja tomada sempre no mesmo horário para evitar a redução do seu efeito. Para não esquecer, você pode guardar a cartela em um local bem visível, de fácil acesso e colocar um alarme diário no celular.

Não há um horário específico, mas o ideal é evitar tomar a pílula em jejum, pois pode causar mal-estar e dor no estômago.

Reforçamos que se deve iniciar o uso do Ciclo 21 após uma consulta com um profissional, para certificar que essa é melhor opção pra você, pois o que funciona para uma pessoa não funciona para outra.

O que fazer em caso de esquecimento?

Quando o esquecimento é inferior a 12 horas do horário habitual, deve-se tomar o comprimido esquecido assim que for lembrado, e ingerir o próximo no horário habitual. Nesses casos, a proteção contraceptiva de Ciclo 21 é mantida. No entanto, quando o esquecimento é superior a 12 horas do horário habitual, o efeito contraceptivo pode ser diminuído.

Nunca deve se ingerir mais de um comprimido para “compensar” aquele esquecido no dia anterior, pois isso não terá nenhum efeito positivo. Vale frisar que a pílula anticoncepcional não é igual à pílula do dia seguinte, dessa forma, não devem ser usadas em conjunto ou em substituição uma da outra.

Quando o ciclo 21 começa a fazer efeito?

O Ciclo 21 assim como outras pílulas anticoncepcionais,  demoram cerca de um mês para fazer efeito e prevenir a gravidez. No entanto, em alguns casos, o organismo pode levar mais tempo do que isso para se adaptar aos hormônios do método contraceptivo. Por isso, nos primeiros meses, o ideal é combinar o uso da camisinha caso o objetivo seja prevenir a gravidez.

Em média três cartelas são necessárias para adequar-se ao anticoncepcional completamente. Por isso, é comum ter sangramento irregular [escape menstrual] na primeira cartela, diminuindo na segunda e desaparecendo na terceira. Caso na quarta tabela ainda tenha sangramento irregular, é necessário procurar o médico ou médica.

Efeitos colaterais 

O uso do Ciclo 21 pode causar diversos efeitos colaterais, porém, nem todas as mulheres desenvolvem esses sintomas após iniciar o uso do método contraceptivo. Os mais comuns são:  

  • Vaginite, candidíase;
  • Alterações de humor,  depressão;
  • Alterações do apetite sexual;
  • Dor de cabeça, enxaqueca, nervosismo, tontura;
  • Náuseas, vômitos, dor abdominal;
  • Acne, sangramento de escape, dor; 
  • Sensibilidade, aumento e secreção das mamas; 
  • Alterações no fluxo menstrual, ausência de menstruação, retenção de líquidos e alterações no peso.

Ciclo 21 dá espinhas?

Depende, algumas pessoas não apresentam acne enquanto tomam anticoncepcionais, mas começam a ter surtos ao interromperem o uso. Isso acontece devido à forma como os anticoncepcionais regulavam os hormônios.

Os contraceptivos orais combinados, como o Ciclo 21, suprimem os hormônios naturais, inclusive a testosterona. Quando você deixa de tomar essas pílulas, os andrógenos (que são hormônios masculinos), podem aumentar, o que pode resultar em acne.

Ao escolher dar início ao uso de uma pílula anticoncepcional, consulte um médico ou médica ginecologista para esclarecer todas as suas dúvidas a respeito de contraceptivos com efeito androgênico, dessa forma o profissional vai poder recomendar o mais adequado.

Ciclo 21 engorda? 

O Ciclo 21 possui compostos que não alteram a balança diretamente, mas podem aumentar a retenção de líquidos, deixando a mulher inchada, o que causa a impressão de que está mais acima do peso. Mas não se pode afirmar qual ser  a intensidade deste acúmulo de líquido, pois varia muito para cada mulher.

Quais as contraindicações?

Apesar de seguro, o Ciclo 21 está contraindicado para crianças, idosas, grávidas, suspeita de gravidez, homens, pacientes com hipersensibilidade aos componentes da fórmula, na amamentação e em casos de:

  • Pressão alta;
  • Câncer de mama ou outro câncer estrogênio-dependente conhecido ou suspeito;
  • Tumor glandular benigno;
  • Câncer do fígado ou distúrbios do fígado.
  • Histórico atual ou anterior de trombose venosa profunda ou tromboembolismo;
  • Derrame cerebral ou estreitamento dos vasos que sustentam o coração;
  • Doença das válvulas do coração ou dos vasos sanguíneos;
  • Diabetes com envolvimento dos vasos sanguíneos.

Valor: qual o preço e onde comprar?

O Ciclo 21 é produzido pelos laboratórios União Química e pode ser comprado nas farmácias convencionais ou online, bem como plataformas como o Consulta Remédios. Cada caixa contém cartelas de 21 comprimidos, e é vendido por um preço de cerca de R$2 a R$8 reais*.

*Preços consultados em outubro de 2020. Os valores podem sofrer alteração.


Quer saber mais sobre métodos contraceptivos? Em Saúde da mulher você encontra conteúdos interessantes e informativos a respeito. 

Fontes


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.