A meningite tuberculosa é uma doença cerebral extremamente perigosa, assim como a tuberculose pulmonar também é.

Uma das bactérias responsáveis por essas infecções é muito contagiosa e, além de afetar cérebro e pulmões, ela pode causar problemas em outras partes do corpo.

Felizmente, existe uma vacina que pode deixar o corpo humano protegido dessa bactéria.

É a vacina BCG.

Leia e aprenda mais sobre essa poderosa arma contra a bactéria Mycobacterium. tuberculosis!

Índice – neste artigo você encontrará as seguintes informações

  1. O que é a vacina BCG?
  2. Para que serve a vacina BCG?
  3. Como a vacina BCG atua no organismo
  4. Quando tomar a vacina BCG?
  5. Quanto tempo dura o efeito da vacina BCG?
  6. Preço: dá para comprar?
  7. Tem efeitos colaterais?
  8. Contraindicações da vacina BCG
  9. Onde encontrar a vacina BCG?
  10. Perguntas frequentes

O que é a vacina BCG?

A vacina BCG é utilizada para garantir imunidade à meningite tuberculosa, causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis. No entanto, não é capaz de oferecer 100% de eficácia na prevenção da tuberculose pulmonar.


Mesmo assim, a administração da vacina em massa é importante para prevenir as manifestações mais graves da doença, como a própria meningite tuberculosa e a tuberculose miliar (forma disseminada).

Ela é obrigatória e dada já ao recém-nascido, reduzindo as chances de essa doença extremamente contagiosa e perigosa espalhar-se.

Ela é produzida a partir da atenuação de um outro agente extremamente parecido, a Mycobacterium bovis, de origem bovina.

A versão atenuada da M. bovis foi adquirida através da seleção de variedades mais fracas em culturas da bactéria. Esses agentes escolhidos se reproduziam novamente e dentre a nova cultura, as bactérias mais fracas eram novamente selecionadas.

Depois de um total de 231 gerações no decorrer de 13 anos, em 1919, a variedade enfraquecida foi batizada de bacilo Calmette-Guérin pelos pesquisadores que a produziram, Jean Marie Camille Guérin e Albert León Charles Calmette.

Atualmente, as versões utilizadas na vacina não são exatamente similares à produzida em 1919, possuindo algumas variações genéticas de acordo com o laboratório.

Para que serve a vacina BCG?

A vacina BCG serve para evitar a transmissão da bactéria Mycobacterium tuberculosis, um dos principais causadores da tuberculose, uma doença bacteriana que normalmente afeta os pulmões.

Essa bactéria também pode afetar outras partes do corpo, como os ossos ou as meninges (camadas de proteção do cérebro), causando assim meningite em vez de tuberculose.

A vacina protege contra a doença no cérebro se ela for decorrente da infecção por Mycobacterium tuberculosis (lembrando que várias bactérias diferentes podem causar meningite).

É importante mencionar que a vacina BCG não é especialmente eficaz em proteger da forma pulmonar da doença, mas é muito efetiva em impedir a meningite tuberculosa, que é uma condição muito mais grave e emergencial.

Imunização de grupo

A imunidade de grupo, também chamada de efeito rebanho, é um dos principais benefícios da vacina para uma comunidade quando se trata de doenças contagiosas.

Se uma doença pode ser transmitida de pessoa para pessoa, ter imunidade não quer dizer apenas que você não irá contrair a doença, mas também significa que você não irá transmiti-la para ninguém.

Toda vacina possui suas contraindicações, então algumas pessoas não podem ser vacinadas e imunizadas.

Quando a maior parte de uma comunidade é imune a uma doença, até aquelas pessoas que não podem ser imunizadas estão protegidas, já que ninguém ao seu redor pode disseminar a infecção.

Isso significa que, apesar de nem todas as pessoas de um grupo serem imunes, o grupo como um todo é. Por isso é importantíssimo que todos aqueles que podem se vacinar o façam.

Como a vacina BCG atua no organismo?

A vacina BCG atua expondo o sistema imunológico ao bacilo Calmette-Guérin, que é uma versão atenuada da Mycobacterium bovis, que por usa vez é próxima da principal causadora da tuberculose e da meningite tuberculosa em humanos, a Mycobacterium tuberculosis.

Nessa versão, a bactéria é muito fraca para conseguir causar danos no corpo humano e o sistema imunológico é capaz de lidar facilmente com ela, adquirindo então imunidade à versão forte do patógeno e à M. tuberculosis.

A vacina BCG só é recomendada para crianças com menos de 1 ano, já que sua eficácia fica reduzida conforme a idade do paciente aumenta e não apresenta eficácia quando aplicada em adultos.

Leia mais: Minuto Investiga: tomar vacina pode causar autismo?

Quando tomar a vacina BCG?

A vacina BCG é recomendada como rotina a partir do nascimento até os 5 anos de idade. É aplicada junto com outras vacinas na maternidade, mas caso isso não aconteça, em qualquer momento é possível visitar uma Unidade Básica de Saúde com a criança para que ela receba a vacinação pelo SUS.

Além disso, pessoas em qualquer idade que convivem com portadores de doenças como hanseníase, estrangeiros não vacinados ou pessoas que estão de saída do país devem receber.

Existe idade adequada para tomar a vacina BCG?

Sim, existe. Quanto mais velha a pessoa, menos efetiva a vacina é, sendo que ela não é considerada efetiva quando aplicada em adultos.

Recomenda-se que a criança receba a vacina BCG antes de completar 1 ano de idade.

Quanto tempo dura o efeito da vacina BCG?

Estima-se que a vacina BCG forneça uma proteção que dura em torno de 20 anos, o bastante para que o corpo se desenvolva e tenha imunidade mais forte. A vacina é especialmente importante por proteger crianças, que têm corpos mais frágeis, da meningite.

Preço: dá para comprar a vacina BCG?

A vacina BCG é disponibilizada em hospitais e Unidades Básicas de Saúde (UBS), encontrada também em clínicas particulares de vacinação.

Você pode receber gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mas também recorrer as clínicas particulares. Nesses casos, o preço pode variar muito. Uma média de valor está entre R$ 75 e R$ 90.

Tem efeitos colaterais?

A aplicação da vacina BCG contra a tuberculose pode apresentar alguns efeitos colaterais. São eles:

Reação local (área inflamada)

Frequentemente, existe uma reação da pele no local onde a injeção é feita. Aparece um inchaço avermelhado que lentamente muda para uma pequena ferida, que por fim se cicatriza.

Cicatriz

A ferida causada pela reação no local da injeção pode deixar uma cicatriz. Muitas pessoas acreditam que ela está relacionada à efetividade da imunização, o que é um mito.

De fato, a cicatriz indica uma reação imunológica, o que é esperado, mas mesmo quando não há marcas, a vacina é efetiva.

Leia mais: Vacina BCG é eficaz mesmo em crianças sem cicatriz, diz OMS

Inchaço dos linfonodos

É possível que, alguns meses após a vacinação, os linfonodos axilares (pequenos órgãos que ficam nas axilas e produzem anticorpos) apresentem inchaço. Isso é temporário e é uma reação imunológica à vacinação.

Linfonodos supurados

Muito raramente, os linfonodos que se incham podem supurar. Isso significa que eles podem apresentar produção de pus como reação à vacina.

Leia mais: Bula da vacina BCG

Contraindicações da vacina BCG

Apesar de a vacina ser obrigatória, existem algumas pessoas que não podem tomá-la. As principais contraindicações incluem recém-nascidos cujo a mãe esteve em tratamento com medicamentos que causam imunodepressão na gestação e bebês prematuros que ainda não possuem 2Kg de peso. Entenda mais:

Crianças imunocomprometidas

A vacina BCG é contraindicada para crianças com doenças que comprometam a imunidade, como as genéticas, ou as que são HIV positivo.

Como a proteção contra a infecção depende da reação imunológica à bactéria enfraquecida, se houver comprometimento das defesas do corpo, o paciente fica desprotegido.

Nesses casos, existe inclusive o perigo de o organismo ser infectado, mesmo que a versão da bactéria usada na vacina seja extremamente enfraquecida, já que sem um sistema imunológico eficiente, o agente fica livre para se reproduzir.

Onde encontrar a vacina BCG?  

A vacina BCG é indicada para crianças com menos de 1 ano de idade e normalmente ela é administrada no hospital, logo depois do nascimento. Quando o parto não ocorre no hospital, é possível conseguir a vacinação em unidades do Sistema Único de Saúde (SUS).

Basta levar seu bebê até uma Unidade Básica de Saúde (UBS), também conhecida como Posto de Saúde, que disponibiliza a vacinação gratuita.

Perguntas frequentes

A cicatriz é importante?

Não! Existe o mito que diz que a vacina só faz efeito na criança quando deixa aquela cicatriz característica no braço, e que quando não há essa marquinha, a imunização deve ser reaplicada. Isso não é verdade.

Um estudo realizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) comprovou que, mesmo nos casos em que a cicatriz não se forma, a criança ainda fica imunizada. A marca não tem relação alguma com a eficácia da vacina.

O Ministério da Saúde indica vacinar-se mais de uma vez?

Não! Não existe benefício na repetição da vacina BCG contra a tuberculose. Ela é mais efetiva quando aplicada em recém-nascidos e é indicada para crianças de até um ano. A revacinação não é eficaz e não aumenta a imunidade.

Isso também se aplica aos casos em que não há formação da cicatriz após a vacina.

A vacina BCG pode ser administrada com outras vacinas?

Sim! Diversas vacinas podem ser aplicadas em conjunto com a BCG para garantir imunidade a várias doenças. A vacina contra sarampo, poliomielite, hepatite B, febre amarela, entre outras, podem ser administradas juntas.

Existe interação medicamentosa com a vacina BCG?

Não. Como a vacina BCG é a aplicação de uma bactéria enfraquecida e não de um medicamento, não existe interação medicamentosa.

Vacina BGC dói?

Como toda injeção, a picadinha pode causar desconforto no bebê. A dor, entretanto, é rápida e não existe necessidade de preocupação.

A vacina BGC dá febre?

Normalmente a vacina BCG não causa febre nem mal-estar. O único cuidado que pode ser necessário é o de limpar bem a região do braço onde ela foi aplicada, especialmente se existe a reação de pele.

Até quando tomar a vacina BCG?

Recomenda-se tomar a vacina antes de a criança completar um ano de idade, no entanto, é possível tomar depois dessa idade também. Converse com os profissionais de saúde para avaliar casos específicos.


A vacina BCG promove a imunidade contra a bactéria Mycobacterium tuberculosis, prevenindo assim a tuberculose e a meningite tuberculosa. É obrigatória e mais efetiva logo após o nascimento.

Compartilhe esse texto com seus amigos para que eles aprendam mais sobre essa vacina!

Fontes consultadas

Karina Lorena Meira Fernandes Chiuratto (CFR-PR 26256), graduação em Farmácia pela PUCPR (2013) e mestrado em Bioquímica pela UFPR (2016). Gestora da Qualidade no Laboratório de Análises Clínicas, LABCEN (2016) e fundadora da Vacynare.


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Participe da discussão

6 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. Amei essa página.
    Li alguns artigos e simplesmente me identifiquei com o site.
    Nota 10.

  2. Gostaria de saber se a BCG. Tem algum efrito drpois de tomar vomo …febre e dor?

    1. Olá, Vera Lucia.
      Como dito no texto, a vacina BCG pode apresentar algumas reações como área de aplicação inflamada, dor e febre.
      Entretanto, esses sinais não devem persistir por mais de 1 semana após a aplicação.
      Mesmo com esses efeitos colaterais, a vacina ainda é indispensável, uma vez que é a melhor forma de prevenir doenças.
      Vacine-se!

  3. Gostaria de saber, a minha criança ja esta com 20 dias e a menina da sala de vacina de minha cidade disse que tem que juntar 10 crianças para vacinar, enquanto isso minha criança fica sem imunidade. Isso é certo normal.

    1. Olá, Iara.
      Não há nenhuma orientação para que as vacinas obrigatórias sejam aplicadas somente em grupo.
      Ou seja, todas as crianças tem direito de receber as vacinas na idade certa, independente da quantidade de pessoas para vacinar.
      O recomendado é que você volte até a unidade básica de saúde e solicite novamente para vacinar o bebê.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *