Pitiríase versicolor: tratamento, sintomas, cura, o que é e causas

3

O que é Pitiríase versicolor?

A pitiríase, que também pode ser chamada de pano branco, micose de praia e tinea versicolor, é uma micose de pele comum. A doença é uma infecção fúngica que causa manchas na pele.

Essas manchas costumam variar de cor, entre elas brancas, rosas, laranjas ou marrons na pele. Por isso é chamada de versicolor, pois há vários tons de cores. Durante o verão a infecção é piorada e durante o inverno ela some.

Como o problema surge, na maioria dos casos, durante o calor, cerca de 40% da população dos países tropicais e das áreas temperadas sofre com o problema. A doença pode afetar qualquer pessoa, independente do sexo e raça, mas as mais afetadas são os jovens adultos, já que suam com frequência e possuem a pele oleosa.

Índice — neste artigo você irá encontrar as seguintes informações:

  1. O que é Pitiríase versicolor?
  2. As causas da Pitiríase versicolor
  3. Fatores de risco
  4. Quais os sintomas da Pitiríase versicolor?
  5. Diagnóstico
  6. Tratamento para Pitiríase versicolor
  7. Quais são as complicações? A Pitiríase versicolor tem cura?
  8. Prevenção

As causas da Pitiríase versicolor

A pitiríase é causada pelo fungo do gênero Malassezia e se apresenta de duas formas: uma ovóide e a outra periférica respectivamente, Pityrosporum ovale e Pityrosporum orbiculare.

Esse tipo de fungo é muito comum na pele dos humanos e se alojam principalmente nas áreas em que possuem mais gordura acumulada, como rosto, pescoço, tronco, couro cabeludo e braços.

Ninguém “pega” a doença, pois além de não ser contagiosa, o causador já está presente no corpo como um germe da flora microbiana natural da pele. O fungo só causa problemas quando cresce exageradamente e se prolifera pelo corpo.

Fatores de risco

O crescimento da infecção pode ocorrer por diversos fatores, como:

  • Ter a pele oleosa;
  • Alterações hormonais que podem ocorrer pelo uso de anticoncepcionais;
  • Sistema imunológico fraco;
  • Condições climáticas quentes e úmidas;
  • Transpiração excessiva.

Quais os sintomas da Pitiríase versicolor?

A doença tem como principal característica o surgimento de manchas na pele. Essas manchas podem desencadear sintomas ou não. Caso apareçam, costumam ser:

  • Mais visíveis após a exposição ao sol;
  • Mais comuns no peito, costas, braços e pescoço;
  • As cores costumam variar entre branco, rosa, laranja e marrom;
  • Pode ocorrer coceira na pele.

São várias manchas que surgem e elas costumam ser ovais, com uma camada descamando. Quando surgem em crianças, o local mais afetado é o rosto.

Apesar de poder ser chamada de micose de praia, o problema não surge ao frequentar a areia ou o mar. Ela é somente chamada assim por conta do calor e da exposição ao sol, que pode ocorrer em qualquer outro lugar além da praia.

Na maioria dos casos, os pacientes procuram os médicos por questão estética, visto que a pitiríase não traz problemas reais de saúde.

As lesões podem desaparecer, mas, na maioria dos casos, as manchas não tratadas se tornam persistentes.

Durante o verão, a incidência da pitiríase é bem maior do que em outras estações, por conta da umidade e da alta temperatura.

Diagnóstico

Os médicos indicados para tratar a pitiríase versicolor são:

  • Dermatologista;
  • Urologista;
  • Imunologista;
  • Infectologista;
  • Clínico geral.

Ir para a consulta já com um relatório que contenha os sintomas, o histórico médico e o de alimentação do paciente pode economizar alguns minutos dela.

O diagnóstico do médico pode ser feito rapidamente com a conversa no consultório e a observação clínica, mas se ele estiver com dúvidas, uma raspagem do local poderá ser feita a fim de analisá-la  ao microscópio.

Tratamento para Pitiríase versicolor

Em alguns casos, o uso de medicamentos se faz necessário durante o tratamento. Antifúngicos, que podem ser encontrados nas drogarias, podem ser indicados por farmacêuticos.

Shampoos e sabonetes especiais que tenham sulfeto de selênio e/ou cetoconazol na composição podem ser recomendados. O ideal é deixar a espuma no corpo por alguns minutos, seja em contato com o couro cabeludo ou com a pele. Se não surtir efeito, consultar o médico pode ser uma boa opção à pessoa que sofrer de pitiríase.

O médico especialista possivelmente vai indicar algum desses medicamentos para tratar a pitiríase versicolor:

Os medicamentos nunca devem ser usados sem indicação médica. A automedicação pode trazer inúmeros transtornos à saúde e piorar ainda mais os sintomas.

Atenção! 

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas nesse site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Quais são as complicações? A Pitiríase versicolor tem cura?

A Pitiríase costuma não trazer complicações e, na maioria das vezes, o uso de shampoos e sabonetes especiais é o suficiente para melhorar os sintomas.

A doença tem cura. Cerca de 80 a 90% das pessoas afetadas têm o problema sanado. Mas é importante ressaltar que, em alguns casos, a doença demora até meses para desaparecer. Nesses casos, pode ser necessário a raspagem da lesão.

Às vezes, mesmo após a cura, a pele pode ficar com a cor alterada por semanas ou até mesmo meses, dependendo do caso.

Prevenção

Como a recorrência do problema é muito grande, sabonetes antifúngicos e esfoliantes podem ser uma boa saída para reduzir o número das pessoas afetadas. Não ficar exposto ao sol também pode ser uma boa forma de evitar a pitiríase versicolor.


Apesar de a doença não trazer muitos problemas, quando tratada corretamente, é sempre bom ficar atento às manchas da pele e, sempre que houver dúvidas, o médico deverá ser consultado!

Compartilhe esse texto com seus amigos e familiares para que mais pessoas possam ter informações sobre a pitiríase!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (9 votos, média: 3,89 de 5)
Loading...

3 Comentários

Atenção: os comentários abaixo são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. tenho isso a mais de 20 anos… não cura nem a pau… vai e volta… desisti de tratar….. e percebi que elas não aumentaram… ficaram no ombro e costas.
    a única coisa ruim é que não entro em piscinas.
    E quando tomo dias seguidos de sol, fica vermelho. Mas não coça ou causa qualquer outro problema…

  2. Muito esclarecedor. Eu já tive quando mais jovem, agora retornou, após uns 10 anos. Parabéns pela matéria.

Deixe o seu comentário, nos preocupamos com sua opinião:

Por gentileza, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.