O que é Hemiplegia

Conceito que deriva do grego, a hemiplegia é uma paralisia cerebral que atinge um lado completo do corpo, impossibilitando os seus movimentos. Quando atinge o lado direito, a área afetada do cérebro é a esquerda e, quando atinge o lado esquerdo do corpo, a área afetada do cérebro é a direita.

A hemiplegia é mais grave que a hemiparesia, uma vez que essa última se refere apenas a dificuldade de movimentar uma parte do corpo e não a impossibilidade dos movimentos como a hemiplegia causa.

Índice — Neste artigo você encontrará as seguintes informações:

  1. O que é Hemiplegia
  2. Causas
  3. Tipos
  4. Sintomas
  5. Tratamento
  6. Convivendo com hemiplegia

Causas

Pode-se dividir as causas da hemiplegia em dois grupos:

Hemiplegia congênita

Acontece quando há uma complicação na gravidez.

Hemiplegia adquirida

Acontece quando a pessoa sofre com uma debilitação no cérebro, como um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Além de um acidente cerebral, a pessoa também pode adquirir a hemiplegia através de uma infecção, agravamento de quadro diabético e tumores em tecidos cerebrais.

Diante dessas causas, os grupos de pessoas com maiores riscos de sofrerem de hemiplegia são crianças e pessoas de mais idade. Mas, como em todas as condições, isso não é regra. Portanto, é preciso estar atento aos sinais.

Tipos

Há 4 tipos principais de hemiplegia e eles são divididos da seguinte maneira:

Hemiplegia Espástica

Esse tipo de hemiplegia acontece quando os músculos ficam rígidos e fracos, fazendo com que a pessoa tenha dificuldade de falar e se locomover.


Hemiplegia Coreoatetóide

A hemiplegia coreoatetóide acontece quando os músculos se movem devagar e sem controle de forma espontânea.

Hemiplegia Atáxica

O tipo atáxico de hemiplegia leva a pessoa a ter pouca coordenação motora e os movimentos do tronco e dos membros são inseguros.

Hemiplegia Mista

Na paralisia mista, há a presença de sintomas de mais de um tipo de hemiplegia, normalmente são os da espástica e da coreoatetóide combinados.

Sintomas

Os sintomas mais visíveis e recorrentes em pacientes com hemiplegia é a espasticidade (rigidez) e a dificuldade em controlar a parte do corpo afetada. Porém, como a condição é causada por uma paralisia cerebral, outras deficiências podem aparecer na pessoa, dependendo muito da gravidade e da recuperação da lesão, tais como:

  • Dor nas articulações;
  • Dificuldade na fala;
  • Encolhimento do braço e dificuldade em dobrar o joelho no lado afetado.

Os sintomas abaixo estão relacionados ao lado específico do cérebro que foi comprometido.

Sinais da hemiplegia à esquerda (lesão cerebral do lado direito)

  • Dificuldade em se orientar em relação ao ambiente;
  • Falta de cuidado com o lado esquerdo do corpo;
  • A pessoa não se veste iniciando pelo lado afetado;
  • Dificuldade com números e na realização de contas.

Sinais da hemiplegia à direita (lesão cerebral do lado esquerdo)

  • A pessoa não reconhece os símbolos numéricos, como a soma (+), a subtração (-) e o igual (=);
  • Dificuldade em distinguir o lado esquerdo do direito;
  • Dificuldade em se lembrar o que ia fazer;
  • Dificuldade em planejar e executar tarefas.

Tratamento

A hemiplegia não é reversível, mas há diversos tratamentos que auxiliam na recuperação parcial dos movimentos e que ajudam a pessoa a ter uma vida mais próxima possível do normal. Em alguns casos, a injeção de toxina botulínica é indicada para que a espasticidade do membro afetado diminua e os seus movimentos melhorem. Mas atenção: nem todas as pessoas são indicadas a utilizarem isso como forma de tratamento.

As formas de tratamento mais comuns dos pacientes envolvem a fisioterapia, a hidroterapia e, ocasionalmente, a prática de atividades físicas realizada de maneira individual e com a instrução de um profissional qualificado. As técnicas de cada uma dessas formas são variáveis e tem a finalidade de beneficiar  o estado físico e mental do paciente com hemiplegia, aumentando, assim, a sua capacidade.

Uma última possibilidade de tratar a hemiplegia é a cirurgia, que é utilizada quando a pessoa desenvolve muitas contrações nos membros por conta do desequilíbrio da atividade muscular. A cirurgia consiste no corte de alguns ligamentos desses membros, a fim de aliviar as contrações musculares.

Atenção! 

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas nesse site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Quanto antes a condição for tratada, melhor qualidade de vida o paciente terá!

Convivendo com hemiplegia

Conviver com a hemiplegia pode ser um grande desafio. Dependendo do tamanho da lesão, o paciente pode apresentar sequelas que fazem com que ele fique impossibilitado de falar ou se locomover.

Apesar de não ser uma condição completamente reversível, a fisioterapia e outros tratamentos complementares podem ajudar a pessoa a voltar a ter certos movimentos  e viver a vida o mais próximo do que é considerado normal.

Também existem uma variedade de grupos de apoio das quais os pacientes e seus familiares podem participar. Nesses grupos, os participantes trocam experiências, falam sobre seus sentimentos e criam uma rede de apoio.

É uma ótima opção para quem está tendo dificuldades em lidar com a situação, pois a pessoa pode ser ouvido por outros que compreendem o que ela está passando e ouvir conselhos de pessoas que têm de conviver com o mesmo problema.


Se você possuir alguma outra dúvida sobre a hemiplegia, pergunte aqui nos comentários que nós te responderemos. 😉


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Participe da discussão

26 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. Boa noite
    Eu tenho hemiplegia atáxica CID:G81-9
    Eu gostaria de saber se eu tenho a aposentadoria por invalidez

    1. Olá Julio!

      Em certas condições, é possível aposentar-se por conta dessa doença. Para isso, é necessário um laudo médico. Converse com o profissional responsável pelo seu caso e informe-se na sede do INSS de sua cidade.

  2. Boa noite
    Gostaria de saber se a pessoa com hemiplegia tem que viver em cadeira de rodas ou como convivem com a doença. Se puderem responder…

    1. Oi, Rafael!

      Não necessariamente a pessoa com hemiplegia vai ter de viver em cadeira de rodas. Tudo vai depender das causas, da gravidade e do tratamento feito pelo paciente! Adicionamos um tópico para falar sobre as questões de convivência com a hemiplegia. Obrigado pelo comentário, espero que goste do novo tópico!

  3. Boa noite!
    Se possível gostaria de saber sobre o tratamento da fisioterapia para tronco hemiplégico.

  4. Bom dia!
    Meu filho teve mas é bem suave, ele anda, corre, fala normalmente, só tem muita dificuldades com matemática, isso é característico da hemeplegia? Toma carbomazepina desde de que nasceu.
    Agora vi que o que ocasiona isso é complicação na gravidez, mas qual complicação? Desde já obrigada.

    1. Olá, Kátia.
      Uma série de fatores podem afetar a gestação e ocasionar alterações na formação do bebê, como traumas físicos, uso de medicamentos, infecções (como rubéola, sarampo e hepatite), condições do organismo materno (como crises de hipertensão) e outras causas. Muitas vezes, é difícil determinar o desencadeante.
      Mas, feito o diagnóstico, o importante é prosseguir o tratamento e acompanhamento médico.

  5. Bom dia. Minha mãe sofreu um AVC isquêmico há 11 dias (está na UTI desde então), a tomografia apontou quase 80% do cérebro direito afetado. Os médicos disseram que a condição é irreversível, nesse caso, a pessoa viverá acamada ou poderá utilizar cadeiras de rodas? Quais as consequência para uma isquemia com extensão grande como esta?

    Obrigada por compartilhar o conhecimento.

    Carla Costa

    1. Olá Carla!

      Análises como estas devem ser feitas pelo médico responsável pelo tratamento. Existem outros fatores que podem influenciar no prognóstico do paciente. Apenas com uma avaliação mais completa, baseada no histórico e quadro clínico será possível ter um panorama adequado. Desejamos melhoras à sua mãe!

  6. APOSENTADORIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

    no caso de deficiência grave, 25 (vinte e cinco) anos de tempo de contribuição, se homem, e 20 (vinte) anos, se mulher; no caso de deficiência moderada, 29 (vinte e nove) anos de tempo de contribuição, se homem, e 24 (vinte e quatro) anos, se mulher; no caso de deficiência leve, 33 (trinta e três) anos de tempo de contribuição, se homem, e 28 (vinte e oito) anos, se mulher.
    Que grau se enquadra ( grave, moderada, ou leve. )

  7. Boa noite estou desesperada meu filho tem paralisia cerebral leve andava com dificuldade tomava banho enfim tudo porém A 4 messes ele vem perdendo os movimentos do lado esquerdo e a força não consegue segurar nada emfim isso é normal da paralisia ou pode ser outra doença levo ele no neuro fala que está tudo bem porém não está pois ele não era assim mim ajude por onde posso iniciar quero saber o que acontece com ele quais são as ipoyeses

    1. Olá, Silma.
      É bastante importante que seu filho passe por investigações médicas. O agravamento de qualquer quadro de saúde deve sempre ser acompanhado pelo especialista.
      Em alguns casos, é possível que crianças apresentem um agravo das capacidades físicas, como coordenação motora ou movimentação manual.
      Caso esteja com dúvidas, converse com o neurologista que o acompanha e busque a opinião de outros profissionais. É importante que haja um acompanhamento multidisciplinar e que se dê atenção ao progresso do tratamento.
      Qualquer suspeita ou hipótese para a condição de saúde do seu filho só pode ser levantada com uma análise presencial, física e laboratorial, dele.
      Você pode buscar profissionais vinculados a hospitais ou que atuem em dinâmicas multidisciplinares. Isso pode facilitar o processo de diagnóstico.

  8. Comecei a fazer zumba a pouco tempo e percebi que quando os movimentos são para a esquerda eu tenho dificuldades em fazer e aprender, pode ser essa doença?

    1. Olá, Ana Paula.
      Com base em seu relato, é bastante limitada a avaliação. Somente um exame criterioso, feito pessoalmente com um(a) especialista pode resultar em um diagnóstico de hemiplegia ou qualquer outra alteração.
      Em geral, se você apenas apresenta dificuldades de coordenação na dança, é bastante possível que seja decorrente da habilidade natural. É comum que pessoas destras tenham dificuldades em realizar movimentos específicos para o lado esquerdo. Mas, com a prática da zumba e outras atividades, você irá desenvolver a coordenação e melhorar os movimentos gradualmente.
      Todo o caso, caso sinta dores articulares, dificuldades de fala, dificuldades com a realização de outras tarefas que são menos complexas (por exemplo, caminhar), é importante buscar orientação médica.

  9. Você pode deixar informações sobre os grupos de apoio? Cada estado tem um? E quais os principais profissionais componentes da equipe multidisciplinar que trata do assunto?

    1. Olá Yuri.

      Sobre grupos de apoio, talvez você possa encontrá-los através do facebook ou ao entrar em contato com universidades de sua região. Neurologistas que trabalham com hemiplegia podem conhecer pacientes que fazem parte de grupos.
      Os profissionais da equipe multidisciplinar são variados. Fisioterapeutas, enfermeiras, terapeutas ocupacionais, psicólogos, neurologistas, educadores físicos e diversos outros podem fazer parte dessa equipe, variando de caso a caso.

      Obrigado pelo seu comentário!

  10. Oi descobri a 1 mes que Minha bebe de 9 meses completo agora tem hemeplasia lado direito, em consequência atingiu lado esquerdo, ela é mto espertada, um olhar maravilhoso e já começou a querer fala, os movimentos do lado esquerdo são diminuídos e estamos estimulando em casa e buscando ajuda de um fisioterapeuta, a médica disse que não tem remédio a não se que ela convulsione. Minha dúvida é será que ela poderá futuramente ter alguma sequela mais grave com relação a memória, fala E andar…
    E o plano de saúde dela não cobre o método bobath, estou tentando entrar com uma liminar será que é possível??

    1. Olá, Darli.
      Nestes casos, é importante que você consulte um médico e/ou um advogado que atue em processos médicos.
      Muitos tratamentos são possibilitados por meio de ações judiciais. Por isso, é importante que você busque orientação com a equipe médica, que poderá te orientar sobre todos os processos necessários.

  11. Boa tarde!
    Minha filha de 5 anos teve pneumonia e teve que ser internada na UTI. Após sair, está com a perna esquerda um pouco paralisada mas vem se recuperando, alguns médicos dizem que talvez não se recupere totalmente, pois parece que o vírus atingiu o nervo ciático da perna esquerda.
    Poderiam, por favor, me esclarecer melhor.
    Obrigado.

    1. Olá, Caio.
      Infelizmente, a pneumonia pode deixar sequelas passageiras ou duradouras. A gravidade dessas sequelas pode estar relacionada com fatores como o sistema imunológico da paciente, o quão avançada estava a doença quando for tratada e como foi feito o tratamento. Nesse caso, para saber exatamente se sua filha terá essas sequelas e quais são as chances de recuperação, é recomendado que se esclareça todas as dúvidas como um médico pediatra.

  12. Olá, minha avó tem Hemiplegia à esquerda devido à um AVC que teve a muito tempo atrás, no início ela fazia seções de fisioterapia mas parou. Você poderia me dizer se há chances de minha avó voltar ao normal se retornar a realizar seções?

    1. Olá, Jaciele.
      É importante seguir as orientações médicas.
      As sessões de fisioterapia podem ter resultados ou não, dependendo de uma série de fatores.
      O mais indicado é procurar um médico que acompanhe o estado clínico de sua avó e tirar suas dúvidas com esse profissional.

  13. Estou cm o lado esquerdo paralisado e minha voz estar td embolada estou esquecendo das coisas os medicos não sabem o que é minha tomografia não tem deu em nada será q e hemiplegia?

  14. Ola sou maria aparecida de vilhena rondonia a dois meses fui diagnosticada com migrânea hemiplegia paralisei o lado direito do corpo faço fisioterapia mais não estou sentindo meu corpo do lado esquerdo ta adormecido sera que vou fica assim dormente por muito tempo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *