A busca da população brasileira por outras práticas médicas fez com que o Ministério da Saúde sentisse a necessidade de acrescentar alternativas complementares de tratamento no Sistema Único de Saúde (SUS).

O Brasil disponibiliza 29 práticas integrativas, garantindo a posição de líder na oferta desse tipo de tratamento na atenção básica.

Atualmente, 54% dos hospitais do SUS já possuem essas práticas, que estão presentes em 100% das capitais brasileiras.

Dentre as mais requisitadas estão a acupuntura (707 mil atendimentos), yoga (35 mil atendimentos), dança circular/biodança (23 mil atendimentos) e terapia comunitária (23 mil atendimentos).

O objetivo ao incorporar novas práticas é reforçar a importância de cuidar da saúde e prevenir doenças, ao invés de só tratá-las em episódios específicos.

Conheça cada uma delas:

1. Apiterapia

A apiterapia é um método de cura natural, baseado nas propriedades medicinais do mel e de outros produtos apícolas para fins terapêuticos.

Pode ser utilizada no tratamento de doenças como artrites, artroses, tendinites e infecções. Além disso, seu uso é conhecido no tratamento de doenças cardiovasculares e pulmonares.

2. Meditação

A meditação está relacionada com aquietar a mente e deixar o “eu interior” se sobressair, a fim de orientar e guiar a vida de uma maneira mais leve e verdadeira.

Para que a prática seja realizada corretamente, é preciso estar presente no momento, livre das distrações da mente.

O objetivo é saber ter autocontrole, induzindo a pensamentos positivos, como o de amor.

3. Aromaterapia

Considerada uma terapia holística, a aromaterapia faz a utilização de óleos essenciais, a fim de conectar os canais olfativos com o sistema límbico (uma parte do sistema nervoso responsável pelas emoções).

As propriedades aromáticas modificam as percepções do organismo, mudando o estado de humor ou de espírito de uma pessoa.

A prática promete atuar aliviando estresse, combatendo irritação e ansiedade, além de auxiliar no processo calmante.

4. Acupuntura

A acupuntura é uma técnica que visa curar doenças por meio de estímulos na pele com uma agulha.

Essa prática é conhecida há anos no oriente, em que pessoas que possuem alguma condição buscam alívio de dores.

Leia mais: Acupuntura pode diminuir os sintomas da menopausa, diz estudo

5. Constelação Familiar

A constelação familiar é considerada uma prática terapêutica que analisa padrões de comportamento dentro das gerações familiares para entender que de forma isso afeta a vida pessoal de um indivíduo.

Pode ser indicada em casos de depressão e transtornos afetivos.

6. Homeopatia

Esse tipo de tratamento reconhecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) pode ser considerado como uma medicina alternativa e complementar, que pode ser direcionada para qualquer tipo de condição, seja uma doença física ou psicológica.

Leia mais: Alopático e Homeopático: o que são, para que servem e diferenças

7. Reiki

O reiki é um sistema de cura feito através da imposição das mãos, que pode ser utilizado para tratamentos físicos, emocionais e espirituais.

Trata-se de um complemento a tratamentos medicamentosos, trazendo conceitos como autocuidado e autoconhecimento.

8. Cromoterapia

Essa técnica terapêutica busca estabelecer um equilíbrio no organismo por meio das cores. A prática se baseia no conceito de chakras, em que cada parte do corpo representa uma cor e uma função.

Sendo assim, a técnica visa energizar esses chakras por meio das cores equivalentes, atuando como terapia para o corpo.

9. Geoterapia

A geoterapia é um tratamento natural, que utiliza argila em sua composição e que busca o bem-estar e o equilíbrio do organismo.

Pode ser utilizado para o processo de cicatrização de lesões, atuando com um potencial anti-inflamatório. Além disso, a argila é conhecida por ter propriedades alcalinas que melhoram o aspecto da pele.

10. Musicoterapia

Essa prática pode ser entendida como o uso terapêutico da música e dos recursos sonoros musicais para potencializar aspectos saudáveis da pessoa, ou reabilitar funções que estejam comprometendo algum aspecto do seu desenvolvimento.

Em princípio, essa técnica não possui nenhum tipo de contraindicação, sendo necessário somente uma avaliação do musicoterapeuta.

Leia mais: Música melhora a comunicação de crianças com autismo

11. Bioenergética

A bioenergética pode ser entendida como uma prática que alia exercícios e movimentos em sincronia com a respiração.

Essas movimentações causam uma alteração na energia do organismo, ocasionando uma sequência de expressões como choro, riso, grito. Ou seja, ela renova tudo que precisa ser limpo de dentro do seu corpo.

12. Hipnoterapia

O uso terapêutico da hipnose vem sendo utilizado como mecanismo de desbloqueio de crenças e pensamentos limitantes.

Isso porque a hipnoterapia é considerada uma ferramenta eficaz para mudar comportamentos e sentimentos que em algum momento causaram dor ou sofrimento.

13. Imposição das mãos

Essa técnica visa transmitir e trocar energias com o paciente por meio da imposição das mãos.

Pode ter um viés religioso, mas pode também ser feito por pessoas que não possuem vínculo com nenhuma instituição religiosa.

14. Ozonioterapia

A prática da ozonioterapia deve ser feita através de um aparelho que emite ondas de 95% oxigênio e 5% de ozônio.

É comumente utilizada na odontologia, tanto na profilaxia como no tratamento de doenças.

Possui efeito germicida e bactericida, sendo reconhecido por diversos países da América Latina, Ásia, Estados Unidos e Alemanha.

15. Fitoterapia

Também conhecida como terapia das plantas, essa prática é uma das mais antigas da humanidade.

Funciona por meio dos princípios ativos presentes em cada tipo de extrato vegetal, que atuam como propriedades terapêuticas para cada tipo de condição.

16. Antropofasia

A antropofasia é uma linha de pensamento que envolve a medicina e a agricultura, a fim de entender a medicina como algo muito maior do que somente um hospital.

Seu criador, Rudolf Steiner, acredita que o ser humano pode ser dividido entre duas forças: arimânicas ou degenerativas, e luciféricas ou inflamatórias. Para ele, a saúde seria o equilíbrio entre essas duas forças.

17. Termalismo

Essa prática visa compreender o uso da água mineral e sua aplicação para tratamentos de saúde.

As águas termais são amplamente indicadas para relaxamento, aceleração do metabolismo, rejuvenescimento da pele, tratamentos digestivos, reumatismos, entre outras condições.

Leia mais: Entenda como acelerar o metabolismo ajuda a queimar gordura

18. Arteterapia

A arteterapia é uma ferramenta de cura que pode permear diversas áreas de vida, a fim de avivar o potencial e a totalidade de cada pessoa.

Essa prática utiliza atividades artísticas para desenvolver questões pessoais e profissionais, estimulando e ampliando os conhecimentos de uma pessoa sobre ela mesma.

19. Quiropraxia

A quiropraxia é uma terapia manual, que visa diagnosticar, tratar e prevenir diversas condições.

A prática dar um enfoque a manutenção e restauração da saúde, estabelecendo uma relação entre corpo e desempenho.

20. Ayurveda

Para a ciência Ayurveda (ou “ciência da vida”, traduzida), tudo que existe no nosso universo é formado por um desses cinco elementos: espaço, ar, fogo, água e terra.

Para os praticantes da ayurveda, cada indivíduo é único, por isso, deve possuir uma dieta específica e que englobe todos os grupos alimentares.

Leia mais: O que é Pirâmide Alimentar? Tipos (brasileira), benefícios e grupos

21. Yoga

Conhecida por ser uma prática milenar, a yoga é um conjunto de conhecimentos que buscam harmonizar o corpo e a mente, por meio da respiração, das posturas e da meditação.

A yoga pode ser dividida em 5 filosofias: Bharkti yoga, Jnana Yoga, Karma Yoga, Raja Yoga, Hatha Yoga.

22. Biodança

A biodança é uma prática que visa o desenvolvimento humano por meio de vivências coletivas conduzidas pela música e dança.

Através dos exercícios e da convivência em grupo, essa prática facilita o desenvolvimento social e pessoal de quem participa.

23. Dança Circular

A dança circular pode ser utilizada praticamente para qualquer propósito, desde celebrações como nascimentos e casamentos, como também para representar a morte, o plantio, as mudanças de estações, ou seja, infinitas possibilidades.

O círculo representa a comunidade e o espaço que cada um ocupa dentro de uma sociedade.

24. Naturopatia

Essa é a área da medicina alternativa que estuda a saúde complementar por meio de técnicas naturais para promover e restaurar a saúde.

A prática visa compreender a causa das doenças através da compreensão do corpo, mente e espírito do indivíduo.

25. Osteopatia

A osteopatia pode ser entendida como uma abordagem terapêutica que visa tratar disfunções corporais.

A técnica tem uma premissa de que o organismo pode se auto regular e curar, respeitando sempre as relações entre corpo, mente e espírito.

26. Reflexoterapia

A reflexologia é considerada uma terapia holística que é feita por meio de uma estimulação na planta do pé, a fim de garantir a manutenção do organismo.

É um tratamento não invasivo, que busca prevenir distúrbios físicos e emocionais.

27. Shantala

A shantala é uma massagem de origem indiana que busca o relaxamento do bebê, possibilitando um desenvolvimento maior de vínculo entre pais e filhos.

A técnica atua aliviando desconfortos físicos, gerando harmonia e felicidade, além de promover a saúde integral do bebê.

28. Terapia de florais

As terapias com florais têm como objetivo equilibrar as emoções que estão em conflito.

Para isso, a técnica é feita com o uso de essências florais, que basicamente são compostos energéticos encontrados em flores.

29. Terapia Comunitária Integrativa

Essa prática coletiva visa ser um espaço de acolhimento e trocas de experiências de vida individuais que possam agregar no coletivo, numa espécie de construção de rede comunitária.

Durante esse processo é fundamental que as pessoas ofereçam suporte emocional e trocas de experiências, promovendo saúde e autonomia para os indivíduos ali presentes.

A importância das práticas integrativas

Assim como a medicina tradicional, as práticas integrativas visam melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

Elas têm origem em 2006, quando o Ministério da Saúde acatou o pedido da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Organização Panamericana de Saúde (OPAS), visando construir estratégias diferenciadas no atendimento de saúde básica.

As práticas integrativas não têm o intuito de concorrer com os tratamentos convencionais, mas sim complementar as possibilidades médicas.

É a ideia de colocar o paciente como responsável pelo seu próprio processo de cura.

Esses novos tratamentos têm como objetivo fortalecer a autonomia dos pacientes, que vão atrás de medidas para manter uma vida saudável.

Isso porque atualmente existe uma consciência coletiva de que a saúde vai muito além do físico. Existem opções que vão de viés espirituais até energéticos, como o caso do reiki.


Cerca de 5 milhões de pessoas já se tornaram adeptas às práticas integrativas, buscando empoderamento sobre sua saúde e o autocuidado.

Se você conhece alguém que possa se interessar, compartilhe esse artigo para que eles também possam conhecer as opções e, quem sabe, participar!

Fonte: Ministério da Saúde

Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Editor Médico

Dr. Paulo Caproni

CRM/PR 27.679

Graduado em Medicina pela PUCPR. Residência Médica em Medicina Preventiva e Social pela USP. MBA em Gestão Hospitalar e de Sistemas de Saúde pela FGV.

Farmacêutica Responsável

Dra. Francielle Mathias

CRF/PR 24612

Farmacêutica generalista, com Mestrado em Ciências Farmacêuticas, ambos pela Unicentro. Doutorado em Farmacologia pela UFPR.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *