Teste de Gravidez (sangue, farmácia): como fazer, preço, resultados

0

Às vezes desejada, às vezes de surpresa, a gravidez é sempre uma mudança radical na rotina da mulher. Algumas apresentam sintomas logo no início, que podem ser mais amenos — como cólicas e leve inchaço do abdômen — ou mais intensos — como vômitos e desmaios.

O sinal mais frequente é o atraso na menstruação, mas há mulheres com o ciclo bastante irregular que podem não percebê-lo ou, ainda, há aquelas que apresentam outros sangramentos que se confundem com a menstruação.

Outros sinais que podem indicar a gravidez são:

  • A presença de corrimento vaginal cor-de-rosa, sem odor e mais intenso do que o normal;
  • A presença de cólicas ou leves dores abdominais com inchaço da região;
  • Dores ou sensibilidade nas mamas;
  • Alteração na constituição da pele (mais oleosa ou mais ressecada);
  • Cansaço ou fadiga;
  • Enjoos e náuseas;
  • Alterações do sono;
  • Sensibilidade aos cheiros, principalmente de alimentos;
  • Variação de humor.

Mas, como são sintomas amplos e que não necessariamente vão ocorrer, a presença (ou ausência deles) não é capaz de determinar a gravidez.

Há alguns anos, confirmar se esses sintomas eram causados por um bebê em desenvolvimento era bem mais complicado. O custo, o tempo do resultado e a necessidade de uma solicitação médica dificultavam a acessibilidade feminina ao exame.

Agora, as mulheres contam com opções mais baratas, fáceis de encontrar, com resultados bastante rápidos e com a possibilidade de detectar a gestação logo nas primeiras semanas ou dias.

Índice – neste artigo você vai encontrar as seguintes informações:

  1. O que é teste de gravidez?
  2. Como acontece a fecundação?
  3. O hCG no organismo: sintomas da gravidez
  4. Tipos de teste de gravidez
  5. Como fazer o teste de gravidez?
  6. Quando fazer?
  7. Quanto custa e onde fazer?
  8. Como interpretar os resultados?
  9. O que é falso negativo?
  10. O que é o falso positivo?
  11. A história dos exames de gravidez
  12. Perguntas frequentes

O que é teste de gravidez?

O teste de gravidez é um procedimento para verificar a dosagem do hormônio beta hCG (chamado de hormônio da gravidez) e constatar ou descartar a gestação.

O hormônio é produzido pelo feto e passa para a circulação da mãe. Como o sangue é filtrado pelos rins, uma parte desse hormônio é retida pelo órgão e eliminada pela urina.

Portanto, os exames podem recorrer a ambos os fluidos —  sangue ou urina —  para detectar a gravidez e há exames clínicos e testes de farmácia para isso.

Os exames de sangue, realizados em laboratórios, tendem a ter uma sensibilidade maior, detectando a gravidez mais precisamente. Mas os testes de farmácia conseguem, de maneira geral, apresentar resultados precisos, além de ser um recurso prático e barato, que pode ser feito em casa através de uma pequena amostra de urina.

Ambos apresentam resultados rápidos, mas o teste de farmácia é capaz de dar o parecer em poucos minutos, enquanto o exame de sangue pode demorar cerca de 24 horas, dependendo do laboratório.

Os fabricantes indicam que os exames de urina têm uma alta eficiência para detectar o hormônio hCG a partir do primeiro dia de atraso menstrual e, sobretudo, após a terceira semana de gestação. No entanto, é sempre importante confirmar o resultado através do exame laboratorial.

Como acontece a fecundação?

Quando os espermatozóides alcançam o útero, a busca é pela fecundação do óvulo, através da penetração da membrana externa. Quando um deles é capaz de romper a membrana ocular, a fecundação está realizada.

Leva cerca de 20 horas após a entrada do espermatozóide no óvulo para que o zigoto se forme, que é quando os núcleos do óvulo e do espermatozóide (que carregam o DNA da mãe e do pai, respectivamente) se fundem.

Ocorre, então, a primeira de várias divisões celulares. No entanto, esse processo acontece ainda na trompa e, para se efetivar a gravidez, o zigoto precisa alcançar o útero e se fixar na parede do órgão.

Em média, leva-se 7 dias para que haja essa implantação na cavidade uterina, chamada de nidação, que envolve também um pequeno sangramento (muitas vezes confundido com vazamento da menstruação).

O que é gonadotrofina coriônica humana (hCG)?

É somente quando todo o processo de implantação no útero ocorre que o embrião começa a secretar gonadotrofina coriônica humana, ou o Beta hCG.

Mas, em raras exceções, o hCG pode se apresentar elevado devido à presença de doença trofoblástica gestacional e alguns tipos de câncer, como nos ovários ou testículos —  ou seja, homens também poder ter o hormônio alterado.

A liberação do hCG ocorre aproximadamente entre 10 e 12 dias depois da fecundação, pelas células trofoblásticas da placenta. A ação hormonal estabiliza a progesterona e estrogênio (hormônios femininos), interrompendo a menstruação, para que a gravidez possa ser mantida.

Esse é o único hormônio exclusivo do período gestacional, por isso sua detecção é suficiente para determinar a gravidez.

O hCG tem um papel fundamental na implantação do embrião e na manutenção da gestação, além de sinalizar para o organismo inibir as próximas ovulações e manter a produção de progesterona e estrogênio adequadas, evitando que o aborto ocorra.

Com a presença da progesterona, os vasos sanguíneos e os capilares (vasos menores) do útero ficam mais fortalecidos devido a um revestimento mais fortificado. Assim, o órgão consegue suportar o crescimento do feto sem riscos à mãe ou à gestação.

Além disso, o hCG está envolvido nos sintomas iniciais da gravidez. Ou seja, aquelas primeiras náuseas, tontura, sensibilidade aumentada e alterações de humor são culpa do hormônio que aumenta consideravelmente até as primeiras 10 ou 12 semanas.

Esse tempo equivale ao primeiro trimestre da gestação, em que os sintomas são normalmente mais acentuados.

A partir desse momento, a tendência é que os níveis caiam gradativamente até a 20ª semana e, finalmente, se estabilizem.

A elevação normal da maioria das gestantes nos primeiros 3 meses é tão alta que os níveis de hCG se duplicam a cada 2 ou 3 dias. A maioria das gestantes apresenta um aumento de no mínimo 60% do valor a cada 2 dias.

Quando há suspeitas de gravidez e, ainda assim, os exames apontarem que o hCG está entre 0mIU e 25mIU e o atraso menstrual persista, deve-se repetir os exames entre os próximos 3 e 10 dias.

Para valores entre 25mIU e 100mIU se considera positivo ou indeterminado, podendo variar de acordo com o laboratório. Se o exame apontar como indeterminado, deve-se repetir o exame em, no mínimo, 3 dias.

O hCG no organismo: sintomas da gravidez

Com a produção hormonal elevada, algumas mudanças começam a ocorrer no organismo, mas esses sinais não são requisitos obrigatórios para que a gestação esteja se desenvolvendo, pois cada mulher irá experienciar os próximos meses de uma forma bastante individual.

Você provavelmente já ouvir falar de alguma mãe que teve todos os sinais, desejos e enjoos desde as primeiras semanas, enquanto outra chegou até o 5º mês quase sem barriga e nenhum sintoma.

Quando ocorrem, entre as percepções mais frequentes estão:

Desconforto na região abdominal

As cólicas podem ocorrer nos dias iniciais, acompanhadas de desconforto e puxões na região do útero e são, muitas vezes, atribuídas à menstruação.

Mudança nos seios

Assim como a barriga, os seios irão sofrer grandes adaptações no período de gestação. As mamas podem ficar mais sensíveis e doloridas, apresentando inchaço e coceira. Além disso, às vezes é possível perceber veias azuladas na região e o escurecimento das aréolas.

Náuseas e vômitos

Os enjoos e vômitos são um dos primeiros e mais recorrentes sinais de gravidez. A associação é tão constante que se alguma mulher relatar enjoos (mesmo após ter comido um almoço super pesado), alguém certamente vai perguntar sobre gravidez, seja por brincadeira ou não.

Há duas hipóteses sobre esse sintoma nas grávidas. Uma é que o feto, inicialmente, é considerado um invasor. Ele ocupa um espaço interno da mulher e se alimenta de seus nutrientes enquanto vai se desenvolvendo.

Nesse sentido, o organismo ainda não compreende exatamente as mudanças que estão ocorrendo e, por isso, considera o bebê como uma ameaça à integridade da mulher. Os enjoos seriam uma forma de combater e avisar ao resto do organismo que algo está errado.

Uma segunda hipótese é que o organismo da mãe se mobiliza para proteger e fortalecer o bebê, então os enjoos seriam uma resposta protetiva, evitando que as toxinas presentes nos alimentos afetem o embrião nesse período ainda crítico do desenvolvimento.

Tonturas e vertigens

As tonturas são bastante comuns no primeiro trimestre de gestação, muitas vezes associados à baixa pressão. Se a região ou época for quente, os cuidados devem ser redobrados, evitando que desmaios ocorram.

Tipos de teste de gravidez

Há dois métodos para confirmar a gravidez: o teste de urina e o de sangue. Ambos podem ser utilizados, mas para um diagnóstico médico efetivo, é o exame de sangue que vale.

Ou seja, quando você for ao médico — mesmo com dezenas de testes de farmácia demonstrando o positivo —, o Beta hCG sanguíneo vai ser solicitado.

Apesar dos fabricantes e laboratórios indicarem que o teste de farmácia é bastante seguro, os níveis de hCG na urina são menores do que os no sangue, fazendo com que eles possam não ser detectados nos períodos iniciais.

Conheça uma pouco sobre cada método e sua eficácia:

Exame de sangue

O exame não necessita jejum e pode ser solicitado por qualquer profissional médico ou realizado de modo particular, sem a solicitação. Geralmente, os laboratórios levam menos de 24 horas para dar o parecer.

Existem 2 tipos de exame: o qualitativo e o quantitativo. Ambos vão analisar a presença do hormônio hCG no sangue, mas eles se diferem no modo de apresentar os resultados.

Qualitativo

O teste de gravidez qualitativo indicará apenas “positivo” ou “negativo”. Ele é feito através da medição hormonal do hCG, mas sem apontar os valores. Em comparação com o teste quantitativo, o resultado tende a ser mais rápido e mais fácil de ser lido pela mulher.

Quantitativo

Para quem tem pressa no resultado, o exame quantitativo pode ser um pouco mais demorado, podendo levar até 48 horas dependendo do laboratório.

O teste quantitativo também pode ser utilizado para outras finalidades além da confirmação da gravidez, como o acompanhamento da doença trofoblástica gestacional, da gravidez ectópica (fora do útero), de tumores germinativos e do aborto.

Já nas gestantes que apresentam taxas de hCG mais elevadas desde o início, os valores sobem mais lentamente.

O teste quantitativo pode auxiliar na indicação do período de gestação, mas para saber com mais precisão o tempo de gravidez, é importante conversar com o médico. Em geral, deve-se combinar os resultados da taxa de hCG com a ultrassonografia para determinar o tempo de gravidez.

Teste de urina (teste de farmácia)

Os testes de farmácia podem ser adquiridos sem necessidade de requisição ou indicação médica. Em geral, custam a partir de R$ 3 e oferecem resultados confiáveis em 99% dos casos, de acordo com os fabricantes. O teste é bastante rápido e o resultado aparece em menos de 5 minutos.

Cada marca pode ter uma sensibilidade diferente, que irá constar na embalagem, e vale lembrar que nem sempre o mais caro é o mais preciso ou mais sensível.

Enquanto alguns modelos com alta precisão podem detectar níveis de 20mIU/mL de hCG na urina, os menos sensíveis conseguem medir a partir de 50mIU/mL do hormônio.

Mesmo que alguns fabricantes indiquem a capacidade do teste em identificar a gravidez até 4 dias antes do atraso menstrual, o mais indicado é que o método seja feito a partir do 1º dia do atraso, pois antes disso são maiores as chances de ocorrer um falso negativo.

Se o teste der negativo, mas a menstruação continuar atrasada ou houver sintomas indicativos (como náuseas), a mulher deve repetir o teste após, pelo menos, 3 dias.

Há diferentes apresentações do produto — fitas, canetas, digitais, e líquido —, mas todos funcionam de maneira aproximada, identificando o hCG numa pequena amostra de urina. Entenda um pouca mais sobre cada tipo:

Tiras

Alguns testes são feitos com tiras ou hastes, que podem ser acompanhados de um copinho coletor de urina ou não. Os fabricantes das marcas mais populares indicam que o produto tem precisão de até 99,9% e o resultado aparece entre 1 e 3 minutos.

A tira é produzida com papel, corante e anticorpos reagentes, vinda dentro de pacotinhos plásticos ou de sílica, lacrados.

Caneta

O teste de gravidez de caneta é bastante semelhante ao de fita, geralmente com o formato alterado, sendo mais largo e mais anatômico.

Alguns modelos acompanham um frasco coletor de urina, mas assim como os de fita, podem ser colocados diretamente no jato de xixi.

A caneta apresenta o resultado da mesma maneira que as fitas, com 1 ou 2 riscos, indicando negativo ou positivo, consecutivamente.

Digital

Há testes digitais de gravidez que seguem o mesmo padrão do modelo feito com hastes ou fitas. A diferença principal é a forma digital de revelar o resultado, mas a reação é a mesma, ocorrendo pela detecção do hCG.

Através da urina, o pequeno medidor irá indicar se o líquido tem concentrações elevadas de hCG. Os principais fabricantes indicam que o teste digital possui precisão superior à 99%, com capacidade de identificar a gestação até 4 dias antes do atraso menstrual. Além disso, a versão digital tem um formato mais fácil de segurar.

Há marcas que oferecem a versão quantitativa do teste digital. Nesse caso, se o resultado for positivo, o medidor indica há quantas semanas ocorreu a concepção (1 à 2 semanas, 2 à 3 semanas ou mais de 3).

Os fabricantes indicam uma precisão de até 92%, em geral, da medição do tempo de concepção.

Líquido

O modelo é basicamente um teste de fita, mas em vez do resultado aparecer em 1 ou 2 tirinhas, se der positivo, ele ficará azul. Em casos negativos, o teste pode ficar vermelho ou amarelo, dependendo do modelo.

Apesar de ser bastante utilizado em outros países, o tipo líquido não é muito conhecido no Brasil por não ser comercializado aqui.

Testes caseiros de gravidez

Os testes de farmácia são chamados também de testes caseiros. Além disso, talvez você já tenha ouvido falar de alternativas caseiras ao teste de urina, mas não há comprovação científica de que elas são funcionais ou confiáveis e podem até representar riscos à saúde.

Uma busca fácil na internet e você irá encontrar métodos fáceis para detectar a gravidez utilizando produtos como água sanitária, vinagre ou até refrigerantes de cola. Em geral, são táticas que eram utilizadas antes dos avanços científicos e permanecem no conhecimento popular.

No caso da água sanitária, quando misturada à urina, pode ser prejudicial à respiração, emitindo odores irritantes.

O ideal é recorrer ao exame de farmácia que é rápido, seguro e eficiente na maioria dos casos. Se o resultado for positivo, é preciso realizar uma consulta médica em que será solicitado o exame de sangue.

Como fazer o teste de gravidez?

Para quem nunca fez um exame de gravidez, as informações são sempre facilitadoras. Confira como funciona e como proceder em cada tipo de exame:

Exame de laboratório

O exame de sangue para detectar a gravidez segue o procedimento tradicional de coleta, em que uma amostra será colhida da veia do braço, a menos que não seja possível ou viável fazer a punção no local.

Não é preciso estar em jejum para realizar o exame quali ou quantitativo. No caso do primeiro, a leitura do exame é simples, apresentando resultados como “positivo/reagente” ou “negativo/não reagente”.

O tipo quantitativo, muitas vezes, precisa de mais cuidados. Alguns laboratórios podem recomendar que a paciente não tenha feito o uso de biotina (vitamina B7) nas últimas 72 horas, nem exames de contraste nas últimas 48 horas.

Exame de farmácia

Para os testes de farmácia, indica-se realizá-los com a primeira urina do dia. Ainda que, segundo os fabricantes, possam ser feitos com qualquer amostra de xixi ao longo do dia, é na primeira amostra que as chances de falso negativo são menores, pois não há riscos da urina estar diluída.

Se você já fez algum exame de urina, sabe que a recomendação é desprezar o primeiro jato e colher o restante do xixi. Então você pode seguir o mesmo procedimento.

Os testes são, em sua maioria, bastante similares em sua realização, mas é sempre necessário ler atentamente o folheto de instruções que vem em cada produto. Tanto o teste de fita quanto o digital podem, no geral, ser feitos com o coletor de urina ou colocando o medidor diretamente no jato.

Antes de realizar, confira de o modelo que você comprou pode ser feito de ambas as formas.

Com coletor

Em geral, para fazer, basta seguir os seguintes passos:

  1. Abra o teste (somente na hora do uso para não correr riscos de alteração);
  2. Se o teste vier acompanhado do copinho coletor, faça xixi no recipiente e mergulhe a ponta da haste indicada na urina, garantindo que toda a região necessária seja mergulhada no líquido. Caso não venha o copinho, você pode adquirir um separadamente em farmácias;
  3. Aguarde 10 segundos e retire o medidor do copinho coletor, deixando-o em repouso em uma superfície plana.

O ideal é que o xixi seja utilizado no teste logo após ser realizado, no entanto alguns fabricantes indicam que, após fazer xixi no coletor, você pode utilizá-lo em até 2 horas se deixado em temperatura ambiente, ou em até 4 horas se mantido em geladeira.

Alguns testes podem apresentar uma linha cor-de-rosa já nos segundos iniciais, mas isso é apenas um indicativo de que o medidor está reagindo. Você deve esperar entre 1 e 3 minutos para o resultado final.

Diretamente no jato de urina

Se você preferir dispensar o coletor ou não quiser adquirir um separadamente, pode realizar o teste da seguinte maneira:

  1. Abra o teste (somente na hora do uso para não correr riscos de alteração);
  2. Identifique a ponta de detecção e coloque-a sob o jato de urina por 5 segundos (ou conforme recomendação do fabricante);
  3. Repouse o medidor em uma superfície plana e aguarde entre 1 e 3 minutos, de acordo com as instruções.

Quando fazer?

Os testes de farmácia apresentam resultados mais confiáveis se feitos a partir do atraso da menstruação, pois antes disso, na mulher grávida, os índices de hCG são bastante baixos e muitas vezes indetectáveis no exame de urina.

Ainda que alguns laboratórios apontem a eficácia do procedimento de farmácia mesmo antes do atraso do ciclo, os médicos sugerem a melhor sensibilidade do teste de sangue, sobretudo porque há mulheres que não possuem o ciclo bem regulado.

Nesses casos, você pode considerar o tempo do seu ciclo mais longo. Por exemplo, se a sua menstruação acontece em intervalos de 25 a até 35 dias, considere o atraso após o trigésimo quinto dia da última menstruação.

Além disso, em casos de irregularidade, pode-se realizar o teste após 20 dias da relação sexual.

Se você não está planejando ou esperando uma gestação (e os testes de gravidez já fazem parte da sua rotina mensal), alguns sinais podem ser indicativos para realizar o exame:

Ciclo irregular

Esse é, normalmente, o primeiro sinal percebido pela mulher. As que têm um ciclo regulado percebem com mais facilidade a ausência menstrual, mas aquelas que não possuem um organismo tão regulado podem demorar mais para notar algo diferente.

Em todo caso, menstruação atrasada é sempre um sinal importante.

Sintomas e sinais corporais

Dores nos seios, inchaço, enjoos, câimbras e tonturas são alguns dos sintomas da gravidez. Se você começar a notar alterações na disposição, mudanças no apetite, maior sensibilidade corporal (dores) e instabilidade emocional (irritação, euforia, ansiedade ou quaisquer outros sinais emocionais), está na hora de fazer um teste.

Cuidados contraceptivos

Métodos anticoncepcionais, como preservativos e pílulas, apresentam uma proteção alta, porém passível de falhar. O ideal é que a pílula seja sempre tomada nos mesmos horários e que, ainda assim, os preservativos sejam utilizados.

Levantamentos apontam que há riscos de até 1 mulher a cada 100 que tomam anticoncepcional diário e fazem uso rigoroso do método (todos os dias, no mesmo horário, com acompanhamento médico) apresentam riscos de engravidar.

Esse valor sobe para 9 a cada 100 mulheres que fazem o uso irregular (horários alterados, sem acompanhamento médico ou esquecem de tomar o medicamento em algum dia).

Portanto, estar atenta aos sinais é sempre importante, mas se você faz parte do grupo que não faz o uso rigoroso do método (ou eventualmente esqueceu em um dia), o teste de gravidez pode ser recomendado.

Quanto custa e onde fazer?

O exame de sangue pode ser solicitado pelo médico e feito em qualquer clínica, laboratório ou hospital que realize coletas de sangue.

Em geral, o teste precisa de uma guia de encaminhamento se for realizado por planos de saúde, mas se você for realizar o exame particular, pode ser solicitado diretamente no local de coleta. É preciso apenas verificar a disponibilidade e a política do laboratório para realizar exames sem guia medica.

Em média, o exame particular custa a partir de R$ 40.

Já os testes de urina podem ser encontrados em farmácias comerciais e custam a partir de R$ 3, podendo chegar a R$ 40.

Abaixo, você encontra uma relação com alguns dos testes de gravidez mais populares ordenados pelo preço médio:

No Consulta Remédios você encontra essas e outras opções. Além de comparar os preços, é possível encontrar informações completas sobre cada teste.

Como interpretar os resultados?

Em geral, os testes de gravidez são bem fáceis de serem interpretados, sejam os de farmácia ou os de sangue.

Resultado do teste de sangue

Os testes de sangue normalmente empregados conseguem detectar níveis do hormônio hCG de, no mínimo, 5mUI. Há exames mais sensíveis, que podem detectar a partir de 1mUI por mL de sangue, mas que não fazem parte dos exames ofertados pela maioria dos laboratórios.

Qualitativo

Nos testes qualitativos, o exame mostrará positivo/reagente ou negativo/não-reagente, podendo ser acompanhados dos seguintes parâmetros:

  • hCG abaixo de 5mIU/mL = negativo;
  • hCG entre 5mIU/mL e 25mIU/mL: resultado indefinido (recomenda-se repetir o exame após 3 dias);
  • hCG acima de 25mIU/mL: resultado positivo.

Quantitativo

Nos teste quantitativos, os resultados apresentados são mais específicos, indicando o tempo de gestação.

Abaixo você encontra uma média estimada da dosagem de hCG de acordo com o último período menstrual (UPM). Ou seja, para interpretar o valor médio ideal, você precisa saber quando a sua menstruação desceu pela última vez:

  • 3 semanas (UPM): 5 – 50mIU/mL
  • 4 semanas (UPM): 5 – 426mIU/mL
  • 5 semanas (UPM): 18 – 7,340mIU/mL
  • 6 semanas (UPM): 1,080 – 56,500mIU/mL
  • 7-8 semanas (UPM): 7,650 – 229,000mIU/mL
  • 9-12 semanas (UPM): 25,700 – 288,000mIU/mL
  • 13-16 semanas (UPM): 13,300 – 254,000mIU/mL
  • 17-24 semanas (UPM): 4,060 – 165,400mIU/ml
  • 25-40 semanas (UPM): 3,640 – 117,000mIU/mL
  • Mulheres não grávidas: < 5.0mIU/mL
  • Mulheres depois da menopausa: 9.5mIU/mL

Mas, lembre-se, os valores são uma média e não funcionam como uma tabela determinante. Isso ocorre porque os níveis de hCG podem começar baixos e demorar um pouco para se elevar, subindo rapidamente após alguns dias.

Resultado do teste de farmácia

Como a ideia do teste é facilitar a obtenção do resultado, o teste é rápido e simples de ser lido. Seja o modelo em tira ou o digital, consulte sempre o folheto informativo, mas no geral os resultados são interpretados da seguinte maneira:

Qualitativo

Nos testes de fita, irá aparecer 1 risco para negativo ou 2 riscos para positivo, invariavelmente. Ou seja, 2 riscos, sejam eles paralelos ou em cruz “+” invariavelmente indicam gravidez.

Nos testes digitais, os resultado pode aparecer também com os riscos, igual ao de fita, ou com a informação escrita “positivo/reagente” ou “negativo/não reagente”.

Quantitativo

Os testes digitais podem ser comprados na versão quantitativa também, que mostra o resultado estimado do tempo de gestação.

Em geral, esse tipo mostra o processamento e indicam enquanto a leitura está sendo feita e os resultados possíveis são:

  • Não grávida;
  • Grávida 1-2: a concepção ocorreu há 1 ou 2 semanas aproximadamente;
  • Grávida 2-3: a concepção ocorreu entre 2 e 3 semanas;
  • Grávida 3+: a concepção ocorreu há mais de 3 semanas.

Os fabricantes apontam que o indicador de semanas dos testes digitais têm uma precisão de aproximadamente 92% na detecção do tempo de concepção.

O que é falso negativo?

Em geral, são pouco frequentes os resultados incorretos, mas podem ocorrer falsos negativos se o exame é feito logo nos primeiros dias da gestação, quando ainda não houve tempo suficiente para a produção hormonal se iniciar.

Os testes sanguíneos são capazes de detectar concentrações bem menores de hCG se comparados aos testes de urina, ou seja, são capazes de apontar o resultado positivo já nos primeiros dias. Por isso, para quem quer utilizar o método de farmácia, é preciso esperar o primeiro dia de atraso menstrual, reduzindo os riscos de falso negativo.

Para a validação médica, é sempre utilizado o exame de sangue. Além da detectação ser mais precisa, o hCG sanguíneo costuma ser identificável entre o 8º e o 13º dia após a concepção (o que equivale a mais ou menos 1 a 6 dias antes do atraso menstrual ocorrer).

São poucas as causas que levam a um falso negativo do exame de sangue. Em geral, ele foi realizado muito cedo, não havendo tempo das taxas de hCG se elevarem.

Um dos fatores que causa esse engano é o ciclo menstrual irregular, pois a mulher acha que deveria estar menstruada e realiza o exame. Mas o período correto para descer a menstruação ainda não ocorreu.

Nos testes de farmácia, o falso negativo ainda pode ocorrer se o xixi utilizado estiver muito diluído, por isso, o ideal é fazer o exame com a primeira urina do dia.

O uso de diuréticos ou prometazina (anti-histamínico) pode acusar um falso negativo no teste de farmácia, pois estas substâncias contribuem com a diluição da urina.

Fatores como o uso de anticoncepcionais, álcool, infecções, uso de antibióticos não são capazes de interferir nos resultados.

O que é o falso positivo?

Realizar o teste de maneira incorreta pode ser o causador de um falso positivo. Para quem vai fazer o tipo de farmácia, é preciso sempre ler as instruções e estar atenta e cuidadosa à realização.

A quantidade de urina, a limpeza e esterilização do recipiente de coleta e o prazo de validade do teste podem interferir nos resultados.

Se o teste foi realizado de modo correto, com todos os cuidados devidamente tomados, há ainda outros fatores capazes de determinar quantas linhas vão aparecer no medidor.

Os tratamentos de reprodução (para auxiliar na maturação do folículo ou implantação do embrião, por exemplo) e a realização do teste em períodos recentes ao parto ou a um aborto são as causas mais recorrentes de falsos positivos.

Isso porque para auxiliar na reprodução, são utilizados tratamentos à base de hormônio hCG e, após o parto, os níveis ainda demoram um pouco para baixar, assim como nos casos de aborto.

Além disso, quando o óvulo é fecundado, mas não houve condições dele ser implantado no útero, pode haver uma elevação hormonal, sem que de fato, haja o prosseguimento da gravidez. Estima-se que até 15% das fecundações não consigam se desenvolver e se implantar no útero.

Alguns medicamentos podem causar um falso positivo no teste de urina, entre eles:

Doenças e alterações do organismo, como hepatite, cistos, tumores no ovário, infecções urinárias, além de doenças raras, entre elas o lúpus, a deficiência de Iga, mola hidatiforme e alguns tipos de melanomas e carcinomas ainda podem ser responsáveis pelo falso positivo.

Mulheres na menopausa ou que estejam próximas à fase podem apresentar hCG elevado. Isso ocorre por causa da produção hormonal pela hipófise, uma glândula cerebral. Nesses casos, os resultados apontam resultados geralmente um pouco acima de 25mIU.

A história dos exames de gravidez

Saber se há um bebê a caminho ou não é um informação um tanto quanto relevante. Por isso, não é de hoje que se buscam táticas e métodos de confirmar as suspeitas.

Desde a época dos egípcios há relatos de técnicas empregadas para a detecção da gravidez, sendo que elas foram exploradas, desenvolvidas e alteradas com o passar dos anos até chegarmos aos exames de alta precisão atuais.

Aliás, não é somente a sensibilidade e eficácia do teste que ficaram muito mais apuradas, mas também a versatilidade — dá para descobrir se você está grávida fazendo xixi no banheiro de sua casa e saber o resultado em menos de 5 minutos. Mas nem tudo foi simples assim e muitas das técnicas empregadas antigamente eram um tanto bizarras.

No Egito, para saber se em breve viria uma nova criança na família, grãos de cevada e de trigo eram colocados em sacos de tecido e se misturava o xixi da mulher. Se os grãos germinassem, o resultado era positivo.

Mas a engenhosidade egípcia não se limitava a resultados positivos ou negativos, pois acreditava-se poder saber inclusive o sexo da criança. Se fossem os grãos de cevada que germinassem, seria um menino. Se fossem os de trigo, menina.

Após a descoberta do hormônio hCG, cientistas e pesquisadores começaram a adotar animais para fazer o exame de gravidez. Aproximadamente no ano de 1928, o procedimento consistia em injetar a urina da mulher em uma ratazana e avaliar o animal.

Se a mulher estivesse grávida, a ratazana iniciaria o cio por causa da presença hormonal. No entanto, só era possível identificar o início do cio do rato verificando se houve aumento dos ovários através de uma dissecação após 5 dias, ou seja, matando o animal.

Algum tempo depois, os ratinhos foram substituídos por coelhas. O teste consistia em injetar a urina da mulher nas orelhas do bichinho. Os pesquisadores observavam a coelha e se houvesse mudança metabólica, o resultado da gestação era positivo.

Apesar de ser possível manter os bichos vivos, era necessário realizar intervenções cirúrgicas, o que tornava o procedimento bastante custoso (tanto nas questões de preço quanto no tempo empregado). Ou seja, o animal precisava ser sacrificado após o teste de gravidez.

Segundo informações da Universidade da Califórnia, os sapos do gênero Xenopus eram usados como testes de gravidez em hospitais nas décadas de 40 e 50, pois eram bastante sensíveis ao hCG. Os animais, então, passaram a ser utilizados para detectar a gestação.

O teste do sapo consistia na injeção de urina da mulher grávida em um sapo. Como o xixi da gestante está rico em hCG, o anfíbio seria estimulado a ovular entre 8 e 10 horas. Apesar de nem todos os animais serem sacrificados, ainda era grande o número de mortes.

Se estivéssemos por volta de 1960, seria bem mais complexo detectar uma gestação. Em geral, os exames eram feitos em laboratório e ainda se mostravam demorados e trabalhosos.

O primeiro teste caseiro de gravidez foi fabricado em no final dos anos 1960 por Margaret Crane, uma publicitária americana que não possuía sequer formação em química ou biologia.

Margaret visitou os laboratórios de Organon Pharmaceuticals, uma empresa de cosmético, para desenhar os esboços de alguns produtos. No entanto, o que ela fez foi revolucionar o modo como as mulheres acompanhavam suas vidas, pois foi responsável por reproduzir, de modo caseiro, os testes de gravidez.

Até a época, detectar uma gestação só podia ser feito com o auxílio de laboratório e químicos especializados.

Em 2015, o protótipo elaborado por Margaret foi leiloado por US$ 12 mil (algo em torno de R$ 45 mil na moeda atual), adquirido pelo museu da História da América, em Washington.

Perguntas frequentes

Posso fazer o teste de gravidez antes da menstruação atrasar?

Pode, mas os resultados correm o risco de não ser tão precisos, sobretudo no exame de farmácia.

Se o método escolhido for o de sangue, devido à alta sensibilidade, é possível identificar o hCG aproximadamente 6 dias antes do atraso menstrual ser percebido.

Alguns laboratórios de testes caseiros indicam que o sensor é capaz de captar mesmo as pequenas concentrações hormonais, que são esperadas antes do atraso da menstruação ser percebido. No entanto, a maioria dos falsos negativos é devido à realização do exame muito precocemente.

Posso fazer o teste se tiver tido sangramento?

Sim. Vale lembrar que nem todo sangramento é menstruação. Ele pode ser causado pelo processo de nidação (implantação do óvulo no útero) ou, ainda, por um aborto recente. Em todos os casos, o teste de gravidez pode ser realizado sem que o sangramento altere o resultado.

Os testes de gravidez de farmácia são seguros?

Os testes de farmácia são uma boa opção para detectar a gravidez. Atualmente, os fabricantes desenvolvem técnicas bastante precisas e fáceis de utilizar desde que empregadas no período certo.

As concentrações de hCG na urina podem demorar a se elevar, por isso, se o teste for feito muito cedo, o resultado pode não ser tão preciso.

Também é importante lembrar que os testes vendidos em farmácia são úteis para que a mulher tenha um recurso rápido e acessível para verificar a presença da gravidez. No entanto, ele não substitui o exame laboratorial, nem a consulta médica.

Assim como qualquer exame, o de gravidez pode sofrer interferências também. Aliás, inclusive o exame de sangue pode acusar um falso negativo, por isso o acompanhamento médico é essencial.

O segundo risco está borrado, o que significa?

Independente da cor ou do aspecto, se aparecerem 2 riscos no teste de farmácia, o resultado é positivo. Algumas vezes, a baixa concentração hormonal pode interferir na formação do símbolo, mas isso não muda o indicativo de gravidez.

Em casos de dúvida ou insegurança, repita o teste ou realize um exame de sangue.

O teste deu positivo, mas estou menstruada. É um falso negativo?

Existe um erro bastante comum no que se refere à gravidez e à menstruação, pois não é possível que elas ocorram juntas. Para que a gestação se desenvolva, há uma liberação hormonal que inibe o sangramento menstrual.

Talvez você até conheça mulheres que mantiveram o sangramento enquanto estavam grávidas, mas a verdade é que se trata de um sangramento de outra origem que não menstrual. Entre elas:

  • Sangramento de implantação (pequena quantidade de fluido que ocorre quando o embrião se implanta no endométrio);
  • Sangramentos após exames ginecológicos ou relações sexuais: é possível que as paredes internas da vagina e do colo do útero estejam mais sensíveis e, por isso, se machuquem mais facilmente;
  • Infecções ginecológicas: herpes, candidíase, vaginose bacteriana e clamídia, em geral, não desencadeiam sangramentos, mas podem deixar a parede da região vaginal mais irritada e sensível, favorecendo machucados. Além disso, o sangramento pode ser um sinal de gonorreia, devendo ser investigado.

Outros fatores podem ser mais graves, por exemplo a placenta prévia (até 80% das pacientes com placenta prévia apresenta sangramento sem dor) ou o descolamento prematuro da placenta (o sangramento acomete também 80% das pacientes), em que os riscos à mãe e ao bebê são maiores.

Uma alta concentração de beta hCG pode ser sinal de gravidez gemelar?

A dosagem alta do hCG pode ser um indicativo de que você está grávida de gêmeos, mas apenas uma ultrassonografia é capaz confirmar o resultado, logo que a quantidade de hormônios varia muito para cada mulher.

Geralmente, os sintomas do início da gravidez são mais fortes nas mães de gêmeos devido à alta concentração hormonal, logo que é o hCG que causa os sintomas iniciais.

No entanto, se o exame for o de fita de farmácia, ter 2 linhas bem marcadas (bem fortes e nítidas) não pode ser considerado um indício de gravidez gemelar.

Qual teste de gravidez é mais preciso?

Apesar dos fabricantes apontarem que os testes de farmácia são extremamente sensíveis, com um grau de precisão que pode chegar a 99%, o exame de sangue ainda é mais indicado para confirmar a gestação.

Em questões de marca para os testes de farmácia, é preciso apenas ficar atenta à validade e à certificação da ANVISA. Nem sempre o produto mais caro representa a melhor qualidade ou o melhor custo benefício.

Como saber há quanto tempo estou grávida?

Em um ciclo regular de 28 dias, a ovulação ocorre no 14º dia após o início da menstruação, podendo ocorrer 3 dias antes ou depois dessa data.

Os espermatozoides podem sobreviver por até 72 horas dentro do corpo da mulher. A partir da ovulação, a fecundação tem até 24 horas para ocorrer e, entre 5 e 7 dias, o óvulo migra para a parede do útero (que é no endométrio), configurando o processo de nidação.

Como é bastante difícil determinar precisamente o dia em que ocorreu a fecundação, os médicos fazem a contagem gestacional a partir do atraso menstrual. Em geral, o embrião é cerca de 14 dias mais jovem que o dia de atraso menstrual.

Por isso, mulheres que têm um ciclo bem regulado conseguem estimar com mais facilidade quando iniciou a gravidez.

Se a menstruação for extremamente desregulada, deve-se esperar o exame de ultrassom para confirmar as semanas de gestação.

Ultrassom pode detectar a gravidez?

O ultrassom é um exame de imagem que, em geral, é utilizado para acompanhar a gravidez. Isso porque, para a maioria das mulheres, ele só é capaz de indicar a presença do bebê a partir da 5ª ou 6ª semana de gestação.

Nesse período o médico já consegue identificar o saco gestacional. Mas é importante lembrar que na 5ª semana o bebê ainda é um embrião com cerca de apenas 6mm.

Já para quem deseja saber o sexo do bebê, é preciso esperar pelo menos até a 13ª semana, sendo que geralmente é somente na 15ª que o médico pode afirmar o sexo.

Então, sim, o ultrassom pode detectar a gravidez, mas é normalmente usado para acompanhá-la e não para confirmá-la.


Com sensibilidade alta e um resultado bastante rápido, os testes de gravidez podem ser feitos em casa, com o teste de urina, ou em laboratórios, com os de sangue.

Apesar dos médicos averiguarem a gravidez perante o exame laboratorial, aqueles vendidos em farmácias podem confirmar ou descartar as suspeitas de gravidez, além de oferecer um baixo custo de realização.

Assim que houver uma suspeita de gestação, o exame deve ser realizado para que os cuidados necessários, em resultados positivos, sejam iniciados.

Os testes vendidos em farmácia são uma opção rápida e consideravelmente segura, mas é necessário ter cuidados durante a realização, seguindo os procedimentos indicados pelo fabricante e respeitando os períodos corretos (preferencialmente após o atraso menstrual).

Para o exame sanguíneo, os resultados são confiáveis e as possibilidades de falsos resultados são pouco frequentes, salvo os casos em que há disfunção orgânica ou uso de alguns medicamentos. Por isso, é sempre necessário buscar orientação especializada e informar o médico sobre tratamentos e sintomas.

E se o resultado for positivo, encontre no Minuto Saudável dicas de cuidados e bem-estar focados na gravidez!

Referências

http://news.berkeley.edu/2010/04/29/xenopus_genome/

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (22 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe o seu comentário, nos preocupamos com sua opinião:

Por gentileza, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui

Lamentamos a não possibilidade de dar-lhe conselho médico ou responder a questões médicas e farmacêuticas individuais através de e-mail, pois apenas um médico pode prestar tal atendimento. Embora tentemos responder a todos os comentários, opiniões e e-mails que recebemos em até dois dias úteis, nem sempre é possível devido ao grande volume que recebemos. Por favor, tenha em mente que qualquer solicitação ao Minuto Saudável está sujeita aos nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, ao enviar, você indica sua aceitação.