Apesar de ter existido um tempo em que propagandas sobre o consumo de tabaco eram permitidas, hoje sabemos muito bem sobre todos os males do cigarro.

Entendemos que o tabagismo faz muito mal à saúde e até mesmo nos rótulos constam os riscos. No entanto, com o narguilé ― que faz tão mal quanto o cigarro ― ainda não é tão comum esse tipo de alerta.

Por não ser tão conhecido, por falta de informação e legislação e por uma publicidade enganosa, o consumo desse fumo muitas vezes é considerado como uma opção menos prejudicial.

Entretanto, existem estudos que mostram que não é bem isso. Segundo relatórios da Organização Mundial da Saúde (OMS), o consumo pode causar muitas complicações em longo prazo e até dependência.

No texto a seguir explicamos porque o narguile faz tão mal. Continue a leitura para entender mais sobre o tema!

O que é o narguilé e qual a origem?

O narguilé, também conhecido por arguile, shisha ou hookah, é um fumo de origem indiana, mas usado por tribos indígenas da África e da Ásia por pelo menos quatro séculos ou mais.

No entanto, apesar de ser uma antiga tradição no oriente, tornou-se globalizado somente na década de 1990. Desde então é bastante popular, especialmente entre os jovens.


Trata-se de um aparelho composto por um vaso para água, um fornilho para o tabaco, uma mangueira e um bocal.

Essa mangueira, que pode ser de plástico ou couro, sai do topo do vaso da água e termina no bocal, por onde o fumante inala a fumaça. Em cima do fornilho, o carvão é colocado para que possa ser aceso.

Simplificando, funciona como uma espécie de cachimbo à base de água, usado para o fumo de tabaco aromatizado (menta, baunilha, chocolate etc).

O narguilé é muitas vezes usado como uma alternativa aos cigarros, sendo muito comum em rodas de conversas e festas.

As pessoas se reúnem para fumar como um evento, sendo possível encontrar estabelecimentos especializados na venda e no consumo.

Narguilé caneta ou eletrônico: é igual?

Sim. Os narguilés eletrônicos (ou canetas) são semelhantes aos cigarros eletrônicos, só que em versões menores e portáteis.

Muitos desses aparelhos são livres de substâncias como monóxido de carbono, metais pesados e outras toxinas, por não ser utilizado com carvão. No entanto, também há presença de nicotina.

Apesar de ser considerado de menor risco para a saúde, também apresenta substâncias que fazem mal e pode gerar certa dependência se usado com frequência.

Como no caso do narguilé tradicional, também faltam estudos para avaliar todos os riscos do narguilé eletrônico.

Por que o narguilé faz mal à saúde?

Segundo o Ministério da Saúde, apesar da nicotina passar por essa filtragem na água, isso não o torna menos prejudicial. A pessoa normalmente repete em tragadas mais profundas o fumo para conseguir quantidades satisfatórias de nicotina e, consequentemente, acaba inalando outras substâncias tóxicas.

Entre essas substâncias, além do tabaco, há também as toxinas benzeno e alcatrão, presentes no carvão.

Tanto a fumaça emitida pelo carvão quanto pelo tabaco são prejudiciais. Até mesmo os aromatizantes presentes podem causar efeitos negativos à saúde.

Para ter-se uma comparação, um relatório divulgado pela OMS relatou também que uma rodada de 1h de narguilé pode ter o mesmo efeito de fumar 100 cigarros.

Segundo a pneumopediatra Debora Carla Chong e Silva, é importante ressaltar que o narguilé é um vapor que tem tabaco e substâncias iguais aos do cigarro.

É uma pasta de fumo misturado com aromatizante, mas que possui o mesmo potencial (ou até maior) de malefícios, uma vez que o cigarro é fumado rapidamente e o narguilé se fuma por horas.

O mais importante, o que a gente precisa reforçar, é que o grande consumidor do narguilé é o jovem. E que há um consenso de que ele é inofensivo, o que precisa ser algo desmistificado” explica a médica.

Substâncias cancerígenas: narguilé pode causar doenças?

De acordo com a OMS e as pesquisas realizadas com o narguilé, foi observado a presença de muitas substâncias tóxicas e algumas delas consideradas carcinógenas. Entre elas hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (HAP), nitrosaminas (presentes no tabaco), metais pesados, benzeno, óxido nítrico, monóxido de carbono, aldeídos voláteis etc.

A Agência Internacional para Pesquisa em Câncer (IARC, do inglês International Agency for Research on Cancer) considera muitos desses produtos como carcinógenos humanos.

Em 2014, a agência divulgou que há um risco maior do desenvolvimento de leucemia por assimilação de benzeno em pessoas expostas à fumaça do narguilé.

Apesar dos riscos relatados e dos alertas feitos pelas instituições, não se sabe ao certo em qual quantidade essas substâncias são realmente absorvidas pelo fumante do narguilé.

Por isso, é importante ainda mais estudos para confirmar todos os riscos.

Quais os riscos para o pulmão?

As substâncias presentes no narguilé, assim como as que estão presentes no cigarro, são prejudiciais à saúde do organismo de uma forma generalizada. Essas toxinas, em grande concentração, causam danos a vários sistemas e tecidos.

Para os pulmões e sistema respiratório como um todo, no entanto, o risco pode ser ainda maior.

O fumo pode aumentar os riscos de infecções e inflamações pulmonares, além de gerar uma perda acelerada da capacidade pulmonar.

Faz mal para o estômago?

Sim, o narguilé pode fazer mal para a saúde do estômago em longo prazo, assim como pode prejudicar o organismo de forma geral.

Nesses casos, os riscos estão associados a uma maior chance de desenvolver câncer, uma vez que o narguilé possui substâncias cancerígenas como o benzeno. É, portanto, um fator de risco para essa e outras doenças.

Narguilé faz mal igual cigarro?

Sim. Fumar narguilé representa um risco à saúde assim como o cigarro, podendo ser igual ou até mesmo mais nocivo que o tabagismo.

Como explica a médica Debora Carla Chong e Silva, a fumaça do narguilé é comparável à do cigarro.

São semelhantes em muitos aspectos, no entanto, a do narguilé pode até mesmo apresentar concentrações mais altas de substâncias nocivas como a nicotina, o monóxido de carbono, metais pesados e tantas outras toxinas.

Tudo isso torna o narguilé uma grande ameaça à saúde.

Então ambos possuem diversas substâncias tóxicas que fazem mal ao organismo e aumentam as chances de complicações graves de saúde, como doenças respiratórias, câncer (pulmão, boca, bexiga etc) e doenças cardiovasculares.

A longo prazo, os riscos seriam os mesmos e talvez até maiores, por esses motivos. Além disso, imagina-se que o narguilé é inofensivo e não é. Assim, você fuma mais e compra mais. Pensar que o fumo de ‘só 1h hora por final de semana’ não faz mal é errado, pois essa 1h é como se fosse o equivalente a mais de três carteiras de cigarro por um final de semana, o que é muita coisa” explica a pneumologista.

Quais os riscos de fumar narguilé?

O narguilé faz mal por expor o usuário a uma série de substâncias tóxicas, por isso, pode causar vários riscos às pessoas, em curto e longo prazo.

Além do que diz a OMS, há outros estudos que apontam sobre os riscos do fumo.

Uma pesquisa feita com camundongos por acadêmicos do curso de odontologia da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), por exemplo, identificou que a fumaça do narguilé pode estar relacionada a um risco maior de inflamações, doenças respiratórias e alteração no espessamento da pele da língua.

Na traqueia, foi observado alterações na pele com indícios de metaplasia (quando uma célula é substituída por outro tipo de célula), que são comuns em fumantes de cigarro.

Outros efeitos que o uso do narguilé pode ter sobre a saúde implicam em danos no sistema respiratório, cardiovascular, problemas nos dentes, garganta e na boca, além de um risco mais acentuado de desenvolvimento de algum tipo de câncer.

Riscos do uso mesmo sem tragar

Além de ser um fator de risco para muitas doenças (como câncer), há outros riscos pela forma como o uso do narguilé é feita, como explica a médica Debora Carla Chong e Silva.

Outra coisa é que, além de todos os malefícios citados, o narguilé traz também a questão do compartilhamento da piteira entre várias pessoas, com potencial de transmissão de doenças e vírus (como o da mononucleose). O líquido que fica ali borbulhando por horas também é contaminado com frequência, não sendo estéril ou livre de bactérias” explica.

Ou seja, além de todos os riscos que o narguilé pode causar por ser um fumo com diversas substâncias nocivas, há também a possibilidade de transmissão de doenças e infecções.

Pode causar dependência

Se engana quem pensa que apenas o cigarro pode causar dependência. O consumo do narguilé também pode desencadear um vício.

A presença de nicotina na fumaça do narguilé pode estar em concentrações ainda mais altas do que os cigarros.

Por isso, é possível também que seja difícil de parar de consumir, principalmente quando a pessoa fuma todos os dias e por um tempo muito grande, o que — felizmente — não é comum.

Isso porque, se formos pensar, não é algo tão prático.

Diferente do cigarro, que cabe no bolso e pode ser levado para qualquer lugar, o narguilé é pesado, cheio de peças, exige a água e o carvão, por exemplo.

Na nossa cultura, é muito raro o fumo do narguilé todo dia. Nós fumamos em condições sociais e é assim que ele está atrelado a nossa cultura, o que é um dos fatores que interferem na quantidade de poucos estudos para provar se ele vicia de fato” completa a pneumologista.

Dessa forma, o narguilé é considerado como um fumo com potencial de gerar dependência quando utilizado com uma certa regularidade, pela presença da nicotina.

É o mesmo potencial em cigarros comuns e nos cigarros eletrônicos, pois ambos possuem a mesma substância.

Pode fumar narguilé na gravidez?

Fumar não é uma prática saudável para qualquer pessoa, mas durante a gestação é ainda mais contraindicada. Além de fazer mal para o organismo da gestante, por conter inúmeras substâncias nocivas, pode também causar malefícios ao bebê em longo prazo. É um alerta que vale tanto para o tabagismo quanto para o narguilé.

No entanto, há ainda poucos estudos que mostrem quais os riscos do narguilé para o feto durante a gestação.

Isso é comum especialmente no Brasil, em que esse tipo de fumo é muitas vezes visto como inofensivo, como explica a médica Debora Carla Chong e Silva .

Tenho estudado muito o tabagismo na gestação e é observado que a prática é uma coisa violentamente agressiva aos pulmões do feto. É uma pesquisa feita com o cigarro comum que a gente pode extrapolar para o narguilé, pela falta de estudos com esse fumo” explica.

O estudo foi concluído após o acompanhamento de pessoas que tiveram mães fumantes durante a gestação.

A pesquisa analisou a saúde deles ao longo da vida, mas quando atingiram a faixa etária dos 50 anos que foi possível observar uma perda acelerada de função pulmonar.

Além de terem esse prejuízo na capacidade pulmonar, o estudo identificou que as crianças com mães fumantes também apresentam maior risco de chiado, infecções e doenças pulmonares.

Por terem substâncias muito semelhantes, a médica entende que é possível fazer esse paralelo entre o cigarro e o narguilé na gestação.

O tabagismo é extremamente prejudicial ao pulmão da criança e é a longo prazo. Se utilizar o narguilé na gestação de forma frequente, podemos entender que há também o mesmo risco de consequências pulmonares” completa.

Portanto, o fumo do narguilé é sim prejudicial durante a gestação e pode causar problemas sérios a saúde, tanto para a mãe quanto para o bebê.

Leia mais: Tabagismo na gravidez aumenta os riscos de morte súbita do bebê


Por ser socialmente mais aceito, por ser um consumo comum em eventos, em cafés, restaurantes e pela falta de regulação e políticas de fiscalização, o narguilé é considerado por muitos um tipo de fumo mais inofensivo.

No entanto, o uso é tão prejudicial quanto o consumo do cigarro.

Os riscos à saúde em longo prazo são tão graves quanto, podendo aumentar os riscos de câncer, doenças respiratórias e doenças infecciosas.

Compartilhe com mais pessoas essas informações e continue acompanhando mais artigos sobre saúde e bem-estar!

Fontes consultadas

  • Debora Carla Chong e Silva (CRM/PR 15.647), pneumopediatra graduada em medicina pela Universidade Federal do Paraná, mestre em Microbiologia, Parasitologia e Patologia e doutora em Saúde da Criança e Adolescente, ambos pela UFPR. É docente de Pediatria da PUC-PR e da UFPR;
  • Uso do narguilé, Organização Mundial da Saúde.


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *