Além do acompanhamento médico, as interações sociais e a prática de atividades físicas são importantes para um envelhecimento saudável, segundo um estudo publicado no Journals of Gerontology Series B.

A pesquisa, feita pela Universidade do Texas, nos EUA, sugere que quando os idosos estão em contato com a família, amigos e novas pessoas, o organismo tende a sentir mais os sentimentos positivos e cada vez menos os negativos.

E isso faz com que seja possível ficar longe de doenças com altos índices na terceira idade.

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores reuniram 300 participantes com mais de 65 anos e registraram informações sobre atividades e relações sociais de cada voluntário.

Os idosos também usaram um aparelho responsável por monitorar a atividade física durante o tempo que iriam participar do estudo.

Com base nesses dados coletados, os resultados mostraram que pessoas com um maior convívio de amigos e familiares, e que fazem exercícios regularmente, têm uma maior qualidade de vida na terceira idade.

Além disso, a inclusão desses hábitos na rotina ajuda no combate de doenças, como o sedentarismo, e mantém o equilíbrio da saúde mental.

Leia mais: Janeiro Branco: campanha incentiva cuidados com a saúde mental


Como manter-se saudável na terceira idade?

Com o passar do tempo, as pessoas tendem a ficar menos ativas, porém é importante estar informado sobre o que fazer para se sentir bem.

Por isso, listamos algumas recomendações essenciais para que os idosos tenham uma vida mais saudável e equilibrada. Confira:

Praticar exercícios físicos

Praticar atividades físicas se mostra importante para a saúde em qualquer fase da vida. E isso vale também na velhice.

As atividades ajudam o corpo a se manter em equilíbrio. Além disso, movimentar-se diminui as dores nas articulações, que afetam a capacidade funcional da pessoa.

Participar de grupos

Encontros com pessoas que estejam nesta mesma fase da vida têm um papel fundamental na socialização dos idosos.

As conversas e trocas de experiências ajudam a construir um sentimento de pertencimento, e até mesmo encorajam a prática de outras atividades em grupo. Ou seja, essa interação faz bem para o lado emocional do idoso, sendo capaz de revigorá-lo e dar disposição para aproveitar a vida.

Cuidar da alimentação

A recomendação dos nutricionistas é que a base continue a mesma: carboidratos, proteínas, frutas e verduras. Porém, ainda é preciso cuidado com a quantidade de comida e com a variedade de alimentos presentes.

Uma boa alimentação (equilibrada e saudável) é fundamental na prevenção de inúmeras doenças.

Manter as consultas em dia

Com o envelhecimento, é preciso fazer visitas regulares aos profissionais de saúde para se assegurar contra doenças como hipertensão, demência e diabetes — condições mais frequentes nessa fase da vida.

Portanto, é importante fazer um acompanhamento para estar atento aos sintomas e a necessidade de tratamento.

Gerenciar o uso de medicamentos

Preocupados com as dores e outros sintomas que aparecem após os 65 anos, alguns idosos abusam da quantidade de medicamentos que tomam.

Porém, o problema é que o uso de remédios sem necessidade, ou sem prescrição médica, pode causar prejuízos ao organismo.

É fundamental que haja o acompanhamento de um profissional, a fim de evitar complicações.


Envelhecer é um processo natural, que não deve ser visto com preconceito. Saber reconhecer as dificuldades e cuidados com a saúde durante esta fase da vida é fundamental para uma boa qualidade de vida.

Fonte: University of Texas


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *