O que é Meningite Viral?

A meningite é a inflamação da meninge, membrana que reveste o cérebro, e, quando não diagnosticada precocemente e não tratada de forma correta, pode ser grave e fatal. Normalmente possui três fatores causadores da doença – vírus, bactérias e fungos –, tendo o tipo viral com casos mais frequentes.

A meningite viral é a menos agressiva dentre todos os tipos de meningite existentes, possui taxa de mortalidade bem menor que as demais e normalmente possui cura espontânea. É mais frequente nos meses quentes e, em média, gera mais de 11 mil casos por ano apenas no Brasil.

Índice – neste artigo você irá encontrar as seguintes informações:

  1. O que é Meningite Viral?
  2. Quais as causas da Meningite Viral?
  3. Grupos de risco
  4. Quais são os sintomas?
  5. Os estágios da doença
  6. Como se dá a transmissão
  7. Formas de prevenção
  8. Qual o diagnóstico para a Meningite Viral?
  9. Como tratar a doença
  10. Há complicações existentes depois da Meningite Viral tratada?

Quais as causas da Meningite Viral?

A família de vírus que mais causa meningite nas pessoas é a Enterovírus e, dentre os vírus componentes, estão:

Após o vírus se instalar no organismo do infectado, seu tempo de incubação é de 3 a 6 dias.

Grupos de risco

Você pode contrair meningite viral independente da idade que tiver, porém há grupos mais suscetíveis a contraí-la:

  • Crianças até 5 anos;
  • Pessoas que estão com imunidade baixa por conta de doenças, medicamentos (como os utilizados em quimioterapia) ou transplante recente de órgãos.

Quais são os sintomas?

Inicialmente, a meningite se manifesta através de febre elevada e forte dor de cabeça. Porém, esses não são os únicos sintomas da doença, já que ela pode se apresentar de formas distintas quando o infectado é adulto ou bebê.

Sintomas mais comuns em bebês

  • Febre;
  • Irritabilidade;
  • Má alimentação;
  • Sonolência ou problemas para acordar após dormir;
  • Letargia (falta de energia).

Sintomas mais comuns em adultos

  • Febre;
  • Dor de cabeça;
  • Dor na nuca ou torcicolo;
  • Fotossensibilidade;
  • Sonolência ou problemas para acordar após dormir;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Falta de apetite;
  • Letargia (falta de energia).

Além desses sintomas citados, há casos raros de pessoas que desenvolvem a síndrome Waterhouse-Friederischsen, uma versão gravíssima da meningite viral, causada pelo Neisseria meningitis.

Os estágios da doença

A meningite viral pode ser dividida em 4 estágios, de acordo com a gravidade dos sintomas apresentados e que dependerá do agente causador da infecção. Confira abaixo quais são.

Síndrome infecciosa

Síndrome de irritação radicular com sinais meníngeos característicos

  • Rigidez de nuca;
  • Sinais de Köernig, Brudzinski e Lasègue.

Síndrome de hipertensão intracraniana

  • Cefaléia;
  • Vômitos sem relação com a alimentação;
  • Fundo de olho com edema de papila.

Síndrome encefalítica

  • Sonolência ou agitação;
  • Torpor;
  • Delírio;
  • Coma.

Como se dá a transmissão

Doença de fácil transmissão, a meningite normalmente é contraída através de contato intenso com o infectado e da partilha de objetos pessoais. É importante saber que, mesmo se a pessoa ainda não tiver apresentado os sintomas da infecção, ela já pode transmitir o vírus para outros indivíduos.

As principais formas de transmissão da doença são:

  • Partilhar copos, pratos e talheres;
  • Tosse, espirro ou saliva;
  • Partilhar alimentos ou bebidas;
  • Contatos próximos como beijo;
  • Contato com fezes de pessoas contaminadas.

Formas de prevenção

Durante um período de epidemia, é fundamental que as pessoas previnam-se contra qualquer tipo de doença. Na questão da meningite, ela pode ser prevenida das seguintes maneiras:

Higiene pessoal

Lave as mãos frequentemente e use álcool em gel em seguida, principalmente antes de manipular alimentos, após usar o banheiro ou de trocar uma fralda e depois de assoar o nariz ou espirrar.

Limpeza da casa

  • Mantenha o banheiro sempre limpo e arejado;
  • Evite ligar o ar condicionado, pois os filtros podem acumular os vírus;
  • Limpe com cloro as superfícies da cozinha e banheiro.

Higiene dos alimentos

Antes de cozinhar, lave todos os legumes, frutas e verduras e depois deixe-os de molho no cloro.

Qual o diagnóstico para a Meningite Viral?

O médico a ser visitado em suspeitas de meningite é o neurologista, no caso de paciente adulto, e o pediatra, no caso de paciente criança. Junto com a análise dos sintomas já recorrentes, o médico poderá solicitar exames de sangue, urina e fezes, além da punção lombar, que consiste na retirada do líquido cefalorraquidiano para análise laboratorial. Será através desses exames que a meningite será confirmada, bem como seu agente causador.

Como tratar a doença

O tratamento para a meningite viral dura entre 7 a 10 dias e é recomendado repouso até a febre diminuir e a ingestão de muita água, para evitar a desidratação.

Como não há um medicamento específico para a forma viral da meningite, o médico pode receitar alguns medicamentos para controlar os sintomas causados pela doença. Um exemplo é o uso de analgésicos e antipiréticos, como o Paracetamol, e remédios para náusea/vômito, como a Metoclopramida.

É importante que o paciente faça uso de algumas medidas durante o tratamento para evitar a transmissão da doença, como usar máscaras, não compartilhar alimentos, bebidas ou objetos pessoais e lavar as mãos com frequência. Em casos graves de meningite viral, o tratamento deverá ser realizado no hospital, onde a pessoa receberá remédios e soro através de via intravenosa.

Tratamento caseiro

Juntamente com o uso dos medicamentos citados anteriormente, você pode fazer uso das dicas a seguir para auxiliar no tratamento da meningite viral:

  • Fazer compressa fria na testa ou tomar banho com água morna para ajudar a febre a baixar;
  • Fazer compressa morna na parte de trás do pescoço para aliviar a rigidez da nuca;
  • Beber chá de freixo, pois a planta tem ação antipirética;
  • Beber chá de alfazema, pois a planta tem propriedades analgésica e relaxantes;
  • Beber chá de gengibre, pois ele auxilia na digestão, diminuindo os enjoos e vômitos.

Atenção! 

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas nesse site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Há complicações existentes depois da Meningite Viral tratada?

São raras as sequelas causadas pela meningite viral, mas quando acontecem é por conta da demora para o tratamento ou pelo fato do paciente não ter sido tratado da maneira correta.

Dentre as sequelas possíveis, incluem-se:

  • Perda de memória;
  • Diminuição da capacidade de concentração;
  • Problemas neurológicos.

Por conta disso tudo que colocamos aqui, a importância da propagação das informações sobre a meningite viral é grande. Portanto, se você conhece alguém que possua os sintomas iniciais da doença, compartilhe com ela esse artigo. Toda forma de conhecimento é válida!

Referências
http://www.mdsaude.com/2009/05/meningite.html
http://www.scielo.br/pdf/rsp/v40n4/30.pdf
http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Seresvivos/Ciencias/biovirus10.php
http://www.cdc.gov/meningitis/viral.html
http://www.tuasaude.com/sintomas-da-meningite-viral/
http://www.tuasaude.com/meningite-viral-e-contagiosa/
http://www.tuasaude.com/tratamento-para-meningite-viral/
http://www.tuasaude.com/meningite-viral/

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Avalie o conteúdo!)
Loading...

Faça um comentário:

Por favor, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui