O que é Meningite Viral?

A meningite é a inflamação da meninge, membrana que reveste o cérebro, e, quando não diagnosticada precocemente e não tratada de forma correta, pode ser grave e fatal. Normalmente possui três fatores causadores da doença – vírus, bactérias e fungos –, tendo o tipo viral com casos mais frequentes.

A meningite viral é a menos agressiva dentre todos os tipos de meningite existentes, possui taxa de mortalidade bem menor que as demais e normalmente possui cura espontânea. É mais frequente nos meses quentes e, em média, gera mais de 11 mil casos por ano apenas no Brasil.

Índice – neste artigo você irá encontrar as seguintes informações:

  1. O que é Meningite Viral?
  2. Quais as causas da Meningite Viral?
  3. Grupos de risco
  4. Quais são os sintomas?
  5. Os estágios da doença
  6. Como se dá a transmissão
  7. Formas de prevenção
  8. Qual o diagnóstico para a Meningite Viral?
  9. Como tratar a doença
  10. Há complicações existentes depois da Meningite Viral tratada?

Quais as causas da Meningite Viral?

A família de vírus que mais causa meningite nas pessoas é a Enterovírus e, dentre os vírus componentes, estão:

  • Echo;
  • Coxsackie e poliovírus;
  • Arbovírus;
  • Vírus da caxumba;
  • Vírus da herpes simplex;
  • Vírus da herpes tipo 6;
  • Citomegalovírus;
  • Vírus Epstein-Barr;
  • Vírus da varicela zoster;
  • Vírus do sarampo;
  • Vírus da rubéola;
  • Vírus do parvovírus;
  • Rotavírus;
  • Vírus da varíola;
  • Vírus do HIV 1;
  • Alguns vírus que afetam a função respiratória.

Após o vírus se instalar no organismo do infectado, seu tempo de incubação é de 3 a 6 dias.

Grupos de risco

Você pode contrair meningite viral independente da idade que tiver, porém há grupos mais suscetíveis a contraí-la:

  • Crianças até 5 anos;
  • Pessoas que estão com imunidade baixa por conta de doenças, medicamentos (como os utilizados em quimioterapia) ou transplante recente de órgãos.

Quais são os sintomas?

Inicialmente, a meningite se manifesta através de febre elevada e forte dor de cabeça. Porém, esses não são os únicos sintomas da doença, já que ela pode se apresentar de formas distintas quando o infectado é adulto ou bebê.

Sintomas mais comuns em bebês

  • Febre;
  • Irritabilidade;
  • Má alimentação;
  • Sonolência ou problemas para acordar após dormir;
  • Letargia (falta de energia).

Sintomas mais comuns em adultos

  • Febre;
  • Dor de cabeça;
  • Dor na nuca ou torcicolo;
  • Fotossensibilidade;
  • Sonolência ou problemas para acordar após dormir;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Falta de apetite;
  • Letargia (falta de energia).

Além desses sintomas citados, há casos raros de pessoas que desenvolvem a síndrome Waterhouse-Friederischsen, uma versão gravíssima da meningite viral, causada pelo Neisseria meningitis.

Os estágios da doença

A meningite viral pode ser dividida em 4 estágios, de acordo com a gravidade dos sintomas apresentados e que dependerá do agente causador da infecção. Confira abaixo quais são.


Síndrome infecciosa

Síndrome de irritação radicular com sinais meníngeos característicos

  • Rigidez de nuca;
  • Sinais de Köernig, Brudzinski e Lasègue.

Síndrome de hipertensão intracraniana

  • Cefaléia;
  • Vômitos sem relação com a alimentação;
  • Fundo de olho com edema de papila.

Síndrome encefalítica

  • Sonolência ou agitação;
  • Torpor;
  • Delírio;
  • Coma.

Como se dá a transmissão

Doença de fácil transmissão, a meningite normalmente é contraída através de contato intenso com o infectado e da partilha de objetos pessoais. É importante saber que, mesmo se a pessoa ainda não tiver apresentado os sintomas da infecção, ela já pode transmitir o vírus para outros indivíduos.

As principais formas de transmissão da doença são:

  • Partilhar copos, pratos e talheres;
  • Tosse, espirro ou saliva;
  • Partilhar alimentos ou bebidas;
  • Contatos próximos como beijo;
  • Contato com fezes de pessoas contaminadas.

Formas de prevenção

Durante um período de epidemia, é fundamental que as pessoas previnam-se contra qualquer tipo de doença. Na questão da meningite, ela pode ser prevenida das seguintes maneiras:

Higiene pessoal

Lave as mãos frequentemente e use álcool em gel em seguida, principalmente antes de manipular alimentos, após usar o banheiro ou de trocar uma fralda e depois de assoar o nariz ou espirrar.

Limpeza da casa

  • Mantenha o banheiro sempre limpo e arejado;
  • Evite ligar o ar condicionado, pois os filtros podem acumular os vírus;
  • Limpe com cloro as superfícies da cozinha e banheiro.

Higiene dos alimentos

Antes de cozinhar, lave todos os legumes, frutas e verduras e depois deixe-os de molho no cloro.

Qual o diagnóstico para a Meningite Viral?

O médico a ser visitado em suspeitas de meningite é o neurologista, no caso de paciente adulto, e o pediatra, no caso de paciente criança.

Junto com a análise dos sintomas já recorrentes, o médico poderá solicitar exames de sangue, urina e fezes, além da punção lombar, que consiste na retirada do líquido cefalorraquidiano para análise laboratorial. Será através desses exames que a meningite será confirmada, bem como seu agente causador.

Como tratar a doença

O tratamento para a meningite viral dura entre 7 a 10 dias e é recomendado repouso até a febre diminuir e a ingestão de muita água, para evitar a desidratação.

Como não há um medicamento específico para a forma viral da meningite, o médico pode receitar alguns medicamentos para controlar os sintomas causados pela doença. Um exemplo é o uso de analgésicos e antipiréticos, como o Paracetamol, e remédios para náusea/vômito, como a Metoclopramida.

É importante que o paciente faça uso de algumas medidas durante o tratamento para evitar a transmissão da doença, como usar máscaras, não compartilhar alimentos, bebidas ou objetos pessoais e lavar as mãos com frequência. Em casos graves de meningite viral, o tratamento deverá ser realizado no hospital, onde a pessoa receberá remédios e soro através de via intravenosa.

Tratamento caseiro

Juntamente com o uso dos medicamentos citados anteriormente, você pode fazer uso das dicas a seguir para auxiliar no tratamento da meningite viral:

  • Fazer compressa fria na testa ou tomar banho com água morna para ajudar a febre a baixar;
  • Fazer compressa morna na parte de trás do pescoço para aliviar a rigidez da nuca;
  • Beber chá de freixo, pois a planta tem ação antipirética;
  • Beber chá de alfazema, pois a planta tem propriedades analgésica e relaxantes;
  • Beber chá de gengibre, pois ele auxilia na digestão, diminuindo os enjoos e vômitos.

Atenção! 

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas nesse site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Há complicações existentes depois da Meningite Viral tratada?

São raras as sequelas causadas pela meningite viral, mas quando acontecem é por conta da demora para o tratamento ou pelo fato do paciente não ter sido tratado da maneira correta.

Dentre as sequelas possíveis, incluem-se:

  • Perda de memória;
  • Diminuição da capacidade de concentração;
  • Problemas neurológicos.

Por conta disso tudo que colocamos aqui, a importância da propagação das informações sobre a meningite viral é grande. Portanto, se você conhece alguém que possua os sintomas iniciais da doença, compartilhe com ela esse artigo. Toda forma de conhecimento é válida!


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Participe da discussão

14 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. Hello to every body, it’s my first go to see of this blog;
    this web site carries remarkable and really fine information in favor of visitors.

  2. Artigo esclarecedor. Linguagem acessível aos leigos em medicina

  3. Fico agradecido pelos esclarecimentos. Fiquei estarrecido quanto a capacidade desse vírus, agora que estamos esclarecidos sabemos com quem estamos lidando – peço a Deus que guie os médicos quanto ao tratamento da minha neta – para um breve restabelecimento.

    Deus abençoe os autores deste site

  4. A meningite afetou o afilhado da minha mãe pois os médicos não conseguiram identificar a causa da febre… muito cuidado com esta doença, pode ser fatal

  5. Muito esclarecedor á explicação!
    Minha filha de 5 anos pegou meningite Viral! Foi uma aflição grande.
    Levamos logo ao medico;onde á mesma foi medicada e i ter nada e graças á Deus ela se recuperou bem e sem sequelas.
    Agora dobro os cuidados e fico atenta á qualquer suspeita.

  6. Meu filho teve meningite viral com 1 ano e 1 mês de vida. Foi diagnosticado no 2o dia da doença. Fizemos o tratamento corretamente. Com 1 ano e 5 meses, ele teve uma convulsão febril com 37,5° e duração de 27 minutos com 2 paradas respiratórias. Ele faz uso de anti convulsivo depakene e hoje aos 4 anos e 1 mês, continua tendo crises de convulsão febril.
    Faço acompanhamento com neurologista super conceituado Dr Paulo Breins do hospital Albert Einstein.
    As crises de convulsão diminuíram, mas há ainda.

  7. A quatro dias tive esses mesmos sintomas mas n fui ao médico.. Tomei azitromicina e paracetamol mas durante esse período fiquei muito mal..dor no corpo todo, rigidez na nuca, febre alta, calafrios, dor de cabeça, náuseas,vômitos e sonolência.. Graças a Deus ontem acordei sem dor…mas depois vi a reportagem no DFTV e preocupei pq acho q foi minigite.

  8. Meu filho tem 14 e há 5 dias está tendo febre de até 38.8, hj que é o quinto dia amanheceu bem frio como normalmente ficamos… não sei se esta curado, pois todos os exames não acusam nada, ele já fez duas vezes, dizem ser viral, mas não falaram e meningite.

    1. Aconteceu a mesma coisa com minha filha e foi diagnosticado como meningite viral. Mas o médico só teve certeza após a retirada do líquido da espinha.

  9. Eu perdi uma irmã com sete anos com meningite bacteriana, começou com
    febre e na sequência convulsões,faleceu no hospital após vinte horas
    Haver começado os sinais e sintomas.O suor é muito, a pessoa se molha
    toda,febre muito alta. Precisa socorro imediato,costuma ser fatal.
    (meningite bacteriana)

  10. EM 2015 MINHA FILHA TINHA APENAS COM 4 ANOS DE IDADE ESTAVA MUITO GRIPADA COM FORTE DOR DE CABEÇA QUE IA E VINHA EM UM ESPAÇO CURTO DE TEMPO E COM SINTOMAS DE SINUSITE. LEVEI ELA NO CONVÊNIO QUE ELA TINHA NA ÉPOCA E UM MÉDICO NOVO EXAMINOU E DISSE SIMPLESMENTE QUE ELA NÃO TINHA NADA. EU NA HORA FALEI QUE ELA PODERIA ESTAR COM SINUSITE MAS ELE FALOU:MÃE SUA FILHA NÃO TEM NADA . E SAI DA SALA SEM MEDICAÇÃO NEM PARA DOR DE CABEÇA. COMO ELA NÃO MELHOROU LEVEI ELA NO OUTRO DIA NO MESMO HOSPITAL E NO CAMINHO ELA TEVE UMA PIORA TIPO COMEÇOU A VOMITAR A DOR DE CABEÇA PIOROU E ESTAVA COM FEBRE. TIVE UMA SORTE GRANDE NAQUELE DIA, QUEM ESTAVA ATENDENDO ERA O DIRETOR DOS MÉDICOS E ELE LOGO SUSPEITOU DE MENINGITE E PEDIU O EXAME DE LICOR NA MEDULA E HEMOGRAMA COMPLETO E DE DENGUE TAMBÉM. FIQUEI APAVORADA E QUANDO CHEGOU O RESULTADO ERA ISSO MESMO MENINGITE VIRAL.ELA FICOU INTERNADA E TOMOU VÁRIAS MEDICAÇÕES INCLUSIVE PARA SINUSITE ESTAVA NUM ESTÁGIO MUITO GRAVE. MAS GRAÇAS Á dEUS MINHA FILHA FOI CURADA. PEÇO PARA AS MAMÃES FICAREM ATENTAS COM OS SINTOMAS DE GRIPE E NUNCA DÊ REMÉDIO POR CONTA.ESSA DOENÇA É MUITO PERIGOSA E DEPENDENDO DO TIPO DE MÉDICO QUE ATENDER VAI DEIXAR PASSAR BATIDO. GOSTEI MUITO DESSE ARTIGO.

  11. Estive no hospital sexta feira, sabado, domingo de manha, domingo a noite, com minha bebê de 10 meses. Como os exames normais não davam nada mas ela estava bem prostrada e com febre de 38,5, os médicos iniciaram tratamento para pneumonia. Inclusive com uso de berotec. Me falaram pra levar na pediatra que era pneumologista por coincidencia. Achei vaga no mesmo dia. Ela disse que não era pneumonia e estranhava a prostração da bebê e encaminhou novamente ao hospital pedindo criterio na avaliação. Coletaram o liquor e deu meningite viral. Agora está tratando com aciclovir tem menoa de 24 h. Não tem febre, mas ainda está bem prostrada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *