O que é Anemia Falciforme?

A anemia falciforme, também chamada de drepanocitose ou anemia drepanocítica, é uma doença hereditária e hematológica que acontece por conta da produção anormal de glóbulos vermelhos do sangue, o que deforma as hemácias. As células da membrana são alteradas e se rompem com facilidade, causando a anemia. Por conta desse rompimento, elas tornam-se parecidas com uma foice, por isso o termo falciforme.

Esse tipo de anemia acontece quando a pessoa herda duas cópias anormais do gene da hemoglobina de seus pais, uma de cada.  A hemoglobina, que transporta o oxigênio e dá cor aos glóbulos vermelhos, é essencial para  a saúde de todos os órgãos do corpo. Os primeiros sintomas costumam surgir entre os 5 e 6 meses de idade e vários problemas de saúde podem ser desenvolvidos, como infecções e até mesmo AVC.

A expectativa de vida de pessoas com anemia falciforme pode variar entre 40 e 60 anos de idade e as pessoas mais afetadas são as negras. Acredita-se que 8% dos negros no Brasil sofrem com a anemia falciforme, mas como o país possui muita diversidade, outras raças também começaram a serem atingidas, como os brancos e pardos.

Índice  neste artigo você irá encontrar as seguintes informações:

  1. O que é Anemia Falciforme?
  2. Tipos
  3. Causa
  4. Fatores de risco
  5. Sintomas da Anemia Falciforme
  6. A Anemia Falciforme tem cura?
  7. Diagnóstico
  8. Tratamento para a Anemia Falciforme
  9. Complicações
  10. Como conviver com o problema?
  11. Prevenção

Tipos

Existem 4 tipos de anemia falciforme. Duas que tem cadeia alfa e duas com cadeia beta.

Doença de hemoglobina SS

A doença hemoglobina SS é o tipo mais comum da doença falciforme. Ocorre quando o paciente herda cópias do gene da hemoglobina S de ambos os pais, o que gera uma hemoglobina conhecida como Hb SS. Indivíduos com essa forma também experimentam os piores sintomas em uma taxa mais elevada.

Doença de hemoglobina SC

A doença hemoglobina SC é o segundo tipo mais comum de anemia falciforme. Acontece quando o paciente herda o gene Hb C de um dos pais e o gene Hb S do outro. Indivíduos com Hb SC tem sintomas parecidos com o Hb SS, mas a anemia é menos grave.

Hemoglobina SB+ (Beta) Talassemia

A hemoglobina SB+ (Beta) Talassemia afeta a produção de genes da globina beta. O tamanho dos glóbulos vermelhos é reduzido porque menos proteína beta é feita. Se for herdado o gene Hb S, o paciente terá hemalamicina Beta talassemia. Os sintomas não são graves.

Beta-Zero Talassemia

A talassemia beta-zero é o segundo tipo de beta-talassemia e possui sintomas semelhantes à anemia Hb SS. Às vezes, os sintomas de beta-zero talassemia são mais graves e estão associados a um pior prognóstico.

Causa

Como já citado, a anemia falciforme é uma doença herdada que dura a vida inteira. Os pacientes herdam duas cópias do gene da doença, uma do pai e outra da mãe, o que faz o corpo fabricar hemoglobina de forma anormal. A hemoglobina é uma proteína que possui muito ferro e dá a coloração vermelha da célula, além de carregar oxigênio dos pulmões para o resto do organismo.

Na anemia falciforme, as hemoglobinas se aglutinam ao transportar oxigênio para os tecidos do corpo. Esses blocos de hemoglobinas fazem as células vermelhas ficarem com forma de foice e que tendem a se juntar nos vasos sanguíneos.

Fatores de risco

Existem alguns fatores de risco para pessoas com anemia falciforme, eles são:

  • Infecções de longo prazo;
  • Perda de sangue decorrente de cirurgia ou lesão;
  • Dieta com poucas vitaminas, sais minerais ou ferro;
  • Histórico familiar de anemia herdada, como talassemia e anemia falciforme;
  • Doença grave ou de longo prazo como câncer, doenças nos rins, diabetes, artrite reumatóide, AIDS, insuficiência cardíaca e doença na tireoide.

Sintomas da Anemia Falciforme

Os sintomas da anemia falciforme costumam variar bastante. Para uns, os sintomas são leves e, para outros, podem variar entre um ou vários. Geralmente, os sintomas surgem a partir dos 6 meses de idade.

Dor

Crise de dor é o principal sintoma da anemia falciforme. As articulações e ossos são os locais mais afetados, mas essas crises podem atingir qualquer parte do corpo, com variação de tempo de duração. Geralmente, as dores acentuam em dias frios, durante a TPM, quando infecções ocorrem e em pessoas que possuem problemas emocionais ou que estejam grávidas ou desidratadas.

Infecções

As pessoas que tem anemia falciforme são mais propensas a terem infecções, principalmente as crianças, que possuem maiores riscos de terem meningites e pneumonias. Vacinas especiais podem ser aplicadas nesses tipos de pacientes para que o problema seja prevenido.

Síndrome mão-pé

Em crianças pequenas, as crises de dor podem ocorrer nos vasos sanguíneos dos pés e das mãos, causando dor, inchaço e vermelhidão no local afetado.

Cor amarelada nos olhos e na pele

É o principal sintoma da doença. Isso acontece quando o glóbulo vermelho se rompe e um pigmento amarelo (bilirrubina) aparece no sangue, fazendo com que os olhos e a pele fiquem amarelados (icterícia). Não é infeccioso e nada tem a ver com a hepatite.

Úlcera de perna

Comum acontecer perto dos tornozelos a partir da adolescência, as úlceras podem demorar anos para cicatrizarem, caso o tratamento não seja feito de maneira correta. Utilizar meias grossas e sapatos é a forma de preveni-las.

Sequestro do sangue no baço

Crianças com anemia falciforme podem ter o aumento do baço rapidamente,  órgão responsável por filtrar o sangue.  Isso faz com que a circulação não chegue em outros órgãos, causando a morte do paciente.

Necrose avascular

Necrose avascular é um termo usado para descrever a perda do tecido ósseo causado por uma restrição do suprimento de sangue.

Em crianças com anemia falciforme, a necrose costuma afetar o quadril e o primeiro sinal pode ser dor na virilha. A dor pode ser persistente e durar vários meses. Em casos considerados graves, a criança pode necessitar de muletas e cadeiras de rodas.

Priapismo

O priapismo é uma persistente e dolorosa ereção do pênis e os episódios, às vezes, podem durar horas. Homens com anemia falciforme sofrem de priapismo por conta das células sanguíneas ficarem presas no pênis.

Na maioria das vezes o priapismo acontece sem razão aparente e, geralmente, ocorre por conta de uma crise de células falciformes.

Adolescentes podem se sentir constrangidos com o priapismo e costumam negar que o problema ocorre . Mas, é muito importante relatar, por conta de danos permanentes que podem ocorrer, afetando até mesmo a capacidade de ereção no futuro.

A Anemia Falciforme tem cura?

A cura da doença ainda é desconhecida, mas sabe-se que algumas pessoas já foram curadas com o transplante de medula óssea. É importante focar no tratamento para evitar complicações da doença.

Diagnóstico

O médico responsável por diagnosticar e tratar a anemia falciforme é o hematologista.

O diagnóstico da doença pode ser dado através do teste do pezinho, realizado quando a criança nasce. Ainda pode ser feito uma detalhada pesquisa relacionando a história clínica do paciente  com os sintomas.

O exame de eletroforese de hemoglobina, que consiste em separar e medir as hemoglobinas normais das anormais, pode ser feito para que o diagnóstico seja dado mais rapidamente, e, consequentemente, o tratamento também.

A avaliação do risco de AVC pode ser feito em crianças até 2 anos de idade para descobrir se há maior risco de AVC. Se o risco for realmente maior, pode ser feito tratamento com transfusões de sangue.

Tratamento para a Anemia Falciforme

Existe uma equipe de profissionais para auxiliar o paciente com anemia falciforme, composta por médicos, dentistas, enfermeiros, nutricionistas, assistentes sociais e também nutricionistas. Apesar de todo esse apoio, as crianças com anemia falciforme devem manter o desenvolvimento e o crescimento normalmente, igual ao de crianças saudáveis.

Quando a doença é descoberta no início da vida, o bebê necessita de acompanhamento com atenção integral. Nessa fase, os profissionais já citados orientam o paciente e a família a descobrirem os principais sintomas da doença, além de tratar o problema da melhor forma possível.

Em casos de exacerbações da anemia, transfusões de sangue podem ser realizadas. Pacientes com AVC ou alguma outra complicação grave podem realizar o procedimento a cada 28 dias. Após a transfusão, o acúmulo de ferro (hemossiderose) pode acontecer e o tratamento é feito com o uso de quelantes,  agentes usados para capturar, transportar e/ou eliminar substâncias (principalmente metais) do organismo.

Trabalhos experimentais estão sendo feitos com terapia gênica e o uso de hidroxiureia vem se mostrando útil, por diminuir o número de episódios dolorosos e da síndrome torácica aguda. Esse tipo de medicamento vem mostrando aumento da hemoglobina fetal, diminuindo reticulócitos e leucócitos aderentes ao endotélio e aumentando os níveis de óxido nítrico.

É preciso ficar atento, pois os pacientes não podem engravidar durante esse tratamento, pois o risco de teratogenicidade para o feto é muito grande.

Estudos de pacientes com hidroxiureia é o único que mostra que o uso constante do medicamento diminui a frequência e a gravidade das crises falciformes, reduzindo, ainda, o número de transfusões de sangue e internações no hospital. Hidroxiureia aumenta o risco de infecções e há alguma preocupação de que o uso a longo prazo dessa droga pode causar tumores ou leucemia em certas pessoas.

Estudiosos estão utilizando novos medicamentos que melhoram o fluxo sanguíneo e a entrega de oxigênio para o corpo.

Ainda, antibióticos são usados para prevenir infecções, como a pneumonia. Além disso, analgésicos podem ser usados para aliviar a dor durante a crise de foice.

Transfusões de sangue

Durante a transfusão de sangue, os glóbulos vermelhos são removidos do sangue doado por outra pessoa. A transfusão é feita por via intravenosa em pacientes com anemia falciforme e aumentam o número de glóbulos vermelhos normais em circulação, aliviando a anemia. Em crianças que possuem grande risco de AVC, as transfusões podem diminuir o risco da doença.

As transfusões causam uma quantidade grande de ferro no corpo que podem danificar o coração, fígado e outros órgãos. Nesses casos, utilizar Deferasirox é indicado para diminuir os riscos de ferro.

Oxigênio suplementar

Utilizar oxigênio de forma suplementar, como em uma máscara de respiração, faz com que o oxigênio chegue ao sangue e, assim, a respiração se torne mais fácil.

Transplante de medula óssea

O transplante é a troca das medulas afetadas pelas saudáveis de um doador. O procedimento só deve ser feito se os sintomas forem significativos e se a anemia causar problemas à saúde do paciente.

Para ocorrer o transplante é preciso que as células do doador sejam filtradas e, depois, injetadas na corrente sanguínea da pessoa com anemia falciforme, fazendo com que novas células sejam geradas. Pacientes que passam pelo transplante devem ficar por um bom período internados no hospital.

Como tratar em casa

Existem atividades que o paciente pode fazer em casa para que os sintomas sejam diminuídos, eles são:

  • Alimentar-se corretamente com frutas, legumes e grãos indicados pelo médico;
  • Praticar exercícios regularmente pode reduzir o estresse e as crises;
  • Utilizar almofadas aquecidas para diminuir a dor;
  • Beba mais água para que as crises sejam reduzidas;
  • Tome suplemento de ácido fólico, conforme recomendado pelo médico.

Atenção!

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas nesse site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Complicações

Como os sintomas são significativos e podem atrapalhar a qualidade de vida, as complicações podem ser fatais.

Acidente vascular cerebral

O suprimento de sangue para o cérebro pode ficar bloqueado causando sérios problemas.

Síndrome torácica aguda

A capacidade dos pulmões em respirar oxigênio é perdida de forma repentina.

Hipertensão pulmonar

A pressão do sangue dentro dos vasos sanguíneos que vão do coração para os pulmões pode se tornar muito alta, causando perigo à saúde.

Problemas de visão

Em casos de anemia falciforme, vasos sanguíneos podem ser bloqueados por células falciforme causando problemas à retina, conhecido como retinopatia.

Problemas renais

Os rins podem ser danificados ao longo do tempo e problemas podem ocorrer, como:

  • Sangue na urina;
  • Enurese de cama;
  • Pressão arterial alta.

Depressão

A anemia falciforme pode causar ansiedade e estresse por conta da condição imprevisível da doença. Acredita-se que mais de 50% dos pacientes sofrem de depressão no mínimo uma vez durante a vida.

Alguns sinais podem mostrar que há depressão, eles são:

  • Problemas para dormir;
  • Incapacidade de manter amizades;
  • Mudanças nos hábitos alimentares;
  • Falta de vontade de viver.

Como conviver com o problema?

É importante levar o paciente da anemia falciforme rapidamente ao hospital em caso de crises de dor. Utilizar analgésicos e investir na hidratação do paciente muitas vezes não é o suficiente.

Ir ao médico é fundamental para que ele avalie o caso e determine os procedimentos que devem ser feitos. Em caso de palidez repentina, é necessário ir ao hospital mais próximo.

A expectativa de vida dos pacientes com anemia falciforme é de 45 a 50 anos de idade. Como alterações oculares são comuns, como a retinopatia,  visitar o oftalmologista frequentemente é importante para o tratamento.

A qualidade de vida pode melhorar seguindo essas dicas:

  • Beber muita água (cerca de 8 copos por dia);
  • O médico pode recomendar suplemento de ácido fólico;
  • Evitar temperaturas extremas;
  • É importante se exercitar, mas é necessário não exagerar;
  • Baixos níveis de oxigênio podem desencadear crise de foice.

Prevenção

Exigir que o teste do pezinho seja feito no seu filho ainda no hospital, logo após o nascimento, é fundamental para descartar a possibilidade de anemia falciforme. Caso a doença seja diagnosticada, é necessário consultar um médico especialista o mais rápido  possível.

Beber muita água é fundamental para que não ocorra a desidratação. Exercitar-se é muito importante, mas é preciso ficar atento para que não ocorra falta de ar. Manter a alimentação saudável é importante para que haja o desenvolvimento correto da criança.

Técnicas de relaxamento podem ser importantes para evitar o estresse em pessoas que convivem com a anemia falciforme.


Como a anemia é muito comum, é fundamental saber diferenciar uma das outras. Compartilhe com seus colegas para que eles também tenham acesso ao texto!

Referências
http://www.aafesp.org.br/o-que-anemia-falciforme.shtml
http://www.minhavida.com.br/saude/temas/anemia-falciforme
https://pt.wikipedia.org/wiki/Anemia_falciforme
http://www.copacabanarunners.net/anemia-falciforme-causas.html
https://drauziovarella.com.br/letras/a/anemia-falciforme/
http://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/323695/anemia+falciforme+saiba+mais+sobre+esta+condicao.htm
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572004000600004
http://www.mdsaude.com/2008/12/anemia-falciforme-drepanoctica-e-trao.html
http://www.your.md/condition/sickle-cell-anaemia
http://www.healthline.com/health/sickle-cell-anemia
http://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/sickle-cell-anemia/basics/treatment/con-20019348

Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Editor Médico

Dr. Paulo Caproni

CRM/PR 27.679

Graduado em Medicina pela PUCPR. Residência Médica em Medicina Preventiva e Social pela USP. MBA em Gestão Hospitalar e de Sistemas de Saúde pela FGV.

Farmacêutica Responsável

Dra. Francielle Mathias

CRF/PR 24612

Farmacêutica generalista, com Mestrado em Ciências Farmacêuticas, ambos pela Unicentro. Doutorado em Farmacologia pela UFPR.

Participe da discussão

28 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

  1. Gostei muito do texto, me ajudou bastante. Sinto quase tudo que está escrito, menos pressão alta, ao contrário, minha pressão é super baixa. Isso é normal? Me ajudem

    1. Oiee concordo com vc Samara. Minha Esposa tb tinha pressão super baixa… geralmente 11/10 por 7/6. Minha esposa tinha anemia falciforme. Tudo isso que vcs falaram ela sentiu na pele por 53 anos. No dia 15/02/18 ela veio a ter uma parada cardíaca que foi fatal, embora sempre se cuidou com médicos hematologistas, minha amada esposa morreu nos meus braços…

  2. Boa noite!
    Esta doença dá direito junto ao INSS benefícios?

    Grato,

    1. Olá Arnaldo,

      Em alguns casos, os pacientes com anemia falciforme possuem sim alguns direitos, como o auxílio-doença e a aposentadoria por invalidez. Porém, existem requisitos para garantir esses benefícios junto ao INSS. Recomendamos que converse com seu médico e procure orientações nos órgãos responsáveis.

    1. Oieee, concordo com vc, Ana Carolina. Minha Esposa tb tinha pressão super baixa… geralmente 11/10 por 7/6. Minha esposa tinha anemia falciforme. Tudo isso que vcs falaram ela sentiu na pele por 53 anos. No dia 15/02/18 ela veio a ter uma parada cardíaca que foi fatal, embora sempre se cuidou com médicos hematologistas, minha amada esposa morreu nos meus braços…

  3. Poxa!!!!
    Muito interessante esse informativo, ganhei grande conhecimento à respeito dessa doença que muito poucas pessoas sabem, eu mesma por mais curiosa que sou ainda não sabia disso.
    Parabéns pra vcs,
    Tornei-me uma fã.

  4. Eu tenho anemia falciforme tipo SC, gostaria de saber se posso tomar a vacina contra a febre amarela

    1. Olá Cida,

      Somente um médico é capaz de restringir ou não a aplicação da vacina, pois cada paciente possui condições diferentes de saúde. Converse com seu médico para que ele esclareça suas dúvidas, baseado no seu histórico.

  5. Minha esposa tinha anemia falciforme. Tudo isso que vcs falaram ela sentiu na pele por 53 anos. No dia 15/02/18 ela veio a ter uma parada cardíaca que foi fatal, embora sempre se cuidou com médicos hematologistas, minha amada esposa morreu nos meus braços…

  6. Eu tenho anemia falciforme, estou sentindo esses mesmo sintomas. O que devo fazer?

    1. Olá Maicon,

      Se você apresenta qualquer sintoma, é importante buscar ajuda médica para receber um diagnóstico e, se necessário, iniciar um tratamento.

  7. Olá boa noite eu me chamo Edileuza a minha filha ela tem 2 aninhos e 6 meses ela tem anemia falciforme às vezes ela sente muita dor muita dor agora mesmo que eu estou acreditando nisso ela está com dor acabei de chegar do boldrini com ela eu creio que Deus vai libertar ela dessa doença Apesar que ela tem essa doença mas não parece ela é super gorda super saudável Come de Tudo pousa grita Hey a minha filha é demais boa noite

  8. Olá, eu tenho 15 anos e tenho essa doença… mas eu fiz o tratamento quando eu era bebe, ao longo desses anos eu me sinto muito bem, porém minha mãe só me contou agora hehe. devo me preocupar ?
    meu nivel de ferro no sangue é alto, quando eu era pequeno, os medicos disseram que eu só devia me preocupar com o futuro ( não poderia ter filho com pessoa que também já teve essa doença)… mas é isso, eu gostei muito do texto e fiquei um pouco preocupado com as doenças que podem causar…

    1. Olá Ruan!

      Pelo fato da anemia falciforme ser uma doença sem cura, é importante que você consulte um médico regularmente para acompanhar as suas condições de saúde.

    2. Eu também tenho anemia falciforme, descobri ao final de meus 15 anos, e depois só veio problema, não quero te assustar, hoje tenho 21 anos e minha visão está bem prejudicada pela anemia

  9. Ola pessoal. Meu filho tem essa doença. Ele tem 10 meses. E descobrimos quando ele tinha 6 meses. Descobri por relatos aqui, de pessoas que tem a doença, e vive bem. infelizmente cada caso é um caso. Meu filho com apenas 10 meses de vida, ja fez mais de 13 transfusoes de sangue, e teve que tirar um baço dele, estava sequestrando o sangue. Agora mesmo estou no hospital, ja faz 18 dias que estamos internados aqui. Quando pensamos que com a retirada do baço, ele ia deixar de baixar a hemoglobina dele. Ai que nos enganamos. Ele continua baixanso a hemoglobina, e com 5 dias depois sa cirurgia ja precisou de outra transfusão. Esta tendo febre direto, as plaquetas hj subiran pra 941 mil. O normal é entre 150 a 450 mil. Enfim, infelizmente meu filho não vai viver bem como muitos aqui vivem, pelo que eu to vendo e passando. Entao sejam gratos por nao estarem com tantas complicações. Meu filhinho tão novinho e inocente, foi castigado com essa doença e o num grau muito elevado. A anemia falciforme dele é muito braba. Ainda não temos previsão nenhuma de alta. E suspeitam agora de ta havendo sequestro de sangue pelo fígado. E o fígado não tem como retirar. Boa sorte pra todos nós. Sinceramente eu perdi o gosto pelo trabalho e pela vida. Vivo preocupado com ele,ese pudesse daria minha vida agora mesmo, sem pensar duas vezes pra ele se curasse.

    1. Amigo, vcs estão no caminho certo, não sei em qual hospital vcs estão, mas também passei por isso, é verdade que só fiz a explenectomia do baço aos seis anos, sofri muito, não consigo nem te dizer quantas transfusões de sangue tive que fazer mais foram muitas, tenha fé vcs irão vencer, passei minha infância dentro do Hospital Das Clínica, em Ribeirão Preto, sofri muito com essa doença e ainda sofro, a uns seis ou sete anos atrás, fis também a retirada da visícula, tenho o fígado alterado, minha emoglobina é baixa tomo remédio, Hidroxiureia todos os dias tomei muita Benzetacil, hoje substituída pelo penv, passei mais de trinta dias em coma quando criança, por isso amigo, tenha fé, ore acredite e não desista pois juntos vocês irão sair dessa. Esqueci de te falar fis tratamento na Unicamp também e mais, tenho um irmão que tem o mesmo problema e que vive bem, as vezes temos uma crise, meu irmão tem 42 anos e faz tratamento no Hospital de Américo Brasiliense atualmente, eu tenho 45 e trato pelo São Francisco, com o Ematologista José Bernardes da da cidade de Ribeirão Preto. Amigo sei o que está passando, mais estou torcendo por vcs, fé e que Deus abençoe vcs. Um forte abraço a todos.

  10. Na verdade só quem vive com alguém que sofre desta doença sabe o quanto é desconfortante! Meu filho tem 7 anos de idade tem tido crises sobretudo de dores nas articulações, costas olhos amarelados… Que horrível!
    Ca no meu país difícil foi descobri-la, difícil é encontrar especialistas… Vivemos na graça depois de muitos km de nossa provincia consegui a 600km encontrar uma especialista que nos deu palestras sobre o assunto! Bem o que encontro nesta página. Ajuda muito! Deus vos encha de sabedoria, angolano Anibal.

  11. Ola, meu nome é Rose. Minha filha tem esse problema de Anemia Falciforme, somente descobrimos essa semana. Ela tem 21 anos. Descobrimos como que no susto.
    Ela sentia muito sono e achávamos que era devido a faculdade as noites mal dormidas estudando, tos exame de sangue sempre dava anemia, a cada repetição o resultado era o mesmo, mas,como foi ficando mais cansada a cada dia eu pedi a sua ginecologista que investigasse mais o exame de sangue dela. Então foi que deu traços de Falciforme. Encaminhada ao hematologista foi confirmado a falciforme 40%, não entendi esse 40% , mas estamos no inicio dessa batalha. Espero que de tudo certo pra nos e para cada pessoa que pos seu depoimento aqui nessa postagem.
    Apresento um programa de Web TV e quero fazer uma matéria sobre isso para alertar as pessoas sobre esse problema.

  12. olá.
    Gostei do texto informativo, eu tenho 28 anos, e vivo com essa doença desde criança.
    As minhas consultas foram sempre com clinico geral,mas ainda tenho tido dores nas articulações e no osso. Em época de frio, sofro mais.
    Ainda não consegui vencer o preconceito desta doença, tanto mais que não gosto de falar com as pessoas, porque zombam de mim.

  13. Oi me chamo Natália sofro com essa doença tenho 39 anos tenho os traços falcemico mas tenho sintomas da anemia sofro de pressão baixa,febre,dores nos ossos,e nos nervos esses dias mesmo senti fortes dores que o meu lado direito travou e nunca mais parou às dores sinto que meus pés estão quebrado não consigo ficar muito tempo em pé.

  14. Eu me chamo jucilene eu tenho um casal de gêmeos que hoje estão com 2 anos de idade, no teste de pezinho eles foram diagnosticados com anemia falciforme mas eu ñ fui bem orientada hoje que eu descobri o significado estou chocada.

  15. Sobre o transplante de medula óssea, seria muito bom se todos tivessem o direito de ter a chance de ser curado, tenho o traço falciforme eu e meus 2 filhos já minha filha não tem o traço é sim essa doença horrível ela tem 1 ano e 8 meses e já foi internada várias vezes que até já perdi as contas, a primeira vez que ela internou ela tinha 7 meses por conta das crises de dor, foi horrível sofri junto com ela…
    Meu maior sonho é que minha filha se curasse dessa terrível doença.

    1. Olá, Alline.
      É necessário que o resultado seja avaliado pelo pediatra.
      Os valores de referência precisam ser considerados, pois cada laboratório pode adotar métodos de análise diferentes. Além disso, o hemograma é sempre avaliado em conjunto, considerando outros valores.
      Muitas condições podem afetar a dosagem de células do sangue, fazendo com que esse resultado, isolado, não possa determinar o diagnóstico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *