Redação Minuto Saudável
30/06/2017 15:21

O que é alergia ao sol, quais os sintomas, tipos, tratamentos e mais

Pode não parecer verdade, mas existem diversas pessoas que possuem alergia ao sol, que nada mais é do que uma reação do sistema imunológico quando a pele está exposta à luz solar. Ainda não se sabe ao certo qual a causa para essa alergia, mas há diversas formas de prevenção e você irá conhecer todas elas mais adiante.

Índice – neste artigo você irá encontrar as seguintes informações:

  1. O que é?
  2. Tipos de alergia ao sol
  3. As causas da alergia ao sol
  4. Grupos e fatores de risco
  5. Sintomas da alergia ao sol
  6. Qual o diagnóstico?
  7. Qual o tratamento em casos de alergia ao sol? E a prevenção, como se dá?
  8. Medicamentos para alergia ao sol
  9. Remédios caseiros para alergia ao sol

O que é?

Quando nos expomos ao sol sem as devidas proteções e em horários não recomendados, estamos sujeitos a diversas complicações, desde uma queimadura até um câncer de pele. Mas você já pensou que, além dessas opções, você pode também ter um certo tipo de alergia causada pela luz solar? Sim, justo a luz que proporciona a síntese da vitamina D em nosso organismo e produz os hormônios relacionados ao nosso bem estar.

Mas como saber se tenho alergia ao sol? Muitas vezes, os sintomas da alergia se manifestam na pele com características muito semelhantes a uma queimadura, isto é, a pele fica com um aspecto avermelhado e, às vezes, pode vir acompanhado de um comichão. Além disso, a alergia ao sol pode também se manifestar através de diversas erupções cutâneas presentes em todo o corpo, apresentando pus em alguns casos.

Tipos de alergia ao sol

Atualmente, pode-se dividir a alergia ao sol em dois tipos: a exógena e a endógena.

Alergia exógena

A alergia exógena acontece quando há o contato de certas substâncias na pele e que, quando expostos à luz solar, pode ocasionar a reação alérgica, como:

  • Cosméticos;
  • Resíduos de produtos de limpeza;
  • Pólen de algumas plantas.

Além dessas, substâncias fototóxicas também podem ocasionar a alergia, tais como:

  • Componentes de certos tipos de medicamento;
  • Alguns tipos de leguminosos que trazem a substância fototóxica ksantinola.

Alergia endógena

Esse tipo de alergia está intrinsecamente relacionado a algumas doenças metabólicas, fazendo com que a pessoa seja imunodeficiente, e que pode ser ocasionado através de:

  • Compostos de porfirina metabólicas que levam à acumulação de porfirinas na pele;
  • Falha na troca de melanina;
  • Mau funcionamento do sistema imunológico.

As causas da alergia ao sol

Ainda não é certa a causa para esse tipo de alergia. Segundo especialistas em doenças de pele, ela pode ser ocasionada por conta de fatores genéticos, em que a pessoa é sensível aos raios UV emitidos pelo sol, ou pode ser desencadeada pelo uso de certos tipos de medicamentos, como os antibióticos.

Grupos e fatores de risco

A alergia ao sol pode se manifestar em qualquer pessoa de qualquer idade. Porém, devido a genética da pele, ela é mais comum em pessoas de pele clara, com uma maior incidência em mulheres. Além disso, há outros fatores que podem ocasionar essa reação alérgica:

  • Exposição a certas substâncias: as substâncias responsáveis mais comuns para esse tipo de alergia são fragrâncias, desinfetantes ou até mesmo algum produto químico utilizado nos protetores solares.
  • Uso de certos medicamentos: antibióticos, tetraciclina, drogas a base de sulfa.
  • Possuir outra doença de pele: por exemplo a dermatite.
  • Possuir parentes que tenham alergia ao sol: você terá uma chance maior de ter alergia ao sol se tiver alguém da família que também tenha essa condição.

Sintomas da alergia ao sol

Os sintomas da alergia ao sol podem ser muito semelhantes aos de uma queimadura ocasionada pela luz solar. Porém, os da alergia podem ser classificados em 4 grupos, onde cada um possui um sintoma diferente do outro, e que se manifestam em locais não protegidos dos raios UV, como nas mãos e no “V” do pescoço.

Erupção cutânea fotoalérgica

A mais frequente dos sintomas, a erupção cutânea afeta principalmente mulheres que possuem entre 20 e 35 anos. A alergia se manifesta através de pequenas erupções vermelhas acompanhadas de um prurido intenso.

Erupção polimorfa

Menos frequente do que a erupção cutânea, a erupção polimorfa pode afetar tanto mulheres quanto homens. Nesse caso, vesículas e manchas vermelhas com forte comichão aparecem em determinadas partes do corpo, como no pescoço, rosto, membros e atrás da orelha.

Urticária solar

A urticária solar se manifesta com poucos minutos de exposição ao sol e é caracterizada por uma placa rosácea sobre a pele e que atinge todo o corpo. Quando se estende à mucosa respiratória e à garganta, ela pode sufocar o paciente rapidamente.

Fotossensibilização

A fotossensibilização se dá através de erupções cutâneas ou vesículas avermelhadas e que contêm muito prurido, e acontece por consequência do contato com agentes fotossensibilizadores, como medicamentos, plantas medicinais e cosméticos.

Qual o diagnóstico?

Por muitas vezes os sintomas da alergia ao sol desaparecem sozinhos, algumas pessoas não se preocupam em ir a um especialista e verificar a condição. Porém, é de grande importância uma consulta médica nesses casos, pois apenas ele poderá te dizer se a manifestação da alergia é grave ou não. Em casos de reações alérgicas aos raios UV, você deve se consultar com um dermatologista, médico especialista em doenças de pele.

O diagnóstico, na maioria dos casos, é feito através da análise clínica da pele e de perguntas que o médico pode fazer, como quando e em quais circunstâncias os sintomas começaram. Quando o diagnóstico não fica totalmente esclarecido, alguns testes podem ser solicitados:

  • Teste de luz ultravioleta (UV);
  • Teste para identificar manchas causadas pela luz solar;
  • Exames de sangue;
  • Análise de amostras da pele.

Qual o tratamento em casos de alergia ao sol? E a prevenção, como se dá?

Na maioria dos casos, o melhor tratamento para a alergia ao sol é a sua prevenção. Para isso, algumas dicas são muito importantes:

  • Não se exponha à luz solar entre as 10 horas da manhã e as 4 horas da tarde;
  • Evite de permanecer muito à exposição do sol, principalmente se você for apaixonado por verão, praia e bronzeado;
  • Use óculos escuros e roupas protetoras, preferencialmente que contenham bloqueadores de raios UV em sua composição;
  • Use protetor solar sempre.

Em casos mais graves da alergia, alguns remédios podem ser prescritos, além de fototerapia.

Medicamentos para alergia ao sol

Para os casos mais graves de alergia, os médicos prescrevem o uso oral de algum anti-histamínico e a aplicação de pomadas que tem como base a cortisona, pois possuem um efeito reparador da derme e combatem o prurido causado pelas erupções cutâneas.

Atenção!

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas nesse site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Remédios caseiros para alergia ao sol

Para quem prefere o uso de remédios alternativos, a dica é aumentar a ingestão de alimentos que possuem grande quantidade de carotenóides, como tomate, cenoura e melão, e de alimentos que são ricos em vitaminas C e E, como por exemplo as frutas cítricas.


Estima-se que 5 a 10% da população mundial sofre de alergia ao sol. E mesmo que a doença não seja tão comum para grande parte das pessoas, é preciso ter o conhecimento sobre ela, bem como as formas de tratamento e prevenção. Compartilhe esse artigo e espalhe essas informações para os seus amigos e conhecidos.

Referências

http://advancecare.pt/tenho-alergia-ao-sol/
http://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/sun-allergy/basics/risk-factors/con-20035077

28/01/2019 18:25

Redação Minuto Saudável

Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável. Confira mais na nossa página de quem somos.

Ver comentários

  • Oi, meu nome é Ricardo!
    Atualmente 26/02/2018 , sofro bastante com esse problema, estou passando por isso já faz uns 3 , 4 meses e ainda não achei nenhuma cura, mas também ainda não passei em um médico pra ver..
    É muito ruim isso me prende demais, é só toca no sol que começo a me coçar, independente da hora, não precisa nem esta sol pra da a reação e são questão de minutos pra começa as reações e percebi que os pés desprotegidos a reação vem pior, vem muito mais forte, o corpo fica flácido a pele envelhece por sí só e coceira é incontrolável, as veses da até vontade de desmaia por conta que a coceira ser tão forte! :(

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

    • Tenho alergia ao sol desde há 18 anos, não consigo que passe, todos os anos aparece 1 vez nos primeiros 4 dias de praia seguidos. depois com cremes acaba por passar ao fim de cerca de 10 15 dias e não volta mais nesse verão . Antigamente vinha acompanhado de grande comichão que deixou de acontecer graças a tomar um anti estaminico (aerius) todos os dias desde o inicio do verão. Hoje em dia é só borbulhas prurido vermelhão mas sem comichão que já é bom -

      Cancelar resposta

      Deixe uma resposta

      Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Eu sofro desta condição desde 2008, por uma triste coincidência minha avó materna passou a apresentar os mesmos sintomas no mesmo ano. Sempre evito a exposição, mas quando acontece evito tomar o medicamento, pois a minha reação chega a um ápice e retorna (depois de um bom tempo já em sombra). Primeiramente sinto minha pele queimar, e não coçar.. fica ardendo. Costuma aparecer nos ombros, pescoço, pés, rosto, antebraço e atrás das orelhas. Algumas vezes a alergia retorna pela noite, mas como a alergia de se formar placas, com forte coceira. Na minha pior reação, meu rosto ficou engilhado, o aspecto da pele de estar emborrachado e minha sensação de como se meu rosto estivesse com fitas adesivas coladas. Fico frustrado pela impossibilidade de ir à praia ao menos um dia sem ser final de tarde, se ao menos existisse um medicamento que "segurasse" a reação ao menos uma vez por mês seria ideal. Abraço a todos.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Sofro com essa doença desde 2007, descobri o problema bem novinha, de um dia para o outro minha pele encheu de caroços nos antebraços, rosto, pescoço e colo... Fui em vários médicos e nenhum conseguia ter um diagnóstico preciso, uns falavam que era intoxicação alimentar ou reação alérgica de algum cosmético. O problema só piorava e era uma coceira tão severa que dava no sangue, não conseguia dormir a noite devido a coceira e minha pele ficava com um aspecto grosso e vermelho. Por fim decidimos ir em um especialista que logo ao me ver disse q era alergia do sol e eu teria q fazer o uso de corticoides, passar bastante protetor e evitar ao máximo sol... Anos se passaram e continuo com o problema só que agora sei como evita-lo. Infelizmente essa doença ainda não tem cura nem remédios que evitam somente que amenizam os sintomas, no caso é somente a prevenção que funciona.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Tenho urticaria solar acho que a mais de 10 anos,mas faz pouco anos que descobri o que realmente era,no começo acreditava ser micose de tanto que coçava.
    Basta ter 10 minutos de exposição só sol que cria uma placa vermelha nos ombros que vai esquentando, e queimando de tanta ardência e está vai se espalhando pelo meu corpo todo me deixando com aspecto de pele bronzeada e depois rosada.E um dia depois fico com a pele escura parecendo queimada de tanto sol.
    A minha cor natural só volta ao normal depois de 30 dias.
    É muito incômodo e as vezes chega a ser constrangedor pois existem pessoas que não acreditam que isso possa ser possível, já chegaram até afirma pra mim que eu poderia ter Lúpus, é muito triste tudo isso. Neste momento estou no processo da alergia e estou me recuperando esperando o sintoma passar.
    Obrigada a todos.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Boa noite,
    Eu acho que sou alérgico ao sol pois quando vou à praia ou à piscina a minha pele tem uma facilidade para queimar e depois vem muita cosseira,muitas bolinhas e meu rosto fica muito inchado.

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

  • Muito elucidativa a matéria e os depoimentos

    Cancelar resposta

    Deixe uma resposta

    Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*