Quando uma mulher faz um exame e é constatado a presença de um nódulo nas mamas, é normal que haja apreensão. 

Mas calma! O Minuto Saudável traz um texto inteirinho para te ajudar a responder as dúvidas sobre essa situação. 
Índice — neste artigo você vai encontrar:

  1. O que é um nódulo na mama? 
  2. O que é um nódulo maligno e benigno? 
  3. Quais são os tipos de nódulos mamários? 
  4. O que causa um nódulo na mama?
  5. Quais são os graus de classificação dos nódulos mamários? 
  6. Homem também pode ter nódulo na mama?
  7. Nódulo na mama dói? 
  8. Quais são os sintomas e sinais de nódulo na mama? 
  9. Nódulo na mama pode ocorrer em jovens ou bebês?
  10. Como é o diagnóstico? 
  11. Nódulo na mama é câncer? Quando se preocupar?
  12. Quais os exames mais comuns?
  13. Tem cura? 
  14. Como tratar nódulos na mama? 
  15. Como prevenir?

O que é um nódulo na mama?

Nódulos são lesões sólidas com o diâmetro igual ou maior que 1cm, formato delimitado e que tem a sua origem no tecido epitelial ou conjuntivo das mamas. No geral, são considerados como alterações, anomalias, caroços ou bolinhas que surgem em alguma determinada região do corpo.

Às vezes, eles podem ser sentidos com o toque, mas, em outras, somente exames clínicos podem indicar a presença deles.

A maioria dos diagnósticos indica que são pequenos e benignos, ou seja, não oferecem riscos para a saúde e, muitas vezes, sequer precisam ser tratados. 

Embora seja mais comum em mulheres, é importante destacar que os homens também podem ter nódulos na mama. 

Porém, fazer todos os exames é indispensável, pois em alguns casos a presença de nódulos pode indicar um câncer ou outras condições de saúde.

O que é um nódulo maligno e benigno?

O nódulo maligno é uma anomalia que pode prejudicar a saúde e, quando se desenvolve, pode vir a se tornar câncer. Por isso, eles requerem um acompanhamento clínico mais preciso. 


Já os nódulos benignos são inofensivos e não comprometem a saúde da paciente, em grande parte dos casos. 

A primeira forma de suspeitar se o nódulo é maligno é a idade da mulher em que ele está: os nódulos benignos tendem a se manifestar em mulheres entre 20 e 50 anos e os malignos se manifestam em pacientes com mais de 50 anos e que estão na menopausa

É claro que isso não é uma regra! 

A melhor forma de saber se o nódulo é benigno ou maligno é procurando auxílio médico e fazendo os exames. 

Quais são os tipos de nódulos mamários?  

Existem 2 tipos de nódulos que podem estar presentes na mama: o cístico e o sólido. 

O nódulo cístico é um cisto. Em seu interior, há apenas líquidos, o que o torna inofensivo para a saúde na grande maioria dos casos. 

Já o nódulo sólido tende a ser mais preocupante e, por isso, é provável que o(a) mastologista faça uma avaliação mais profunda ou então peça para que os exames sejam repetidos dentro de alguns meses.

O que causa um nódulo na mama?

As causas do aparecimento dos nódulos mamários variam conforme o caso. As mais comuns são a influência dos hormônios (na menstruação ou menopausa), o crescimento anormal das glândulas mamárias, acúmulo de gordura no seio e infecções (mastite, por exemplo).   

Infecções na mama, dutos de leite bloqueados (galactocele) e outras lesões também pode ser outras causas do nódulo de mama.  

Quais os graus de classificação dos nódulos mamários? 

Os nódulos das mamas são diagnosticados conforme o grau de risco que apresenta para as pacientes. 

As categorias que estão previstas no BI-RADS (Breast Imaging Reporting and Data System) que é um protocolo usado para classificar o nódulo, de acordo com o exame da mamografia. Saiba mais sobre cada uma delas: 

Grau 0

Se o resultado da mamografia for grau 0, significa que o exame foi inconclusivo. 

Isso tende a acontecer quando os seios apresentam o tecido mamário mais espesso, o que dificulta para que a imagem seja nítida. 

Como medida de precaução, é recomendado que se solicite outro exame de imagem (como a ultrassonografia).

Grau 1 

O grau indica que o seio está saudável e sem anomalias. O exame deve ser repetido conforme a orientação médica, sendo geralmente após 1 ano. 

Grau 2 

Mamografias que resultem em grau 2 significam que há a presença de alterações benignas e que, por enquanto, não apresentam potencial para tornarem-se câncer. 

Entretanto, isso não pode ser sinônimo de relaxamento. É preciso continuar cuidando-se e não esquecer de fazer os exames quando solicitados. 

Grau 3

O grau 3 indica que há alterações que podem ser benignas, pois as chances de ser um nódulos maligno é pequena, havendo apenas 2% de chance da paciente desenvolver tumores. 

Em tal estágio se encaixam os nódulos que não podem ser palpáveis, alguns tipos de lesão e microcalcificações ovais ou redondas. 

Mesmo assim, o ideal é continuar com os acompanhamentos médicos. Uma nova monografia provavelmente será pedida em 6 meses. 

Grau 4

Se a mulher apresentar mamografia com resultado grau 4, as coisas começam a ficar um pouquinho mais sérias, já que há mais chances de evolução para câncer.

O nódulo, nesse estágio, apresenta características semelhantes aos tumores como irregularidades, densidade assimétrica, microcalcificações e limites pouco definidos.  

Com essa perspectiva, é normal o(a) mastologista solicitar uma biópsia (retirada de um pedaço do tecido doente) e uma avaliação mais detalhada do tecido mamário. 

Grau 5 

O grau 5 significa que as alterações presentes no exame possivelmente são malignas. A chance de desenvolver câncer de mama é de 95%. 

Nessas situações, geralmente, é solicitado uma biópsia, que dependo do resultado, encaminhará a paciente para a sala cirúrgica a fim de retirar o nódulo. 

Grau 6

Nesse estágio, infelizmente,  a mulher apresenta um diagnóstico de câncer de mama. 

O resultado deve ser entregue ao(à) médico(a) que solicitou o exame para que se inicie o tratamento correto (como quimioterapia ou radioterapia, dependendo de cada caso). 

Homem também pode ter nódulo na mama?

Sim. Embora seja mais raro (cerca de 1% dos casos) também é possível que os homens tenham nódulos nas mamas. Isso porque todo ser humano tem tecido mamário, independente do sexo. Assim, se os homens notarem caroços ou bolinhas nas mamas também devem procurar a avaliação de um(a) profissional de medicina. 

Caso seja constatado um nódulo, os procedimentos médicos devem ocorrer normalmente. 

Ou seja, esse nódulo pode ser benigno ou maligno. No segundo caso, se necessário, é feito outros exames, biópsias e até cirurgias para remoção da anormalidade. 

Por isso, fica nossa dica: não deixe o preconceito prejudicar a sua saúde! Apalpe a suas mamas e, em casos de dúvidas, procure um(a) mastologista.  

Nódulo na mama dói?

Geralmente, os nódulos na mama não acompanham outros sintomas. Isso significa que não provocam nenhum tipo de incômodo ou dor. Mas isso depende da causa do nódulo. Como a maioria se refere a nódulos benignos, a presença de sintomas não é comum.

Porém, se for um nódulo maligno, relacionada ao câncer, por exemplo, pode ser que pacientes apresentam sintomas.

Embora seja mais raro, é possível que o nódulo cause uma sensação de peso no seio, ou provoque ardências e dores. 

Nesses casos, para amenizar o sofrimento da mulher, é recomendado que ele seja retirado com o auxílio de medicamentos ou cirurgia. 

Quais são os sintomas e sinais de nódulo na mama?

Essa, na verdade, é uma das principais razões para que o nódulo seja descoberto em estágio já avançado. Normalmente, os nódulos do seio tendem a não apresentar nenhum tipo de sintoma. Quando há sinais, costumam ser pequenas dores, leves inchaços ou até mesmo sensação de peso. 

O grande perigo é que muitas mulheres tendem a considerar esses sinais como normais, atribuindo a justificativa de os incômodos são do período menstrual ou do estresse diário. 

Outro sinal de que há algo errado é a presença de bolinhas ou caroços, que podem ser sentidos quando a mulher faz o autoexame. 

Porém, como diversas condições podem levar à formação de nódulos, os sintomas vaõ depender da origem do problema. 

Nódulo na mama pode ocorrer em jovens ou bebês?

É uma situação rara, mas jovens e bebês podem ter nódulos mamários. Isso porque quando uma neném nasce, ela já tem os tecidos mamários formados. 

Ou seja, embora eles não estejam tão desenvolvidos como o de uma mulher adulta, eles existem e também podem apresentar anormalidades. 

Os nódulos não tem idade para aparecer. Por isso, é de extrema importância que haja acompanhamento pediátrico. 

Como é o diagnóstico? 

O diagnóstico da presença nódulos na mama é feito por meio de exames que posteriormente devem ser avaliados por um(a) mastologista, que poderá levar em consideração o quadro clínico atual e o histórico da paciente.  

Antes de solicitar os exames de imagem, é comum que o(a) profissional faça o chamado exame do toque para perceber a presença de nódulos.  

Nódulo na mama é câncer? Quando se preocupar?

Não. Antes de se desesperar, é importante deixar uma coisa bem clara: nem sempre um nódulo mamário é sinônimo de câncer de mama.  

Por isso, ao receber o resultado do seu exame médico que aponta a presença de um nódulo na mama, mantenha a calma e leve esse mesmo teste para que um(a) mastologista possa avaliá-lo. 

Somente após a realização de exames é possível determinar as causas e, assim, saber se o nódulo é maligno. Porém, de forma geral, os benignos não acompanham outros sintomas, como secreção, dor, vermelhidão.

Quais os exames mais comuns?

Um dos exames mais comum para verificar qual tipo de alteração no tecido mamário é a mamografia. Nela, a mulher tem o seio colocado sobre uma plataforma. Quando o teste começa, a máquina pressiona a mama, apertando-a para garantir uma imagem mais nítida. 

Em grande parte dos casos, a mamografia é um exame que provoca dores leves e dura poucos minutos.  

O(a) médica também pode solicitar outros exames de imagens, como a ultrassonografia que consiste em passar um aparelho pela região do seio, permitindo que se enxergue o que está no tecido mamário.  

Tem cura?

Sim, os nódulos na mama têm cura.  

Se for cístico, a eliminação é feita com o uso de medicamentos hormonais, como anticoncepcionais. Já para os nódulos sólidos, o tratamento pode variar conforme o tamanho: os menores podem ser eliminados com remédios, os maiores são facilmente retirados com pequenas cirurgias. 

Em alguns casos, o nódulo também pode ser deixado lá até que se cure sozinho. Essa decisão deve ser tomada por um(a) mastologista com base nos exames apresentados. 

Mas vale deixar claro que mesmo que os nódulos tenham sido de fato retirados (proporcionando um estado de cura), eles podem retornar. 

Por isso, é de extrema importância que o acompanhamento médico e os exames solicitados sejam seguidos conforme as orientações do(a) mastologista para cada situação. 

Como tratar nódulos na mama?

Se o nódulo for benigno, não apresentar crescimento e não estiver causando desconfortos para a mulher, não há razões para tratá-lo (desde que o/a mastologista concorde com isso).

Quando a mulher sente dores, mesmo que as alterações não ofereçam risco, é possível conversar com o(a) médico(a) sobre a possibilidade de tomar um remédio anti-inflamatório. 

Caso o apresente crescimento repentino, pode-se ingerir medicamentos hormonais (como pílulas anticoncepcionais) para tentar “frear” qualquer tipo de processo prejudicial. 

Nas situações em que o nódulo é maligno, a forma de tratamento varia para cada caso: cirurgia, uso de remédios quimioterápicos ou radiologia.    

Como prevenir?

Infelizmente, não há como evitar totalmente a presença de nódulos no seio, já que ele pode ser provocado por fatores hormonais, infecções ou inflamações das células mamárias. 

O que se pode fazer é prevenir e controlar os fatores de risco. Como assim? 

Bem, a prevenção é feita por meio de exames como a mamografia e ultrassonografia. Por isso, manter as consultas em dia é uma ótima forma de prevenir esse problema. 

E agora vai o apelo: mulheres que tenham entre 40 e 70 anos devem fazer exames de mama pelo menos 1 vez por ano.  

O estilo de vida também influencia no aparecimento de nódulos mamários. 

Praticar atividades físicas, não fumar, controlar o peso corporal por meio de uma alimentação saudável, evitar o uso prolongado de hormônios e amamentar são dicas fundamentais para impedir essa condição.  


Os nódulos na mama devem ser investigados por profissionais da medicina. Eles podem ser benignos ou malignos e requerem diferentes formas de tratamento. 

Por isso, ao suspeitar de algo, consulte um(a) médico(a). 

O Minuto Saudável tem outros textos sobre a saúde da mulher. Acompanhe as nossas postagens! 


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.