Pesquisadores americanos e italianos descobriram que perder peso pode melhorar as dores de pessoas que sofrem de enxaqueca por conta da obesidade. Além das dores aparecerem com menos intensidade e frequência, a duração da crise também pode ser diminuída com a perda de peso.

A pesquisa foi feita nos Estados Unidos. Ao todo, dez levantamentos foram utilizados com a participação de 473 pessoas (adultos e crianças). Os cientistas avaliaram as crises de enxaqueca, o Índice de Massa Corporal (IMC) e a necessidade de cirurgia bariátricas.

Os fatores que ligam a obesidade à enxaqueca ainda são desconhecidos para a comunidade médica. Outras pesquisas já comprovaram que pessoas com obesidade ou magreza extrema têm mais chances de desenvolver doenças relacionadas à dor. Novos estudos estão sendo feitos neste campo.

A perda de peso, além de melhorar as crises de enxaqueca, reduz o colesterol e as chances de desenvolver diabetes, hipertensão e doenças cardiorrespiratórias. Os pesquisadores acreditam que exista uma relação entre a vida moderna (fast foods, sedentarismo etc.) e os altos índices de obesidade.

Como perder peso sem perder a saúde?

Quando o assunto é perder peso, existem muitas dietas e medicamentos que prometem ser milagrosos. Esses atos não são recomendados e podem trazer danos ao organismo. Alguns hábitos podem ajudar a perder peso sem danificar a saúde:

Faça exercícios físicos

A queima de calorias por meio de atividades físicas reduz as gorduras presentes no corpo que são ingeridas por meio da alimentação.

Opte por alimentos saudáveis

Frutas, verduras, legumes, massas integrais e cereais são a melhor opção para se ter uma alimentação balanceada. Além de incluir esses alimentos nas refeições, substitua os alimentos gordurosos por opções mais saudáveis (por exemplo: no jantar troque a pizza por um sanduíche natural).

Isso te ajuda a emagrecer sem passar fome. Em caso de dúvidas sobre quantas calorias ingerir ou o que comer em cada refeição, consulte um nutricionista.

Faça anotações ou um planejamento

Anote seu peso atual, seu peso ideal e quantos quilos está perdendo por semana, por exemplo. Marcar dados como o que comeu, quanto comeu e porque comeu (fome, ansiedade, tédio), pode motivar a melhorar a alimentação.

A quantidade de horas dedicadas à prática de atividades físicas também podem estimular a continuidade do seu plano de emagrecimento.


Controlar o peso nem sempre é uma tarefa fácil. Mas é importante que se tenha essa preocupação para evitar, prevenir e melhorar algumas condições.

Fonte: Science Daily

Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Editor Médico

Dr. Paulo Caproni

CRM/PR 27.679

Graduado em Medicina pela PUCPR. Residência Médica em Medicina Preventiva e Social pela USP. MBA em Gestão Hospitalar e de Sistemas de Saúde pela FGV.

Farmacêutica Responsável

Dra. Francielle Mathias

CRF/PR 24612

Farmacêutica generalista, com Mestrado em Ciências Farmacêuticas, ambos pela Unicentro. Doutorado em Farmacologia pela UFPR.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *