Eduardo (Minuto Saudável)
02/04/2019 13:04

Ômegas 3 e 6 na gestação podem estar relacionados ao TDAH

O transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), caracterizado pela distração, agitação e impulsividade, geralmente afeta crianças em plena fase de desenvolvimento e pode trazer complicações ao longo da vida.

Uma nova pesquisa publicada no jornal The Pediatrics sugere que a aparição desses transtornos na criança pode estar relacionada com a dieta da mãe.

Isso porque, segundo o estudo, o consumo de alimentos que possuem em sua composição dois ácidos graxos poli-insaturados durante a gestação estava associado a um maior risco das crianças desenvolverem TDAH aos 7 anos de idade.

Trata-se do ômega 6 e ômega 3, ambos considerados nutrientes importantes para o funcionamento do corpo, mas que, se consumidos de modo desequilibrado pelas gestantes, podem afetar o desenvolvimento neurológico das crianças.

Ômega-6 e ômega-3

Antes de falarmos como acontece essa relação, também é importante saber o que são essas substâncias e onde elas agem.

Os ácidos ômega 3 e ômega 6, considerados ácidos graxos essenciais, atuam em diferentes funções do corpo. São usados para dar energia e para ajudar em processos de coagulação do sangue e inflamação.

Mas não é porque eles são importantes para o corpo que é preciso ingerir em grandes quantidades, o recomendável é manter um equilíbrio.

O ômega 6 é geralmente encontrado nos óleos de girassol, de milho e azeite de oliva, enquanto o ômega 3 é encontrado em peixes, como salmão e atum.

Leia mais: Cérebro e intestino: a saúde deles na infância reflete na vida adulta

Como os ácidos podem afetar a criança?

Os ômegas 3 e 6 também têm um papel importante na formação do sistema nervoso central da criança durante a gestação.

Para o estudo, os pesquisadores observaram amostras do cordão umbilical, além de um questionário que foi preenchido pelas mães de 600 crianças que tinham pelo menos 6 sintomas de TDAH.

Foi possível ver que filhos de mães que mantiveram alto consumo dos nutrientes durante a gestação e também tinham a concentração deles mais elevada no cordão umbilical apresentaram mais chances de ter algum sintoma relacionado ao TDAH.


A pesquisa, citada na notícia, indica que a alimentação durante a gestação pode ter grandes impactos na saúde e desenvolvimento das crianças.

Fonte: Science Daily

18/04/2019 14:52

Eduardo (Minuto Saudável)

Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável. Confira mais na nossa página de quem somos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*