Minuto Saudável
10/04/2019 14:17

Como examinar os olhos pode diagnosticar precocemente o Alzheimer?

A suspeita de Alzheimer ocorre por meio de consultas médicas, análises do histórico médicos e alguns exames. Mas a confirmação da doença só pode ser feita pela análise de um pedaço do tecido cerebral do paciente depois que este falecer.

Agora, um novo estudo mostrou que o Alzheimer também pode ser diagnosticado precocemente com um simples exame de visão.

Os pesquisadores descobriram que os vasos sanguíneos no fundo do olho podem estar associados ao desenvolvimento da doença quando apresentam tamanho reduzido, ou seja, menor do que o normal.

Leia mais: Alzheimer: perda de memória e problemas de visão são sintomas da doença

Acredita-se que essa descoberta, se validada pela comunidade científica, possa ser utilizada para indicar quais pessoas têm mais chances de desenvolver Alzheimer no futuro.

Até então, era conhecido que pessoas portadoras de Alzheimer apresentam menor fluxo de sangue nos olhos, mas não se sabia que isso também acontece com quem têm tendência ao desenvolvimento da doença.

Para essa pesquisa, usou-se uma nova tecnologia chamada de angiografia OCT que detecta as condições dos vasos sanguíneos ou capilares, como também são conhecidos.

Como o olho pode ajudar

Parece complexo, mas, resumindo, a relação é simples, pois nesse caso o olho funciona como um “espelho” que reflete como está a saúde do cérebro.

A tecnologia poderá ser implantada em várias clínicas ajudando a diagnosticar o Alzheimer e outras doenças mentais.

O exame permite que todo o olho seja estudado de forma não invasiva, ou seja, sem precisar perfurar ou cortar o paciente.

O estudo foi feito na Universidade de Northwestern Medicine, nos Estados Unidos  e publicado na revista científica PLOS ONE.

O principal fator de risco do Alzheimer é a idade. Segundo a Associação Brasileira de Alzheimer (ABRAz), depois dos 65 anos, o risco de desenvolver a doença dobra a cada cinco anos a mais.

A ABRAz também alerta: 10% dos casos da doença no Brasil são causados simplesmente por fatores genéticos e hereditários.

Por isso, pessoas que possuem histórico de Alzheimer na família devem procurar formas de amenizar o desenvolvimento da doença por meio de atividades mentais (jogos de tabuleiro, por exemplo).

Em caso de dúvidas, consulte um médico neurologista.


Essa nova descoberta permite que novos recursos para o diagnóstico e tratamento possam ser desenvolvidos para as doenças degenerativas.

Fonte: Science Daily

18/04/2019 14:21

Minuto Saudável

Somos um time de especialistas em conteúdo digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável. Confira mais na nossa página de quem somos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*