O que é hemoglobina glicada?

O exame de hemoglobina glicada analisa o nível de hemoglobinas que sofreram glicação na corrente sanguínea, auxiliando no controle e diagnóstico da diabetes. É um exame simples que pode estabelecer uma média da glicemia do paciente nos últimos 3 meses.

Realizado de forma simples, o exame da hemoglobina glicada não possui restrição de faixa etária e garante resultados rápidos de alta precisão. Sua capacidade de criar um “histórico” da glicemia no paciente confere a possibilidade de ser utilizado para verificar a adesão e eficácia do tratamento da diabetes.

A elevação da hemoglobina glicada está diretamente relacionada ao aumento de glicose na corrente sanguínea, pois a glicação ocorre mais frequentemente quando há uma concentração maior de açúcar no sangue. Sendo assim, qualquer alteração na glicemia pode ser refletida no exame de hemoglobina glicada.

Este exame também é conhecido como hemoglobina glicosada, HbA1c ou apenas A1c.

Índice – neste artigo você irá encontrar as seguintes informações:

  1. O que é hemoglobina glicada?
  2. Hemoglobina glicada e glicemia
  3. Diferença entre hemoglobina glicada e glicemia em jejum
  4. O que é glicose média estimada e como é calculada?
  5. Pra que serve o exame de hemoglobina glicada?
  6. Como é realizado o exame
  7. Quando deve ser feito?
  8. Preparo pré-exame e riscos pós-exame
  9. Resultados
  10. Hemoglobina glicada alta: como baixar?
  11. O que pode afetar os resultados?

Hemoglobina glicada e glicemia

A hemoglobina (Hb) é uma proteína encontrada nas hemácias, popularmente conhecidas como glóbulos vermelhos. Trata-se de um dos elementos presentes em maior quantidade no sangue, que dá a coloração vermelha para ele.

A função da hemoglobina na corrente sanguínea é de realizar o transporte de oxigênio por todo corpo através do sistema circulatório. Seu período de vida dura por volta de 120 dias (4 meses) no organismo, mesmo tempo de vida do glóbulo vermelho.

Já a hemoglobina glicada (HbA1c) é o produto da ligação da hemoglobina com a glicose, chamada de glicação. Esta ligação é vitalícia, ou seja, quando ocorre, não é mais possível desunir as duas partes, tornando-as uma só.

Simplificando, a hemoglobina sintetizada pelo organismo é pura, enquanto a hemoglobina glicada passou pelo processo de glicação (ligação com a glicose).

Por fim, a quantidade de glicose (um dos principais carboidratos fontes de energia para os organismos vivos) presente no sangue é denominada glicemia. Ela possui ligação direta com a insulina, um hormônio produzido pelo pâncreas responsável pela redução da quantidade da glicose no sangue.

Quanto maiores os níveis de glicose no sangue, maior será a formação de hemoglobina glicada. Assim sendo, um paciente portador de diabetes sem controle apresenta uma elevação da HbA1c no sangue, enquanto um paciente que está com a diabetes controlada apresenta níveis de hemoglobina glicada também controlados.

Diferença entre os exames hemoglobina glicada e glicose em jejum

Uma dúvida corriqueira é a diferença do exame de glicemia em jejum e da hemoglobina glicada. O principal fator que os difere é que o exame da glicemia em jejum não consegue realizar um “histórico” do paciente, indicando os níveis de glicemia apenas no momento da coleta.

Para exemplificar de forma mais clara, observe o exemplo a seguir:

Se uma paciente portadora de diabetes não seguiu a dieta prescrita pelo médico e não usou a medicação de forma correta no seu dia a dia, ela teve um aumento na hemoglobina glicada.

Quando o médico desta paciente solicitou o exame de glicose em jejum, 5 dias antes do exame, ela aderiu a dieta e tomou a medicação. Ao levar os resultados para seu médico, seus níveis de glicose estavam dentro dos padrões de referência.

Usando o mesmo exemplo citado anteriormente, porém com o exame de hemoglobina glicada, os resultados apontariam a quantidade de hemoglobinas que sofreram glicação durante os últimos meses, o que levaria o médico identificar o não seguimento correto da dieta e a irregularidade da medicação.

Diferente do exame de glicemia em jejum, o exame de hemoglobina glicada não analisa apenas o momento da coleta de sangue, mas consegue dosar a concentração de hemoglobinas que estão ligadas à glicose em uma janela média de 90 dias.

Vale lembrar que, no exame da hemoglobina glicada, também é possível estabelecer a média da glicemia ao longo dos meses.

As unidades de medidas para o teste de glicemia em jejum é mg/dL (miligramas por decilitro), já o de hemoglobina glicada é em porcentagem. Confira, abaixo, a tabela de equivalência entre esses valores:

Valores
Glicemia em jejumHemoglobina glicada
97mg/dl5,00%
111mg/dl5,50%
126mg/dl6,00%
140mg/dl6,50%
154mg/dl7,00%
169mg/dl7,50%
183mg/dl8,00%
197mg/dl8,50%
212mg/dl9,00%
226mg/dl9,50%
240mg/dl10,00%
255mg/dl10,50%
269mg/dl11,00%
283mg/dl11,50%
298mg/dl12,00%

O que é glicose média estimada e como é calculada?

A glicose média estimada é a resultante de um cálculo matemático que quantifica a variação da glicose em um dado período de tempo e que tem por finalidade determinar a variação da glicemia no sangue, além de indicar a adesão ao tratamento para diabetes por parte do paciente.

Este cálculo é realizado em cima da seguinte fórmula:

Glicose média estimada = 28,7 × Hb A1c – 46,7

Exemplificando (para um exame de Hba1c com resultado de 5,5%):

Glicose média estimada= 28,7 x 5,5 – 46,7

Glicose média estimada = 111,28.

Pra que serve o exame de hemoglobina glicada?

O exame de HbA1c, assim como o cálculo da glicose média estimada, ajuda no monitoramento em um prazo médio da diabetes do tipo 1 e diabetes do tipo 2, assim como realiza o acompanhamento da eficácia do tratamento medicamentoso.

Além disso, auxilia o diagnóstico de uma pessoa portadora de diabetes ou um quadro de pré-diabetes, podendo também ser solicitado como parte de uma rotina de exames (devido o fato da diabetes em alguns casos ser assintomática), e em menor frequência com a finalidade de identificar anemia, baixa concentração de hemoglobina e hipoglicemia.

Para o diagnóstico da diabetes, são necessárias duas amostras de sangue coletadas em dias diferentes. Caso as duas tenham valores da HbA1c acima de 6,5%, pode-se identificar a presença da doença.

Como é realizado o exame

O exame de HbA1c pode ser realizado de duas maneiras simples:

Se o exame for o único que o paciente vai realizar no dia, pode ser coletado o sangue por meio de uma pequena perfuração no dedo, com o uso de uma lanceta (semelhante ao teste de monitoramento da glicose). Esse método de exame também é chamado de glicemia capilar.

Já se o paciente irá coletar sangue para outros exames por meio de punção, parte desta amostra pode ser utilizada para a realização do teste de hemoglobina glicada, dispensando mais de uma perfuração.

Quando deve ser feito

Seguindo orientações da Sociedade Brasileira de Diabetes, pacientes com diabetes mellitus em tratamento devem realizar o exame a cada 6 meses. Se estiverem com níveis de glicose no sangue controlados, precisam realizar o exame novamente só depois de 6 meses. Caso os resultados sejam níveis descontrolados de glicose, a repetição trimestral do exame se faz necessária.

Outros fatores podem ser indicativos para a solicitação do exame tais como:

  • Histórico familiar de diabetes;
  • Glicemia após desjejum acima de 200mg/dL;
  • Elevação no resultado do exame de glicemia em jejum;
  • Vontade de urinar constante;
  • Sede ou fome intensas;
  • Cicatrização lenta;
  • Visão turva;
  • Mal-estar;
  • Desidratação;
  • Alteração na dosagem do medicamento para o tratamento da diabetes;
  • Fadiga;
  • Alteração do medicamento para o tratamento da diabetes;
  • Náusea;
  • Infecções;
  • Tontura;
  • Perda de peso mesmo com alimentação normal;
  • Ocorrência de desmaios ou coma.

Preparo pré-exame e riscos pós-exame

Este exame é simples e dispensa o jejum ou qualquer outro preparo pré-exame, assim como o pós-exame não exige cuidados especiais.

Diferente do exame de glicose de jejum, o paciente pode alimentar-se antes do exame. Assim, este teste não provoca o mal-estar que muitas vezes é causado devido ao jejum.

Existem apenas alguns riscos durante ou posterior à execução do exame, sendo eles:

  • Hematomas;
  • Hipotensão;
  • Desmaio ou sensação de tontura;
  • Sangramento excessivo;
  • Infecção.

Resultados

Para compreender melhor e saber interpretar os resultados do exame, é importante ter em mente os valores referência tanto em pessoas sadias quanto em pessoas diabéticas. Entenda:

Valores de referência para diagnóstico da diabetes

Quando realizado a fim de diagnosticar a diabetes, o resultado do exame segue os seguintes padrões:

  • Entre 4,5% e 5,6%: hemoglobina glicada está dentro do normal, sem alteração e indica a ausência de diabetes;
  • Entre 5,7% e 6,4%: este valor indica um quadro de pré-diabetes, alteração metabólica que pode vir a evoluir para diabetes propriamente dita;
  • Igual ou superior a 6,5%: possível presença de diabetes, o que sugere a repetição do exame para confirmação do diagnóstico.

Valores de referência para controle da diabetes

Em portadores de diabetes, os valores de referência são um pouco acima do padrão utilizado para o exame para diagnóstico, sendo os seguintes:

  • Entre 4% a 6%: diabetes está totalmente controlada, o paciente está seguindo a prescrição médica e dieta indicada;
  • Entre 6% a 7%: diabetes parcialmente controlada, a medicação está conseguindo amenizar a diabetes e deve ser mantida;
  • Maior que 7%: diabetes mal controlada, deve ser trocada a medicação ou reformulado o sistema do tratamento, que inclui dieta e hábitos do paciente.

Hemoglobina glicada alta: como baixar?

Pode-se adotar diversas medidas para baixar a HbA1c quando esta é acusada em nível elevado. Tais medidas valem para a vida toda, uma vez que irão ajudar a manter os níveis de glicose no sangue controlados e evitar possíveis complicações no futuro.

São elas:

  • Fazer uma dieta com baixo consumo de carboidratos;
  • Manter um bom consumo de vegetais com coloração verde, como brócolis, rúcula e couve-flor;
  • Praticar atividades físicas regularmente;
  • Ter uma boa adesão ao tratamento medicamentoso.

O que pode afetar os resultados?

Alguns fatores podem interferir diretamente no resultado do exame. Caso o médico solicite este exame ao paciente, é importante informar a ocorrência das seguintes condições:

  • Hemorragia;
  • Anemia causada pela deficiência de ferro;
  • Insuficiência renal;
  • Anemia hemolítica ou por falta de ácido fólico ou vitamina B12;
  • Transfusão de sangue.

O exame de hemoglobina glicada HbA1c é bastante importante para análise da variação da glicose no sangue, adesão ao tratamento e controle da diabetes, além de poder identificar um quadro de pré-diabetes.

Compartilhe estas informações com amigos e familiares e nos ajude a levar qualidade de vida às pessoas!

Referências

http://www.mdsaude.com/2016/07/hemoglobina-glicada.html
http://www.diabetes.med.br/hemoglobina-glicada-o-que-e-para-que-serve-diabetes/
http://www.diabetes.org.br/publico/ultimas/656-o-teste-de-hemoglobina-glicada-a1c-o-que-e-e-para-que-serve
http://www.anad.org.br/hemoglobina-glicosilada-voce-sabia-que-este-exame-pode-mostrar-o-comportamento-da-glicose-no-seu-organismo/
http://www.labtestsonline.org.br/understanding/analytes/a1c/tab/test/
https://en.wikipedia.org/wiki/Glycated_hemoglobin
http://kidshealth.org/en/parents/hba1c.html
https://medlineplus.gov/ency/article/003640.htm
http://www.starbem.com.br/StarBem/GuiaStarBem/Glicemia
http://www.diabetes.org.br/profissionais/images/docs/DIRETRIZES-SBD-2015-2016.pdf
https://consultaremedios.com.br/crsaude/diabetes-sintomas-o-que-e-medicamentos-causas-e-mais/problemas-de-saude/sua-saude#complicacoes-diabetes
https://consultaremedios.com.br/crsaude/diabetes-tipo-2-o-que-e-causas-sintomas-tratamento-tem-cura/problemas-de-saude/sua-saude#complicacoes
https://drrocha.com.br/hemoglobina-glicada-como-mante-la-baixa-descubra-aqui/
http://www.scielo.br/pdf/jbpml/v45n1/07.pdf

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Avalie o conteúdo!)
Loading...

Faça um comentário:

Por favor, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui