O que é?

A faringite é uma inflamação na faringe, um órgão que fica na nossa garganta. Ela faz a ligação entre o nariz e a boca e também conecta a laringe ao esôfago. Quando a faringe está inflamada, a pessoa sente irritação, dor, coceira, desconforto na região, entre outros sinais.

As inflamações na faringe normalmente acontecem no inverno, quando o ar está mais seco e a população tende a se concentrar em ambientes fechados, com pouca ou nenhuma ventilação. Deste modo, as bactérias e os vírus entram pelas vias aéreas e causam doenças. Outras afecções típicas da estação são a laringite e a amigdalite.

PUBLICIDADE: CONTINUE LENDO O CONTEÚDO :)

Índice – neste artigo você irá encontrar as seguintes informações:

  1. O que é?
  2. Como se adquire a faringite?
  3. Os sintomas da faringite
  4. Dor de garganta não infecciosa
  5. Diagnósticos e exames
  6. O tratamento da faringite
  7. Medicamentos indicados para o tratamento da faringite
  8. Cuidados durante o tratamento
  9. O prognóstico da faringite
  10. Prevenção

Como se adquire a faringite?

Com a aglomeração de pessoas em ambientes fechados, as chances de obter uma doença nas vias respiratórias aumentam. Este distúrbio se adquire pelo ar, via oral, quando se tosse, espirra, fala, beija, etc. Ou seja, qualquer contato com alguém que tenha este vírus ou bactéria em seu organismo pode transmitir a doença. Porém, há alguns casos em que as chances de obter faringite são maiores. Estes são:

  • Portadores de doenças sexualmente transmissíveis;
  • Fumantes;
  • Pessoas que têm contato com substâncias químicas e/ou tóxicas;
  • Pela ingestão de bebidas muito quentes e o hábito frequente de ingerir bebidas alcoólicas;
  • Pessoas com baixa imunidade;

Os sintomas da faringite

O que acontece quando a faringe de uma pessoa está inflamada? Quais os sintomas que acometem o doente? Quando ela sabe que não está bem de saúde?

Os sintomas da faringite são bem específicos. Ao perceber uma ou mais destas sensações, a procura por um médico deve ser imediata:

  • Febre;
  • Dor de garganta;
  • Diminuição de apetite;
  • Dor ao falar e ao engolir e aumento da região do pescoço (inchaço);

Estes sintomas são sentidos tanto na faringite viral quanto na bacteriana e, nos casos mais graves, pode-se perceber também dor de ouvido e vômitos.

Porém, os casos de infecção por bactéria tendem a ser piores, com febre alta e muita dor de cabeça. Nota-se, em várias pessoas, formação de secreção purulenta na região da garganta e até falta de ar. Felizmente, este tipo é menos comum (20% dos casos), causado por bactérias chamadas estreptococos do tipo A, B ou C.

Dor de garganta não infecciosa

Além dos tipos citados da faringite, existe também a dor de garganta não infecciosa, que é responsável por 30% dos casos. Ou seja, você sente os incômodos, mas não tem febre ou outros sintomas de inflamação. Estes sinais podem ser causados por:

PUBLICIDADE: CONTINUE LENDO O CONTEÚDO :)
  • Alergias (como a rinite);
  • Refluxo gastroesofágico (hérnia de hiato);
  • Irritação causada por fumaça de cigarro ou consumo de álcool;
  • Pelo ressecamento da mucosa bucal ao dormir de boca aberta;
  • Devido ao frio ou à baixa umidade do ar;
  • Pelo uso excessivo da voz;
  • Por tumores (casos raros) na laringe ou faringe.

Portanto, a busca pelo profissional de saúde é o método recomendado para conhecer o diagnóstico dos sintomas, bem como o tratamento indicado para chegar à cura ou à minimização dos incômodos.

Diagnóstico e exames

Ao procurar um médico, como ele saberá que a pessoa está portando uma doença chamada faringite? Como citamos anteriormente, outras doenças de inverno (laringite e amigdalite) também afetam a garganta.

Ao se deparar com um paciente que se queixa de um ou vários dos sintomas apresentados acima, o otorrinolaringologista (médico especialista em ouvido, nariz e garganta) precisa avaliar se existe uma inflamação, se ela é de origem viral, bacteriana ou se não é infecção. O modo correto de diagnosticar o tipo de afecção é fazendo a coleta de material para posterior análise laboratorial. O doutor irá usar uma vareta com um pedaço de algodão em sua ponta e colocará este objeto em contato com sua garganta. Desta forma, através de exames específicos, se distinguirá o tipo de agente infeccioso que causou a faringite.

Porém, como este diagnóstico laboratorial costuma demorar de 48 a 72 horas para finalizar e o paciente está com vários sintomas desagradáveis, o otorrino normalmente opta pelo tratamento baseado nos sinais apresentados. Como citamos, a faringite bacteriana apresenta febre intensa e secreção na garganta. Se não forem percebidas estas características no exame clínico, o tratamento para faringite pode ser iniciado antes mesmo da análise laboratorial.

Este exame, quando enviado para o laboratório, irá comprovar ou descartar a presença de bactérias na secreção coletada da garganta do paciente. Se não forem percebidas, confirma-se o diagnóstico de inflamação viral e o tratamento pode ser continuado até a cura do paciente.

O tratamento da faringite

Se você for diagnosticado com faringite, pode ser que seja prescrito um antibiótico pelo médico. Este é o tipo de medicamento mais recomendado para tratar uma inflamação de faringe, com resultados excelentes. Os antibióticos combatem as bactérias que causaram a doença, mas você também precisará fazer a sua parte para obter a restauração completa de sua saúde.

PUBLICIDADE: CONTINUE LENDO O CONTEÚDO :)

Ao sair do consultório médico com sua receita em mãos, se dirija imediatamente à farmácia mais próxima e compre o medicamento prescrito para a faringite. Tome-o em seguida, anotando o horário. Calcule as próximas dosagens, de acordo com a indicação médica, e não se esqueça delas. Programe seu despertador para tomar a medicação na hora exata. Se isso não acontecer, as bactérias se tornarão resistentes ao remédio e a cura não acontecerá.

Medicamentos indicados para o tratamento da faringite

Os sintomas da inflamação viral tendem a diminuir sem a administração de medicamentos, somente com os cuidados sugeridos no tópico seguinte. Porém, eles normalmente são administrados para minimizar a dor e o desconforto do paciente.

Contudo, os medicamentos antibióticos são necessários para combater as bactérias causadoras da faringite bacteriana, chamadas de estreptococos. Além disso, os sintomas da doença serão diminuídos e desaparecerão em bem menos tempo, se comparados a não medicar-se.

Alguns medicamentos receitados pelos médicos para a faringite ou para combater seus sintomas são:

O profissional de saúde também pode recomendar ao paciente a injeção intramuscular de penicilina benzatina G. A administração oral geralmente recomendada dura dez dias, enquanto esta é dosagem única.

Em casos de alergia à penicilina, o medicamento mais recomendado é a amoxicilina, também por uma dezena, que pode ser preferida pela facilidade de ingestão. As cefalosporinas citadas acima também são substitutas em casos alérgicos ou de hipersensibilidade.

PUBLICIDADE: CONTINUE LENDO O CONTEÚDO :)

Quando há somente febre e dor de garganta, os otorrinolaringologistas costumam recomendar anti-inflamatórios não esteroidais, como o ibuprofeno, tanto para crianças quanto para adultos. A aspirina costuma ser preterida por aumentar as chances de desenvolver Síndrome de Reye em crianças, mas é comumente receitada como analgésico para adultos.

Como você pode perceber, as opções medicamentosas para o tratamento da faringite são extensas, cabendo somente ao médico a recomendação de melhor remédio para a cura desta inflamação.

Atenção! 

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas nesse site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Cuidados durante o tratamento

  • Evite o consumo de álcool. Misturar bebidas alcoólicas com antibióticos resultará em piora do quadro inflamatório, assim como aumenta o risco de ter outros sintomas.
  • Se possível, tome o medicamento com alguma comida. Não é necessário programá-lo para a hora das refeições, mas tenha algum alimento no estômago ao ingerir o antibiótico. Esta precaução aumenta a absorção do remédio pelo organismo.
  • Se você for mulher e fizer uso de anticoncepcionais, questione o seu médico se o medicamento para a faringite poderá interferir com o seu comprimido diário. Alguns antibióticos diminuem a eficácia dos contraceptivos e podem causar gravidez.
  • Descanse bastante! Passe deitado o maior tempo possível enquanto estiver se tratando da faringite. Isto é recomendado para o corpo se restabelecer, além de dar tempo ao antibiótico para curar a inflamação. Durma em torno de quatro a cinco horas durante o dia, além das oito ou mais necessárias para a restauração do corpo. Cubra-se com lençóis limpos e evite o uso de ventiladores, que podem causar alergias respiratórias e piorar o quadro da doença. Evite correntes de vento no quarto também.
  • Se preferir, você pode também preparar uma solução de água com sal e gargarejar várias vezes por dia com este líquido. Basta colocar uma colher (chá) de sal em um copo de água morna e mexer bem. Não engula esta solução, que recuperará a garganta aos poucos, juntamente com o medicamento prescrito.
  • Jovens e adultos podem chupar pastilhas para a garganta durante o quadro inflamatório de faringe. Pergunte ao seu médico qual o remédio mais indicado para o seu caso. Para crianças recomenda-se a prescrição de sprays, pois elas podem se engasgar com as pastilhas.
  • Água é importante para todos, mas é fundamental para quem está se tratando da faringite. Beba vários copos deste líquido por dia, tomando também sucos naturais, chá quente com mel e limão e consuma caldo de galinha. Estas sugestões são excelentes para restabelecer o organismo debilitado e estimular nosso sistema de defesa a combater a doença. Outras sugestões, que são fáceis de engolir, são: pudim, gelatina, frutas e vegetais cozidos.
  • Bebidas geladas, sorvetes e picolés podem fornecer alívio temporário para os incômodos da garganta. Deixe-os de lado se o problema for derivado de gripes ou resfriados.
  • Procure falar o menos possível, para recuperar a garganta e evitar o contágio. As cordas vocais se situam na faringe, por isso é comum o paciente apresentar rouquidão. Ela também será tratada se você ficar em silêncio.
  • Se o seu médico prescrever, você pode tomar também um anti-inflamatório, como o paracetamol. Ele é um medicamento que alivia tanto a dor quanto a febre e, em dosagem adequada, pode ser administrado para todas as idades.
  • Peça ao doutor um atestado médico de alguns dias. Ficar em casa, além de favorecer a recuperação, diminui as chances de transmissão. Não beije, abrace ou toque nas pessoas enquanto estiver doente. Não prepare ou compartilhe alimentos no período da inflamação.

O prognóstico da faringite

Depois de iniciado o tratamento e tomadas as precauções citadas acima, o paciente percebe melhora em torno de cinco dias. Mesmo assim, a ingestão de antibióticos deve continuar, até que toda a medicação termine (dez dias). Porém, se os sintomas não diminuírem neste período, ou se você notar novos sinais de doença, procure um médico imediatamente.

Prevenção

PUBLICIDADE: CONTINUE LENDO O CONTEÚDO :)

Como a faringite se dá pelo contato via oral com agentes infecciosos (bactérias ou vírus) que são transmitidos em locais fechados. É importante que você esteja sempre em ambientes ventilados, com janelas e portas abertas. Prefira sempre o ar natural.

Lave suas mãos com frequência, utilizando água e sabonete. Tenha, se possível, uma embalagem contendo álcool gel em sua bolsa, que mata os germes causadores de doenças. Use frequentemente.

Tome banho antes de dormir e não se deite com a roupa que usou nas ruas em cima dos lençóis e cobertas. Deste modo, você leva menos bactérias para sua cama.

Use vaporizadores ou umidificadores em seu quarto. Eles adicionam umidade ao ar, que é diminuída com o tempo seco. Você pode preparar em casa mesmo, colocando três copos de água para ferver. Leve esta panela para o quarto, com cuidado, e deixe por lá. Porém, este procedimento deve ser feito sem exageros, afinal trazer umidade em excesso para sua residência também pode gerar doenças.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 4,50 de 5)
Loading...

2 Comentários

  1. É muito bom ter um site que tira suas dúvidas. E este me ajudou muito, fui ao médico, o diagnóstico é faringite, estou tomando a medicação igual recomendado por vocês. E sem dúvidas. Obrigada.

Faça um comentário:

Por favor, escreva seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui