Minuto Saudável
12/04/2019 18:20

3 progenitores: nasce bebê com DNA de 2 mães e 1 pai

Ter filhos é um desejo comum de muitas pessoas.

Porém, casadas ou solteiras, algumas encontram dificuldades na hora de investir na maternidade ou paternidade biológica devido à infertilidade ou outros problemas.

Então, em alguns casos, a opção são as chamadas fertilização in vitro, que basicamente promove a fertilização de um óvulo e um espermatozoide em laboratório.

A técnica não é tão recente, pois o 1º bebê concebido pela fertilização in vitro nasceu em 1978. Desde então, estima-se que cerca de 8 milhões de nascimentos foram resultado de um procedimento feito em laboratório.

Leia mais: Estudo avalia o sêmen e possibilita novo tratamento para infertilidade

Agora um recente experimento da fertilização in vitro, feito no Institute of Life na Grécia, chamou a atenção pelo resultado: um bebê com 3 DNAs.

Duas mães e um pai

O caso na Grécia deu origem a um bebê saudável que vai poder contar com duas mães e um pai, ou seja, a doadora de óvulos, a mãe (fornecedora do material genético) e o pai.

Os cientistas conseguiram fazer com que o casal superasse os problemas da infertilidade, através de um método um pouco inverso a fertilização in vitro.

Trata-se da transferência do fuso materno, procedimento em que o óvulo de uma mulher doadora é preenchido com material genético da mãe e passa a ser fecundado através de um outro método, chamado de reprodução assistida.

Segundo os pesquisadores, isso só foi possível devido à ação das mitocôndrias (estruturas que produzem energia e possuem material genético próprio) da doadora.

Como as mitocôndrias contêm material genético próprio, elas foram retiradas da primeira mãe e transferidas para os óvulos da segunda mãe.

Depois, o óvulo foi fecundado com o espermatozoide do pai, pela técnica in vitro e retornou ao útero da primeira mãe, para dar continuidade à gestação.

A primeira mãe do bebê, de 32 anos, já tinha passado por 4 rodadas de fertilização in vitro, mas sem sucesso. E somente com o novo método testado, foi possível que ela engravidasse.

Ainda segundo os autores do estudo, a descoberta sugere que a técnica usada pode ser usada para tratamentos de infertilidade ou dificuldades de gravidez.


Novos tratamentos e técnicas auxiliam às pessoas que desejam vivenciar a maternidade ou paternidade biológica.

Por isso, é importante que novas descobertas aconteçam para permitir o mais breve possível que os problemas de infertilidade diminuam.

Fonte: Time

18/04/2019 14:14

Minuto Saudável

Somos um time de especialistas em conteúdo digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável. Confira mais na nossa página de quem somos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*