Um quarto da população das Américas é composta por pessoas entre 10 e 24 anos. Desta parcela, em torno de 230 mil jovens morrem todos os anos no continente, sendo que 80% das mortes acontecem em homens.

Os dados são da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).

Ainda segundo um recente relatório da OPAS, metade das mortes de jovens das Américas poderiam ser evitadas.

O relatório levou em consideração: as causas de morte, as doenças, a saúde sexual, o uso de substâncias, a nutrição e a prática de exercício físico de jovens presente em todos os 48 países e colônias da América.

Maiores causas de morte evitável

O estudo considera como morte evitável aquelas que acontecem por acidente de trânsito, assassinato e suicídio.

Entre essas três causas de morte, a mais comum é o homicídio, representando 24% dos casos. Os acidentes de trânsito ocupam 20% e os suicídios 7%.

A organização diz que mais de 45 mil jovens entre 15 e 24 anos morrem por homicídio. Embora o número varie entre os países, entre 60% e 70% dessas mortes são por arma de fogo.

A OPAS também percebeu que a taxa de suicídios vem crescendo.


O país com o maior índice de jovens suicidas é a Guiana Francesa, com 51,6 a cada 100 mil jovens. Em média, 12 mil jovens tiram a própria vida todos os anos nas Américas.

Leia mais: Campanha Setembro Amarelo busca trazer o diálogo sobre o suicídio

Outros dados preocupantes

Entre 2010 e 2014, a mortalidade materna (complicações na gravidez e no parto) foi a quarta maior causa de morte de jovens mulheres.

Estima-se que entre esses anos nasceram, em média, 66 bebês a cada 1 mil meninas entre 15 e 19 anos, caracterizando a América como o segundo continente com mais taxas de gravidez na adolescência.

Ainda de acordo com a OPAS, certos grupos sofrem mais com problemas de saúde. São eles os jovens negros, LGBTIs, imigrantes e indígenas.

Melhorando a saúde juvenil

A fim de diminuir os impactos negativos na saúde dos jovens e melhorar sua qualidade de vida, a OMS aponta algumas recomendações às autoridades:

  • Permitir que hajam sistemas de saúde que estejam voltados para as necessidades dos jovens;
  • Garantir que os programas de saúde sejam financiados e envolvam outras áreas além de saúde;
  • Abordar grupos vulneráveis;
  • Estimular os jovens a serem a mudança em seu país;
  • Capacitar quem trabalha com os jovens;
  • Criar programas de avaliação para melhoramentos.

Várias medidas podem ser tomadas para evitar a morte de jovens. Entre elas, a criação e manutenção de programas que cuidem da saúde física e mental dessa parcela da população.

Fonte: OPAS/OMS


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *