Uma nova pesquisa, desenvolvida a fim de tentar compreender as causas do autismo, revelou que uma deficiência genética está ligada ao transtorno. O estudo foi liderado pelo cientista brasileiro Alysson Muotri na Universidade da Califórnia, em San Diego, e publicado na revista Nature Translational Psychiatry.

Durante a pesquisa a equipe analisou o comportamento do gene Setd5, um gene ligado ao atraso intelectual.

Foi constatado que quando as células têm apenas uma cópia funcional desse gene, há uma menor quantidade de interação entre os neurônios. Isso provoca danos de desenvolvimento no cérebro, problema característico de pessoas com autismo.

Para comprovar a tal relação, os pesquisadores fizeram testes em camundongos e observaram que os comportamentos do animal foram semelhantes aos encontrados nos pacientes com o transtorno, como hiperatividade, déficit cognitivo e interações sociais alteradas.

Como resultado, a equipe conseguiu entender melhor os problemas no cérebro e como o gene Setd5 tem influência nisso.

Leia mais: Música melhora a comunicação de crianças com autismo


O autismo não possui cura e suas causas ainda estão sendo investigadas por pesquisadores. Por isso, novos estudos são sempre importantes no combate à doença.

Fonte: Nature Translational Psychiatry



Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *