Minuto Saudável
30/06/2017 15:00

Doenças sexualmente transmissíveis: gonorreia e clamídia

Doenças sexualmente transmissíveis podem ser evitadas com o uso de preservativos. Pessoas com a vida sexual ativa que não utilizam proteção possuem grandes chances de serem contaminadas com doenças como, clamídia e gonorreia.

Se essas doenças não forem tratadas de modo correto problemas graves podem surgir como, infertilidade e problemas no útero, gravidez nas trompas e dores durante as relações sexuais.

Gonorreia

Homens e mulheres podem ser afetados por essa DST. A relação sexual sem o uso de preservativo é o suficiente para que a infecção bacteriana seja transmitida. O contágio se dá por contato vaginal, anal ou oral.

As áreas úmidas e quentes do corpo fazem a bactéria se proliferar ainda mais, e fatores como pouca idade e manter relações com diferentes parceiros sexuais aumentam as chances de a doença ser contraída.

Sintomas

Secreção com pus, dor nos testículos e ao urinar são sintomas característicos da gonorreia nos homens, enquanto as mulheres podem sofrer com sangramentos, dor abdominal, corrimento e ardor ao urinar.

Sangramento no reto, pus nos olhos, coceira, sensibilidade à luz e são os sinais que acometem tanto em homens, quanto mulheres. A bactéria também pode afetar as articulações do corpo, deixando a região dolorida e inchada.

Com o aparecimento dos primeiros sintomas, seja no homem ou na mulher, o ideal é que o parceiro também seja examinado para que ambos sejam tratados. Somente dessa forma é possível evitar novas contaminações.

O diagnóstico é feito através do relato dos sinais ao médico. Mesmo com sintomas evidentes, é necessário fazer exames para que o diagnóstico seja exato. O tratamento geralmente conta com a ingestão de antibióticos.

Clamídia

Entre todas as doenças sexualmente transmissíveis, a clamídia é a mais contagiosa. Todas as pessoas que tem a vida sexual ativa e com diversos parceiros possuem chance de serem contaminadas.

Os sintomas são os mesmos da gonorreia, entretanto há casos onde pode não existir nenhum sintoma. A maioria das mulheres com essa infecção não possui sinal indicativo de contágio. Nos homens em alguns casos há a sensação de ardência ao urinar. Ainda pode ocorrer corrimento e dor nos testículos.

Cuidados

A consulta ao ginecologista e urologista deve ser frequente (pelo menos uma vez ao ano) para que doenças como essas sejam detectadas precocemente. A única forma de evitá-las é utilizando o preservativo, o qual pode prevenir não apenas essas como as demais DSTs.

31/01/2019 16:24

Minuto Saudável

Somos um time de especialistas em conteúdo digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável. Confira mais na nossa página de quem somos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*